40% DOS ELEITORES DE MARINA E CIRO DIZEM QUE VOTARIAM EM CANDIDATO DE LULA

O quadro ao lado, da pesquisa Datafolha, diz que quase a metade dos eleitores não votaria em um candidato indicado pelo ex-presidente Lula. E é verdade! Mas, reparando bem, é igualmente verdade que a outra quase metade poderia votar no candidato de Lula.

Afinal, 31% dos 8.433 eleitores entrevistados disseram que votariam “com certeza” em um candidato apoiado por Lula. E outros 18% disseram “talvez”. Mas, se apenas os 31% votarem em Haddad – que no nordeste está sendo chamado de “Andrade” – ele estará no segundo turno como primeiro colocado. Restará aos demais, brigar pelo segundo lugar.

Abaixo, mais uma notícia da Folha de S.Paulo. Reparem que – para desespero do ex-urubólogo Alexandre Garcia e do professor Marco Antônio Villa – até eleitores de Alckmin estão dizendo que votariam no candidato do Lula:

Cerca de 40% dos eleitores de Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) dizem que votariam “com certeza” no candidato apoiado por Luiz Inácio Lula da Silva. O percentual indica que a dupla travará uma batalha acirrada com Fernando Haddad (PT), que deve substituir o ex-presidente na corrida.

Marina e Ciro são os candidatos que mais crescem quando Lula é excluído do cenário eleitoral. A ex-senadora herda parte dos votos do petista e sobe de 8% para 16%. Já Ciro passa de 5% para 10%.

Boa parte do eleitorado da dupla, no entanto, permanece na zona de influência do ex-presidente. Entre aqueles que declaram voto em Marina, 38% dizem que escolheriam o nome apoiado por Lula. No caso de Ciro, esse índice é de 42%.

Se todos esses eleitores migrarem de Marina e Ciro para o campo de Haddad, a ex-senadora cairia para 10% e o ex-governador cearense recuaria para 6%.

A última pesquisa do Datafolha indica que a corrida pode sofrer alterações porque uma proporção significativa de entrevistados não sabe quem Lula apoiará ao ter sua candidatura barrada.

Entre eleitores de Marina, 52% não sabem responder quem será o substituto de Lula e 23% acham que a ex-senadora terá o apoio do petista. Só 7% respondem que Haddad será apadrinhado pelo ex-presidente.

No grupo de Ciro, 41% não sabem quem substituirá Lula, 23% apontam o próprio ex-governador do Ceará e outros 19% indicam Haddad.

Os casos de Marina e Ciro sugerem um potencial de migração de votos dada a forte conexão do eleitorado da dupla com Lula -embora a influência do ex-presidente se aplique aos apoiadores se outros candidatos.

Dos eleitores de Geraldo Alckmin (PSDB), 27% dizem que votariam no candidato de Lula. Esse índice é de 24% entre os apoiadores de Alvaro Dias (Podemos) e de 13% no eleitorado de Jair Bolsonaro (PSL).

O Datafolha ouviu 8.433 pessoas em 313 municípios. A margem de erro do levantamento, uma parceria da Folha de S.Paulo e da TV Globo, é de dois pontos percentuais para mais ou menos. O nível de confiança é de 95%. Levantamento registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo BR 04023/2018.

21 comentários

  • Correção do IR agora em campanha pode.

    EM CAMPANHA TUDO PODE
    PT promete isentar do Imposto de Renda quem ganha até 5 salários mínimos, hoje o valor é de R$ 1.903,98, e passaria para R$ 4.770,00, ou seja, a proposta mais do que dobra.
    Existe uma defasagem de 88.4% na tabela do IR.
    Vejam bem, essa tabela não é corrigida desde os governos do PT, DOIS governos de Lula e também nos governos de Dilma Rousseff.
    Se a correção tivesse sido aplicada nos integralmente nos governos do PT, a isenção para tem renda mensal de até R$ 3.556,00 (3,7 mínimos).
    Ou seja, agora em campanha essa correção pode ser feita, porque já não as fizeram quando eram governo ?.
    Iria faltar dinheiro para roubarem mais né seus PeTralhas.

  • Para onde vão os Lulistas

    Como Lula não é candidato. Todos sabem porque. A mídia está cansada de dizer. Nas pesquisas sem Lula, Marina dobra a sua votação. Ela é a maior beneficiada pelos eleitores petistas. Ela deverá ir ao segundo turno graças a eles.
    O candidato indicado por Lula (não do gosto do PT), chamado de poste, o ex prefeito Haddad chega a 4%, nas atuais pesquisas. Não chegará ao 2o. turno pois ele não é do gosto dos lulistas. Petista está em extinção!
    Um dado importante é que Bolsonaro e Lula tem os maiores índices de rejeição. Na pesquisa, quem chegar ao 2o. turno contra Bolsonaro, ganha!

  • Mais um com problema na candidatura

    Mais um PeTralha tem problema com sua candidatura, desta vez é o nobre senhor Lindbergh Farias, busca vaga no senado federal, são problemas antigos, suas contas foram rejeitadas quando foi prefeito de São Gonçalo, e agora o MP entrou no cenário para CASSAR a candidatura do nobre postulante ao cargo de senador.

  • vizinhodoaeroportoCULTO

    Nossa esse blog já é partidário normalmente.

    Nessas eleições com o sapo barbudo enjaulado vocês estão demais.

    Quem defende LULA deveria defender MARCOLA, BEIRA-MAR etc.

  • Cidadao

    Para de sonhar. Preso nem concorrerá às eleições.

  • Porque ALCKMIN

    PORQUE GERALDO ALCKMIN.
    Comparativos entre Alckmin e Bolsonaro:
    Geraldo Alckmin = Médico.
    Foro privilegiado = Não.
    Processos Judiciais = Nenhum.
    Privilégios = Nenhum.
    Patrimônio = R$ 1.379 milhões.
    TRAJETÓRIA POLÍTICA
    1973 / 1977 = Vereador em Pindamonhangaba.
    1977 / 1982 = Prefeito de Pindamonhangaba.
    1983 / 1987 = Deputado Estadual.
    1987 / 1995 = Deputado Federal.
    1995 / 1998 = Vice Governador.
    1999 / 2001 = Vice Governador.
    2001 / 2002 = Governador de SP (após falecimento de Covas).
    2002 / 2006 = Governador de SP.
    2011 / 2014 = Governador de SP.
    2015 / 2018 = Governador de SP.
    E OUTROS VÁRIOS CARGOS.
    Como Governador São Paulo:
    EDUCAÇÃO:
    98.8% das crianças de 6 a 14 anos estão na escola.
    95% das crianças até 8 anos sabem ler e escrever.
    E VÁRIOS OUTROS QUESITOS.
    SEGURANÇA:
    São Paulo é o Estado Brasileiro com menor índice de violência.
    35 aeronaves, 436 câmeras e 20 mil viaturas.
    120 mil policiais, efetivo comparável a Marinha e a Aeronáutica juntas.
    72% de redução dos homicídios desde 1999.
    HABITAÇÃO:
    MEIO MILHÃO de moradias, mais que toda a população de Santos.
    E VÁRIOS OUTROS QUESITOS
    TRANSPORTES:
    3 de 4 pessoas que usam transporte metrô-ferroviario no Brasil estão em São Paulo.
    E VÁRIOS OUTROS QUESITOS
    SERVIÇOS:
    Poupatempo com 43 unidades, com 99% de aprovação pela população.
    VÁRIOS OUTROS QUESITOS

    Bolsonaro = Ex-militar.
    Foro privilegiado = Sim.
    Processos Judiciais = Verifique a página Judicial.
    BOLSONARO já é réu em duas ações penais no STF.
    E VÁRIOS OUTROS PROCESSOS.
    Patrimônio = R$ 2,3 MILHÕES, isso como Deputado, não seria muito dinheiro ?.
    TRAJETÓRIA POLÍTICA:
    1988 = Vereador.
    1990 / 2014 – SETE mandatos como Deputado Federal.
    Projetos Aprovados / DOIS.
    1 – Prorrogação sobre o IPI.
    2 – Autorização do uso da pílula EXPERIMENTAL do câncer.

    ENTÃO, comparar o que, olha o que um realizou, e o outro.
    Por estes motivos que sou com muito ORGULHO, Alckmin futuro presidente do do Brasil.
    OBS: Somente para os desinformados, quando esteve inaugurando um dos trechos da duplicação da Euclides da Cunha, PROMETEU e CUMPRIU, não teria cobrança no seu governo, de Santa Clara D’Oeste A Mirassol tem pedágio ?.
    ESTE É O FUTURO PRESENTE DO NOSSO QUERIDO BRASIL, que tem solução sim

  • elias

    Claro, tudo farinha do mesmo saco. Ciro como sabe que os eleitores do PT são Maria vai com as outras, não foi bobo e já saiu falando que único jeito do Molusco sair da cadeia seria ele ganhando. Com isso a manada vota nele.

  • BEIJOQUEIRO já em ação.

    Marketing do BEIJOQUEIRO já em ação, ali nas proximidades da Polícia Judiciária, uns 20/30 pessoas com bandeiras.
    BOM para a cidade carente de empregos
    Quem sai na frente, bebe água limpa.

  • Moses

    PORQUE GERALDO ALKIMIN:– despreparado olha porque NÃO ALKIMIN O HOMEM QUE ROUBOU 200 MILHÕES DA MERENDA ESCOLAR DE SÃO PAULO.: AS CORRUPÇÕES OU ROUBO DE ALKIMIN:
    ALKIMIN LADRÃO NÃO VOTA NELE
    ********Mais um escândalo envolvendo governos tucanos veio à tona. Desta vez, a acusação é o superfaturamento em contratos para o fornecimento de merenda escolar à Secretaria de Educação e mais 22 prefeituras do estado de São Paulo. Em delação, na “Operação Alba Branca”, dirigentes da Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (COAF) citaram o deputado Fernando Capez (PSDB-SP), presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), e o ex-chefe de gabinete da Casa Civil do Governo Alckmin, Luiz Roberto dos Santos, o Moita, como participantes do esquema. Ambos negam.

    Segundo denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o superfaturamento chegava a 25% no valor de cada contrato firmado entre a cooperativa e o setor público. O dinheiro era escoado do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O MPE aponta, ainda, o pagamento de propina pela Coaf para burlar a disputa com outras cooperativas no fornecimento da merenda. A fragilidade na fiscalização do Governo Alckmin já havia sido denunciada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Em artigo publicado no Diário do Centro do Mundo e republicado aqui, na Carta Maior, Mauro Donato detalha o esquema.
    Com apoio da mídia e folgada maioria entre os parlamentares na Alesp, os tucanos têm trânsito livre para comandar e derrubar investigações e CPIs na Casa legislativa. Uma verdadeira “operação abafa” como comprova o destino dos principais escândalos envolvendo os governos de Mário Covas (1995 a 2001), Geraldo Alckmin (2001-2006 / 2011 até hoje) e José Serra (2007 a 2011). Confiram alguns:

    1 – Crise no abastecimento de água. Ocultamento de informações e da real situação da crise de abastecimento de água em São Paulo, durante a disputa eleitoral de 2014. Os gastos com publicidade saltaram, enquanto se mantinha o discurso da ausência de racionamento, à revelia do que atestava a população nas periferias. Ficou patente a má gestão e a omissão dos governos Alckmin e Serra diante dos alertas sobre riscos no Sistema Cantareira, como, por exemplo, o alerta da Fundação de Apoio à USP, em 2009 (FSP, 13.03.2014). Em meio à crise, também foi denunciado, pelo MPE, o favorecimento de 13 empresas de engenharia em contratos realizados pela Sabesp, entre 2008 a 2013, no escopo do programa de redução de perdas de água no estado (OESP, 21.05.2014).
    Com ativos privatizados na Bovespa e na Bolsa de Nova York, em março de 2015, Alckmin anunciou o pagamento de uma dívida de R$ 1 bilhão para cobrir os rombos financeiros da “estatal”. A crise escancarou a quem realmente serve a “estatal” tucana. Criada na Câmara Municipal de São Paulo, a CPI da Sabesp defendeu a necessidade de criação de uma autoridade fiscalizadora municipal para monitorar a política de saneamento básico. Autoridades tucanas permanecem intocáveis. Alckmin, inclusive, foi agraciado com o “Prêmio Lucio Costa de Mobilidade, Saneamento e Habitação”. O documentário “O escândalo da Sabesp” produzido pelo Diário do Centro do Mundo detalha as irregularidades na “estatal” tucana.
    2 – Socorro à Folha, Estadão e Veja. Gastos de mais de R$ 3,8 milhões na compra de 15.600 assinaturas da Folha, Estadão e Veja, utilizando-se verbas do orçamento da Secretaria de Educação. As assinaturas foram destinadas às escolas da rede estadual de ensino em um projeto chamado “sala de leitura”, como mostra a reportagem publicada por Altamiro Borges do Centro de Mídia Barão de Itararé.
    3 – Propinoduto tucano. O esquema envolvendo multinacionais da área de transporte sobre trilhos em sucessivos governos tucanos – desde 1998 – veio à tona em meados de 2012. Documentos encaminhados pela Justiça Suíça ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) apontavam fraudes em licitações de trens e metrôs, pagamento de propina, superfaturamento de obras e subcontratação de empresas derrotadas em concorrências. O escândalo só foi descoberto porque a Siemens estava sendo investigada pela Justiça suíça. Reportagem da Isto É (16.08.2013) apontava que na delação da multinacional, foram citados nomes de várias autoridades tucanas, como os secretários de Transporte Metropolitano, José Luiz Portella (Governo Serra) e Jurandir Fernandes (Governo Alckmin). Entre 2008 e 2013, segundo reportagem da Rede Brasil Atual, mais de 15 representações haviam sido encaminhadas aos ministérios públicos Estadual e Federal pela oposição paulista. Entre os indiciados até agora estão os executivos das empresas envolvidas.
    4- Pedágios abusivos e concessões de Rodovias. Irregularidades e distorções nos contratos de concessão das rodovias de São Paulo, gerando preços exorbitantes na cobrança dos pedágios – o estado cobre a mais alta taxa no país. Em maio de 2014, durante a CPI dos Pedágios na Alesp, além dos preços elevados, a oposição colocou em suspeita contrações de consultorias pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), que representavam 2/3 da receita da agência. Também foi questionada a prorrogação de contratos firmados em 1998 – assinada em aditivos no final de 2006 – permitindo às concessionárias o direito de estenderem concessões, com base em novos tributos que passaram a incidir após a assinatura dos contratos. Presidida pelo tucano Bruno Covas (PSDB-SP) – e com maioria da base aliada – a CPI foi esvaziada e concluiu não haver nenhuma irregularidade nos contratos.
    5 – Nova Marginal Tietê. Em 2012, no escopo das investigações sobre o bicheiro Carlinhos Cachoeira, o ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, mais conhecido como Paulo Preto, tornou-se suspeito por contratos firmados entre a Dersa e a Delta Construções. Quando da denúncia, Alckmin afirmou sobre os contratos à Folha: “Nem sei se tem, se tem são ínfimos”. Porém, levantamento do blogTransparência SP apontava que, de 2002 a 2011, a Delta Construções havia fechado pelo menos 27 contratos com empresas e órgãos públicos do governo do Estado de São Paulo.
    Entre os contratos suspeitos: a ampliação da Nova Marginal Tietê. Com valor previsto em R$ 1 bilhão, em 2008; a obra superou o valor de 1,75 bilhão, sem estar concluída. A Delta venceu a concorrência do segundo lote da Nova Marginal Tietê, recebendo aditivos de R$ 71 milhões que despertaram denúncias no MPE. Entre os suspeitos, estava seu ex-diretor-executivo Fernando Cavendish, suspeito de ter fraudado a concorrência. Parlamentares da oposição ao governo paulista também protocolaram um requerimento no Ministério Público para investigar o aumento dos valores na obra da empreiteira, denunciando outros consórcios entre órgãos públicos do estado e a Delta: um total de R$ 800 milhões – R$ 664 milhões celebrados na gestão Serra e R$ 140 milhões na gestão Alckmin.
    6 – Rodoanel 1. Em 2010, durante as investigações da Construtora Camargo Corrêa, no escopo da Operação Castelo de Areia, a PF encontrou um pen drive e documentos que indicavam o pagamento de propina pela empreiteira a autoridades tucanas. Reportagem da revista Época (14.05.2010) apontava que entre os nomes citados pela PF estavam Arnaldo Madeira, ex-chefe da Casa Civil (Governo Alckmin), responsável pela checagem das obras do Rodoanel e do Metrô; Luiz Carlos Frayze David, presidente do Metrô entre 2003 e 2007; e o ex-diretor da Dersa, Paulo Preto. Coordenador do programa de governo de Aécio Neves na última eleição, Madeira negou ter recebido dinheiro ou doações de campanha da empreiteira. Luiz Carlos saiu do governo 40 dias após o acidente nas obras da Estação Pinheiros. Já o ex-diretor da Dersa, Paulo Preto – acusado naquele ano de ter desaparecido com cerca de R$ 4 milhões da campanha de Serra – foi demitido oito dias após a inauguração do trecho sul do Rodoanel. No dia 5 de abril de 2011 a operação Castelo de Areia foi anulada pela 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça.

    7 – Rodoanel 2. Em novembro de 2009, três vigas de um viaduto em obras no trecho sul do Rodoanel caíram sobre a Rodovia Régis Bittencourt, na cidade de Embu. Técnicos do TCU haviam soltado um laudo, em abril daquele ano, denunciando superfaturamento na construção do trecho sul do Rodoanel, incluindo compras com valores, em média 30% acima do orçamento. O laudo apontava, também, alteração de métodos construtivos pelas empresas para reduzir custos: por exemplo, a diminuição do número de vigas utilizadas. A oposição tentou emplacar uma investigação, denunciando a “pressa” do então governador José Serra em inaugurar o Rodoanel em março de 2010, ano eleitoral. Dois anos depois, o TCU aceitou as explicações dadas pelo Governo do Estado e pela Dersa, comandada à época, por Paulo Preto.
    8 – Caso Alstom. Em 2008, documentos da Justiça suíça, enviados ao Ministério da Justiça do Brasil, evidenciavam o pagamento sistemático de propinas pela empresa francesa a autoridades dos governos tucanos. Entre 1998 a 2001, o dinheiro foi repassado por empresas offshore (paraísos fiscais), em troca da assinatura de contratos no setor energético paulista. Um dos engenheiros da Siemens apontava o sociólogo Claudio Mendes, assessor de Covas e secretário-adjunto de Robson Marinho (Casa Civil), como intermediário nas negociações. À frente da Secretaria de Energia, na época dos contratos, estiveram David Zylbersztajn, genro do ex-presidente FHC; o deputado Andrea Matarazzo; e Mauro Arce, ex-secretário estadual dos Transportes. José Serra se esmerou para bloquear a CPI,impedindo que as ligações entre Alstom e Governo fossem investigadas ou mesmo discutidas.
    A multinacional francesa fechou um acordo na Justiça, aceitando pagar R$ 60 milhões para se livrar do processo. Robson Marinho, um dos fundadores do PSDB e chefe da Casa Civil de Covas, permanece como o réu na ação do Ministério Público, como destaca a Folha de S. Paulo (22.12.2015).
    9 – CPI da Eletropaulo. Privatizada em 1998, a Eletropaulo foi vendida para o consórcio Lightgás, liderado pela AES Corporation, por R$ 2 bilhões – parte do valor financiado pelo BNDES. À frente da negociação, estava o governador Geraldo Alckmin, na época presidente do Programa Estadual de Desestatização (PED) do Governo Covas. Após a demissão de metade dos funcionários da estatal e das suspeitas sobre o baixo valor da venda, parlamentares da oposição tentaram instalar uma CPI. Apenas em 2008, após o escândalo Alstom vir à tona, ela pode ser instalada. Além do baixo preço da venda, os deputados denunciavam (veja aqui) ilegalidades formais e improbidade administrativa praticada pelo BNDES na concessão do empréstimo. Os parlamentares também pediam que se incluísse a Alstom no bojo das investigações. A CPI foi encerrada naquele, sem mencionar a multinacional francesa em seu relatório. Em 2013, nova tentativa de investigação foi enterrada pelos deputados da situação na Alesp.
    10 – Cartões de Pagamento. Em 2008, no auge das denúncias sobre cartões corporativos do Governo Federal, a Folha de S. Paulo trouxe uma matéria apontando que o Governo Serra havia gastado R$ 108,3 milhões em cartões de pagamento de despesas. A denúncia motivou o primeiro pedido de CPI da bancada petista naquele ano, enterrada pela situação na Alesp. Três anos depois, outra reportagem do jornal, afirmava que em dez anos, o Governo paulista gastara R$ 609 milhões em cartões de pagamento. “O valor é 70% maior que o registrado pelo governo federal no período”, afirmava o texto.
    11 – Cratera do Metro. Em novembro de 2004, começaram as obras da Linha 4 – Amarela do Metrô, com previsão de inauguração em 2008. Em janeiro de 2007, porém, ocorreu um desmoronamento vitimando sete pessoas e abalando a estrutura de vários imóveis na região. Dados do Sindicato dos Metroviários, à época, apontavam a existência de 11 acidentes desde o início das obras na Linha 4, um deles com vítima fatal. Em junho de 2008, laudo do Instituto de Pesquisa Tecnológicas (IPT)denunciava a execução inadequada do projeto, culpando o Consórcio Via Amarela pelo acidente. Em agosto de 2008, o laudo final do Instituto de Criminalística (IC) apontava falhas na fiscalização do Metrô. O processo foi lentamente arrastado pela Justiça paulista. Reportagem da Rede Brasil Atual, em 2014, denunciava a impunidade e o fato de ninguém ter sido julgado pelas mortes.
    12 – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). A Operação Pomar, deflagrada em 2007, apontava um esquema de superfaturamento e fraudes em licitações para construção de casas em 23 municípios paulistas. A partir do exame do livro-caixa da empreiteira FT Construções,entre os suspeitos estavam prefeitos, vereadores, empresários, diretores da CDHU e o ex-secretário de Habitação de Alckmin, Mauro Bragato, absolvido pelo Conselho de Ética da Alesp.
    Em novembro de 2007, o Legislativo paulista chegou, inclusive, a mudar pareceres do TCE que indicava irregularidades em quatro obras das gestões Alckmin e Covas. O novo parecer do TCE foi elaborado por Bruno Covas (PSDB), neto do ex-governador que afirmara ser obrigação do Legislativo analisar os casos julgador irregulares pelo TCE, referendando ou reformando a decisão. Houve uma CPI da CDHU, mas sob a presidência do deputado José Augusto (PSDB) e sem dar o prazo necessário às investigações, como demandavam os parlamentares da oposição, ela foi encerrada em 2009.
    13 – CPI das obras do Tietê. Em 2005, o rebaixamento da calha do Tietê foi tema de várias reportagens questionando os gastos acima de R$ 1 bilhão, a partir de aditivos e acréscimos aos valores iniciais do empreendimento. O acerto prévio pelo financiamento do JBIC (banco japonês), garantia que não seriam toleradas elevações de preços superiores ao limite legal de 25%. O Governo Alckmin, porém, fez alterações no contrato da obra, contratou consultorias, aumentando os valores iniciais em 148%, como denunciava reportagem da FSP. A oposição tentou instaurar uma CPI, mas jamais conseguiram.
    ESSAS SÃO SÓ ALGUMAS LADROEIRA DE ALKIMIN DO PSDB POR FAVOR VOTEM EM QUALQUER CANDIDATO MENOS EM CANDIDATO, QUE É O PARTIDO MAIS CORRUPTO DA POLITICA BRASILEIRA QUE É O PSDB.
    ***ENTENDEU SR. PORQUE ALKIMIN.

    • Porque ALCKMIN

      Só porque o seu candidato esta trancafiado, te entendo, nem irei perder meu precioso tempo em ler tanta besteira.

    • Porque ALCKMIN

      Só tem uma PEQUENINA diferença:
      Enquanto o MEU candidato esta fazendo campanha Brasil a fora, o SEU candidato esta comendo quentinha atrás das grades, como disse, existe uma PEQUENINA diferença entre nossos candidatos.

  • Moses

    Porque Alkimim***** neste país existe bobo para tudo, existe imbecis que acreditam até em Papai Noel, como você, além do mais uma pessoa desqualifica como tu não pode dizer que meu candidato esta comendo quentinha atrás das grades, enquanto o seu esta fazendo campanha e mesmo assim olha como saiu a ultima pesquisa Data Folha e Ibope pedida pela Rede G:lobo:—

    ***Pesquisa Datafolha: Lula, 39%; Bolsonaro, 19%; Marina, 8%; Alckmin, 6%; Ciro, 5%
    Alvaro Dias tem 3% e Amoêdo, 2%. Meirelles, Boulos, Daciolo e Vera têm 1% cada. Demais candidatos não atingem 1%. Levantamento foi feito entre os dias 20 e 21 e ouviu 8.433 eleitores em 313 municípios.
    Outra vez:—–

    Estimulada
    Lula: 37%
    Jair Bolsonaro: 18%
    Marina Silva: 6%
    Ciro Gomes: 5%
    Geraldo Alckmin: 5%
    Alvaro Dias: 3%
    Eymael: 1%
    Guilherme Boulos: 1%
    Henrique Meirelles: 1%
    João Amôedo: 1%
    Cabo Daciolo: 0%
    Vera: 0%
    João Goulart Filho: 0%
    Brancos/Nulos: 16%
    Não sabe/não respondeu: 6%
    Otário imagina se o Lula estivesse em campanha? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Aproveitando seu Boiola olha a pesquisa para o Senado em Minas Gerais:——-

    ELEIÇÕES 2018 EM MINAS GERAIS PARA O SENADO:—–

    *******Pesquisa Datafolha para o Senado em Minas Gerais: Dilma, 25%; Viana, 11%; Lacerda, 8%; Lopes, 8%
    Damasceno tem 7%, Paiva, 6%, Portugal, 6%, Pacheco, 6%, Martins, 6%, Pinheiro, 5%, Ana Alves, 5%. Os demais candidatos têm até 2%. Levantamento foi feito nos dias 20 e 21 de agosto.
    GOSTOU OU QUER MAIS?kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Porque ALCKMIN

      PRIMEIRO:
      Lula e presidiário, não esta concorrendo A NADA.
      SEGUNDO:
      Meu voto para senador é o COVAS, não voto em MG.
      TERCEIRO:
      Respeite o meu voto, estamos em um país AINDA livre e democrático.
      QUARTO:
      Babaca e idiota, deve ser você e a sua prole.
      QUINTO:
      Posso ser boiola, más a sua família da ala feminina dorme comigo todos as noites, porque você já encerrou a sua carreira sexual.
      Pragiando você:
      GOSTOU OU QUER MAIS.

  • Moses

    Porque ALKIMIM BOIOLA DUAS VEZES OLHA A PESQUISA PARA GOVERNADO, VEJA SE ESTA FÁCIL COMO O IMBECIL PENSA:——–

    Doria tem 19%, Skaf, 18%, e Márcio França, 5%, aponta pesquisa Ibope para governador de SP
    Luiz Marinho (PT) aparece com 4%, Lisete Arelano (PSOL), 3%, Rodrigo Tavares, 2%, e Rogério Chequer, 1%. Instituto ouviu 1.008 eleitores; margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.
    Por G1, São Paulo

    Atualizado 29/06/2018 22h42

    A Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (29) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para o governo de São Paulo:

    João Doria (PSDB): 19%
    Paulo Skaf (MDB): 18%
    Márcio França (PSB): 5%
    Luiz Marinho (PT): 3-4%
    Professora Lisete Arelaro (PSOL): 3%
    Rodrigo Tavares (PRTB): 2%
    Rogerio Chequer (Novo): 1%

    Trouxa pesquisa antes de escrever, para não passar vergonha

  • Moses

    Porque Alkimim—— meu caro tu és verdadeiramente um babaca. Não quer você devolver os 200 milhões que o Alkimim , seu Cunhado e o Presidente da Câmara dos Deputados Estaduais de São Paulo, roubaram da MERENDA ESCOLAR DO ESTADO?

    Escândalos de corrupção envolvendo tucanos comprometem a empacada candidatura de Geraldo Alckmi
    Incompetente durante mais de uma década como partido de oposição, o PSDB tenta se reinventar às presas na esperança de colher bons resultados nas eleições de outubro próximo. Cercados por escândalos de corrupção que brotam de todos os lados, os tucanos fingem ignorar o assunto, como se a legenda fosse blindada contra esse tipo de situação.
    Na contramão da realidade, o ex-governador Geraldo Alckmin, presidente nacional do PSDB, tenta impulsionar sua candidatura rumo ao Palácio do Planalto, mas os números das mais recentes pesquisas de opinião mostram que a tarefa será árdua, sem garantia de sucesso. Ou seja, Alckmin corre o risco de tropeçar nas urnas.
    Em matéria publicada anteriormente, o UCHO.INFO afirmou que em termos políticos a melhor saída para Geraldo Alckmin seria concorrer ao Senado Federal, deixando a disputa pela presidência aos que têm prometido aquilo que será impossível cumprir. A economia brasileira recupera-se em velocidade extremamente lenta, situação que faz mais carrancudo o horizonte nacional. E o próximo inquilino do Palácio do Planalto terá sobre a escrivaninha presidencial um sem fim de “abacaxis” a serem descascados.
    Acusado por delatores da Operação Lava-Jato de ter recebido contribuição de campanha não contabilizada por meio do cunhado, Alckmin deu-se bem quando o caso foi considerado “caixa 2” e remetido à Justiça Eleitoral. O caminho fica livre, mas a mácula não sairá tão fácil até a corrida presidencial. Afinal, “caixa 2” é crime e ninguém garante que o dinheiro doado não era fruto de propina.
    Como se não bastasse, o PSDB enfrenta problemas em outras frentes. Em Minas Gerais, um dos maiores colégios eleitorais do País, o tucanato está às voltas com a situação de Eduardo Azeredo, que no Superior Tribunal de Justiça (STJ) teve negado pedido de liminar para suspender os efeitos da condenação à prisão (20 anos e 10 meses) por envolvimento no escândalo conhecido como “Mensalão Mineiro”.
    Ainda em Minas, o PSDB tenta desatar um nó que pode não apenas piorar a difícil situação da legenda, mas despejar mais empecilhos sobre a candidatura de Geraldo Alckmin. O ex-governador paulista tenta convencer Aécio Neves a desistir da reeleição, mas não tem obtido sucesso. Há dias, Aécio tornou-se réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção e obstrução à Justiça.
    CHEGA POIS NÃO TENS PREPARO PARA DISCUTIR POLITICA .

  • Moses

    PORQUE ALKIMIM O BOBO, SAIU NO GLOBO NA FOLHA E NO FACEBOOK :—–

    Justiça de SP condena João Doria à suspensão dos direitos políticos
    Candidato ao governo do estado pelo PSDB foi denunciado por improbidade administrativa no uso do símbolo ‘SP Cidade Linda’ em ações da prefeitura. Doria diz que vai recorrer.
    A juíza Carolina Martins Cardoso da 11ª Vara da Fazenda Pública condenou nesta sexta-feira (24) o candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, João Doria, à suspensão dos direitos políticos por 4 anos. A decisão foi publicada no site do Tribunal de Justiça de São Paulo. Cabe recurso. A assessoria diz que Doria vai recorrer.
    TAMBÉM É CORRUPTO SR. PORQUE ALKIMIM?

    • Porque ALCKMIN

      Quantos milhões que o Dória esta sendo acusado de ter roubado dos cofres públicos ?, NENHUM centavo seu ignorante, ele esta sendo acusado de uso da sua imagem, e o fez muito bem, todos fazem isso, a nobre juíza acusou ele de roubo ?.
      Ele não é PeTralha, seu trouxa.

  • Moses

    PORQUE ALKIMIM;—

    Primeiro*** Lula até agora é candidato e esta concorrendo e esta com 37% dos votos e Bolsonaro 18% enquanto Alkimim tem 5%.
    Segundo*** meu voto para senador é em Suplicy e se votasse em Minas seria Dilma já eleita e coloquei Dilma para lhe mostrar o que é Lula mesmo preso e Dilma seu Noia.
    Terceiro*** nunca escrevi ou disse que não respeito seu voto, pois como psicopata que tu és pode votar em quem quiser.
    Quarto*** Babaca e idiota é realmente você um irracional que vive sim em uma prole dentro de um curral, pois és um Burro pois nasceste do cruzamento de uma Mula ( sua mãe ) com um Cavalo ( seu pais. ).
    Quinto***Você é realmente um Boiola irracional que vive em uma prole
    dentro de um curral com a mamãe ( a Mula), com o papai ( o Cavalo), o Jumento seu parente mais próximo ( Irmão ou Esposa), pois nada mais é que um animal, tornando-se um asnático,um estupido e grosseiro,
    estupido.
    Como é que minha família composta de seres humanos racionais, com QI elevados, neurônios em seus devidos lugar pode passar a noite com um Burro bicha, que queima a rosca, mais conhecido entre sua gangue de irracionais como biba ou frozô, que ao relinchar solta merda para todo lado.
    Gosto ou quer mais bibinha. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.
    Seu Bicha Burro veja a pesquisa do Ibope, Folha encomendada pela Rede Globo:
    ***Pesquisa Ibope para o Senado em São Paulo: Suplicy, 29%; Mário Covas, 16%; Major Olimpio, 15%
    Cidinha e Tripoli têm 6%; Dra. Eliana Ferreira e Mara Gabrilli, 4%. Levantamento foi feito nos dias 23 e 24 de agosto.

  • zecolmeia

    Quando virar filme essa briga de vocês, eu assisto pq os textos estão muito grande.

  • Moses

    PORQUE ALKIMIM apesar de continuar achando você um ser Irracional e não ter argumentos e nem inteligência para discutir assuntos políticos pois ainda é um és um doente entorpecido e mórbido que não pensa antes de agir ou expressar opiniões, através de texto, resolvi lhe responder estas besteiras que me escreveste: ” Quantos milhões que o Dória esta sendo acusado de ter roubado dos cofres públicos ?, NENHUM centavo seu ignorante, ele esta sendo acusado de uso da sua imagem, e o fez muito bem, todos fazem isso, a nobre juíza acusou ele de roubo ?.
    Ele não é PeTralha, seu trouxa.
    Então aqui vai minha resposta depois de pesquisar muito sobre a vida pregressa desse corrupto irracional igual a ti, pois corrupto é corrupto não adiantando o que o mesmo fez, seu ignorante:.sabe o que significa o que vai abaixo: predominância do capitalismo, dos empresários, sonegação da direita fascista, da privatização da corrupção e roubo sem ser processado pelo poder judiciário corrupto, que ao invés de julgar com provas julga com convicção e politicamente
    Desenvolvo nesse texto com a ajuda do Google, do Estadão, da Carta Capital e da Folha de São Paulo, porque não votar nessa “renovação à direita”, milionária, sonegadora de impostos e louca pela retomada das privatizações, que o PSDB esta propondo para São Paulo e o Brasil.Essas eram as idéias e algumas corrupções de Dória antes de assumir o governo de São Paulo.
    Será que um Asno igual a você conseguira entender o que aqui vai escrito?

    1. O empresário da sonegação
    O candidato que vangloria a meritocracia, é envolvido em um grande esquema de corrupção internacional com sonegação de impostos, chamado “Panamá Papers”, através de uma empresa offshore, um tipo de empresa formada em paraísos fiscais, como Panamá, feita para sonegar imposto
    Assim Dória comprou um apartamento em Miami de US$ 231 mil, sem que a propriedade aparecesse em seu nome. Embora tenha declarado um patrimônio de R$ 179 milhões, o candidato do PSDB omitiu o apartamento de Miami e sua casa, em São Paulo, também foi declarada por um quarto do valor real, que é de R$ 45,9 milhões. O tucano acumulou sua riqueza, através de corrupção e sonegação de impostos, esse é o grande orgulho do “esforço individual” do candidato empresário.
    2. Palácio particular
    Na semana em que ocorre um grande incêndio em uma favela em Osasco, é interessante saber que o candidato do PSDB goza para si mesmo de uma casa de 3.304 metros quadrados construídos e 7.883 metros quadrados de terreno, com piscina e quadra de tênis, a área de lazer com campo de futebol gramado e iluminado. Estimada em R$51 milhões (valor de IPTU e não do mercado) em bairro nobre Jardim Europa, bairro este onde nunca ocorre incêndios. O valor real, sem sonegação de impostos deve ser várias vezes maior que o valor que ele declara no IPTU.
    3. Aos sem teto promete repressão
    Enquanto esbanja seus luxos, Dória promete à população sem teto e carente que “não terá nenhuma tolerância”: garantiu que movimentos de moradia que “invadem propriedade”, como o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), não terão tratamento de diálogo em sua gestão. Para o empresário moradia não é problema, mas para mais de 2 milhões de moradores de favelas segundo dados de 2010, os 15.905 moradores de rua em 2015 o tucano reserva-lhes a continuidade de uma vida precária, e com muita repressão a possíveis manifestações (como havia dito o ex-secretário de segurança pública, agora ministro da Justiça tucano, Alexandre de Moraes).
    Essa é a igualdade de direitos que o PSBD: todo culto e defesa da grande propriedade particular, as custas da precariedade de vida de milhões de pessoas.
    4. Quer que as pessoas trabalhem de graça
    Mas não esqueçamos sua “genial” proposta para as periferias: “retomar os mutirões pelas periferias, juntando moradores para pintar paredes de escolas, capinar pracinhas. “O nome do programa vai ser Mutirões Mário Covas” – talvez uma homenagem ao tucano envolvido no esquema de fraude de licitações no metrô de SP. Sem resolver os principais problemas da população, Dória como bom empresário, propõe explorar o trabalho da população sem pagá-los para manter os prédios públicos, trabalho que deveria ser feito por funcionários pagos e com carteira assinada e todos os direitos.
    5. Empresário, como de hábito, corrupto
    Apesar do PSDB ter escolhido uma figura com pouca trajetória política, Doria já tem casos de corrupção no prontuário: foi acusado de receber um cheque de R$ 20 mil em dezembro de 2013 de uma empresa investigada pela Operação Lava Jato. O nome do tucano aparece uma vez em um extrato bancário da Link Projetos e Participações Ltda., sob suspeita do Ministério Público Federal de ser usada pela empreiteira Engevix para pagar propina ao almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, ex-presidente da Eletronuclear preso em 2015 pela Força-Tarefa.
    6. “Sou um empresário” rico e explorador
    João Dória é o candidato mais rico de toda a eleição. Na lista de bens estão cinco casas, nove empresas, dois Porsches, duas Pajeros, além de obras de arte e investimentos no Brasil e nos Estados Unidos, isso no que ele declara, imagina se contar o que está escondido na offshore da Panama Papers. Acionista de uma produtora de televisão, da empresa de comunicação Dória Associados e da Dória Associados Editora, que publica sete revistas de economia, negócios e estilo de vida. Entre suas empresas estão também um shopping center e um centro de convenções na cidade de Campos do Jordão, no interior paulista. Um verdadeiro magnata a la Donald Trump, que sem dúvida representará os ricos e milionários.
    7.São Paulo globalizada tem que ter promoção, tem que ter “Black Friday”
    Apesar de não querer se pronunciar sobre a politica nacional e o golpe institucional, suas propostas práticas mostram o acordo completo. Dória quer privatizar desde o sistema funerário, aos corredores de ônibus, parques e “o que mais estiver à frente”. Estão na sua lista também o complexo poliesportivo do Pacaembu, o parque de convenções do Anhembi e ainda a venda do autódromo de Interlagos. Prometeu até mesmo implantar um pedágio urbano na capital.
    8. Estado mínimo para a população, e muito para empresários
    O candidato defende o Estado mínimo “a Prefeitura vai vender tudo aquilo que não for essencial para a gestão pública”. Para o mesmo a privatização é uma mostra de que o “Estado não pode e não deve estar onde ele não é necessário. Quem deve administrar estes locais é o setor privado”. Dória indica que vai ser o candidato “sério” para garantir os lucros das empresas. O “estado mínimo” encontra seu limite na repressão, que será “generosamente distribuída a todos” (que protestare
    9. Repressão em dobro
    Doria propõe integrar as polícias Militar e Civil à GCM (Guarda Civil Metropolitana). Segundo a Secretaria Municipal de Segurança Urbana, a Cetel e o Copom já estão operacionalmente integrados desde 2010. Ou seja, a proposta de Dória vai além da já repressiva GCM. Lembremo-nos desta na gestão Haddad (PT) retirando os cobertores e reprimindo os moradores de rua em pleno inverno. O tucano deixa implícito nessa “integração” a possibilidade da policia civil cumprir o mesmo papel da militar, uma das corporações mais assassinas do mundo.
    Em entrevista a CBN o empresário classificou o comportamento da Polícia Militar nos protestos contra o impeachment de Dilma Rousseff como “adequado”, afirmando que o “trabalho da polícia é difícil e é preciso compreender que uma situação onde haja blackblocs a polícia tem que reagir”. Ele afirmou que “pretende usar como modelo o governo Geraldo Alckmin e não o entende como autoritário”.
    10. Mais dinheiro para… os empresários da saúde e do transporte
    Assim como tudo para o tucano se responde com PRIVATIZAR, naquilo que já é privado, sempre pode se lucrar mais. A resposta às altas tarifas de ônibus, e para evitar desgastes com a juventude e os trabalhadores que sofrem com o transporte caro e lotado, Dória propõe aumentar o subsídio do estado às empresas do transporte, para “não elevar as tarifas”. Atualmente, a prefeitura paga quase R$ 2,5 bilhões às empresas.
    Para saúde, que já esta semi-privatizada com a expansão das OSs, a proposta é fazer uma parceria com as empresas de saúde privada, para que a população use os hospitais a noite e na madrugada (sic). Assim, Dória encontra a chave para os empresários da saúde terem lucros também no período noturno, quando o fluxo é menor, e a população que encontre um jeito de ir aos hospitais pela madrugada, independente da falta de transporte e de segurança.
    Meu Burrinho de carga perto de mim és um: iletrado, boçal, lerdo,lanzudo, tapado, enfim um beócio de cavalgadura.
    Chega pois cansei mina inteligência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *