POLÍTICAS SOCIAIS AUMENTAM EXPECTATIVA DE VIDA NO NORDESTE

Se você não gosta do Lula, melhor não ler a notícia do Jornal do Brasil:

expectativa_de_vida_editada_fotaoO Nordeste registrou o maior avanço na expectativa de vida nos últimos 30 anos, passando de 58,25 para 71,20 anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para cientistas políticos brasileiros, a mudança registrada na região, que tinha a menor taxa do Brasil nos anos 1980, pode ser atribuída ao aumento de salário mínimo e implementação de programas de renda dos últimos anos. Seria resultado da substituição de uma política neoliberal para uma mais comprometida com as questões sociais.

Carlos Eduardo Martins, chefe do Departamento de Ciências Políticas da Universidade Federal do Rio de Janeiro, concorda que o aumento do salário mínimo e a implantação de políticas de renda como o Bolsa Família, sobretudo nos governos de Lula e Dilma Rousseff, contribuiu para o avanço. Ele ressalta, porém, que o Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer, por ainda estar abaixo de países da América Latina. Nos próximos anos, ele prevê, o salto seria ainda maior, com a modernização da medicina e da tecnologia.

“As políticas sociais de combate à pobreza têm um papel bastante relevante para esse crescimento da expectativa de vida. É preciso de pouco para que a expectativa de vida se eleve. Com um pouco de política social, já se consegue bastante resultado”, afirmou Martins.

A notícia completa, do Jornal do Brasil, pode ser lida aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *