ABSTENÇÃO EM JALES BEIRA 20%

Nada menos que 7.292 eleitores deixaram de comparecer às urnas nas eleições de ontem, em Jales. Eles representam 19,59% dos 37.217 eleitores inscritos em nossa cidade. Em 2008, quando tínhamos 36.811 eleitores, a abstenção foi de 18,39%, correspondente a 6.772 eleitores ausentes.

Perguntei, um dia desses, ao experiente João Edson Rubello, do Cartório Eleitoral, qual seria o perfil dos eleitores que deixam de votar. Ele me disse que a maioria é de pessoas que estão trabalhando ou estudando fora da cidade. Normalmente, essas pessoas deixam para vir a Jales nos feriados prolongados. E o próximo feriado prolongado acontece justamente nesta semana.

Ouvi, também, o presidente do PMDB local, João Missoni, igualmente experiente em eleições. Ele me disse que, normalmente, as pessoas mais simples e com menos grau de instrução não deixam de votar. “Uma boa parte das pessoas que se ausentam são aquelas que possuem melhores condições e aproveitam para viajar ou ir pescar”, garante João.

Ele deve ter alguma razão! Agora, vejam o caso da moça da foto lá de cima. Ela teve uma dificuldade enorme para descer do carro que a trouxe. Foram quase dez minutos para conseguir sentar na cadeira de rodas e – ajudada pelo policial, o cabo Félix – se dirigir à sua seção, na EE “Onélia Faggioni”. Mas ela fez questão de votar!

Abaixo, um quadro com a abstenção nos 10 municípios vinculados ao Cartório Eleitoral de Jales. Reparem que a abstenção de Jales é a maior. No entanto, na comparação com as outras cidades maiores – Fernandópolis(19,73%), Santa Fé do Sul(19,77%) e Votuporanga(18,93%) – o índice de abstenção, em Jales, pode ser considerado normal. 

Município Eleitores Ausências Abstenção
Aspásia

1.786

118

6,61%

Dirce Reis

1.610

84

5,22%

Jales

37.217

7.292

19,59%

Mesópolis

1.740

206

11,84%

Paranapuã

2.931

249

8,50%

Pontalinda

3.377

483

14,30%

Santa Albertina

4.768

532

11,16%

Santa Salete

1.494

91

6,09%

Urânia

6.562

764

11,64%

Vitória Brasil

1.572

122

7,76%

 

7 comentários

  • Anonimo

    É UM NUMERO MUITO ALTO.

  • Anonimo

    TUDO ELEITOR DO PARINI QUE NÃO QUIS VOTAR NO CLOVIS.

  • anonimo

    viram tanta mentira da NICE que ficaram com vergonha de votar 52% estava na Pesquisa

  • anonimo

    Cardosinho você não vai comentar as pesquisas mentorosas que foram divulgadas na campanha eleitoral de Jales. Foi ou não foi uma pouca vergonha?

    • Os marqueteiros e os candidatos usam as pesquisas como estratégia de campanha. No caso, saltou aos olhos que a pesquisa da Nice não condizia com a realidade. Da mesma forma, a pesquisa do Instituto Realidade também estava errada. Mas, todo mundo sabia que se tratava de estratégia. O que pegou mesmo, foi a pesquisa divulgada pela Antena 102. Por se tratar de um órgão independente, a pesquisa da Antena – apontando uma diferença de NOVE PONTOS, com uma margem de erro de 4,5 pontos – acabou atrapalhando o viés de alta que o Flá vinha tendo na reta final da campanha. Parte do eleitorado indeciso não sabe nem o que é margem de erro e, para eles, o que ficou gravado foi a vantagem que a Nice tinha na pesquisa. Além disso, a tal pesquisa causou um certo abalo na tropa do Flá, a quatro dias da eleição. Mas tudo isso faz parte de um processo eleitoral e os candidatos precisam estar preparados para enfrentar essas intercorrências.

  • Lúcia

    Mas, então, Cardosinho, se a rádio não tivesse divulgado a pesquisa, o Flá teria ganhado a eleição? É isso? Desculpa, mas não entendo mto bem disso…então foi tudo muito injusto, não foi…to inconformada com a diferença tão pequena…fiquei morrendo de dó do flá, q fez tanto pela cidade…

    • Não sei se ele ganharia a eleição, mas a divulgação da pesquisa, sem o esclarecimento de que – considerando a margem de erro – a disputa poderia estar empatada, com certeza atrapalhou. De qualquer forma, considerando que a candidata Nice se dizia escolhida por Deus, creio que seria impossível mudar algo que já estava decidido pelo Todo-Poderoso.

Deixe uma resposta para cardosinho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *