PAULO DINIZ CANTANDO DRUMMOND: E AGORA, JOSÉ?

Paulo Diniz nasceu em Pesqueira(PE), em 24 de janeiro de 1940 e, ainda adolescente, foi para o Recife trabalhar como crooner e baterista em casas noturnas. Foi locutor e ator de rádio e televisão, em Pernambuco e no Ceará. Em 1964, foi para o Rio de Janeiro, onde trabalhou na Rádio Tupi, passando a compor com mais frequência. Sua primeira gravação saiu em 1966, com a música O Chorão.

Quatro anos depois, lançou dois LPs, e, em seguida, dedicou-se à tarefa de musicalizar poemas de língua portuguesa de autores como Carlos Drummond de Andrade (E Agora, José?), Gregório de Matos (Definição do Amor), Augusto dos Anjos (Versos Íntimos), Jorge de Lima (Essa Nega Fulô) e Manuel Bandeira (Vou-me Embora pra Pasárgada).

Suas músicas foram gravadas por Clara Nunes, Emílio Santiago, Simone e outros. Entre seus sucessos destacam-se Pingos de Amor, gravado por vários intérpretes, Canoeiro, Um Chopp pra Distrair, I Want to Go Back to Bahia (uma homenagem a Caetano Veloso, então exilado em Londres) e Quem Tem um Olho É Rei, todas em parceria com Odibar.

Nos seus tempos de Rádio Tupi, no Rio de Janeiro, Paulo Diniz trabalhou com um jalesense, o saudoso radialista Marcos Alberto. Marcão dizia que alguns colegas de Paulinho, na Rádio Tupi, duvidavam que ele pudesse virar um cantor de sucesso, já que sua voz, na opinião deles, não ajudava. Atualmente, Paulo Diniz continua realizando apresentações, com a mesma voz vibrante de antes, porém, numa cadeira de rodas, já que contraiu uma misteriosa doença em 2005 que paralisou seus membros inferiores. No vídeo abaixo, a poesia de Carlos Drumond de Andrade, que Paulinho musicou.

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

4 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *