O INSTITUTO QUE PREMIOU O PREFEITO

Alguns órgãos de imprensa parecem ter levado a sério a premiação que o prefeito Humberto Parini recebeu do tal Instituto Brasileiro de Verificação de Gestão – IBVG. Segundo a nota distribuída pela Prefeitura, o nosso prefeito mereceu a honraria concedida pelo IBVG, pelo fato de governar uma das cinco cidades que mais crescem no país. A nota foi publicada em alguns jornais da cidade e nos sites de notícias Região Noroeste e Correio Santa Fé. Sobre o assunto, reproduzo abaixo o comentário enviado pelo amigo que se identificou com o singelo pseudônimo de “Me Engana Que Eu Gosto”. Vamos ao comentário:

Vocês sabem que o IBVG é presidido pelo jornalista, radialista, Magno Figueiredo ?
Que o presidente Magno pode ser encontrado no e-mail : [email protected] ou nos telefones: celular (11) 86269512 e fixo (11)28622021 – Rua Tabapuã 594, ITAIM-BIBI – SP. SP. Cep: 04533-014.
Que o referido instituto não tem site ? Que os eventos de entrega desses prêmios, com jantares e palestras, shows custam muito caro ? Que tudo isso é de graça, e ninguém precisa pagar pelos prêmios recebidos ?
Que segundo o jornalista Ricardo Gallo da Folha on-line, por até R$ 7.000, institutos cobram para premiar empresas, prefeitos e vereadores ?
Os critérios de escolha são vagos. Em geral, os organizadores dizem seguir indicações de clientes, fornecedores e conhecidos do eleito. Quem se diz baseado em pesquisas de opinião não se dispõe a mostrá-las.
Os vencedores são procuradas pelas entidades e informadas de que ganharam o prêmio. A entrega se dá em jantares. Ganha-se troféu e/ou certificado, mais selos de “qualidade”.
À Folha ao menos seis empresas admitiram cobrar dos premiados. Nenhuma, porém, trata o prêmio como pago –é “adesão” ou “contribuição”.

Onde o amigo “Me Engana Que Eu Gosto” disse que ninguém precisa pagar pelos prêmios, acredito que ele quis dizer que os prêmios não são pagos, mas os premiados têm que pagar a chamada taxa de “adesão” que, segundo a matéria da Folha de São Paulo, pode custar até R$ 7.000.

Há alguns anos, um desses institutos ligou para a gerência do Banco do Brasil, onde eu trabalhava, dizendo que este aprendiz de blogueiro tinha sido “escolhido” para receber o prêmio de “Bancário Destaque do Ano”. Fiquei contente, mas aí veio a segunda parte: para receber o prêmio eu teria que “contribuir” com um certo valor para ajudar nas despesas com a festa de entrega. Agradeci a “escolha” e sugeri que entregassem o prêmio ao segundo colocado. Até porque, eu nunca fui destaque em coisa nenhuma.

Volto ao assunto em outro post.

1 comentário

  • Lenilson

    O Parini ta passando como tonto isso sim,no site regiao noroeste o povo esta rindo da premiacao(assim como eu)a cara de pau é grande d+…proximo trofeu q o Parini vai reeber é o trofeu Celso Pita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *