AS AMEAÇAS QUE LEVARAM JEAN WYLLYS A DESISTIR DO MANDATO DE DEPUTADO

Bolsonaristas estão espalhando a versão de que Jean Wyllys não estava sofrendo ameaça nenhuma e fugiu do país porque estaria envolvido na facada que o Adélio deu no Bozo.

Abaixo, notícia da Revista Fórum sobre reportagem do jornal O Globo, que relata algumas das ameaças contra o ex-BBB. Mas a pior ameaça foi feita pelo próprio Bozo e está na charge acima, do Sinovaldo:

As ameaças que levaram o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) a renunciar a seu mandato e deixar o Brasil não se limitavam ao parlamentar. Seus familiares também foram vítimas, de acordo com informações de Bela Megale, Patrik Camporez e João Paulo Saconi, de O Globo.

O jornal teve acesso às mensagens enviadas ao deputado nos últimos três anos: “Vou te matar com explosivos”, “já pensou em ver seus familiares estuprados e sem cabeça?”, “vou quebrar seu pescoço”, “aquelas câmeras de segurança que você colocou não fazem diferença”.

As mensagens chegaram por redes sociais, e-mail e telefone do gabinete em Brasília, ou até mesmo no e-mail pessoal do deputado. As ameaças obrigaram a Polícia Federal a abrir cinco investigações e forçaram o parlamentar a andar com escolta policial.

“Ele estava cada vez mais abalado pela situação e sempre falava que se sentia como se estivesse em cárcere privado sem ter cometido nenhum crime”, afirmou um dos assistentes de Wyllys.

Desde o assassinato de Marielle Franco, em março, o parlamentar pouco saía de casa e limitava sua vida a compromissos de trabalho. O endereço onde mora, no Rio, era tratado como um segredo e compartilhado apenas com poucos amigos e familiares.

Depois do anúncio da renúncia, Jean Wyllys ainda recebeu uma derradeira mensagem por e-mail: “Nossa dívida está paga. Não vamos mais atrás de você e sua família, como prometido. Mesmo após quase dois anos, estamos aqui atrás de você e a polícia não pôde fazer nada para nos parar”.

Em 2016 o deputado recebeu uma das mensagens que mais o assustou. Em um longo e-mail que o chamava de “bixona”, o autor dizia: “Você pode ser protegido, mas a sua família não. Já pensou em ver seus familiares estuprados e sem cabeça?”

Poucos dias depois, o mesmo remetente enviou para o e-mail de Wyllys e de seus irmãos dados como endereços de todos, placa de carros e outras informações que mostravam conhecimento sobre a família. Essa ameaça foi uma das que basearam a abertura de uma das investigações pela PF.

Em 2017, outro e-mail foi encaminhado ao deputado contendo vários de seus dados pessoais: “Vamos sequestrar a sua mãe, estuprá-la, e vamos desmembrá-la em vários pedaços que vamos te enviar pelo Correio pelos próximos meses. Matar você seria um presente, pois aliviaria a sua existência tão medíocre. Por isso vamos pegar sua mãe, aí você vai sofrer”.

11 comentários

  • Os canalhas da política

    Certamente, o ex-deputado não ia ser candidato nesta última eleição porque vinha sofrendo ameaças, a muito tempo.
    Deve ter comunicado ao seu partido que forçou a candidatura dele para manter a sua vaga antes das eleições. Que canalhice! O seu sucessor náo ganharia a eleição.
    Ele disse que iria embora do país, se Bolsonaro ganhasse a eleicao. Já naquela época, ele sabia que iria embora! Agora acusa Bolsonaro. Outra canalhice
    Após o segundo mandato ele certamente terá a sua aposentadoria garantida com um bom salário em outro pais. Seus eleitores vão chupar os dedos.

  • Newton

    Esse cara é o maior câncer da política brasileira. Afronta os cristãos sempre que pode, atenta contra a família brasileira. Ele não quer respeito, ele quer privilégios e aplausos. Já vai tarde. E se voltar, que seja algemado.

  • eu

    Newton eu acho o contrario.
    O câncer da politica esta entrando pela sua Boca e logo vai chegar no seu celebro.
    SEJA MAIS HUMANO SEU CONSIDERADO CRISTÃO. CRISTÃO QUE É CRISTÃO NEM PENSARIA NESSA HIPÓTESE, FOSSE QUEM FOSSE O INDIVIDUO.
    SERÁ QUE TUA FAMÍLIA, PENSA IGUAL A TU QUE EU CONSIDERO UM DEJETO.

    ++++++++ Moro tem obrigação de investigar ameaças que forçaram Jean Wyllys ao exílio.
    Renunciar a mandato conferido pelo voto popular não é um ato trivial. Tem-se registro de renúncias de mandatos parlamentares por condenações, enfermidade, eleição para cargo Executivo, ou outros.
    Não existia precedente, entretanto, na história do Brasil, de deputado federal que tenha renunciado por correr risco de morte por desempenhar atividade parlamentar comprometida com os direitos humanos, a pluralidade, a liberdade, a democracia.
    A renúncia do Jean Wyllys/PSOL, neste sentido, é uma pesada denúncia de que a pistolagem adentrou o território da política e, se não for detida, poderá colonizar a política da mesma maneira que já domina comunidades no Rio e no país afora.
    A negligência do Estado, que não assegurou a Jean Wyllys a proteção e a segurança que corresponderia, é ainda mais grave que as ameaças de morte feitas contra ele e sua família. Na carta que entregou ao PSOL [ler aqui], o deputado denunciou que
    “Mesmo diante da Medida Cautelar que me foi concedida pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos, da OEA, reconhecendo que estou sob risco iminente de morte, o Estado brasileiro se calou; no recurso, não chegou a dizer sequer que sofro preconceito, e colocaram a palavra homofobia entre aspas, como se a homofobia que mata centenas de LGBTs no Brasil por ano fosse uma invenção minha. Da polícia federal brasileira, para os inúmeros protocolos de denúncias que fiz, recebi o silêncio”.
    Jean também denunciou que os sicários que assassinaram Marielle Franco e Anderson Gomes
    “Mantêm ligações estreitas com pessoas que se opõem publicamente às minhas bandeiras e até mesmo à própria existência de pessoas LGBT. Exemplo disso foi o aumento, nos últimos meses, do índice de assassinatos de pessoas LGBTs no Brasil”.
    O aumento da violência e da crueldade contra pessoas LGBTs é uma realidade indesmentível. O bárbaro assassinato da travesti Quelly da Silva em Campinas/SP, em 20/1, comprova esta realidade denunciada pelo deputado do PSOL. Além de assassinar Quelly brutalmente, o assassino arrancou-lhe o coração.
    Jean Wyllys não renunciou por covardia. O exílio tornou-se o único recurso de sobrevivência diante da desproteção do Estado brasileiro. Ele farejou o cheiro do seu próprio sangue jorrando em rituais de intolerância, preconceito e ódio num país francamente ameaçado pelo poder miliciano e crime organizado.
    O assunto é extremamente grave. Um dos sicários suspeitos do assassinato da Marielle, o chefe da milícia Escritório do Crime, enquanto estava preso por homicídio foi homenageado na Alerj pelo deputado Flávio Bolsonaro, nada menos que o filho do presidente da República. Até novembro passado, Flávio empregava no seu gabinete a mãe e a esposa dele, que é o principal suspeito de ter efetuado os disparos mortais em Marielle.
    A renúncia do Jean Wyllys, em vista disso, é uma denúncia de que a política e o Parlamento estão sendo sitiados pela bandidagem; é um alerta de que democracia está sitiada. É uma denúncia, enfim, de que o Estado de Direito corre o risco de ser dominado pelas milícias e pelo crime organizado.
    O Ministro da Justiça Sérgio Moro, a quem o Coaf, a PF e outros órgãos de combate ao crime organizado estão subordinados, tem a obrigação constitucional de investigar as ameaças de morte que levaram Jean Wyllys à renúncia do mandato e o forçaram ao exílio.
    Moro precisa mandar investigar com o máximo rigor as organizações criminosas [Escritório do Crime e outras], mas também os agentes públicos dos legislativos, dos executivos em todos os níveis e do judiciário que têm conexão orgânica com o crime organizado e com as milícias.
    Moro não pode se esquivar desta responsabilidade institucional e legal. Ele tem o dever de investigar a fundo; ele jamais poderá dizer que esse assunto não é com ele, sob pena de se confundir com a própria criminalidade que se recusa a combater.
    ANTES QUE PENSE PEQUENO COMO TU ÉS, SOU CRISTÃO E NÃO DESEJO O MAL AO MEU PRÓXIMO.

    • Comunidade desunida

      Plecaro amigo……
      Informe aí para os leitores deste blog imparcial quantos votos teve na COMARCA de Jales este cidadão que foi eleito por UMA cambada de trouxas, e que agora fugiu da raia, sabe porque ?, é um MARICOM……
      É que sou desinformado, e não consegui ver no horizonte do TRE votos para esse crápula……
      Eita comunidade desunida heim..
      .

  • Nós do blog

    Eu
    Logo você que xinga todo mundo neste blog. Não respeita a opinião contraria a sua, lulista.
    Só e’ educado quando copia texto como esse acima
    Agora, vem falar em ser cristão e que não deseja mal ao outro? Kkkkk
    Você está de brincadeira?

  • Bolsonazi

    Vivemos tempos nebulosos. Infelizmente a nova era da escuridão está apenas começando. A burguesia e a classe média fedem. As mesmas que incentivam preconceitos e estimulam preconceituosos. Os mesmos cidadãos de bem que sonegam impostos e descumprem direitos dos seus funcionários é aquela que acha normal alguém investigar as informações de familiares de um parlamentar pra obriga-lo s abdicar dos seus ideais, só porque não concorda com eles. Eu suspeito que o Bolsonazi tenha reforçado tanto a sua segurança porque conhece os métodos que usa. Todo corno é ciumento e todo homofóbico é gay.

  • eu

    Nós do Blog estou ocupado vau a PQP você a mamãe seu FDP.

  • Nós do blog (2)

    Eu
    Agora vc mostrou quem vc e’
    Kkkkk
    Ignorante

  • eu

    Nós do Blog ( 24 ) para sujeitos sem índole, sem caráter, sem brio, sem hombridade, sem honestidade,sem dignidade, sem integridade, sem honradez,sem respeitabilidade, retidão, sem decência, sem decoro, etc…,. mais uma vez estou ocupado vai a PQP você a sua mãe seu FDP.
    Viu quem eu sou agora seu energúmeno., mas só para os ninguém .

  • eu

    Mil desculpas aos cavalos ( 24 )–seu idiota, tolo, tonto, bobo, palerma, pateta, estúpido, burro, etc… continuo ocupado mas falando em cavalo como vai o seu pai ( o alazão ) e sua mãe a ( Mula ) pois você nasceu deste cruzamento, por isso és um burro que vive com sua prole em um curral a base de capim e feno, tendo também a mula de sua ( esposa ), como vai, já esta prenha.
    Por isso seu Burro aqui vai sua descendência:—-Reino Animalia
    Filo Chordata
    Classe Mammalia
    Ordem Perissodactyla
    Família Equidae
    Gênero Equus
    Espécie Equus asinus x Equus cabalus
    Vou lhe informar como age sua EQUIDAE —São muito resistentes, dóceis e com grande capacidade de equilíbrio, atravessando, com agilidade, trilhas estreitas, sinuosas, pedregosas, acidentadas e íngremes. Além disso, possuem a audição bem apurada, grande sensibilidade em seus cascos; e olfato e paladar mais rudes, permitindo com que sejam bem menos seletivos quanto à alimentação. Só servindo para o trabalho forçado, como puxar carroça.
    Bela Equidae seu estúpido e besta. kkkkkkkkkkkk Eu relincho e muito quando estou em cima da mula. kkkkkkkkkkk ahahahahahahahahahahahahahahahahahahhaahahah

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *