CRISE ECONÔMICA AFETA VIDA SEXUAL DE 1/3 DOS ESPANHÓIS

Especialistas contratados pela Pfizer ouviram mais de 6.000 homens e mulheres em sete países europeus, com idade entre 36 e 65 anos, sexualmente ativos, e chegaram a conclusão de que a crise estaria causando abalos à famosa militância sexual dos espanhóis.

Resta saber se a crise estaria, também, causando prejuízos ao faturamento das prostitutas brasileiras que ganham a vida em plagas espanholas. Vejam alguns trechos da notícia publicada pelo portal Terra:

Na Espanha, especificamente, os especialistas consultaram pouco mais de mil pessoas, sendo 502 mulheres e 528 homens, que mantêm relações sexuais pelo menos uma vez a cada três meses.

Após a análise, o resultado foi o seguinte: 34% dos espanhóis entrevistados afirmam que a preocupação com a situação econômica da Espanha repercutiu sim sobre seu desejo sexual.

Além desta percentagem, o estudo também concluiu que a média de relações sexuais dos espanhóis é de quase duas vezes (1,7) por semana, com uma duração de 20 minutos cada uma delas.

O número é ligeiramente superior à média europeia, que se situa em 1,6 vezes por semana, e fica apenas um pouco atrás dos italianos, que, com 1,8 relações, lidera esse ranking.

Apesar dos espanhóis estarem acima da média europeia, os números em relação à atividade sexual registram uma considerável queda nos últimos anos.

Em 2010, por exemplo, os espanhóis dedicavam uma média de duas horas semanais às relações sexuais, enquanto, atualmente, esse número foi reduzido a uma média de 34 minutos por semana.

A charge lá de cima é do Nani. E a notícia completa, do portal Terra, pode ser lida aqui

 

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *