NEY MATOGROSSO – “HOMEM COM H”

Nascido em Bela Vista(MS) – daí o Matogrosso – Ney de Souza Pereira teria, por força do trabalho de seu pai, um oficial do Exército, morado em Fernandópolis por algum tempo. Os fernandopolenses mais antigos dizem até que ele tinha uma irmã muito bonita e, por isso mesmo, muito paquerada pelos moçoilos casadoiros da ex-Vila Pereira.

Diz a lenda que Ney, sem nenhuma ligação com a música nordestina, quase não gravou “Homem com H”, do compositor paraibano Antonio Barros, um dos maiores sucessos do rebolativo ex-vocalista do Secos & Molhados.

Segundo a lenda, Ney teria recusado a oferta da música. Cecéu, também compositora (autora de “Bate Coração”, da Elba) e esposa de Barros, desmente essa versão. O fato, porém, é que “Homem com H” é a última música do lado B do disco “Viajante”, gravado em 1981. Um empurrãozinho e ela teria ficado de fora.

É fato também que Ney ficou conhecendo “Homem com H” através de um disco de xote do Trio do Nordeste. O cearense Fausto Nilo foi quem mostrou o disco a Ney, sugerindo que ele também gravasse a música de Barros.

Receoso em gravar o xote – afinal, poderia ser contraditório um sujeito de voz fina, cheio de trejeitos, dizendo que “sou homem com agá” – Ney consultou amigos. Gonzaguinha, um dos consultados, foi decisivo ao dizer a Ney que “essa música é a sua cara”.

Antonio Barros, hoje com 89 anos, conta que a inspiração para “Homem com H” veio da novela “O Bem Amado”, do genial Dias Gomes, exibida em 1973 com atuações impagáveis de Paulo Gracindo, Lima Duarte e outros.

Gracindo interpretava Odorico Paraguaçu, um político corrupto (sic!). Em meio a uma conversa com seu secretário, Dirceu Borboleta (Emiliano Queiroz), Odorico, a pretexto de garantir que era cabra macho, sapecou: “Que nada seu Dirceu! Eu nunca vi rastro de cobra nem couro de lobisomem…”.

Com a frase na cabeça, Barros pegou o violão e, em menos de uma hora, estava pronta a música. Ele pensou em entregar a composição a Ney, à época no Secos e Molhados, mas não tinha como chegar ao grupo. Entregou, então, ao Trio Nordestino, o primeiro a gravar.

Oito anos depois de composta, a música chegou, finalmente, ao conhecimento de Ney Matogrosso. O sucesso foi tamanho que, no ano seguinte, Ney gravou “Por Debaixo dos Panos”, de autoria de Cecéu, a mulher de Antonio Barros. Em 2011, “Homem com H” ganhou uma belíssima releitura do Zeca Baleiro.

Abaixo, um vídeo com Ney cantando:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *