NOS TRILHOS PARA O PRIMEIRO MUNDO

De vez em quando, sou obrigado a dar razão ao nosso premiado prefeito. Em recente entrevista, ele disse que “estava colocando Jales nos trilhos para chegar ao primeiro mundo”. E hoje – como parte das grandes manifestações culturais inspiradas pela realização da Facip – nós tivemos aquela tradicional cavalgada, um espetáculo reconhecidamente moderno, que demonstra como o prefeito tem razão quando diz que a nossa ordeira população já está preparada para ingressar no primeiro mundo. Sejamos sinceros: existe alguma coisa mais primeiro mundo do que esses animais desfilando pelas avenidas? Eis algumas fotos do espetáculo:

As atrações chegam ao Portal de Entrada, de onde partiriam rumo à Facip. Embaixo do pontilhão, uma animada multidão esperava, ansiosa, pela passagem dos cavaleiros.

Reparem como as calçadas estavam apinhadas de espectadores, que acordaram cedo para não perder o espetáculo.

Depois de atravessar as principais avenidas da cidade, o grande espetáculo da cavalgada chega, finalmente, à Facip. A multidão, incontida, fazia questão de cumprimentar os bravos cavaleiros.

14 comentários

  • ademir

    Sou novo na cidade e fiquei impressionado com o desfile. Muito bonito, destacando também a quantidade de participantes. Aproveito para sugerir o retorno do uso do cavalo no dia a dia por este estar mais adequado às condições das ruas da cidade do que o uso de veículos automotores.

  • Luis Fernando

    Confesso que tenho passado por este blog com uma certa freqüência, ate gosto da forma como seu idealizador usa a ferramenta para se e expressar, porém, ao ler este ultimo texto, confesso que notei que seu único intuito e ressaltar as coisas ruins da administração atual. Deixo uma pequena observação, para que não fique muito chato, tente ver algo de bom!

    • Anônimo

      Luis Fernando, uma sugestão: Tente nos mostrar algo de bom.
      PS.: Mas tem que ser alguma ação concreta da administração municipal de Jales e não aquelas que vem prontas e os administradores só pegam carona na calda do cometa.

  • Luis Fernando

    Ja que estou com insônia, não posso deixar de ressaltar que ter lado não é difícil nem é proibido. O difícil mesmo, é saber como você pode influenciar positiva ou negativamente com o seu lado e com suas opiniões, por vezes, cômicas. Quanto à neutralidade, ela fica por conta de cada um. Mas desde que saibam que se dizer “neutro” implica uma responsabilidade muito grande, onde as maiores cobranças, surgem daqueles acompanharam suas notícias. Você se torna um pedaço de carne exposto em um açougue. Dependerá muito, do seu consumidor, definir o que você pode parecer para ele. Uma carne de primeira ou de segunda!!!

  • Anônimo

    Jalesenses:
    Não sou de Jales, só fui ai para ir na FACIP. Sou ex morador dai e pergunto: Como podemos citar algo bom em Jales?
    O que vejo é que o senhor PARINI e seus ALOPRADOS não conseguem administrar a cidade. Acho a idéia de utilizar carroças e cavalos muito prudente e sábia para Jales, já que a cidade está voltando no tempo. O que mais me incomoda é que o povo dai é parado como o Prefeito. Vocês precisam se movimentar, criar um movimento anti má gestão, colocar adesivos em carros, procurar voz na imprensa… etc. JALES NÃO MERECE PARINI E SEUS ALOPRADOS!

  • jurandir

    Por falar em modernidade, senti falta daqueles tiros que costumam dar na manhã do aniversário, a tal de “alvorada”. Será que a crise na prefeitura tá tão grande que o pessoal se negou a vender os fogos?

  • cardosinho

    Prezado Luiz Fernando, agradeço o conselho, mas, no caso da cavalgada a administração municipal nem teve participação, creio eu. Não se trata, portanto, de uma crítica à administração. Mas você não deixa de ter razão quanto a mostrar “algo de bom”. Faço, porém, uma ressalva e peço que você leve em conta, como atenuante: para dourar a pílula e mostrar o “algo de bom” já existem outros veículos, que, por sinal, ganham prá isso. Eu não estou ganhando nada prá mostrar um pouco da realidade, que, muitas vezes, não é tão boa assim e, por isso mesmo, pode parecer chata. E, se você reparar bem, tenho mostrado algumas coisas boas da nossa cidade, mas, infelizmente, a maioria delas não diz respeito à administração.

  • “NAS FERRADURAS PARA O PRIMEIRO MUNDO”

  • Genésio

    Deixando de lado as pendengas político-administrativas, temos que reconhecer a atuação dos organizadores da cavalgada: Ceciliano, Toninho Berti e equipe. Com a melhor das intenções tentaram evitar maltrato aos animais, não permitir acompanhamento de veículos motorizados e ingestão de bebidas alcoólicas por parte dos cavaleiros e amazonas. Infelizmente nem todos tiveram educação suficiente – cavalgando e bebendo, exibiam as “latinhas” como se fossem troféus da própria indisciplina. Para novas cavalgadas há que se bater mais nessas três teclas.

  • ilson

    Cardosinho acho que as manifestações devem ser respeitadas. Até porque vivemos em uma democracia. Mas quanto a Cavalgada entendo que aquele foi o momento das centenas ou milhares de pessoas que participaram. O que mais me deixou perplexo é que em dado momento da cavalgada a cidade ficou divida em dois lados, e para ir de um lado para o outro se tornou uma missao impossivel. Pergunta? O que faria naquele momento o motorista do SAME ou de uma ambulancia, que necessitasse chegar ao socorro? O que seria da vitima transportada. Acho que merece reflexao sobre isso.
    Quanto ao evento acho legitima. E para os seus leitores que estão opinando. Peço que acessem o site da cavalgada que será realizada em Brasilia.Será que a capital federal está regredindo? Vejam o trajeto do evento.(http://www.cavalgadajkbrasilbrasilia.com.br/site/index.php)

    • Anônimo

      Com certeza, caro Ilson, com certeza. brasília já regride há muito tempo em vários aspectos. O triste é saber que em Jales, muitos só querem seguir os “maus exemplos”…

  • Luis Fernando- adv

    Peco humildemente desculpas por ter afirmado algo que não condiz com a realidade, pois disse que o único intuito deste
    Blogueiro era ressaltar as coisas ruins da administração municipal. No fundo, no fundo, gostaria de saber o que há nas entrelinhas quando se fala da administração municipal, so isso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *