APÓS SER PRESO, NETO DEIXA A GERÊNCIA REGIONAL DA CDHU

Olímpio Neto participou da campanha eleitoral da prefeita Nice Mistilides. Ele gravou uma participação no programa de rádio da então candidata, prometendo disponibilizar 500 casas populares para Jales, caso Nice fosse a eleita. Pelo jeito, não deu tempo de cumprir a promessa. A notícia é do Diário da Região:

neto cdhuDepois de ser preso por dispensa irregular de licitação e peculato, Olímpio Antonio Cardoso de Moraes, conhecido como Neto, foi demitido pelo governo de São Paulo e deixou, ontem, o cargo de gerente regional da Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU) em Rio Preto. 

Assume interinamente Helio Escudero, que atualmente é o superintendente de Atendimento Habitacional do Interior, responsável por todas as unidades regionais da CDHU. Nota oficial  do governo estadual  foi divulgada  ontem no começo da noite ao Diário. 

Neto, que é filiado ao  PSDB, foi preso por desviar R$ 9,7 mil dos cofres da Prefeitura de Sales (município a 77 quilômetros de Rio Preto), que ele comandou na década de 1990. “A CDHU informa que o Sr. Olímpio Antônio Cardoso de Moraes foi exonerado nesta terça-feira (…) A CDHU ressalta que os fatos relativos ao processo do senhor Olímpio são alheios à Companhia”, diz trecho da nota. 

CarnavalSegundo a denúncia, formulada em 2002, Neto contratou a empresa Milani e Carneiro Ltda para prestação de serviços de vigilância e animação musical para o Carnaval de 1996, mas a empresa não prestou os serviços. As notas emitidas eram “frias” e a verba foi desviada para uma conta da mulher de Neto CDHU. Segundo investigação, o ex-prefeito contratou vários artistas que se juntaram em um grupo só para realizarem as apresentações. 

A condenação ocorreu em 2005. O Tribunal de Justiça (TJ) manteve a decisão em 2008 e, por último, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), que apenas reduziu a pena em seis meses, em 2011. Segundo o juiz à época José Roberto Lopes Fernandes, Neto confessou as irregularidades cometidas. “A ilicitude, além de confessada pelo acusado, que confirmou utilizar-se de notas fiscais de outra empresa”, afirmou.

Habeas corpus – O advogado de Neto pegou o processo para análise no fórum de Urupês. Ele avalia a possibilidade de entrar ou não com Habeas Corpus.

Prisão  – Ontem, Neto estava preso na Cadeia de Novo Horizonte, com previsão para ser transferido para o Centro de Ressocialização de Lins (município a 117 quilômetros de Rio Preto), o que não ocorreu até o fechamento da edição. 

11 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *