PROFESSORA DE SÃO PAULO É DEMITIDA APÓS DIZER QUE MENINA ESTUPRADA PELO TIO “DEVE TER SIDO BEM PAGA”

A cidadã de bem é professora em Guarulhos. E reparem que, além de agredir verbalmente a menina, a professora agride também a língua pátria. “Porque?”, “a 4 anos”. Deu no Brasil 247:

A jornalista Monica Bergamo, em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo, informa que a Secretaria da Educação do Estado de SP demitiu nesta quarta (19) uma professora de educação básica da rede estadual que publicou em uma rede social mensagens dizendo que o caso da menina de dez anos estuprada no Espírito Santo ‘não foi nenhuma violência”.

Eliana Nuci de Oliveira, em uma postagem, gerou revolta ao dizer que a criança “já tinha vida sexual há quatro anos com esse homem. Deve ter sido bem paga”. Em outra, ela diz que “crianças se defendem chorando pra mãe, esta menina nunca chorou por quê?”.

O secretário de Educação do Estado, Rossielli Soares da Silva, afirmou que a professora foi demitida imediatamente “para não estar próxima de nossas crianças e jovens”.

A menina de 10 anos que sofreu durante quatro anos uma série de estupros do tio e que passou por um procedimento no último domingo para interromper uma gestação, tratou com alívio a prisão do abusador. 

Ela disse a uma enfermeira: “Ainda bem, porque o vovô pode sair para a rua agora”. 

Segundo reportagem do jornal O Globo, ela temia que o tio matasse seu avô e era essa ameaça que a impedia de denunciar os abusos que sofria, de acordo com o relato da avó a uma enfermeira.

6 comentários

  • Fã do Cardoso

    Que absurdo! Certeza que votou no Bolso!

  • só jumentos e analfabetos votaram no bozo

    aposto 1,00 real que sei em quem ela votou.

  • Abraham Lincoln

    Eu já disse em várias outras vezes: O Brasil está tão polarizado, a intolerância política é algo tão latente no brasileiro, que uma postagem imbecil, estúpida, despropositada, desprovida de qualquer mínimo sentimento humano, é imediatamente ligada à política. Na publicação o blog usa a expressão “cidadã de bem” como um estigma. É como se a expressão estivesse, doravante, ligada apenas ao bolsonarismo (ai outro neologismo politiqueiro) e, dependendo do lado da sala em que você se senta, é agora pejorativo. Ser um “cidadão de bem” é atualmente ruim no nosso país, apenas porque parte da empresa cingiu esta expressão a alguém mal, ruim, branco opressor, elitista, que anda armado, que agride e, claro, que vota no Bolsonaro. O comentarista acima, por sua vez, liga a falta de inteligência e empatia da “professora” ao seu último voto. Veja só, o horror do comentário da “prof” é deixado de lado, é desprezado como se fosse um broche estampando seu verdadeiro, suposto e eventual crime: Votar do Bolsonaro. E antes de algum babão vir aqui me acusar de defender o Jair, adianto que sou ferrenho crítico de seu desgoverno. O que não é bacana é fazer palanque de trevosas oportunidades, quaisquer que sejam elas.

  • Elias

    Até onde sei, a maioria dos professores são esquerdistas, me estranha dizerem que ela deve ter votado no Bolsonaro, até pq o mesmo é totalmente contra estupradores e todos sabemos bem disso, quem defende esses criminosos é a esquerda.

  • Idiotadas empoderados

    Quem fala o que quer, escuta o que não quer! Os [email protected] que antes não tinham vozes, agora adeptos das redes sociais setem-se “empoderados” para expressar suas opiniões, contudo, não deve-se olvidar que nossos atos têm consequências!
    A liberdade de expressão têm limites, não deve ser tolerada se utilizada p/ ofender à honra ou caluniar, injuriar e difamar alguém! Esse foi um pequeno exemplo de uma professora demitida.

  • rapizodia

    Não dá nem prá comentar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *