MULHERES DE HOLLANDA, ZÉ RENATO E CLÁUDIO NUCCI – “TODO SENTIMENTO”

Ontem, sexta-feira, escrevi aqui no blog sobre o meu amigo Luiz Carlos Seixas, que estará no Brasil & Cia desse domingo, juntamente com o Toninho Breves, para falar do CD “Depois do Fim” que eles lançaram em junho, só com músicas compostas pela dupla. Escrevi, também, que o CD tem as participações especialíssimas do maestro Cristóvão Bastos (foto) e da cantora Amélia Rabello.

Isso me fez lembrar que, por volta de 1992/93, ganhei do Seixas um disco da Elizeth Cardoso em que ela canta várias canções, acompanhada “apenas” pelo violão do Raphael Rabello. Infelizmente, o Raphael – que era irmão da citada Amélia Rabello – morreu muito jovem, aos 32 anos, quando se preparava para uma apresentação em Los Angeles, ao lado do saxofonista rio-pretense Paulo Moura.

Um dos destaques do disco era “Todo Sentimento”, da dupla Cristóvão Bastos-Chico Buarque, maravilhosamente interpretada pela Divina. Cristóvão é co-autor de algumas músicas de sucesso – “Resposta ao Tempo” e “Suave Veneno“, cantadas pela Nana Caymmi, são duas delas – mas a sua obra-prima é, sem dúvida, “Todo Sentimento”, composta em 1987.

Além do Chico Buarque, autor da letra, e da Elizeth, vários outros artistas já gravaram “Todo Sentimento“.  Cauby Peixoto, Lula Barbosa, Maria Bethânia, Maria Creuza, Nana, Oswaldo Montenegro, Elba Ramalho, Selma Reis e Verônica Sabino estão entre eles. Até uma versão em inglês – “All The Feelings” – já surgiu, cantada pelo Jorge Vercillo, em álbum de 2014. E tem a versão do Ney Matogrosso, que é de se ouvir rezando.

Grupos como o Quarteto em Cy e o Mulheres de Hollanda também já gravaram “Todo Sentimento“, em versões elogiadíssimas. O crítico musical, Mauro Ferreira, por exemplo, disse que a interpretação do grupo Mulheres de Hollanda, em que as moças entrelaçam suas vozes com o canto de Zé Renato e Cláudio Nucci, “está entre os melhores registros dessa canção, obra-prima de Chico e Cristóvão”.

A interpretação citada pelo Mauro Ferreira pode ser vista no vídeo abaixo, mas o que eu estou querendo dizer é que o maestro Cristóvão Bastos – que arranjou e tocou piano em algumas músicas do CD “Depois do Fim” – não coloca a assinatura dele em qualquer trabalho. Portanto, as músicas do Seixas e do Breves merecem ser ouvidas com muita atenção.

E, para quem tem ouvidos, “Todo Sentimento” com o Mulheres de Hollanda e a participação luxuosa dos ex-Boca Livre, Zé Renato e Cláudio Nucci, e do maestro Cristóvão ao piano:

   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *