COISAS DA POLÍTICA

A notícia do post anterior me fez lembrar um caso acontecido aqui em Jales.

Durante os quatro anos do mandato do ex-prefeito Antônio Sanches Cardoso, o Rato, de 1997 a 2000, os servidores públicos municipais de Jales ficaram sem um único centavo de reajuste salarial, apesar da inflação galopante vivenciada naquele período.

Por outro lado, os salários dos agentes políticos – prefeito, vice-prefeito, secretários e vereadores – eram reajustados todos os meses, de acordo com as regras do chamado “gatilho salarial”.

Em 1999, já de olho nas eleições do ano seguinte, os vereadores, desconfiados de que aquilo não estava pegando bem para eles, decidiram assinar um documento onde, em “solidariedade” aos servidores, abriam mão dos reajustes salariais. Um bonito gesto, não? Pois esperem para ver o final.

Passadas as eleições de 2000, vários vereadores deixaram o Legislativo, ou porque não foram reeleitos ou porque disputaram outros cargos, como no caso dos peemedebistas Ari Dalton e Belarmino. O que eles fizeram, então?

Logo no início de 2001, protocolaram um documento na Câmara, solicitando o pagamento dos “atrasados”, ou seja, dos valores referentes aos reajustes aos quais eles tinham “renunciado”. O então presidente da Câmara, José Eduardo Pinheiro Candeo, um dos que tinham direito aos “atrasados”, tratou de deferir o pedido e fazer o pagamento rapidinho.

No total, os 13 vereadores que haviam “renunciado” aos reajustes, receberam cerca de R$ 50 mil.  

12 comentários

  • Thiago

    O que acontece na política em nossa cidade é de doer o estômago. Pior que os políticos fazem a população de gato e sapato e não acontece nada.

  • anônimo

    todos amavam demais nossa cidade…

  • Anônimo

    Nooossa!!! E o pobre do contribuinte…
    Mas ficou provado, que rato ai, não era só o prefeito, tinha uma infestação deles na câmara. Pior, é que roem a verba destinada a desratização.

  • Eita

    Só muda as moscas…..,

  • Folião

    Cardosinho,
    Moro no Jd. Pires de Andrade, e agora atardezinha tive uma boa surpresa, ao adentrar ao bairro, verifiquei que a primeira rua (10) que segue para o Clube do Ipê, estava sendo recapeada….E tem várias máquinas paradas para continuar o recape…
    Agora a questão……….
    Vão recapear o bairro todo??? Ou será somente o final da rua 10 (que termina no Clube do Ipê)???…Fica mais uma questão….ta cheio de entulhos aqui no começo do bairro e lá no final também….
    Obrigado!

  • prof zico

    Coisas de quem não tem caráter.

  • Anonima

    Mas bem ali …. é a casa do Prefeito …. fica quieto é assim mesmo que funciona… na proxima eleição vamos candidatar kkkkkk quem mandou cassar a NICE kkkkkchora chora.eiat Jalão .

  • amigas da Nice

    Aí, tomo mané, é sim é ali na esquina que mora o prefeito e é claro que ele tratou de arrumar apenas a sua rua para melhor sair de casa, principalmente agora que seu filho é assessor do deputado federal, precisa manter ao menos aquela rua boa, por onde, provavelmente, o deputado logo logo deve fazer uma visitinha em sua residência para comer um churrasco e deve ser nessa semana em que Jales completa 74 anos, que presentão para Jales esse prefeito.

  • Bira do Bar

    Jales não tem um sapo enterrado. Tem um elefante. Com esse prefeito afundaremos ainda mais. Só oba oba e oba oba. Fotos, sorrisos, reuniões, assessorias, bem ao estilo Brasil. Parece que Jales é na Suíça.

  • Juliano

    Jales não tem um sapo enterrado. Tem um elefante. Com esse prefeito afundaremos ainda mais. Só oba oba e oba oba. Fotos, sorrisos, reuniões, assessorias, bem ao estilo Brasil. Parece que Jales é na Suíça.

  • Mané

    É e as máquinas já foram embora….e não adentraram no Jardim Pires de Andrade….
    Os moradores desse bairro já estão estudando a possibilidade de entrar com uma ação na justiça contra o Município, para obrigarem a efetuar o recape asfático no referido bairro, pois a situação é caótica…
    …Tem lugares que nem o recape tem como ser feito, pois já acabou a rua….virou estrada de terra novamente…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *