KID ABELHA – “COMO EU QUERO”

Durante muito tempo, as pessoas cantaram “Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos” supondo que se tratava de uma linda canção de amor, dedicada por Roberto Carlos a uma mulher. Só depois de muitos anos, se descobriu que, na verdade, Roberto escreveu essa música para o Caetano Veloso.

Consta que, em 1970, o Rei esteve em Londres para uma visita a Caetano, que se exilou por lá depois de preso por alguns meses – juntamente com Gilberto Gil – pela ditadura militar.

Roberto aproveitou para mostrar ao baiano uma música que ele tinha acabado de compor – “As curvas da Estrada de Santos” – e, ao ouvi-la, Caetano, com saudade do Brasil, se emocionou e começou a chorar. Chegando ao Brasil, Roberto compôs “Debaixo dos Caracóis” para o amigo, mas o fez de forma que a censura não percebesse a homenagem a um exilado.

Da mesma forma, a música “Como eu Quero”, do Kid Abelha foi uma das mais cantadas nos anos 80, como sendo uma música de amor. Só que não. “Como eu Quero” é, na realidade uma falsa canção de amor.

Essa música foi escrita por Paula Toller e seu então namorado, Leoni, que se inspiraram em uma história real. A personagem que inspirou a música foi a namorada do baterista Carlos Beni Borja (o segundo, na foto lá de cima), que integrava, à época, o Kid Abelha.

A namorada de Beni era uma moça muito personalista e manipuladora, que queria transformar o rapaz em uma pessoa diferente, ou seja um rascunho em arte final. Ela chegou, inclusive, a pressionar o namorado para que ele saísse da banda, pois queria que ele se tornasse um sujeito sério.

Assim, o refrão “quero você como eu quero”, que muita gente acredita ser uma linda declaração de amor, significa, na verdade outra coisa, tipo “eu quero você do jeito que eu quero e não do modo como você é”. Ou seja, significa a namorada manipuladora tentando impor sua vontade.

No livro “A Canção no Tempo”, que eu ganhei do meu ex-professor de flauta, o amigo Saulo Nunes da Silva, os autores Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello contam que “Como eu Quero” foi desprezada pelos autores e ficaria de fora do disco de 1984, não fosse uma decisão do produtor Liminha que resolveu incluí-la.

Mas, Paula Toller e Leoni contam uma história diferente. Eles dizem que Liminha não gostou do refrão da música e queira deixá-la de fora do disco. “Tivemos que bater o pé para ela entrar. Foi por insistência nossa”, conta Paula.

O fato é que a balada “Como eu Quero”, uma falsa canção de amor, foi o maior sucesso do disco. E agora que você já sabe a história da música, que tal ouvi-la sob o prisma correto. É só clicar AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *