CÂMARA SE REÚNE HOJE PARA APROVAR, ÀS PRESSAS, A “REFORMA ADMINISTRATIVA” DE LUÍS HENRIQUE

O presidente da Câmara Municipal, Bismark Kuwakino(PSDB), marcou para hoje, às 16 horas, a sessão extraordinária para análise e votação, em regime de urgência, do projeto de Lei Complementar 001/2021, que trata da chamada “reforma administrativa e organizacional” da municipalidade.

Será o batismo de fogo dos nossos novos vereadores e, se tivessem juízo, eles pediriam mais tempo para analisar o projeto, que tem mais de 60 páginas. Para se ter uma ideia da complexidade do assunto, a própria Prefeitura, em menos de cinco dias, alterou o projeto duas vezes.

Normalmente, um projeto desse tipo teria que ser votado em dois turnos, mas, como o prefeito pediu regime de urgência, fica abolida a segunda votação. Além disso, o regime de urgência não permite que algum vereador peça vistas, ou seja, solicite um adiamento para melhor análise.

É lamentável que um novo governo, que se diz moderno e inovador, se utilize de uma estratégia tão antiga e reprovável para conseguir impor suas vontades. No mínimo, até por respeito aos vereadores, deveria dar mais tempo para estudo do projeto. A nova Câmara, aceitando esse jogo, irá dar a primeira demonstração de que será, nos próximos quatro anos, apenas um puxadinho da Prefeitura.

Na justificativa que acompanha o projeto, o prefeito diz que a atual estrutura da Prefeitura é de 1991 e, portanto, precisa ser repaginada. Resta saber se a repaginação proposta por ele – que troca o nome de alguns cargos de confiança, mas mantém o mesmo número deles – vai proporcionar algum resultado positivo aos serviços prestados aos contribuintes.

A justificativa diz, também, que o projeto irá reduzir as despesas com a folha de pagamento, na medida em que diminui alguns salários. Mas, será que isso é mesmo verdade? Para alguns setores da imprensa, sim. Façamos, porém, as contas.

No governo anterior, do ex-prefeito Flá, a Prefeitura tinha 40 cargos de confiança, mas apenas 21 deles foram preenchidos por pessoas de fora dos quadros da municipalidade. Durante o ano de 2020, esses 21 cargos de confiança preenchidos por Flá custaram quase R$ 1,8 milhão.

Com a “reforma” proposta por LH, a Prefeitura continuará com 40 cargos de confiança, dos quais, 26 poderão ser preenchidos por não-servidores. Tudo indica que o prefeito irá preenchê-los todos e, nesse caso, o gasto anual com os 26 cargos será de pouco mais de R$ 2 milhões. Por ano, LH gastaria R$ 250 mil a mais do que gastou Flá.

Resumindo, a economia propagandeada pelo prefeito, em seu projeto, é uma falácia. Na verdade, ele só fará economia se, assim como fez Flá e Callado, deixar de preencher alguns cargos. Ou então, se ele fizer como aquele prefeito comunista da Bahia, que reduziu o próprio salário de R$ 16 mil para R$ 1,1 mil. Mas isso, por enquanto, está fora de cogitação.

16 comentários

  • Roberto Carlos

    gostei da nova formação da câmara de jales. tem bons nomes. mas em se tratando de independencia em relação ao prefeito, só consigo ver uns 2 ou 3 que tem peito de votar de acordo com a própria vontade.
    os outros acho que vão comer na mão do prefeito durante os 4 anos.
    veremos o que vai acontecer com esse teste de fogo pra testar essa camara.

  • OLHO DE ÁGUIA

    Vereadores e prefeito, juízo com esse projeto !!!!!
    Estamos vivendo maior pandemia da historia e esse projeto está tirando cargos da secretaria da saúde.
    Hoje esta sendo monitorado por lupa esse projeto pelo MPF, MPE, TCE e CMS.
    Caso nosso prefeito não cumprir com responsabilidade os compromissos com a saúde nessa pandemia, pode
    lhe causar até impeachment.
    Também cabe aos vereadores tomarem cuidado na responsabilidade.

  • Munícipe apreensiva

    Só não entendo a pressa pra mudar algo que pelo q parece ñ vai mudar nada ,e ainda vai aumentar as despesas do município que já ñ anda bem das pernas!!Até torcemos para o novo prefeito e vereadores fazerem uma diferença positiva em nosso município mas eles terão q fazer a parte deles tbm

  • Nelson

    Um projeto que “vai mudar” e vai “gerar economia” de 130 mil em 3 anos. Pouco mais de 40 mil por ano.

    Uma vergonha os Vereadores pensarem em aprovar uma insanidade dessa. Eu não confiei meu voto na Carol Amador pra isso. Estou profundamente decepcionado.

  • Sérgio

    Projeto aprovado, sem vetos. Querem apostar??

  • Anônimo

    E qual o resultado da reunião?

  • Morador indignado

    Vereadores vendidos! Corja de pau mandados. Camara fdp. Jales nao tem mais jeito. Virou vila de vez

  • Sérgio

    Acertei na mosca. Sou muito bom nisso. E olha que nunca fui político.

  • POLI

    Começaram bem kkkkkkkk,NOME DO FILME: O FORASTEIRO E SUA PATROA …KKKKKKKKKK

  • Chico Tião

    Infelizmente sabíamos que essa Câmara seria vendida. Só fiquei decepcionado com a unanimidade. Insanos, isso sim. E Cardosinho, me responde uma pergunta. Será que vamos amargar 4 anos de alguns vereadores fazendo farra em redes sociais para se promoverem? E limpa praça, e tira selfie em semáforo, e faz campanha pra arrecadar dinheiro para o Fundo Social. Que triste para a população que vai ser usada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *