MPF, PF e MP-SP REALIZAM OPERAÇÃO PARA COMBATER DESVIO DE MAIS DE R$ 1 BILHÃO

A assessoria de imprensa do Ministério Público Federal distribuiu notícia que esclarece mais alguns pontos da operação realizada hoje em várias cidades da região. Eis a notícia:

O Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal e o Ministério Público de São Paulo realizam, nesta terça-feira, 9 de abril, operação conjunta com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que desvia recursos públicos federais e estaduais por meio de fraudes em licitações. Ao todo, são cumpridos, nesta data, 13 mandados de prisão e 160 mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em Jales e pela Justiça Estadual em Fernandópolis.

Apurou-se que, desde 2007, um grupo de empreiteiras do ramo de pavimentação asfáltica estaria manipulando licitações publicas em municípios do interior de São Paulo, simulando competição entre si, com o objetivo de superfaturar as obras. Os contratos suspeitos foram firmados com cerca de 80 prefeituras municipais e superam R$ 1 bilhão de reais. Os valores desviados serão totalizados até a conclusão das apurações.

Há indícios de que servidores e agentes públicos facilitaram a atuação da organização criminosa para desviar recursos municipais, estaduais e federais. Durante a investigação, foi constatado o pagamento de R$ 70 mil em espécie, destinado ao pagamento de propina a servidores municipais.

A Polícia Federal executa os mandados de busca e apreensão, prisão e condução coercitiva dos suspeitos. Além disso, o Ministério Publico do Estado de São Paulo, com apoio da Policia Militar, cumpre os mandados de busca relativos as prefeituras.

A ação é fruto da convergência de trabalhos do MPF, da PF e do MP/SP, que se iniciaram e se desenvolveram paralelamente a partir 2008. Como foram identificadas conexões entre as apurações, a Justiça autorizou o compartilhamento das provas. Assim, todos os mandados estão sendo cumpridos simultaneamente para otimizar os recursos e dar maior eficiência aos trabalhos desenvolvidos.

Participam das buscas 70 Promotores de Justiça, 250 Policiais Federais, mais de 100 servidores do Ministério Público e cerca de 250 policiais militares.
Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de fraude à licitação, desvio de verbas públicas, corrupção ativa e passiva e formação de quadrilha.

Coletiva – Será realizada entrevista coletiva com representantes de cada órgão responsável pela operação conjunta às 14h30 no auditório da Associação do Ministério Público do Estado de São Paulo, situada na Rua XV de Novembro, 2939, 4º andar, em São José do Rio Preto.

11 comentários

  • pedro

    amigo cardosinho quais são as cidades que esta sendo investigada aqui em nossa região?

  • CPI do Asfalto

    Cardosinho, lembra da CPI do asfalto que na época, composta pelos vereadores Rivelino Rodrigues (PPS), presidente, e Pérola Cardoso (PT) vice, o que virou? Tem alguma coisa haver com as investigaçoes de hoje?
    Acho que tem muito mais gente envolvida, espere para ver.

  • 100% Jales

    Parini, desta vc não escapa…

  • Anonimo

    Graças a Deus, agora o povão vai se esquecer da tal FACIP. “chega”

  • funcionaria da prefeitura

    Ex prefeito, levaram todos os documentos de licitacoes das secretarias educacao, saude, esporte, turismo, etc…a pediram pra entregar tudo e todos os nomes dos es scretarios e locais onde foram executados inclusive com as aprovacoes e pagamentos,.. ouvi dizer: “que e regra do jogo”, nao entendi, acho que e bom avisar o seu ex tesoureiro tambem e seus ex secretarios que assinaram as aprovacoes.

  • Sem nome

    Depois falam que os procuradores do município de Jales é que eram muito exigentes, que não deixavam a administração trabalhar, que tinha que fechar a Procuradoria…

  • Neca pedregulho

    Cardosinho, as licitações de recape e asfalto por envolver volume grande de dinheiro, nãoa era publicada no Diario Oficial, e se era, não estava aberta a qualquer empresa do Brasil para participar, não entendi como poderia haver direcionamento para a DEMOP, se for possivel me explica isto.

    • Neca Pedregulho? Você deve ser parente do Neco Pedreira… Bom, Neca, todas as licitações realizadas nas modalidades “Tomada de Preços”, “Concorrência” ou “Pregão” são obrigatoriamente publicadas na imprensa oficial, em pelo menos três jornais. Mas não vou mentir pra você. Nos casos em que estão em jogo grandes interesses, como as licitações para asfalto, merenda escolar ou recolhimento de lixo, as próprias empresas se incumbem de dar o famoso ” jeitinho “. E quando elas sabem que o prefeito ou seja lá quem for tem interesse em que uma empresa ganhe a licitação, as outras, normalmente, respeitam. As coisas funcionam assim há muito tempo e, provavelmente, vão continuar funcionando. Afinal, é dessas empresas que sai boa parte do dinheiro usado em campanhas eleitorais de prefeitos, deputados e etc.

  • Pai Helinho

    Engraçado, vc não quis colocar sobre o Deputado Itamar Borges e Roque Barbieri foram pegos na Operação Fratelli. Porquê? Falta de informação ou …..

    • Faltava informação, preclaro Pai Helinho. Infelizmente, não tenho tido muito tempo para ler tudo o que está sendo publicado sobre o assunto. Mas hoje um amigo me mandou o link da matéria do Estadão e eu pude publicar alguma coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *