A RETUMBANTE ‘RECUPERAÇÃO’ DA ECONOMIA PROMOVIDA POR TEMER & CIA

images-cms-image-000528342

Pôxa vida! Eu achava que, com a saída do PT, tudo ia melhorar. Cadê a minha panela? E aquela camisa da CBF? A notícia é do Brasil 247:

Para quem ainda não se convenceu de que o golpe parlamentar de 2016, que foi preparado pela aliança PMDB-PSDB desde a reeleição da presidente Dilma Rousseff, com apoio da Globo e demais meios de comunicação, quebrou a economia brasileira, os números divulgados nesta semana foram mais do que eloquentes.

Eis alguns deles:

1) O Natal registrou o fechamento de 18 mil lojas, queda de 9% nos shoppings e de 4,9% no comércio como um todo. Foi o pior resultado em mais de uma década (leia aqui).

2) A confiança do consumidor caiu novamente em dezembro, recuando ao menor patamar em seis meses, segundo dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (leia mais aqui).

3) O rombo fiscal, pretexto para a derrubada de Dilma, foi de R$ 38,4 bilhões em novembro, no pior resultado desde o início da série histórica (leia mais aqui). Isso significa que Temer cava rombos mensais equivalentes ao que seria o de Dilma em um ano.

Os dados sobre desemprego, que deveria cair no fim de ano, serão divulgados na quinta-feira – e tudo indica que será mais um dos desastres de Temer, que está no poder há 228 dias, embora diga, em pronunciamentos oficiais, estar no comando do País há pouco mais de 100 dias.

Todos esses indicadores econômicos revelam que, se as elites que colocaram Temer no poder permitirem sua continuidade, em breve o Brasil estará discutindo moratória da dívida interna.

A recessão do golpe, que começou com a política do “quanto pior, melhor”, idealizada por Aécio Neves e Eduardo Cunha em 2015, e se aprofundou com a incapacidade de Michel Temer e Henrique Meirelles de apresentarem saídas para a crise neste 2016, poderá levar a dívida interna brasileira a 80% do PIB.

Quando Dilma se reelegeu, o que o Brasil discutia eram aumentos pontuais de impostos, como a CPMF. Depois do tsunami provocado pelo golpe, em breve estar-se-á discutindo a moratória da dívida interna, como alertou recentemente o presidenciavel Ciro Gomes.

10 comentários

  • Chega de choradeira

    Para os petistas que choram até hoje, o ponta pe do seu sócio PMDB,na roubalheira da Petrobras quero dizer que quem tirou o PT do poder não foi golpe, a Globo,a elite, os tucanos, o Temer, o Cunha..
    Foi a crise econômica, ,o desemprego ,a roubalheira na Petrobras, corrupção, etc que vemos a 2 anos, desde o governo do PT.
    Temer está a 7 meses no governo e vai demorar muito para arrumar a casa.

  • Thiago

    Resumindo : Nenhum político presta, só querem chegar ao poder pra obter benefícios próprios.

  • Chega de Choradeira ”””””’a noticia é de alguns meses atras, mas vale a pena o senhor dar uma lida, para saber um pouco dos sete meses do desgoverno do líder da quadrilha chamado Temer veja a composição do mesmo:–
    Levantamento realizado pela mídia aponta que 15 dos 24 ministros do governo Michel Temer são investigados pela Justiça ou tiveram o nome citado na Operação Lava Jato. Não fazem parte deste levantamento os ex-ministros do Planejamento e do Turismo Romero Jucá e Henrique Eduardo Alves, por já terem deixado o governo após escândalos, e o secretário do Programa de Parceria de Investimentos, Moreira Franco, por não ter status de ministro. Todos do PMDB e alvo de investigações.
    Ministros palacianos – o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, é réu em uma ação civil de improbidade administrativa na qual é acusado de ordenar o pagamento superfaturado de R$ 2 milhões a uma empresa, quando foi ministro dos Transportes do governo Fernando Henrique Cardoso (1997-2001). Na ação, ajuizada em 2003 pelo Ministério Público Federal e aceita em 2013 pela 6ª Vara Federal do DF, Padilha é apontado como “lobista” que usou do seu cargo para atender a “pleitos políticos para pagamentos absolutamente ilícitos e ainda por cima superfaturados”.
    Outro ministro palaciano, o secretário de governo, Geddel Vieira Lima, é investigado pela Operação Lava Jato. Mensagens apreendidas pela força-tarefa de Curitiba sugerem que ele usou sua influência para atuar em favor dos interesses da construtora OAS. Esse também já deixou o governo por corrupção ( compra de um apartamento na Bahia, com dinheiro de roubo).
    O secretário do Programa de Parceria de Investimentos, Moreira Franco, que também despacha do Palácio do Planalto, é acusado pelo executivo Claudio Melo Filho, ligado à Odebrecht, de ter recebido R$ 3 milhões em propina em 2014. Em troca, Moreira Franco teria enterrado o projeto para construção de um terceiro aeroporto internacional de São Paulo, no município de Caieiras, próximo a Guarulhos.
    Outros ministros – Executivos da Odebrecht afirmaram aos investigadores da Lava Jato que a campanha do hoje ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB-SP), à Presidência da República, em 2010, recebeu R$ 23 milhões da empreiteira via caixa dois. Corrigido pela inflação do período, o valor atualmente equivale a R$ 34,5 milhões. O tucano também foi alvo de investigação no caso do cartel de trens em São Paulo.
    Serra é investigado, ainda, por prática de improbidade administrativa durante a gestão como prefeito em São Paulo. A investigação envolve irregularidades como aumento salarial de professores em desacordo com lei orgânica municipal.
    O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, é investigado no mesmo processo de improbidade administrativa de Serra. Kassab também é investigado por suspeita de envolvimento no esquema de fraude na licitação da empresa Controlar.
    O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, é investigado pelo Ministério Público no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal para apurar indícios da prática do crime de lavagem de dinheiro. O inquérito do STF foi aberto em 31 de março de 2014 e tramita em segredo de Justiça.
    Sarney Filho, ministro do Meio Ambiente, é investigado pelo Ministério Público por usar passagens áreas para voar ao exterior com a mulher e o filho. Além disso, Sarney Filho foi atingido pela Lei da Ficha Limpa, mas conseguiu driblar a Justiça e se candidatar à Câmara dos Deputados. Também foi condenado, pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, a pagamento de multa por prática de conduta vedada.
    Helder Barbalho, ministro da Integração Nacional, responde por improbidade administrativa perante a 5ª Vara Federal do Pará. Uma investigação iniciada no Departamento Nacional de Auditoria do SUS constatou a irregularidade na aplicação de recursos do Ministério da Saúde em Ananindeua entre janeiro de 2004 e junho de 2007. Barbalho foi prefeito do município a partir de 2005.
    De acordo com o processo, foram destinados ao município R$ 94,8 milhões para financiar programas de saúde. Não ficou comprovado o gasto de R$ 2,7 milhões nas duas gestões. Houve também fraudes e irregularidades em licitações. O Ministério Público chegou a pedir a indisponibilidade dos bens dos investigados, mas a Justiça negou em junho de 2012. O fundamento foi o de que ainda não havia sido apurado o valor do dano causado por cada um dos suspeitos.

    O ministro dos Esportes, Leonardo Picciani, é alvo de representação do Ministério Público Eleitoral por suposta captação e gastos ilícitos na campanha de 2014.
    Saúde – O ministro da Saúde, Ricardo Barros, quando prefeito em 1990, foi condenado na 4ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do estado pela juíza Astrid Maranhão de Carvalho Ruthes, por fraude na venda de coletores e compactadores de lixo que não serviam mais para a prefeitura e seriam vendidos.
    Em 2011, Barros se licenciou do seu mandato de deputado federal para assumir o cargo de secretário da Indústria e Comércio do Paraná. Após denúncias de irregularidades na sua gestão, porém, pediu licença do governo do estado. Na época, gravações feitas pelo Ministério Público mostraram Barros sugerindo ao então secretário municipal de Saneamento de Maringá, Leopoldo Fiewski, que arranjasse um encontro para realização de acordo entre as duas empresas que participavam de um processo de licitação para publicidade da cidade. O contrato era de R$ 7,5 milhões.
    Ricardo Barros, que também é o tesoureiro-geral do PP, é investigado desde 9 de novembro no Inquérito 4.157 por corrupção, peculato e crime contra a Lei de Licitações.
    Turismo – O recém-nomeado ministro do Turismo, Marx Beltrão, é réu no STF. Beltrão responde a uma ação penal por crime de falsidade ideológica. Pela denúncia do Ministério Público, o peemedebista teria fraudado informações sobre a dívida do município com a Previdência para impedir o bloqueio da transferência de verbas da União.
    Beltrão assumiu o ministério do Turismo no lugar de Henrique Eduardo Alves que já havia deixado o cargo, em junho, após ter sido citado na delação do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, e teria recebido propina de R$ 1,55 milhão entre 2008 e 201.
    Condenado – Maurício Quintella Lessa, ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil foi condenado, em 2014, por improbidade administrativa com dano ao erário e enriquecimento ilícito. De acordo com a sentença, o parlamentar participou de esquema para fraudar licitação para aquisição de merenda e transporte escolar em troca de propina no período em que ocupou o cargo de Secretário Estadual de Educação, na gestão de seu primo Ronaldo Lessa no governo de Alagoas. Foi responsabilizado também por desvios de recursos federais para contas do governo do Estado. A Justiça determinou o ressarcimento integral, por parte de Quintella, da quantia de R$ 4.272.021 aos cofres públicos, o pagamento de multa e à suspensão dos direitos políticos pelo prazo de oito anos. Quintella recorreu da sentença. Somados todos os acusados, os valores a serem ressarcidos chegam a um total de R$ 133,6 milhões.

    Planilha – Os ministros Raul Jungmman (Defesa), Mendonça Filho (Educação), Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) e Bruno Araújo (Cidades) são citados na planilha da Odebrecht, apreendida pela Polícia Federal na sede da construtora, em março, durante a 23ª fase da Lava Jato. Em relação à Mendonça Filho, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apontou, ainda, suspeitas de pagamento de propina de R$ 100 mil, em 2014, para a campanha à reeleição para deputado federal.
    Planejamento – O ex-ministro do Planejamento, Romero Juca, também deixou o ministério do governo Temer após ser flagrado em gravação com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, articulando o fim da Operação Lava Jato. Juca está, ainda, na lista de investigados que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal no início de 2015.

    Jucá foi citado por delatores como beneficiário de um esquema de desvio na estatal. Em depoimento à Polícia Federal em fevereiro deste ano, o senador admitiu que pediu a Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia, doações para a campanha de seu filho, Rodrigo Jucá (PMDB), que foi candidato a vice-governador de Roraima. Em depoimento de delação premiada, Pessoa afirmou ter dado R$ 1,5 milhão ao PMDB de Roraima, em 2014. O empreiteiro disse, ainda, que entendeu que o pagamento estava relacionado à contratação da UTC, pela Eletronuclear, para obras da usina nuclear de Angra 3. Romero Jucá nega e atribui a doação ao “trabalho que desempenha como senador”.
    Meu caro Chega de choradeira isso só em sete meses, sem contar o próprio Temer.
    Você chora e eu dou risada kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ahahahahahahahahahahah.

    • Chega de choradeira

      Feirante
      este e’ o governo Dilma/Temer que governou o pais por 14 anos conforme acordo do PT e PMDB e comandou a política com seu voto.
      Temer era vice de Dilma, lembra?
      Agora não temos políticos honestos neste país

  • Chega de [email protected]@@@@@@quer dar um pouco de risada junto com os batedores de panelas, com algumas medidas tomas por Temer nos sete meses de seu governo::
    Medidas do Governo Temer que podem afetar a sua vida;;;;;
    Presidente Michel Temer ao lado de Eliseu Padilha e Henrique Meirelles.
    Após a primeira reunião ministerial do Governo do presidente interino Michel Temer, a nova equipe começou a anunciar as linhas gerais da nova gestão. Nesta sexta-feira, vários ministros concederam entrevistas coletivas para falar sobre os planos e medidas para os próximos meses. O primeiro a se pronunciar foi Henrique Meirelles, da Fazenda. Os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, do Planejamento, Romero Jucá, e da Saúde, Ricardo Barros, falaram em seguida. Eles sinalizaram algumas mudanças que podem afetar a vida dos brasileiros:
    Aumento de impostos
    Os brasileiros podem prepara o bolso para mais impostos. se necessários os impostos viram, mas por pouco tempo. Aumento da Gasolina ( já tiveram 3 aumentos ), aumento do gás, tivemos ( dois ).
    Mudança da idade mínima da aposentadoria, somente com 65 anos de idade e aumento no valor das contribuições.
    Meirelles disse que o Governo está estudando uma proposta de idade mínima para aposentadoria. Os brasileiros podiam se aposentar com a idade média de 55 anos. agora mulher e homens com 65 anos. Bem feito, to morrendo de rir viu Chega de Chorar.
    Corte de subsídios e “bolsa empresário”
    O novo ministro da Fazenda indicou que o Governo Temer poderá rever subsídios e incentivos dados a diversos setores, como a desoneração na folha de pagamento às empresas, durante o primeiro Governo Dilma. A redução de impostos começou no final de 2008, para tentar estimular o crescimento do país e compensar os efeitos da crise mundial. Foi estendida na sequência para incentivar as empresas e evitar demissões. Caso a desoneração seja revista, empresários podem justificar cortes por aumento de gastos.
    Programas sociais
    Apesar de ter afirmado que os programas sociais não serão cortados, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que é preciso haver uma “avaliação bastante forte e bastante cuidadosa” desse benefícios. “O fato de se manter um programa social não quer dizer que se possa manter seu mau uso”. O ministro do Planejamento, Romero Jucá, também afirmou que o Governo vai auditar os programas. O objetivo é eliminar eventuais recebimentos duplicados de benefícios.
    Sem aumento de verbas para a Saúde
    O novo ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou que não haverá mais dinheiro para a pasta neste ano. “Não vamos ter dinheiro para tudo, não vamos resolver todas as filas e as macas nos corredores, mas podemos melhorar a qualidade dos gastos e gestão”, afirmou em coletiva nesta sexta-feira. Para o ministro será necessário usar a criatividade e melhorar a eficiência do gasto do dinheiro que já existe para a área.

  • Chega de choradeira

    Feirante
    Temer está tentando limpar a sujeira que ele, Lula e Dilma deixaram para o povo pagar..
    Os petralhas fuderam o país e agora dão risada da nossa situação com 13 milhões de desempregados, juros altos recessão,.
    E os petralhas estão ricos

  • Chega de choradeira, ou você é bobo ou esta se fazendo de bobo, para não dizer outra coisa> De uma analisada quem caiu na delação premiada da Odebrecht e analise quem afundou o Brasil e a Petrobras. Dilma e Lula não caíram em nenhuma delação da Odebrecht. Seja mais honesto, coerente, justo e leia com atenção as noticias da mídia:
    DEBRECHT ABATE SERRA: CAIXA DOIS DE R$ 23 MI E CORRUPÇÃO INTERNACIONAL
    Além do pedido de ajuda feito por Michel Temer em pleno Jaburu, que resultou num caixa dois de R$ 10 milhões em dinheiro vivo para o PMDB, a Odebrecht também delatou o chanceler interino José Serra; de acordo com o depoimento de Marcelo Odebrecht, ele recebeu R$ 23 milhões, via caixa dois, em sua campanha presidencial de 2010; parte dos recursos, que, corrigidos pela inflação, hoje equivaleriam a R$ 34,5 milhões, foi paga no exterior, o que, em tese, poderia levar à cassação do registro do PSDB; Odebrecht também apontou corrupção no Rodoanel e supostos intermediários de Serra na arrecadação de propinas; o chanceler interino nega irregularidades.
    Espertinho quando Dilma deixou a Presidência a queda do PIB era de 3,8% , taxa de desemprego era de 8,5% – 9 milhões de desempregados e inflação de dois dígitos 7,6 %pressionando principalmente a parcela mais pobre da população e hoje seu intelectual politico, a inflação já chegou nos 9,6 %, o desemprego chegou aos 13 milhões e o PIB esta negativo. Sinal que seu temer esta governando maravilhosamente. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  • Chega de Choradeira#####meu caro intelecto olha como é excelente os setes meses do desgoverno do chefe da quadrilha Temer e , lembre-se Dila e Lula não saíram nenhuma vez nas delações da Odebrecht e neste país não tem homem suficiente para provar alguma corrupção de Lula, todas estão dando com os burros na água, inclusive nos casos do sitio em Atibaia, no triplex no Guarujá,, no que dizem que ele tentou comprar a delação de Cerveró e no terreno ao lado de sua Instituição, foram ouvidas 231 testemunhas de acusação convocadas pelo Moro corrupto e todas ela inocentaram o futuro presidente do Brasil em 2018, por isso Moro deu uma saída da mídia.
    Eu dou muito risada da situação , pois não bati panela e nada me afeta.,nem aposentadoria a partir de 65 anos e o aumento na contribuição previdenciária. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk chora kkkkkkkkkkk

  • BIGODAO

    PTista e tudo tapado mesmo.

  • BIGODÃO você esta certíssimo os Petista tem tudo tapado e você tem o teu Buraco bem aberto, vai mortadela ai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *