DEPOIS DE DEBOCHAR DE VACINA, BOLSONARO DEFENDE QUE SUA MÃE SEJA VACINADA

Para a mãe, vacina. Para o gado, alfafa e cloroquina. Deu no Brasil 247:

Em entrevista ao programa Brasil Urgente, apresentado por José Luiz Datena, Jair Bolsonaro disse que votou ‘sim’, numa decisão tomada entre irmãos, para que sua mãe, de 93 anos, seja vacinada contra a Covid-19. “Votei ‘sim’, mesmo a vacina não sendo aí comprovada cientificamente”, declarou.

O relato é feito depois de alguns discursos de Bolsonaro em que ele debochou ou duvidou da eficácia da CoronaVac, produzida na China, principal imunizante que vem sendo usado no Brasil. Desta vez, voltou a questionar a eficácia, apesar do apoio à vacinação da mãe.

Em outro momento da entrevista, ele defendeu que “não podemos vacinar o povo a toque de caixa”. Nesta segunda-feira (8), o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, deu um prazo de cinco dias para que o governo federal apresente a ordem de preferência para os grupos prioritários de vacinação.

Na entrevista, ele também voltou a criticar o isolamento social como medida contra a transmissão do vírus. “Não funcionou lá atrás, por que vai funcionar agora?”. E defendeu que a economia precisa “voltar a funcionar”.

2 comentários

  • Bolsonaro: "Sema Anvisa aprovar a vacina. Eu compro"

    Na realidade, Bolsonaro não acredita na vacina, no isolamento social, do uso da máscara, etc. Ele nem comprou a vacina antecipadamente. Dória comprou a vacina primeiro que bolsonaro.
    Acredita da cloroquina, no hidroxicloroquina e que todos tem que trabalhar mesmo na pandemia.
    Diante da sua popularidade baixa. Muda seu discurso. Está prometendo prorrogar o auxílio para R$ 200 mensais
    O ministro Guedes convenceu Bolsonaro de quê só a vacinação rápida da população poderá melhorar a economia do país

  • Sérgio

    Hipócrita, igual aos que o apoiam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *