QUEBRA DE PRÓTESE PENIANA CAUSA DANO MORAL DE R$ 30 MIL

Deu no site de notícias Ethos On Line, neste sábado:

Paciente que, aos 24 de idade, implantou prótese peniana que quebrou será indenizado em R$ 30 mil pelo médico David Spilki, responsável pelo implante e pela fabricante do produto, HR Indústria e Comércio de Equipamentos Biomédicos, com sede em Porto Alegre. A decisão é da 9ª Câmara Cível do TJRS, que determinou também que o Conselho Regional de Medicina seja oficiado para a apuração de eventual violação ao Código de Ética Médica. O caso decidido há poucos dias já tem nove anos e oito meses de tramitação processual. 

O paciente ajuizou ação na comarca de Charqueadas (RS) narrando que, após um único episódio de impotência sexual, consultou o médico, em agosto de 1994. O profissional da Medicina informou que o implante seria a única solução. Três meses após a realização do procedimento, o jovem procurou o médico novamente, pois sentia dores e havia notado uma saliência no local, mas foi informado que “a situação iria se normalizar”.No ano seguinte, o paciente reparou que a saliência aumentara. Em março de 1999, procurou o médico David Spilki novamente e, por exame de raio-x, constatou a quebra da prótese fabricada pela HR. 

A partir de laudo pericial, a Justiça concluiu que “o médico agiu de forma negligente, imprudente e imperita ao realizar a cirurgia em um jovem de apenas 24 anos de idade à época dos fatos, pois o procedimento deve ser o último recurso no tratamento de disfunção erétil, devendo, antes, ser adotadas medidas como psicoterapia, medicamentos, injeções e vacuoterapia”.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *