CANTOR E COMPOSITOR TUNAI FOI CREMADO HOJE NO RIO DE JANEIRO. CINZAS SERÃO LEVADAS PARA MINAS GERAIS

O cantor e compositor José Antonio de Freitas Mucci, conhecido na esfera musical pelo epíteto de Tunai, teve seu corpo cremado hoje, no Rio de Janeiro. As cinzas serão levadas para a cidade mineira de Ponte Nova, onde ele nasceu em 13 de novembro de 1950.

Tunai foi encontrado pela mulher dele ontem, por volta das seis horas da manhã, morto num sofá de sua casa. Ele não estava doente e morreu, provavelmente, dormindo, vítima de uma parada cardíaca.

Tunai era o irmão mais novo do também cantor e compositor João Bosco, mas pouca gente sabia disso porque ele nunca se utilizou do nome do irmão famoso para abrir portas. Curiosamente, a maioria das manchetes de ontem diziam: “Morreu Tunai, irmão de João Bosco”.

Poderiam dizer: “Morreu Tunai, compositor de Frisson”, sua canção mais famosa, composta em parceria com o letrista Sérgio Natureza. Por sinal, Natureza – seu principal parceiro – lhe foi apresentado por João Bosco, em 1977. Além de “Frisson”, Tunai deixa de herança pelo menos outras 60 canções gravadas.

Ele – como muitos outros compositores – foi projetado por Elis Regina, que incluiu a música “As Aparências Enganam” no disco “Essa Mulher”, gravado em 1979. Dizem os historiadores da MPB, que o repertório do disco já estava fechado quando Elis tomou conhecimento da composição de Tunai e Sérgio Natureza.

A Pimentinha ficou tão entusiasmada com a composição que resolveu tirar uma das músicas do disco, para incluir “As Aparências Enganam”. A música retirada foi “Velho Arvoredo” (Hélio Delmiro/Paulo César Pinheiro), incluída cinco anos depois em um disco póstumo de Elis – “Luz das Estrelas”, de 1984 – lançado quando ela já tinha partido para outro plano.

Fafá de Belém, a bem da verdade, foi a primeira a gravar Tunai e Sérgio Natureza. Em 1978, antes, portanto, da Elis, ela gravou “Se Eu Disser”, no disco “Banho de Cheiro” (esse aí do lado), mas a música passou despercebida. O grande sucesso do disco de Fafá foi “Dentro de Mim Mora Um Anjo”.

Fafá à parte, foi depois de Elis que Tunai ficou conhecido como compositor, sendo gravado por gente do primeiro time da MPB: Gal Costa, Simone, Nana Caymmi, Elba Ramalho, Joanna, Sandra de Sá, Ivete Sangalo, Zizi Possi, Milton Nascimento, Ney Matogrosso, Fagner, Emílio Santiago, Belchior, Roupa Nova, etc.”

No vídeo abaixo, Tunai canta “Frisson”. Lançada em 1984, em um disco do próprio compositor, a música invadiu as FMs e o coração do público. Em 1994, foi regravada por Ivete Sangalo, ainda na Banda Eva. “Frisson” já ganhou outras releituras, entre elas a de Elba Ramalho, que eu postei aqui no blog em 2011.

Em um dos versos de “Eternamente”, gravada por Gal Costa há 37 anos, Tunai e Sérgio Natureza dizem que “só mesmo o tempo vai poder provar a eternidade das canções”. Tunai se foi, mas algumas de suas músicas permanecerão vivas por muito tempo.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *