AMEAÇADO POR BOLSONARISTAS, EX-COORDENADOR DA CAMPANHA DE BOLSONARO TERÁ PROTEÇÃO POLICIAL

Paulo Marinho foi coordenador da campanha de Jair Bolsonaro. Mais do que isso: sua casa foi o QG de Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018. Ele deve ter visto e ouvido muita coisa. Deu no portal Diário do Rio:

De acordo com a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, o empresário Paulo Marinho – que já foi casado com a “solteirona” Maitê Proença – receberá segurança especial da Policia Militar do Rio de Janeiro.

A decisão foi tomada pelo governo do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) depois de um pedido do próprio Paulo, que é suplente do senador Flávio Bolsonaro e presidente do PSDB-RJ.

Marinho esteve na tarde deste domingo no Palácio Laranjeiras com Wilson Witzel e lhe entregou uma carta.

Nela, ele relatou ameaças de morte que vem sofrendo desde a madrugada deste domingo, quando a repórter Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo, publicou uma entrevista com ele, na qual, entre outros assuntos, ele fala sobre um delegado da Policia Federal que teria avisado a Flavio Bolsonaro sobre a investigação contra Fabrício Queiroz.

1 comentário

  • Bolsonaro e seu impeachment: "É muita loucura, muita burrice".

    Todas as policias sempre foram independentes dos políticos. Todos os presidentes tentaram mandar na PF mas se deram mal. Os presidentes sempre quiseram “proteger” seus filhos e amigos.
    Ter informações antecipadas, os políticos sempre tiveram. Não é de agora. Não é crime. Sempre tem um delegado federal que quer puxar o saco para ganhar um salario melhor. Enfim, ganhar um QI kkk.
    A rachadinha sempre foi uma pratica normal entre os políticos. Todos sabem que existe mas ninguém conta. Mas como é filho do presidente!!! Existem muitos interesses. É prematuro apontar crime a Bolsonaro e filho apenas por eventual vazamento pela PF,
    O que o empresário contou é normal. Mas se o filho do presidente pagou o delegado. Ou se usaram a informação para prejudicar a investigação. Se o Flávio demitiu o assessor Queiroz com base na informação, ele pode ter praticado um crime de tráfico de influência ou corrupção ativa.
    Partidos pedem no Conselho de Ética do Senado cassação de filho do Bolsonaro. Alem dos 40 pedidos de impeachment, OAB já considera inevitável assinar pedido de impeachment de Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *