OXIGÊNIO ACABA EM HOSPITAIS DE MANAUS E VÍTIMAS DE COVID ESTÃO MORRENDO SUFOCADAS

Deu no Brasil 247:

Acabou o oxigênio nos hospitais de Manaus e as pessoas doentes de Covid-19 estão morrendo sufocadas.  “Estão relatando efusivamente que o oxigênio acabou em instituições como o Hospital Universitário Getúlio Vargas e serviços de pronto atendimento, como o SPA José de Jesus Lins de Albuquerque”, diz o pesquisador Jesem Oerellana, da Fiocruz-Amazônia.

“Acabou o oxigênio e os hospitais viraram câmaras de asfixia”, disse o pesquisador, segundo reportagem da coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo. “Os pacientes que conseguirem sobreviver, além de tudo, deverão ficar com sequelas cerebrais permanentes”, completou.

Ainda segundo a reportagem, uma atendente teria relatado, chorando, que os pacientes estão sendo “ambuzados”, ou seja, recebendo oxigenação de forma manual, já que os respiradores estão sem oxigênio.

A mortandade em Manaus seria, segundo a notícia do 247, resultado direto da maneira como o governo Bolsonaro está agindo durante a pandemia. Já o ex-prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, culpou o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), pelo descaso e classificou as mortes como assassinatos. 

“Somente hoje foram 28 mortos por falta de oxigênio no Pronto Socorro 28 de Agosto. Wilson Lima você é o pior governador que o Amazonas já teve e o que acontece em Manaus é assassinato aos moldes de Hitler, por asfixia. Isso é doloroso e cruel”, disse Arthur Virgilio em vídeo no Twitter.

“Eu queria dizer diretamente ao governador do estado que o nome disso é assassinato”, afirmou o ex-prefeito. “Como é assassinato se comprar respirador falso, respirador que não serve para curar ninguém, ainda mais em loja de vinho e com preços superfaturados”, acrescentou o ex-prefeito. 

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *