WAMBERTO CARNEIRO, O MARREKINHO, FALECE EM RIO PRETO

Recebi uma ligação, agora a pouco, do amigo Saulo Nunes da Silva, dando conta do falecimento do Wamberto de Oliveira Carneiro, o Marrekinho, hoje à tarde, em São José do Rio Preto. Ultimamente, Marreko vinha enfrentando o agravamento do diabetes, que, entre outras coisas, deixou-o quase sem a visão. Ele foi casado com a professora Abigail Carneiro, que trabalhou no Anglo. Era um exímio cozinheiro e, como mestre-cuca, preparou uma das mais famosas peixadas já degustadas no Clube do Ipê. Era também um amante da boa música. Em 1998, o Wamberto e o Saulo me presentearam com o livro “A Canção no Tempo”, uma obra sobre a história da MPB, que releio de vez em quando.

Marreko foi um dos maiores corretores de café do Brasil. Ganhou muito dinheiro, mas não guardou. Morou muito tempo por aqui, e, após o fim da época áurea do café, trabalhou como fotógrafo do Jornal de Jales. Depois, mudou-se para São José do Rio Preto, onde trabalhou na assessoria de imprensa da Prefeitura, durante os oito anos do ex-prefeito Edinho Araújo. Com a eleição de Edinho para a Câmara Federal, Wamberto continuou na sua assessoria, trabalhando no escritório político do deputado, em Rio Preto.

O corpo do Wamberto Carneiro está sendo trasladado para Jales, onde será velado e sepultado.

5 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *