PETROBRÁS BATE NOVO RECORDE NO PRÉ-SAL E CHEGA A 800 MIL BARRIS DIA

6172448618_d66c08ccbb_z

Seis anos depois da descoberta do pré-sal, a Petrobras já produz os mesmos 800 mil barris que demorou 24 anos para produzir na Bacia de Campos. A notícia – que o Alexandre Garcia e outros urubólogos não vão dar – é da Agência Brasil:

A produção de petróleo nos campos operados pela Petrobras nas áreas do pré-sal nas bacias de Santos e Campos atingiu, em 11 de abril, 800 mil barris de petróleo equivalente (petróleo e gás natural) por dia, recorde de extração na região. Desse volume, cerca de 74% (590 mil barris por dia) correspondem à parcela da companhia e o restante à das empresas parceiras nas diversas áreas de produção da camada pré-sal.

Em nota divulgada nesta quarta-feira (13) a Petrobras lembra que a produção de 800 mil barris por dia foi alcançada apenas oito anos após a primeira descoberta de petróleo na camada pré-sal, ocorrida em 2006, tempo inferior ao que foi necessário para se chegar ao mesmo patamar em outras áreas de produção marítima.

“Para que a Petrobras alcançasse, no Brasil, a produção de petróleo de 800 mil barris por dia foram necessários 40 anos, com a contribuição de 6.374 poços. Na Bacia de Campos, esse mesmo volume de produção foi alcançado em 24 anos, com 423 poços”, informa a nota.

A marca de 800 mil barris de petróleo por dia foi obtida através de 39 poços produtores, dos quais 20 estão localizados na Bacia de Santos, que responde por 64% da produção (511 mil barris por dia). Outros 19 poços estão localizados na Bacia de Campos e se referem a 36% da produção (291 mil barris por dia).

37 comentários

  • Leandro

    De que adianta explorar tanto petróleo, se os brasileiros são surrados com os preços de combustíveis????????????????? Chega dessa baboseira…….

  • cardosinho os aviões em jales voam pela noite…vi um agora

  • béla merda e o preço da gasolina diesel e gás la nas alturas, sem contar com a roubaieira desse lava égua, melhor lava jato fora petrobrás fora lava égua.

  • anonimo

    Mais dinheiro para o PT roubar

  • Valdeir

    A gasolina vai ficar mais barata?
    Foda-se essa empresa!!!
    Ela só serve pra desvio de dinheiro por parte dos governantes, fosse uma empresa séria colocariam gente qualificada pra gerir, não por apadrinhamento pra falar mais desvios como o sr Paulo Roberto Costa indicado pelo chefe da quadrilha LULA

  • comentário

    Se combater o cartel de jales ai fica ótimo
    Extração em alta e preço justo.

  • Finado Zé.

    Só. o petista cardosinho acredia nestas mentiras..

  • Lucas

    Que vergonha. Toda essa produção e o preço mais caro das américas. Só a corrupção justifica esta disparidade.

  • Alma penada

    Lula ainda não recebeu o recado de que já está morto e assombra o país como alma penada.
    Lula é um assunto aborrecido.
    Lula é um assunto chato.
    Lula é um assunto do passado.
    Lula é um assunto do Brasil que está morrendo.
    Lula é um assunto contra o país nascente.
    Lula é, em suma, e aqui já se disse, o cadáver adiado que procria.
    Mas somos, os jornalistas, obrigados a falar dele, não é? Afinal, está por aí, se movimentando, tentando tirar o nariz fora d’água, sobreviver à sua triste decadência, incapaz de ser generoso com a própria história, com a própria biografia. Poderia, de fato, como prometeu, ter se retirado de cena quando estava no auge. Poucos se atreveriam — porque este é um país que gosta de alimentar mitos — a pôr o dedo na ferida, a apontar que as dificuldades pelas quais passamos agora tiveram origem, sim, no governo do companheiro, especialmente nos quatro anos finais.
    Ocorre que Lula não é generoso consigo mesmo porque não consegue ser generoso com os outros. A glória de mandar e a vã cobiça sempre vêm primeiro. E eis que o vemos desesperado, mexendo-se como mosca presa numa teia de aranha, para tornar viável a sua candidatura à Presidência em 2018.
    Na terça-feira à noite, lá estava Lula a descer o porrete em Dilma num encontro fechado com jovens sindicalistas, depois de ter dado algumas bordoadas na imprensa, que, segundo disse, dá crédito à palavra de bandidos. Os bandidos, no caso, são aqueles que, até outro dia, operavam em favor do seu partido, no esquema criminoso montado na Petrobras. Agora, o Apedeuta anuncia que vai sair país afora arregimentando as esquerdas e os movimentos sociais em defesa do PT.
    Nesta quarta, Lula participou de um seminário no instituto que leva o seu nome, promovido em parceria com a tal Unasul (União das Nações Sul-Americanas), aquela estrovenga que ele criou em companhia de Hugo Chávez. E lá estava ele com a ladainha bolorenta da necessidade de integração dos países do continente, oferecendo como exemplo de ação virtuosa, santo Deus!, a construção do porto de Mariel, em Cuba, que teve financiamento secreto do BNDES.
    Para o chefão petista, que deveria receber um raio fulminante enviado por Nelson Rodrigues lá do outro mundo, é o “complexo de vira-lata de parte da classe política que faz privilegiar acordos comerciais com Estados Unidos, em vez de América Latina e África”. Este senhor diz tal barbaridade quando, já está demonstrado, o Mercosul se transformou num dos fatores de atraso do Brasil.
    Já disse aqui há algum tempo e volto a fazê-lo: Lula não está a criar uma só facilidade a Dilma Rousseff. Ao contrário. Na véspera da votação da MP 665, o horário político do PT, de que ele foi a estrela, quase pôs tudo a perder. O homem acusou o Congresso de atuar contra os trabalhadores, e, por muito pouco, a emenda não foi rejeitada. Agora, às vésperas da votação da MP 664, ele volta a fazer agitação sindical e proselitismo rombudo. Assim, a sua sucessora é obrigada a enfrentar, de um lado, a pressão dos “companheiros” — a CUT conseguiu liminar do STF para ocupar as galerias do Senado — e, de outro, de partidos da base dispostos a arrancar mais alguns nacos de poder.
    É evidente que Lula tem consciência de que a sua ação é desestabilizadora. Mas ele só sabe jogar assim. Que coisa impressionante! Todos conhecem o mito da alma penada. Em essência, ela é o quê? É o vagar de alguém que já morreu, mas que ainda não sabe; é o perambular de um ente que não aceita o lugar que lhe está reservado na terra dos mortos.
    Lula é essa alma penada na política brasileira. Mas custa caro.

    • Vejo que o amigo é fã da Veja. E do raivoso Reinaldo. Só falta ser fã do Alexandre Garcia também. A alma penada a que esse idiota se refere foi escolhido há alguns dias, por 50% dos entrevistados em pesquisa do Datafolha, como o maior presidente brasileiro de todos os tempos. O que incomoda o Reinaldo, o Alexandre Garcia, a Veja, a Globo, etc., é que essa alma penada vai continuar por aí, assombrando os coxinhas até 2018.

  • CAMARADA MARTINI

    Acontece que 75% dos royalties do petróleo é destinado para educação e 25% para saúde.
    Esse é um motivo para fies cada ano mais pessoas com pequeno poder financeiro concluindo
    seus cursos acadêmicos.
    Hoje os cursos mais procurados são engenharia e medicina, VAMOS DEIXAR O CAPITAL
    FINANCEIRO E ENTRAR NO CAPITAL DO CONHECIMENTO. Como diz o ditado “vamos ver
    muita gente virando merda e muita merda virando gente .kkkkkkkkk

    • Tem dinheiro que nao acaba mais

      CAMARADA MARTIM
      Nao e’ so´para estudantes pobres estudarem, que a Petrobras ajuda pois ela “ajuda” os grandes empreeiteiros a fraudar as licitaçoes atraves de seus diretores corruptos e milionarios, pagos com propinas.
      Essas propinas foram desviados para os partidos e seus politicos do governo bancarem suas campanhas eleitorais.
      Infelizmente, a situaçao financeira da Petrobras e’ caotica perto do que ela era mas ela vai se recuperar porque o monopolio do processamento de derivados do petroleo e’ dela.
      Eu queria ter uma empresa, assim

  • Tem dinheiro que nao acaba mais

    Depois do mensalao, o Lula escolheu a Petrobras para bancar a sua campanha e a da Dilma alem disso, sustentar os politicos dos partidos aliados PMDB/PP para ficarem a seu lado.
    Ele tinha razao

  • Que bom que aumentou a produção…assim o PT vai poder roubar mais e as próximas eleições estarão garantidas!

  • Cowboy do asfalto

    Cardosinho, tudo bem?
    Alguns assuntos devem ser trazidos à luz da realidade e um deles é que a Petrobás perdeu seu valor de mercado em quase 10 vezes e nos últimos 8 anos e em igual período, sua dívida líquida subiu de 49% do seu capital para 344%, ou seja, para pagar as contas a Petrobrás precisa ser vendida três vezes e meia.
    Essa é a avaliação fria que devemos fazer dos números, o que mostra que a Petrobrás é hoje uma grande massa falida.
    Quando à produção de petróleo, os números apresentados na matéria deste post são excelentes, mais nos responda: E o refino, como está?
    Pelo que sabemos, o grande gargalo está no refino desse petróleo, pois não temos as refinarias em quantidade suficiente, situação que poderia ser diferente se “Pasadena” não fosse aquela barca furada e de “Abreu e Lima”, superfaturada em mais de 2.000% estivesse funcionando.

    • Prezado Cowboy, estou meio atarefado hoje. Pelo que leio, acho que a Petrobras só está quebrada na visão daqueles que querem vende-la ao capital estrangeiro para lucrar com isso. Como é que as ações de uma massa falida, como você qualificou a Petrobras, podem subir 50% em um mês. E como poderia a Shell investir R$70 bilhões para ser parceira de uma empresa quebrada? Para resumir, apelarei ao CtrlC CtrlV para reproduzir o trecho de um texto recente sobre os interesses daqueles setores que querem acabar com a Petrobras:

      Os objetivos desses setores são bem claros:

      – Imobilizar a Petrobrás e depreciar a empresa para facilitar sua captura por interesses privados, nacionais e estrangeiros;

      – Fragilizar o setor brasileiro de Óleo e Gás e a política de conteúdo local; favorecendo fornecedores estrangeiros;

      – Revogar a nova Lei do Petróleo, o sistema de partilha e a soberania brasileira sobre as imensas jazidas do Pré-Sal.

      Para alcançar seu intento, os predadores apresentam a Petrobrás como uma empresa arruinada, o que está longe da verdade, e escondem do público os êxitos operacionais. Por isso é essencial divulgar o que de fato aconteceu na Petrobrás em 2014:

      – A produção de petróleo e gás alcançou a marca histórica de 2,670 milhões de barris equivalentes/dia (no Brasil e exterior);

      – O Pré-Sal produziu em média 666 mil barris de petróleo/dia;

      – A produção de gás natural alcançou 84,5 milhões de metros cúbicos/dia;

      – A capacidade de processamento de óleo aumentou em 500 mil barris/dia, com a operação de quatro novas unidades;

      – A produção de etanol pela Petrobrás Biocombustíveis cresceu 17%, para 1,3 bilhão de litros.

      E, para coroar esses recordes, em setembro de 2014 a Petrobrás tornou-se a maior produtora mundial de petróleo entre as empresas de capital aberto, superando a ExxonMobil (Esso).

      O crescente sucesso operacional da Petrobrás traduz a realidade de uma empresa capaz de enfrentar e superar seus problemas, e que continua sendo motivo de orgulho dos brasileiros.

      Os inimigos da Petrobrás também omitem o fato que está na raiz da atual vulnerabilidade da empresa à especulação de mercado: a venda, a preço vil, de 108 milhões de ações da estatal na Bolsa de Nova Iorque, em agosto de 2000, pelo governo do PSDB.

      Aquela operação de lesa-pátria reduziu de 62% para 32% a participação da União no capital social da Petrobrás e submeteu a empresa aos interesses de investidores estrangeiros sem compromisso com os objetivos nacionais. Mais grave ainda: abriu mão da soberania nacional sobre nossa empresa estratégica, que ficou subordinada a agências reguladoras estrangeiras.

      Os últimos 12 anos foram de recuperação e fortalecimento da empresa. O País voltou a investir em pesquisa e a construir gasodutos e refinarias. Alcançamos a autossuficiência, descobrimos e exploramos o Pré-Sal, recuperamos para 49% o controle público sobre o capital social da Petrobrás.

      O valor de mercado da Petrobrás, que era de 15 bilhões de dólares em 2002, é hoje de 110 bilhões de dólares, apesar dos ataques especulativos. É a maior empresa da América Latina.

      A participação do setor de Óleo e Gás no PIB do País, que era de apenas 2% em 2000, hoje é de 13%. A indústria naval brasileira, que havia sido sucateada, emprega hoje 80 mil trabalhadores. Além dos trabalhadores da Petrobrás, o setor de Óleo e Gás emprega mais de 1 milhão de pessoas no Brasil.

  • JOANA AINDA VIRGEM

    Eu votei na Marina porque tenho ódio da Dilma.
    Mas em 2.018 eu voto no Lula porque me formei graças ao fies e sou professora
    universitária.
    Agora o professor que votar no PSDB é muito sem qualidade de caráter.

  • animado

    Alma Penada- brilhante voce reportar o discurso do blog do Reinaldo – mas não se iluda com petista, nem desenhando, é como comentam, argumentar com petralha é como jogar xadrez com pombo, pois o pombo caga no tabuleiro , derruba as peças e ainda te acusa de fraldar o jogo. Acho importante combater a petezada esquerdista, pois a prevalência das idéias deles só trás miséria e pobreza para a sociedade: eles não são democráticos, são totalitários, e num pais do sonho petista é um pais onde eles controlam e calam a boca de todos e ainda são viciados em saquear os cofres públi
    cos, com mensalão, petrolão, BNDES, os fundos de pensão das estatais e até o leitinho das crianças.

  • Anônimo

    o brazil com z é alto suficiente em petroleo e os brasileiros nao se benenificiam com isso

  • paparazzo

    A NAFTA DE NOSSO PETROLEO E DE BAIXA QUALIDADE, só para saber os veiculos exportados para os EUA eles mandam o petróleo dele mesmo, se mandam com esse petroleo (COMBUSTIVEL BRASILEIRO) os americanos devolvem, se comprar 30 automoveis e mandar 1 com este combustiveis brasileiro eles devolvem tudo.

  • o loco

    Acho que moro no país errado …
    No meu país tem inflação, diminuição da atividade econômica, crise política, aumento do preço dos combustíveis, da “cesta básica”, da conta de energia, da conta da água, corrupção institucional nos partidos que compõem a base política de apoio ao governo, corrupção nos partidos de oposição, falta de recurso para investimento em FIES, PRONATEC, MINHA CASA MINHA VIDA etc.. etc… etc…, falta recursos para investimento e custeio em infra estrutura portuária, rodoviária, abastecimento, distribuição, etc…, políticos e empresários presos por crime de corrupção, secretários de partidos e ex ministros presos por crime de corrupção, Estatais como a Petrobras sendo assaltada pela rapinagem de gente cretina, independente do partido político…, saúde, educação e segurança vão muito mal obrigado, presidente que se sente acuada por tantas denúncias e repúdio popular [ exceto pela ” seita ” ] e que se encastelou na “torre”, um ex presidente, canditado a “divindade” , que insiste em não saber de nada de ruim que acontece com seus “cumpanheiros” mas sabe tudo da vida dos seus adversários [ agora promovidos a inimigos ] , e que prega o ódio que alimenta sua mente mentirosa, uma “oposição ” anêmica, idiota, que está mais preocupada em manter seu assento no parlamento e gozar das mordomias pagas com o dinheiro do contribuinte, um governo que tomou conta da nação e acha que tem carta branca para fazer o que bem entender, se esquecendo que quem produz riquezas para a ” farra” institucional é o trabalhador, [ governo não produz nada ], uma “situação ” que se nega a aceitar críticas ou se indignar com desvios de conduta dos seus aliados, enfim, penso que com os atuais “representantes do povo” , da situação ou da oposição, o povo vai continuar fazendo papel de ” cachimbo” … “só leva fumo”…
    Quanto as maravilhas oriundas do “pré-sal” parece lógico aos nossos olhos que o preço dos combustíveis que estão neste patamar indecente, deveriam estar de acordo com a nossa atual posição de “quase” membros da OPEP, e que estes investimento de “royalties” do petróleo , destinados a educação [75%[ e saúde [25%], parece mais uma ” conversa para boi dormir ” .
    Quanto ao “Cartel” de combustíveis em Jales, esta é uma história antiga e parece que vai continuar até que acabe o combustível no planeta.

    • animado

      não adianta petralhas olham o que querem enxergar, um mundo cor-de-rosas,de perfeição e venturoso (lógico isto para eles, mamando nos cofres públicos). Mas temos que continuar a eterna vigília contra esta esquerda bolivariana, que quer comunizar nossa república.

  • Fora os 800 millhoes de desvio dia

  • EU E FHC

    VEJA QUEM É O CORRUPTO E LADRÃO FHC:—-

    Compra da reeleição: FHC desafiou, então aqui está o vídeo

    O Príncipe da Privataria: Livro revela como FHC comprou sua reeleição

    Lançado por Palmério Dória, O Príncipe da Privataria aborda as contradições do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e desnuda um capítulo ainda obscuro da política brasileira: a compra da emenda que permitiu a sua reeleição, em 1998. O livro revela ainda a identidade do “Senhor X”, que gravou deputados e denunciou ao jornalista Fernando Rodrigues, da Folha, o episódio. Trata-se do empresário Narciso Mendes, do Acre, que resolveu contar tudo o que sabia. A obra trata ainda da tentativa de privatização da Caixa, do Banco do Brasil e da Petrobras e também de como a mídia blindou a história do filho de FHC fora do casamento, que, no final da história, não era filho legítimo do ex-presidente.

    Um livro bombástico chegou, no final de agosto, às livrarias de todo o País. Trata-se de O Príncipe da Privataria, lançado pelo jornalista Palmério Dória, autor do best-seller Honoráveis Bandidos, sobre o poder da família Sarney, e colunista do 247. Desta vez, o foco de Dória é lançado sobre um dos homens mais poderosos e cultuados do Brasil: o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No livro, o autor aborda as contradições do personagem e algumas manchas de sua biografia, como a compra da emenda da reeleição e a operação pesada para blindá-lo na imprensa sobre o filho fora do casamento com uma jornalista da Globo, que, no fim da história, não era seu filho legítimo.

    Leia, a seguir, o material de divulgação preparado pela Geração Editorial, a mesma casa editorial que lançou livros-reportagem de sucesso como A Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro Jr., e Segredos do Conclave, de Gerson Camaratti.

    O Príncipe da Privataria revela quem é o “Senhor X”, o homem que denunciou a compra da reeleição
    Uma grande reportagem, 400 páginas, 36 capítulos, 20 anos de apuração, um repórter da velha guarda, um personagem central recheado de contradições, poderoso, ex-presidente da República, um furo jornalístico, os bastidores da imprensa, eis o conteúdo principal da mais nova polêmica do mercado editorial brasileiro: O Príncipe da Privataria – A história secreta de como o Brasil perdeu seu patrimônio e Fernando Henrique Cardoso ganhou sua reeleição (Geração Editorial, R$39,90).

    Com uma tiragem inicial de 25 mil exemplares, um número altíssimo para o padrão nacional, O Príncipe da Privataria é o 9° título da coleção História Agora da Geração Editorial, do qual faz parte o bombástico A Privataria Tucana e o mais recente Segredos do Conclave.

    O personagem principal da obra é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o autor é o jornalista Palmério Dória, (Honoráveis Bandidos – Um retrato do Brasil na era Sarney, entre outros títulos). A reportagem retrata os dois mandatos de FHC, que vão de 1995 a 2002, as polêmicas e contraditórias privatizações do governo do PSDB e revela, com profundidade de apuração, quais foram os trâmites para a compra da reeleição, quem foi o “Senhor X” – a misteriosa fonte que gravou deputados confessando venda de votos para reeleição – e quem foram os verdadeiros amigos do presidente, o papel da imprensa em relação ao governo tucano, e a ligação do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) com a CIA, além do suposto filho fora do casamento, um “segredo de polichinelo” guardado durante anos…

    Após 16 anos, Palmério Dória apresenta ao Brasil o personagem principal do maior escândalo de corrupção do governo FHC: o “Senhor X”. Ele foi o ex-deputado federal que gravou num minúsculo aparelho as “confissões” dos colegas que serviram de base para as reportagens do jornalista Fernando Rodrigues publicadas na Folha de S.Paulo em maio de 1997. A série “Mercado de Voto” mostrou da forma mais objetiva possível como foi realizada a compra de deputados para garantir a aprovação da emenda da reeleição. “Comprou o mandato: 150 deputados, uma montanha de dinheiro pra fazer a reeleição”, contou o senador gaúcho, Pedro Simon. Rodrigues, experiente repórter investigativo, ganhou os principais prêmios da categoria no ano da publicação.

    Nos diálogos com o “Senhor X”, deputados federais confirmavam que haviam recebido R$200 mil para apoiar o governo. Um escândalo que mexeu com Brasília e que permanece muito mal explicado até hoje. Mais um desvio de conduta engavetado na Era FHC.

    Porém, em 2012, o empresário e ex-deputado pelo Acre, Narciso Mendes – o “Senhor X” –, depois de passar por uma cirurgia complicada e ficar entre a vida e a morte, resolveu contar tudo o que sabia.

    O autor e o coautor desta obra, o também jornalista da velha guarda Mylton Severiano, viajaram mais de 3.500 quilômetros para um encontro com o “Senhor X”. Pousaram em Rio Branco, no Acre, para conhecer, entrevistar e gravar um homem lúcido e disposto a desvelar um capítulo nebuloso da recente democracia brasileira.

    O “Senhor X” aparece – inclusive com foto na capa e no decorrer do livro. Explica, conta e mostra como se fazia política no governo “mais ético” da história. Um dos grandes segredos da imprensa brasileira é desvendado.

    20 anos de apuração
    Em 1993, o autor começa a investigar a vida de FHC que resultaria neste polêmico livro. Nessas últimas duas décadas, Palmério Dória entrevistou inúmeras personalidades, entre elas o ex-presidente da República Itamar Franco, o ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes e o senador Pedro Simon, do PMDB. Os três, por variadas razões, fizeram revelações polêmicas sobre o presidente Fernando Henrique e sobre o quadro político brasileiro.

    Exílio na Europa
    Ao contrário do magnata da comunicação Charles Foster Kane, personagem do filme Cidadão Kane, de Orson Welles, que, ao ser chantageado pelo seu adversário sobre o seu suposto caso extraconjugal nas vésperas de uma eleição, decide encarar a ameaça e é derrotado nas urnas devido a polêmica, FHC preferiu esconder que teria tido um filho de um relacionamento com uma jornalista.

    FHC leva a sério o risco de perder a eleição. Num plano audacioso e em parceria com a maior emissora de televisão do país, a Rede Globo, a jornalista Miriam Dutra e o suposto filho, ainda bebê, são “exilados” na Europa. Palmério Dória não faz um julgamento moralista de um caso extraconjugal e suas consequências, mas enfatiza o silêncio da imprensa brasileira para um episódio conhecido em 11 redações de 10 consultadas. Não era segredo para jornalistas e políticos, mas como uma blindagem única nunca vista antes neste país foi capaz de manter em sigilo em caso por tantos anos?

    O fato só foi revelado muito mais tarde, e discretamente, quando Fernando Henrique Cardoso não era mais presidente e sua esposa, Dona Ruth Cardoso, havia morrido. Com um final inusitado: exame de DNA revelou que o filho não era do ex-presidente que, no entanto, já o havia reconhecido.

    Na obra, há detalhes do projeto neoliberal de vender todo o patrimônio nacional. “Seu crime mais hediondo foi destruir a Alma Nacional, o sonho coletivo”, relatou o jornalista que desvendou o processo privativista da Era FHC, Aloysio Biondi, no livro Brasil Privatizado.

    O Príncipe da Privataria conta ainda os bastidores da tentativa de venda da Petrobras, em que até a produção de identidade visual para a nova companhia, a Petrobrax, foi criada a fim de facilitar o entendimento da comunidade internacional. Também a entrega do sistema de telecomunicações, as propinas nos leilões das teles e de outras estatais, os bancos estaduais, as estradas, e até o suposto projeto de vender a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. ”A gente nem precisa de um roubômetro: FHC com a privataria roubou 10 mil vezes mais que qualquer possibilidade de desvio do governo Lula”, denuncia o senador paranaense Roberto Requião.

    Sobre o autor
    Palmério Dória é repórter. Nasceu em Santarém, Pará, em 1949 e atualmente mora em São Paulo, capital. Com carreira iniciada no final da década de 1960 já passou por inúmeras redações da grande imprensa e da “imprensa nanica”. Publicou seis livros, quatro de política: A Guerrilha do Araguaia; Mataram o Presidente — Memórias do pistoleiro que mudou a História do Brasil; A candidata que virou picolé (sobre a queda de Roseana Sarney na corrida presidencial de 2002, em ação orquestrada por José Serra); e Honoráveis Bandidos — Um retrato do Brasil na Era Sarney; mais dois livros de memórias: Grandes mulheres que eu não comi, pela Casa Amarela; e Evasão de privacidade, pela Geração Editorial.

    • Amor à FHC

      EU E FHC
      Eu percebi como vc adora o ex presidente FHC pois perdeu seu tempo copiando esse longo texto para elogiar o FHC
      O homem ja’ aposentou da politica a 14 anos e vc continua falando dele

  • EU E O LULA

    Algumas Realizações do Governo Lula:–Não comprou deputados e Senadores para sua Reeleição.:—-

    As Realizações do Governo Lula –

    1) Reduziu a inflação de 12,5% (2002) para 4,3% (2009) ao ano; a taxa média anual de inflação no governo Lula (6% ao ano) é menos da metade da que tivemos no governo FHC (12,5% ao ano);

    2) Aumentou o salário mínimo para o seu maior patamar em 40 anos, com um aumento real de 74% entre 2003/2010;

    3) Reduziu a relação dívida/PIB de 51,3% (2002) para 36% do PIB(2008);

    4) Acumulou um superávit comercial de US$ 252 Bilhões (2003/2010);

    5) Pagou toda a dívida com o FMI e com o Clube de Paris e o Brasil se tornou credor do FMI, algo inédito na história do país, para quem emprestou US$ 10 Bilhões; Hoje, a dívida externa líquida é negativa em US$ 65 bilhões;

    6) Reduziu o déficit público nominal de 4% do PIB (2002) para 1,9% do PIB (2008);

    7) Ampliou a capacidade de investimento do Estado; Os investimentos do governo federal e das estatais para 2009 estão previstos em R$ 90 Bilhões; Em 2010 eles estão programados para chegar a R$ 119 bilhões;

    8) Aumentou as exportações de US$ 60 Bilhões/ano (2002) para US$ 198 bilhões/ano (2008) acumulando um crescimento de 230% em 6 anos; Em 2010, as exportações deverão superar os US$ 200 bilhões, o que acontecerá pela primeira vez na história do Brasil.

    9) Aumentou as reservas internacionais líquidas de US$ 16 Bilhões (2002) para US$ 285 Bilhões (Novembro de 2010);

    10) Ampliou o Pronaf de R$ 2,5 Bilhões/ano (2002) para R$ 16 Bilhões/ano (2010);

    11) A concentração de renda e as desigualdades sociais diminuíram sensivelmente; o índice de Gini atingiu o menor patamar da História;

    12) Gerou 15 milhões de empregos formais entre 2003/2010;

    13) Reduziu o percentual da população brasileira que vive abaixo da linha de pobreza de 28% (2002) para 19% (2006), segundo o IPEA;

    14) Elevou os gastos sociais públicos para 21% do PIB;

    15) O BNDES emprestou R$ 137 Bilhões em 2009 para o setor produtivo, contra cerca de R$ 22 Bilhões em 2002;

    16) Fez o Brasil se tornar credor externo, com um saldo positivo de US$ 65 Bilhões, algo inédito na História do país;

    17) Criou programas sociais inclusivos, como o Bolsa-Família, ProUni, Brasil Sorridente, Farmácia Popular, Luz Para Todos, entre outros, que beneficiaram aos pobres e miseráveis e contribuíram para melhorar a distribuição de renda;

    18) Iniciou novas grandes obras de infra-estrutura (rodovias, ferrovias, usinas hidrelétricas, etc) financiadas tanto com recursos públicos como privados. Exemplos: Usinas do Rio Madeira, Transnordestina, Ferrovia Norte-Sul, recuperação das rodovias federais, duplicação de milhares de quilômetros de rodovias;

    19) Anulou portaria do governo FHC que proibia a construção de escolas técnicas federais e iniciou a construção de dezenas de novas unidades e que foram transformadas em Institutos Superiores de Educação Tecnológica (são 214 novas escolas técnicas federais construídas entre 2003/2010);

    20) Criou o Reuni, que iniciou um novo processo de expansão das universidades públicas, aumentando consideravelmente o número de universidades, de campus e de vagas nas mesmas;

    21) Os lucros do setor produtivo cresceram quase 200% no primeiro mandato em relação ao governo FHC;

    22) Fez o Estado voltar a atuar como importante investidor da economia. Exemplos disso: a criação da BrOI, que têm 49% do seu capital nas mãos do Estado; a compra e incorporação de bancos estaduais pelo Banco do Brasil (da Nossa Caixa, do Piauí, Santa Catarina e Espírito Santo) evitando que fossem privatizados; a participação da Petrobras em 2 grandes petroquímicas nacionais (a Braskem, com 30% do capital nas mãos da Petrobras; a Ultra, com 40% do capital nas mãos da Petrobras); o aumento da participação dos bancos públicos (BNDES, CEF, BB, BNB) no fornecimento de crédito para a economia do país;

    23) Elevou o volume de crédito na economia brasileira de cerca de 23% do PIB, em 2002, para 46% do PIB, em 2010;

    24) Criação do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) que prevê investimentos públicos e privados de R$ 646 Bilhões entre 2007/2010; até 2013 os investimentos previstos chegam a R$ 1,14 Trilhão;

    25) Reduziu a taxa de desemprego de 10,5% (Dezembro de 2002) para 6,8% (Dezembro de 2008);

    26) Reduziu os gastos públicos com pagamento de juros da dívida pública para 5,9% do PIB (em 2008), representando uma queda de cerca de 36% quando comparado com o segundo mandato de FHC.

    • animado

      tá divulgando direitinho as mentiras que o comitê central da esquerda bolivariana envia a seus agentes república afora. será que voce entende que é tudo meia-verdade, que tudo isto foi colocado a serviço de um projeto de poder comunista ? que deve ser destruído pelos cidadãos de bem desta república ?voces são incompetentes, e o navio de voces subiu porque o nível do oceano subiu, agora vem a maré baixa e tudo vai pro vinagre, inclusive as índices não sustentáveis que voces inflaram. voces vão voltar para a esgotosfera de onde vieram.

    • Amor ao Lula

      EU E O LULA
      Assim como vc copiou esse texto elogiando, como vc nao e’ um petista fanatico, eu tenho certeza que vc sabe o que o Lula fez de errado e os seus defeitos.
      Escreva ai um texto das sua falcatruas

  • EU E A DILMA

    AMOR AO LULA–FALCATRUAS NÃO EXISTEM E A OBRIGAÇÃO DE PROCURA -LAS SE É QUE EXISTEM, É SUA SEU BURGUESINHO CAPITALISTA FASCISTA, EM 2018 ESTAMOS DE VOLTA.

    AMOR À FHC—ODEIO ESTE CORRUPTO,LADRÃO E PRIVATIZADOR.

    ANIMADO—INCOMPETENTE É SUA PESSOA QUE SÓ SABE CRITICAR TODOS E QUALQUER COMENTÁRIOS DE QUALQUER PESSOA, MAS ÉS UM BURRO POLITICAMENTE QUE SÓ SABE FALAR EM ESQUERDA BOLIVARIANA, NÃO EXISTE MEIA VERDADE EXISTEM VERDADES QUE SUA PESSOA SENDO UM BURGUÊS CAPITALISTA FASCISTA TENTA MANIPULA-LAS COMO A MÍDIA GOLPISTA COMANDADA PELA GLOBO.PREPARE-SE QUE ELE VAI VOLTAR EM 2018,MESMO COM O MEDO E CIUMES DOS COXINHAS DE DO FHC,O CORRUPTO E LADRÃO.

    VIVA A DILMA:–

    A vontade política do governo Dilma, combinada com a unidade de ação das centrais sindicais, trouxe proteção para os trabalhadores, materializada em normas ou atos legais de iniciativa da Presidência da República, apoiada ou sancionada pela titular do Poder Executivo. São eles:
    1) Lei 12.551/11, que reconhece o Teletrabalho, ou trabalho à distância;
    2) Lei 12.513/11, que amplia a formação profissional do trabalhador por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego (Pronatec);
    3) Lei 12.506/11, que amplia o aviso prévio de 30 para até 90 dias;
    4) Lei 12.469/11, que determina a correção anual da tabela do Imposto de Renda Pessoa Física até 2014, e a MP 644, que atualizou o valor para 2015;
    5) Lei 12.440/11, que cria a Certidão Negativa de Débito Trabalhista;
    6) Lei 12.382/11, que institui a política de aumento real para o salário mínimo até 2015;
    7) Lei 12.470/11, que institui o sistema de inclusão previdenciária para os trabalhadores de baixa renda;
    8) Lei 12.761/12, que institui o Programa de Cultura do Trabalhador e cria o Vale-Cultura;
    9) Lei 12.740/12, que institui o adicional de periculosidade para os vigilantes;
    10) Lei 12.832/13, que isenta do imposto de renda até o limite de R$ 6 mil reais a participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados;
    11) Lei 12.865/13, que permite aos taxistas transferir para seus dependentes a outorga da licença;
    12) Emenda à Constituição 72, que estende aos empregados domésticos os mesmos direitos dos trabalhadores urbanos;
    13) Lei Complementar 142/13, que trata da aposentadoria da pessoa com deficiência; e
    14) Emenda à Constituição 81, que expropria as propriedades urbanas e rurais nas quais sejam encontrados trabalho escravo ou análogo ou o cultivo de maconha.
    Essas leis, combinadas com a fiscalização do trabalho, levaram à formalização de milhões de empregos, além de terem contribuído para a melhoria na distribuição da renda.
    2) EMPREGO, SALÁRIO E RENDA
    Nos quesitos emprego, salário e renda os ganhos, igualmente, são inegáveis, conforme segue:
    1) Emprego: de 2003 a 2014 foram gerados mais de 20 milhões de empregos, o equivalente à população do Chile, sendo mais de cinco milhões no governo Dilma;
    2) Desemprego: caiu de 11,7% em 2002 para menos de 5% em 2014;
    3) Formalização de emprego: subiu de 48,41% em 2002 para 67,7% em 2014. Ou seja, agora quase 70% dos trabalhadores estão na economia formal, com carteira assinada, enquanto que no governo anterior a Lula menos de 50% tinha carteira assinada;
    4) Ganhos reais de salário: os acordos coletivos, segundo o Dieese, garantiram aumento real de salário, acima da inflação, para 95% dos pisos salariais das categorias profissionais de trabalhadores;
    5) A Seguridade Social se constituiu em poderosa rede de proteção social. Somente no INSS são 28 milhões de benefícios previdenciários pagos em dia, o equivalente à população da Arábia Saudita;
    6) Salário mínimo teve aumento real de 72,35% nos governos do PT; e
    7) Redução da pobreza: a taxa de pobreza em 2002 era de 34,4% e de extremamente pobres era de 14%, caindo, em 2014, para, respectivamente, 15,9% e 5,3%.
    3) TRANSPARÊNCIA, CONTROLE E COMBATE À CORRUPÇÃO
    Nesse quesito, poucos governos avançaram tanto como os governos do PT. O governo Dilma apoiou, sancionou ou contribuiu para a incorporação em nosso ordenamento jurídico das seguintes leis e emendas constitucionais:
    1) Lei 12.525/11, conhecida como Lei Geral de Acesso à Informação;
    2) Lei 12.813/13, que trata do conflito de interesse;
    3) Lei 12.846/13, que trata da responsabilização administrativa e civil da pessoa jurídica pela prática de atos contra a administração pública, possibilitando, pela primeira vez na legislação brasileira, a punição do corruptor; e
    4) Emenda à Constituição 76/13, que aboliu o voto secreto na cassação de mandatos de parlamentares federais (deputado ou senador) e na apreciação de vetos presidenciais, permitindo ao representante conhecer os votos de seus representantes, inclusive em questões políticas.
    Além disto, nas gestões Lula houve avanços importantes, como:
    1) Lei 12.034/09, que acrescenta parágrafos ao art. 41-A da Lei nº 9.504/1997 para ampliar o prazo de denúncia e explicitar a captação do sufrágio, ao aceitar como conduta ilícita a evidência do dolo;
    2) Lei Complementar 131/09, conhecida como Lei Capiberibe, que obriga todos os entes federativos (União, estados, Distrito Federal e os municípios) a debaterem com a sociedade suas propostas orçamentárias e tornarem públicas, em tempo real, todas as suas despesas; e
    3) Lei Complementar 135/10, de iniciativa popular, conhecida como Ficha Limpa, que leva em consideração a vida pregressa dos candidatos no momento de sua inscrição como candidato às eleições.
    4) EDUCAÇÃO
    Os avanços na área da educação, igualmente, são inegáveis. O governo Dilma manteve e ampliou os programas iniciados no governo Lula e criou outros, cabendo mencionar:
    1) Aprovação e sanção do Plano Nacional da Educação, que estabelece como meta 10% do PIB para gasto com educação ao longo de 10 anos;
    2) Reservou recursos do pré-sal para financiar a educação;
    3) O Sistema de Seleção Unificado (Sisu), que já conta com mais de um milhão de inscritos, permite que alunos do Acre, por exemplo, possam concorrer a vagas em universidade pública em qualquer unidade da federação;
    4) O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) já beneficiou 1,6 milhões de alunos e o Programa Universidade para Todos (Prouni) garantiram bolsas integrais ou parciais para 1,4 milhão de alunos;
    5) O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) forma anualmente milhões de estudantes e garante empregabilidade. Já matriculou mais de 7,5 milhões em cursos técnicos e de qualificação em mais de 400 áreas de conhecimento;
    6) Para apoiar os municípios no atendimento à educação infantil, o governo federal contratou 8.294 creches e pré-escolas, das quais 2.056 foram concluídas, dentro do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância). Com todas as creches em funcionamento, cerca de 1,6 milhão de crianças serão atendidas em todo o País;
    7) Foram criadas cinco novas universidades federais: Universidade Federal do Cariri (UFCA), no Ceará, Universidade Federal do Sul Sudeste do Pará (Unifesspa), Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob) e a Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba). Até 2018, as novas universidades atenderão mais de 38 mil estudantes em 145 cursos de graduação. Serão contratados 1.677 professores e 2.156 técnicos administrativos, levando o ensino superior a cinco municípios do Pará, oito da Bahia e três do Ceará;
    8) O Programa Ciência Sem Fronteiras já beneficiou 85 mil estudantes, que receberam bolsa para estudar em 40 países. Desse total, 1.540bolsas de pós-graduação foram concedidas para estrangeiros atuarem no Brasil como “pesquisador visitante” e “jovem talento”. A meta até o final do governo é conceder 101 mil bolsas para estudantes e pesquisadores e, na segunda fase do Programa, mais de 100 mil bolsas serão concedidas;
    9) Garante transporte escolar gratuito para 4,6 milhões de estudantes de escolas públicas.
    5) SAÚDE
    Na área de saúde, em que pese os problemas ainda existentes, serão investidos pelo Governo Federal mais de R$ 5,5 bilhões até final de 2014, além dos R$ 7,4 bilhões já contratados, totalizando R$ 12,9 bilhões. A seguir os principais programas:
    1) Postos de Saúde: o governo federal já contratou 26 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS), das quais 6.843 foram concluídas;
    2) As unidades de pronto atendimento (UPAs) somam 948 unidades, estando 312 concluídas. No PAC 2, com investimentos de R$ 1 bilhão, foram contratadas 495 UPAs, que terão capacidade mensal de até 3,1 milhões de atendimentos. Do total de UPAs do PAC 2, 213 estão em obras e 23 foram concluídas;
    3) O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) teve aumento significativo de verba, permitindo aos estados e municípios ampliarem o atendimento via telefone;
    4) O Programa Brasil Sorridente proporciona tratamento odontológico a milhões de brasileiros;
    5) O Programa Aqui Tem Farmácia Popular tem mais de 26 mil farmácias credenciadas em todo o País, cobrindo 3.818 municípios. A Farmácia Popular oferece, além de medicamentos gratuitos, outros com descontos de até 90%. A média mensal de pessoas atendidas passou de 1,2 milhão em janeiro/2011 para 6 milhões em abril/2013;
    6) O Programa Mais Médicos, que coloca à disposição dos municípios médicos estrangeiros pagos com recursos do Governo Federal. Para aumentar, a médio prazo, a oferta de médicos no Brasil, serão criadas mais vagas em cursos de medicina e em residência médica. A meta é criar mais 11.447 novas vagas em cursos de medicina até 2017, além de 12.372 novas vagas em residência médica em todo o País. A distribuição regional das novas vagas visa à redução das desigualdades, com crescimento proporcionalmente maior nas regiões menos assistidas; e
    7) Mais verba para a saúde, a partir de recursos orçamentários e do pré-sal. Além disso, oGoverno Federal vai refinanciar as dívidas das entidades filantrópicas e sem fins lucrativos. A Lei 12.873/13 prevê a quitação, em 15 anos, das dívidas das entidades a partir da adesão e do cumprimento das seguintes condições: 1) ampliação da oferta de exames, cirurgias e atendimentos a usuários do SUS; e 2) pagamento dos tributos devido a partir de 2013.
    8) 95% dos transplantes no Brasil são feitos pelo SUS e 85% dos procedimento da alta complexidade no País também são realizados pelo SUS.95% dos transplantes no Brasil são feitos pelo SUS e 85% dos procedimento da alta complexidade no País também são realizados pelo SUS.
    6) HABITAÇÃO

    1) O Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) atingiu a marca de 1,7 milhão de moradias entregues. Além destas, já estão contratadas outras 1,5 milhão de unidades, sendo 60,7% destinadas às famílias com renda mensal até R$ 1.600 mensais (faixa 1). Até o final de 2014, serão contratadas mais 966,7 mil unidades. A meta do programa foi ampliada em 350 mil unidades. Assim, um total de 3,750 milhões de famílias serão beneficiadas com a casa própria pelo MCVM;
    2) O Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) financiou 529,8 mil moradias só em 2013. O Financiamento Habitacional contratou 62% a mais do que o previsto entre 2011 e 2014. Foram R$ 285,2 bilhões para aquisição, reforma ou construção de novas moradias, beneficiando mais de 1,56 milhão de famílias em todo o País; e
    3) Minha Casa Melhor: todas as famílias beneficiadas pelo Minha Casa Minha Vida que estejam em dia com as prestações do seu imóvel terão disponível um crédito de até R$ 5 mil para comprar móveis e eletrodomésticos. São dez itens diferentes que podem ser adquiridos em mais de 13 mil lojas credenciadas pela Caixa Econômica Federal em todo o Brasil. O financiamento tem prazo de pagamento de 48 meses, com juros de 5% ao ano.
    7) PROGRAMA DE INCLUSÃO SOCIAL
    Somente com o Bolsa Família, o governo garantiu renda para mais de 14 milhões de famílias, beneficiando algo como 50 milhões de pessoas, mais que a população da Argentina.
    8) POLÍTICAS AFIRMATIVAS
    As políticas afirmativas estão presentes nas áreas de educação, de trabalho, de etnia, de gênero, de raça etc. As mais recentes são os programas:
    1) De cotas nas universidades públicas para alunos da rede pública: ALei 12.711/12, sancionada em agosto de 2012, garante a reserva de 50% das matrículas por curso e turno nas 59 universidades federais e 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia a alunos oriundos integralmente do ensino médio público, em cursos regulares ou da educação de jovens e adultos. Os demais 50% das vagas permanecem para ampla concorrência; e
    2) De cotas para negros nos concursos públicos do Poder Executivo Federal, instituídas pela Lei 12.990/14.
    9) SETOR EMPRESARIAL
    1) Desonerações da cesta básica;
    2) Desoneração da folha de salários para 56 setores da economia;
    3) Inclusão no Simples de todas as empresas com faturamento até R$ 3,6 milhões;
    4) Preferência aos produtos nacionais e conteúdo local, especialmente na indústria do Petróleo, Naval, Aeronáutica e na Automotiva;
    5) Incentivos à cadeia produtiva, como Inovar-auto, Reintegra, Refis, PSI/BNDES, Progerem, financiamento recorde à safra agrícola, seguro safra, créditos subsidiados; e
    6) Apoio e incentivo ao agronegócio, setor responsável por parte significativa das exportações brasileiras.
    10) INFRAESTRUTURA
    O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 atingiu execução de R$ 871,4 bilhões até abril de 2014, o que representa 84,6% do orçamento previsto para o período 2011-2014. As ações concluídas atingiram 95,5% do total previsto até o final de 2014, com R$ 675,8 bilhões em obras nos seis eixos do programa – Transportes, Energia, Cidade Melhor, Comunidade Cidadã, Água e Luz para Todos e Minha Casa Minha Vida.
    1) Concessão de aeroportos, rodovias, ferrovias e portos. Das 95,5% de ações concluídas desde 2011, só na área de transportes R$ 58,9 bilhões foram investidos, sendo: 4.416km de rodovias; 1.053km de ferrovias; 24 aeroportos; 22 portos; 19 hidrovias. Desde 2011, foram concluídas 24 obras em aeroportos, como em Guarulhos (SP), Galeão (RJ), Foz do Iguaçu (PR) e Curitiba (PR).
    Essas e outras intervenções ampliaram a capacidade dos aeroportos em mais de 15 milhões de passageiros por ano. Desde o PAC 2, o aumento na movimentação de cargas nos portos brasileiros foi de 11%, quando também foram concluídos 22 empreendimentos;
    2) Foram doados 5.060 caminhões-pipas, 5.060 motoniveladoras e 5.071 retroescavadeiras a municípios brasileiros com menos de 50 mil habitantes;
    3) Construção e funcionamento de centenas de termoelétricas;
    4) Construção de grandes hidroelétricas, especialmente na região Norte do País, como a de Belo Monte (PA), Jirau (RO) e Teles Pires (MT/PA);
    5) Energia elétrica: o governo praticamente dobrou a capacidade de geração, passando de 80 GWH para 132 GWH e construção 11 mil quilômetros de novas linhas de distribuição nos últimos 11 anos;
    6) Retomada da indústria naval, com grandes obras para os estaleiros nacionais e construção de navios, com recursos do Fundo de Marinha Mercante e do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), entre eles, o petroleiro Zumbi dos Palmares, além do andamento da construção de mais nove;
    7) Petróleo: entre janeiro/2011 e abril/2014 foram iniciados 411 pólos exploratórios, sendo 199 no mar e 212 no Pré-Sal e 338 no Pós-Sal; e
    8) Transportes: investimentos em transportes sobre trilhos, como metrô, Monotrilho, VLT, Trem Urbano e aeromóvel, e sobre pneus, BRT e corredores, além de transporte pluvial urbano; no total, estão sendo construídos, amplia- dos ou recuperados 2.879 quilômetros de vias para transporte coletivo urbano.
    Entre as principais obras de mobilidade urbana no período da Copa, o governo lembra a Transcarioca, no Rio de Janeiro, e a BRT, no Distrito Federal.
    11) COMBATE À SECA
    A seca e a queda da safra, combinadas com o choque de comodities, exigiram do governo um aporte adicional de recursos para minimizar seus efeitos sobre a economia em geral e a inflação, em particular. As principais medidas já concluídas ou iniciativas em curso são:
    1) Transposição do rio São Francisco, em fase de conclusão;
    2) Construção de adutoras na região Nordeste;
    3) Construção de mais de 600 mil cisternas;
    4) Bolsa estiagem, que beneficia 1,1 milhão de famílias em 1.398 municípios em situação de emergência, totalizando desembolso de R$ 887 milhões entre julho de 2012 e junho de 2013;
    5) Garantia safra: o mais recente Plano Safra 2013/2014 estipulou: garantia Safra – 1,2 milhão de agricultores do semi-árido terão sua renda garantida em caso de perda de, pelo menos, 50% da produção;
    6) Garantia de preço mínimo e maior reajuste do preço mínimo para produtos tradicionais da agropecuária do semiárido; e
    7) Mobilização de quase oito mil carros pipas paradistribuir água potável para a população situada nas regiões afetadas pela seca em 1.126 municípios. Destes carros, 5.365 são contratados pelo Governo Federal e operam sob a coordenação do Exército, e outros 2.353 são contratados pelos governos estaduais.
    12) POLÍTICA MACROECONÔMICA
    1) Reservas internacionais de U$$ 379,1 bilhões;
    2) Dívida pública de curto prazo (12 meses) baixa, algo em torno de 7%;
    3) Redução brusca, em percentual do PIB, da dívida externa;
    4) Superávit primário permitindo uma queda consistente do endividamento público. A dívida líquida do setor público correspondia a 34,4% do PIB;
    5) Fluxo externo positivo, com mais entrada que saída de recursos;
    6) Facilidade de captação de recursos no exterior;
    7) Forte mercado interno: o mercado de trabalho continua apresentando resultados robustos, com continuidade da geração de empregos formais e crescimento da renda real dos trabalhadores;
    8) Principais gastos controlados. A maior robustez fiscal do Estado brasileiro é confirmada também pelo fato dos três maiores grupos de despesas do Governo Central – previdência, despesas com pessoal e despesas com juros da dívida pública – permanecerem sob controle; É NOS NA PARADA OUTRA VEZ EM 2018.

  • EU E A DILMA

    ANIMADO AMIGO DO FHC O CORRUPTO–LADRÃO—CRÁPULA—PRIVATIZADOR—PAGADOR DE PENSÃO A FILHO DE OUTROS—COMPROU DEPUTADOS E SENADORES PARA SE REELEGER,DOIS BURGUESES,CAPITALISTAS E FASCISTAS:-
    QUEM FOI FHC.
    1. 31.01.99—Brasil é o segundo pais do Mundo em Desemprego.
    2. FHC ordena demissões em massa dos funcionários Públicos Federais.
    3. 15.12.98—FHC freia os salários e mantem a correção dos contratos.
    4. 09.04.98—Salário dos Parlamentares e o seu sobe 59%.
    5. Petrobras virá Petro Bras, por US$ 50 Milhões.
    6. 27.01.2000—56% dos jovens estão fora da Escola Pública.
    7. 25.02.2002—País tem 50 Milhões de indigentes segundo FGV.
    8. 12.05.98— No Jornal o Globo FHC diz que é vagabundo quem se aposenta com 50 anos( Ele se aposentou com 37 anos como Professor da PUC).
    9. 05.08.2002—País precisa de US$ 40 Bilhões do FMI dizem analistas,para poder se equilibrar.
    10. 03.01.99—Brasil é obrigado a seguir as exigências do FMI.
    11.22.11.2002—FMI exige e o Brasil aumenta os Juros.
    12.08.05.2002—FHC manda liberar emendas para barrar CPI.
    13.04.04.2002—Gasolina tem 3 Reajuste em 35 dias.
    14.10.07.2001— Brasil tem 60 mil sem tetos segundo pesquisas.
    15.28.11.2001—Juros dos Bancos atigem 79% ao ano.
    16.No governo de FHC meta fiscal foi alterada mas não fou cumprida ( lei 9.995).
    17.FHC durante 8 anos de governo só inaugurou 1 Universidade.
    18.FHC tem 5 Aposentadorias e a Primeira foi com 37 anos.
    19.Se diz Pai do Real(Mentira),´pai do Real foi Pérsio Arida,no Governo de Itamar Franco e o Corrupto FHC já tinha saído do Governo a mais de 6 meses para concorrer à Presidência da República(mentira Politica).
    20.Privatizou durante seu governo as maiores Empresas (Lucrativas),brasileiras,principalmente a Vale do Rio Doce ,que valia 100 Bilhões e vendeu pior 3,3 Bilhões.
    21.Em seu governo por incompetência deixou afundar a Plataforma de Petróleo P-36,com prejuízo de Milhões de Dólares e 11 mortes.
    22.Em 1997 comprou Deputados Federais e Senadores por 200 Mil, para aprovarem sua reeleição

  • Paixao ao Lula e a Dilma. Odio do FHC

    EU E O LULA/ FHC/ A DILMA
    Como percebi que vc e’ petista fanatico, eu me recuso a discutir politica principalmente porque nao leio as cartilhas do PT, PSDB, PMDB e nem de outro partido.
    Acho que vc esqueceu de tomar seu Rivotril por isso tem insonia e tempo para escrever textos contra FHC e pro’ Lula/Dilma.
    Siga o meu conselho e va’ na praça do Jacare’ jogar damas e baralho

  • EU E O LULA---FHC---A DILMA

    Paixão ao Lula e a Dilma.Ódio do FHC, em primeiro lugar:—
    1. fanático tem acento—-2.ódio tem acento—-3.pro não tem acento—–4. não tem acento. Agora, não sou PT fanático,sou Lula e Dilma,pois nenhum partido politico me representa, se alguém esqueceu de tomar Rivotril , esse alguém é você ou sua Esposa ou Genitora.
    Os textos que escrevo é um problema exclusivo da minha pessoa, quanto a jogar damas e baralho na praça,não sou aposentado e nem vagabundo igual a sua pessoa. Ia me esquecendo Paixão também tem acento seu analfabeto.

  • ELE E NÓS

    AOS COXINHAS:——A TRÊS DIAS ATRAS ESSES MAL AMADOS DIZIAM:—A Petrobras deve fechar o primeiro trimestre deste ano com um lucro líquido de R$ 2,72 bilhões, resultado 49,5% menor frente aos três primeiros meses do ano passado. A previsão toma como base a média das projeções de cinco bancos de investimento consultados pelo Valor, que indicam, ainda, para uma redução média de 4,7% no faturamento, para R$ 77,73 bilhões, e um crescimento de 23% no Ebitda, para R$ 17,64 bilhões, na mesma base de comparação.”

    As previsões eram da Goldman Sachs, do Bradesco, Deutsche Bank e de outras instituições.

    Do Valor, agora há pouco:

    “A Petrobras encerrou o primeiro trimestre desse ano com lucro de R$ 5,33 bilhões, queda de 1% na comparação com o lucro líquido de R$ 5,393 bilhões apurado no mesmo intervalo do ano anterior.”

    Uai, não eram 49,5% de queda?

    E a relação entre o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) e dívida, que prenunciavam ia explodir, baixou de 4,77 vezes para 3,86, mesmo com a forte desvalorização cambial. Embora o valor nominal tenha crescido (de 282 para 332 bilhões de reais) o aumento, de 18%, foi inferior à depreciação do real (20,8%) e uma enorme parte destas dívidas é, como é natural em grandes empresas e especialmente no setor petroleiro, em dólar.

    O fato é que em Nova York, onde não leem os jornais brasileiros, no “after-hours” da bolsa local,o ADR (correspondente a ações) da Petrobras sobe 4.05% no momento em que escrevo, depois de já ter subido 2% no pregão normal.

    Sem contar essa subida noturna, do início do ano para cá, a Petrobras lidera com folga a valorização entre as petroleiras – claro que em boa parte por ter sido atirada, artificialmente, lá em baixo. Subiu 38,4%, contra 12,3% da Shell, enquanto quase todas as outras amargam índices negativos.

    Medida por um ano, mais ou menos o tempo em que a lava-Jato começou a repercutir fortemente, a perda é de 32%, menos da metade dos 67% que chegou a cair no pior momento em 12 meses.

    Mas nisso entra, com muita força, a desvalorização do petróleo: no mesmo período, a Shell caiu 20,6%: a Total, 25,2%, a italiana Eni, 27,5%, a Exxon e a Chevron, as que menos perderam, tiveram queda em torno de 15%.

    Os ratos e urubus não tiveram força para, mesmo tendo causado muito estrago, derrotar a Petrobras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *