BANDA LEELA – “O DIA EM QUE A TERRA PAROU”

Eu já escrevi sobre essa música do Raul, mas acho que vale a pena voltar a falar dela. O texto é do crítico musical do G1, o Mauro Ferreira:

A banda Leela reaviva em single o sonho de 1977 em que Raul Seixas previu a paralisação do mundo, tal como ela aconteceria neste ano de 2020 por conta da pandemia do covid-19.

Naquele ano de 1977, Raul Seixas (1945 – 1989) estreou na gravadora WEA – então recém-instalada no Brasil – com o álbum O dia em que a terra parou. O título do disco reproduziu o nome do filme norte-americano The day the earth stood still, longa-metragem de ficção científica estreado em 1951 nos Estados Unidos.

O maior sucesso deste álbum em que o cantor e compositor baiano abriu parceria com Cláudio Roberto – substituto de Paulo Coelho no posto de principal parceiro de Raul e coautor de todas as dez músicas do disco autoral – foi a canção Maluco beleza, cujo título se tornaria alcunha de Raul.

Contudo, a música-título O dia em que a terra parou também sobressaiu no repertório do álbum e ganhou novo relevo neste ano de 2020 por conta da letra premonitória, escrita há 43 anos com versos que contam sonho então irreal sobre a paralisação do mundo. Foi esse rock O dia em que a terra parou que a banda Leela regravou em single lançado na sexta-feira, 29 de maio.

Curiosamente, a gravação foi feita às vésperas do início da quarentena na cidade de São Paulo (SP), onde reside a banda de origem carioca. Em 17 de março, Bianca Jhordão (voz), Rodrigo O’Reilly Brandão (guitarra), Guilherme Dourado (baixo) e Fabiano Paz (bateria) estavam em estúdio quando, alertados sobre a necessidade iminente do isolamento social em São Paulo, tiveram a boa ideia de tocar o rock O dia em que a terra parou para entrar no clima da cidade naquele momento.

Embora inicie e termine em tempo de delicadeza, a abordagem da música O dia em que a terra parou pela Leela tem pegada roqueira que evoca a gravação original de Raul, mas com sutilezas próprias da banda, como a simulação de batida marcial pelo baterista Fabiano Paz durante os versos “O comandante não saiu para o quartel / Pois sabia que o soldado também não ‘tava lá”.

O vídeo abaixo, em que a banda Leela interpreta “O dia em que a terra parou”, tem a participação da Vivi Seixas – a morena tatuada, que finge cantar – filha do Raul. Além da Vivi (Vivian), ele deixou outras duas filhas – Simone e Scarlet – que vivem nos Estados Unidos desde crianças.

As duas são fruto dos relacionamentos amorosos de Raul com duas americanas. Já a Vivi, a mais nova, é fruto do relacionamento de Raul com a brasileira Angela Affonso Costa, a Kika Seixas, com quem ele juntou as escovas de dentes de 1980 a 1985. Quando Raul morreu, em 1989, Vivi tinha oito anos.

Aviso: o vídeo tem 05:27 minutos, mas a música só vai até os 04:40.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *