CARAVANA JALESENSE FOI A SÃO PAULO LEVAR PROPOSTA DE PARCERIA PARA CONSTRUÇÃO DE NOVO FORUM

Pelo menos três prefeituráveis fizeram parte da caravana de jalesenses recebida, ontem, pela secretária estadual de Justiça e Cidadania, Eloísa de Souza Arruda. Flávio Prandi Franco (Flá), José Devanir Rodrigues (Garça) e o doutor Pedro Manoel Callado Moraes, fizeram questão de integrar a caravana liderada pelo presidente do Fórum da Cidadania, Carlos Alberto Expedito de Brito Neto, que foi até São Paulo levar a proposta de uma parceria público-privada para construção do novo fórum estadual.

O prefeito Humberto “Balança-Mas-Não-Cai” Parini não deu as caras por lá e foi representado pelo vice, Clóvis Viola, e pelo chefe de gabinete, Léo Huber. O bispo dom Demétrio Valentini foi um dos primeiros a subir no busão que levou os jalesenses até São Paulo. Os vereadores Macetão, Tatinha, Jota Erre, Salatiel e Nishimoto também fizeram parte da delegação, além do gerente da rede Sakashita, Nílton Sarambele, e dos empresários Valentim Lourenção e Alexandre Rensi. A imprensa esteve representada pelo Carioca (Assunção/Tribuna), Michel Pena (Moriah) e Jaqueline Zambon (assessora de imprensa da Prefeitura).

O secretário estadual de Gestão, Júlio Semeghini, e os deputados Carlão Pignatari, Itamar Borges e Analice Fernandes acompanharam os jalesenses no encontro com a secretária. Quem esteve presente, diz que a melhor explanação sobre a proposta foi feita pelo secretário Semeghini. A secretária Eloísa ficou, aparentemente, bem impressionada com o interesse e a manifestação da sociedade civil. Ela solicitou a indicação de um terreno a fim de que a proposta seja analisada. 

Como se sabe, o empresário Carlos Toshiro Sakashita está se propondo a construir um novo fórum em troca do terreno onde está localizado o prédio atual, ao lado do Sakashita Supermercados. Para o presidente do Fórum da Cidadania, Carlos Alberto, o Betinho, além de encontrar o terreno adequado à construção do novo fórum e dos demais órgãos que formariam a chamada “Cidade Judiciária”, a principal preocupação é encontrar o caminho jurídico para a formalização da parceria público-privada. 

4 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *