O INSTITUTO QUE PREMIOU O PREFEITO (2)

O Instituto Brasileiro de Verificação de Gestão – IBVG, não tem site na internet, coisa que, hoje em dia, a maioria das empresas ditas sérias possui. Tampouco possui registro na JUCESP, conforme pesquisa feita por um amigo. O IBVG trabalha sempre em parceria com outra empresa, chamada Dalupe Produções Culturais Ltda, de propriedade do jornalista Magno Figueiredo. Aparentemente, a Dalupe também não tem página na internet, mas pelo menos possui o registro na JUCESP, a Junta Comercial do Estado de São Paulo.

No estado do Ceará, que possui um dos TCEs mais organizados do país, é possível verificar que, em 2010, cinco prefeituras cearenses empenharam valores (R$ 11.845,00, no total) para a Dalupe Produções Ltda, com as mais variadas desculpas: seminários de gestão pública, cursos para servidores, etc. Por coincidência, os prefeitos de algumas dessas cidades já foram premiados como “os melhores” do Brasil, pelo respeitável instituto IBVG, como é o caso do prefeito de São Benedito(CE), Brandão Júnior, que já foi premiado duas vezes. Em 2010, a Prefeitura de São Benedito empenhou R$ 2.490,00 para a Dalupe Produções Ltda.

Voltando um pouco no tempo, chegaremos a 2009. Naquele ano, a Prefeitura de Fortim(CE) empenhou R$ 6.000,00 para a Dalupe Produções Culturais Ltda, dos quais, R$ 3.280,00 foram empenhados para fazer face às despesas com a inscrição da prefeita de lá, Adriana Pinheiro Barbosa, em um evento do IBVG, no Hotel Sheraton, do Rio de Janeiro. No ano seguinte, Aninha de Kito, como Adriana é conhecida lá no Ceará, foi agraciada com o “IV Prêmio IBVG de Gestão Pública”, como uma das prefeitas mais eficientes do Brasil. Na foto aí do lado, ela aparece recebendo o prêmio. Uma coisa não podemos negar: pelo menos os critérios para a escolha das meninas que entregam os prêmios parecem ser bastante rigorosos.

1 comentário

  • Cristiano Oliveira

    Prezado Cardosinho,

    Ao ler uma matéria, que parece pesadelo, mas infelizmente é verdade: http://www.cabedelo.pb.gov.br/noticia_completa.asp?noticia=729, fiquei estarrecido com essa brinacadeira de mau gosto. Sou morador de Cabedelo|PB desde 2006 e até hoje eu procuro alguma maravliha gerada pelo Prefeito Zé Regis, o qual diz o seguinte: “Agradeço à Deus pelas maravilhas de todos os dias que são geradas e levadas a nossa população”. Que órgão é esse Dalupe Produções Culturais? O mesmo colocou a Pref de Cabedelo entre as 20 melhores em Gestão pública!!! Para meu espanto, um dos critérios foi a qualidade de vida dos moradores para honrar este prêmio ao referido Município. Outro espanto são os outros critérios: Gestão Responsável na Saúde, Educação, Inclusão Social e Transparência Pública. Como se explica Transparência se o Prefeito encontra-se com inúmeros processos contra ele sobre improbidade? Talvez o único critério que tenha valido o peso do prêmio foi a inclusão social, pois há prêmios, presentes e esmolas que o Prefeito distribui todos os meses a população “menos favorecida”, diga-se de passagem, seu curral eleitoral. Nós de Intermares (bairro de Cabedelo) vivemos um caos ao transitar pelas ruas, as quais estão cheias de crateras, muita lama e inseguras. Isso é qualidade de vida?? Bom, gostaria com isso, de lhe pedir o contato deste órgão Dalupe para poder verificar a veracidade dos índices que levaram a Prefeitura de Cabedelo a levar tal prêmio, pois ao pesquisar na internet, nada encontrei sobre ele, nem sequer um email para enviar minha indignação e protesto. Vc poderia também detalhar melhor quem é o Sr. Magno Figueiredo, proprietário do Dalupe?
    Vc também sabe se a Prefeitura de Cabedelo empenhou algum valor para a Dalupe? Com este prêmio, talvez o empenho pago a Dalupe justifique o prêmio para Cabedelo ser considerada um exemplo de gestão pública, quando na verdade é uma vergonhosa referência do descaso, falta de respeito e incompetência.
    Não consigo dormir depois que tomei conhecimento desta tão “importante” e descarada notícia.
    Gostaria que isso chegasse a todos os moradores contribuintes de Cabedelo!!! Ta na hora de dar um basta!

    Atenciosamente,

    Cristiano Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *