CÂMARA APROVA DECRETO QUE REDUZ “SALÁRIOS” DE DILMA, TEMER E MINISTROS

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou ontem (24) o Projeto de Decreto Legislativo 295/15, que reduz os subsídios da presidenta Dilma Rousseff, do vice-presidente Michel Temer e dos ministros de Estado. A medida, proposta pelo governo, reduz em 10% os subsídios que passam de R$ 30.934,70 para R$ 27.841,23. A matéria será enviada ao Senado.

Ao propor a redução, Dilma argumentou que, diante da crise econômica internacional e de seus reflexos no cenário nacional, é necessário a redução de gastos públicos. Cálculos do próprio governo indicam economia de R$ 1,69 milhão com a redução ao ano.

A medida faz parte do processo de reforma administrativa feita pelo governo no ano passado e, de acordo com a mensagem, “insere-se no processo de racionalização e redução de despesas no âmbito do governo federal, em decorrência das dificuldades impostas pelo momento turbulento por que passa a economia mundial”

8 comentários

  • Anônimo

    Como se eles vivessem apenas do salário.

  • Os aspones de Dilma

    Depois de diminuir o numero de ministros e trocar alguns para ter o apoio do PMDB (Cunha) e do Lula, Dilma diminui os salarios — dos ministros alem do seu e do seu vice, — em 10%.
    Na realidade, temos muitos ministros que nao servem para nada , a nao ser para ter o apoio dos partidos para impedir o impeachment.
    Ate’ para o cargo de lider do PMDB, Dilma teve que pressionar para colocar o seu puxa saco para garantir o apoio do PMDB contra o seu impeachment.
    Portanto ela deveria diminuir os seus aspones

  • Cowboy do asfalto

    Que tal reduzir o número de ministérios Dona Dilma?
    Já pensaram que ao invés dos aproximados 40 tivéssemos 20?
    Quantos milhões jogados pelo ralo para pessoas que deveriam buscar soluções para nossos problemas e ao invés, ficam utilizando-se da máquina pública para encher seus bolsos com salários absurdos e propinas.

  • Abraham Lincoln

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Nossa, que bom; soube que as três agências de classificação de risco, depois desta notícia, já elevaram a nota do país em três pontos. A Dilma só se esqueceu de combinar com o Presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB – base “aliada”). O “ex-amigo” da Mosquita Dilma colocou em pauta, na data de ontem, a votação da “PEC da saúde”. Pelos cálculos do governo, caso o texto seja aprovado, o impacto será de R$ 15 bi em 2017 e de R$ 207,1 bi até 2022. Não, Cunha, não é assim que se faz….KKKKK. Acho que assim a economia de 1,7 milhão não surtirá muito efeito.

  • Os aspones de Dilma

    Ser ministro e’ uma piada, no Brasil, pois o presidente da’ o cargo pois precisa do apoio do partido para ele fazer o que quizer e o partido indica o “deputado Ze’ Maria” (qualquer) que nao entende nada do assunto do ministerio.
    Ele ganha, agora, R$ 27,8 mil, apto de 300 m2, aviao de graça, mais uns 20 assessores (indicados por ele), telefone, etc
    Porem isso nao e’ nada perante as propinas que ele ganha das empresas, grandes empreeiteiros, que estao de olho nas estatais (tipo Petrobras, Correios, BNDES, etc).
    Pois este governo gosta de propinas, a mais de 15 anos

  • Anônimo

    Mas os 513 deputados e os 81 senadores, todos com salários superior ao da presidenta não deveriam seguir o exemplo? Cadê o povo para bater panela pela redução dos salários exorbitantes da classe política, aproveitando a iniciativa da presidenta?

  • jeca tatu nao acredita hein papai noel não, isso tudo e manobra suja dos politicos, e a conta de luz não vai baixar não os rios já estao bufando denovo né dona dilma, qual o seu argumento agora véia porque esta chovendo muito é.

  • Janeiro foi o primeiro mês que o governo fechou as contas no AZUL.
    Graças ao leilão das hidrelétricas…
    Já é o começo! Que agora cortem aposentaria dos deputados e senadores, após dois mandatos, o aparelhamento da máquina administrativa, uso de cartão corporativo e assim vai mais uma lista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *