JUSTIÇA FEDERAL DE JALES BLOQUEIA R$ 56 MILHÕES DE EMPRESA RESPONSÁVEL POR CONSTRUÇÃO DE TRECHO DA FERROVIA NORTE-SUL

dsc01348-ed

A notícia é do jornal O Extra, de Fernandópolis:

Hoje, 09 de dezembro, data em que é comemorado o Dia Internacional Contra a Corrupção, o Ministério Público Federal de Jales convocou a imprensa para discorrer sobre a determinação da Justiça Federal de bloquear mais de R$ 56 milhões em bens de ex-servidores da VALEC – Engenharia, Construções e Ferrovias S.A. (empresa pública, sob a forma de sociedade por ações, vinculada ao Ministério dos Transportes) e empresas acusadas de improbidade nas obras da Ferrovia Norte-Sul.

dsc00255-tribunaO procurador da República, José Rubens Plates, explicou que tanto na contratação quanto na execução da obras, que estão paralisadas de maio passado, no chamado lote 5S – compreendido entre a Ponte do Rio Arantes(MG) e Estrela D’Oeste(SP) – houve sobrepreço e superfaturamento nas obras que já duram 30 anos.

Além da VALEC, as empresas citadas são a SGS Enger Engenharia Ltda e a Triunfo Iesa Infraestrutura S/A (Tiisa), bem como dois diretores desta última. Todos são acusados da prática de atos de improbidade administrativa na contratação e execução das obras da ferrovia.

Por ser a maior beneficiária dos atos de improbidade administrativa, a Tiisa teve R$ 56 milhões bloqueados. Cinco ex-servidores da VALEC e dois diretores da Tiisa, além da empresa SGS Enger, também tiveram a indisponibilidade de seus bens decretada, em valores menores.

A ação pede a condenação dos acusados pela prática de improbidade administrativa e a ressarcirem integralmente os prejuízos causados à VALEC, pelo sobrepreço e superfaturamento da obra, em montante não inferior a R$ 56 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *