FAMOSAS PROTESTAM CONTRA JUIZ QUE LIBEROU HOMEM QUE EJACULOU EM MULHER

O rapaz tem uma extensa relação de crimes sexuais registrada na polícia, mas vai continuar à solta por aí. A notícia é do UOL:

decisão juizFernanda Lima, Eliana, Adriane Galisteu, Alessandra Negrini, Maria Ribeiro, as cantoras Maria Rita e Fafá de Belém, além dos atores José Loreto, Bruna Linzmeyer, Debora Nascimento, Thaila Ayla, Fernanda Rodrigues, Elizabeth Savala, Luiza Possi e Juliano Cazarré se manifestaram contrários a decisão do juiz José Eugênio Neto, do Dipo, no Fórum da Barra Funda, que absolveu o homem suspeito por estupro — ele ejaculou no pescoço de uma mulher dentro do ônibus, em São Paulo.

Astrid Fontenelle aproveitou para lembrar um episódio trágico de sua adolescência e cobrou explicações do juiz responsável pelo caso. “Não houve constrangimento? Sr. Juiz, um homem com dezenas de passagens pelo mesmo crime? Até quando? Aos 14 anos fui vítima de um desses muitos tarados de ônibus. Era estudante, estava com uniforme da escola, me apavorei e desci do ônibus correndo. Sem pedir ajuda, sem gritar. Hoje sinto que essas meninas abusadas estão sendo duplamente condenadas com a decisão de colocar esse tarado na rua”, desabafou a apresentadora.

A cantora Ivete Sangalo também se manifestou: “Sr Juiz, devo lhe dizer que o constrangimento existe e continua nos incomodando, pois além de se tratar de uma situação absurda , temos que nos deparar com tal decisão. Duplamente constrangidos”.

“Esta decisão está constrangendo todas as mulheres e homens conscientes. Hoje meu perfil estará sem foto em nome de todas nós que precisamos ser vistas com mais respeito neste país. Unidas somos mais fortes”, afirmou Eliana, que está grávida de uma menina, Manuela.

Daniela Mercury aproveitou para relembrar quando era adolescente e começou a andar de ônibus sozinha. “Ficava enlouquecida de raiva quando homens tentavam se encostar em meu corpo. Como a maioria das mulheres, aprendi a colocar os dois cotovelos para trás e outras técnicas de sobrevivência pra evitar que se encostassem em mim. Várias vezes desisti de entrar em um ônibus por ver muitos rapazes dentro. E sempre tive que brigar e reclamar pra que se afastassem de mim e morria de medo de algum deles me bater. A rainha do axé ainda questionou e “se fosse em sua esposa, em sua filha, em sua mãe, em sua irmã, em sua prima, em sua amiga? Seria também algo leve?”.

“É assim a vida das mulheres no Brasil. Sempre aflitas pra escapar dos assédios e da violência que está naturalizada. Ejacular no pescoço de uma pessoa em um ônibus cheio de gente, crianças, é estupro sim, é atentado ao pudor, é uma das mais nojentas formas de violência e abuso”, afirmou Daniela que é mãe de quatro meninas.

3 comentários

  • Justiça e as fianças milionarias

    A midia e a sociedade estão indignados com este juiz pois gritam na internet e nas redes sociais. Isso é ótimo parq que a justiça e os politicos lembrem que existe o “povo”.
    Eu não sou advogado e nem sei a definição de violencia e de estupro, nas leis. Mas acho que houve uma violencia psicologica talvez não previsto em lei e por isso, este juiz não puniu.
    Talvez precisamos mudar a lei até na definição de que é um estupro.
    O criminoso já tem 16 casos cometidos de violencia sexual, na policia, e já merecia estar internado ou preso mas parece que a justiça quer receber uma fiança e deixa-lo solto. No caso de internação, o estado gastaria muito dinheiro, entendeu?
    Como é o caso da Lava Jato, quando os juizes estão liberando os politicos ladrões para ficarem em casa ( prisão domiciliar) mediante um pagamento uma fiança milionaria
    Virou comercio?

  • Pequeno esclarecimento

    Ele não foi “absolvido”. Só não ficou preso. Oportunamente será processado e julgado, podendo ainda ser preso durante o processo ou ao final, se condenado.

  • Por essa nem a Cicciolina esperava,um ejaculador de lotação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *