DATAFOLHA: REPROVAÇÃO DE BOLSONARO CRESCE E É A MAIOR PARA UM PRESIDENTE NO PRIMEIRO MANDATO

A pesquisa do Datafolha confirma o que já havia sido constatado por outros três institutos – CNT/MDA, Vox Populi e Ipespe -, ou seja, que Bolsonaro é o presidente mais mal avaliado no primeiro ano de governo.

Confirma, também, que até os mais ricos já estão se chateando com o Bozo. Entre estes, a aprovação do presidente caiu de 52% para 37%. Entre os mais pobres, ele é aprovado por apenas 22%, enquanto entre os jovens a aprovação é de 24%. Os evangélicos neopentecostais (46%) e os empresários (48%) estão entre os setores que mais aprovam Bolsonaro.  

No Nordeste, a desaprovação é de 52%. E no Sul, região onde Bolsonaro imperava, a desaprovação subiu de 25% para 31%. Entre as mulheres, ele é desaprovado por 43%, enquanto entre os homens a desaprovação é de 34%. Para completar, 44% dos brasileiros dizem não confiar na palavra do presidente, no que eles fazem muito bem.

A notícia é do UOL:

Em mais uma pesquisa desfavorável a Jair Bolsonaro (PSL), o Datafolha mostra que a reprovação do presidente subiu de 33% para 38% na comparação com a pesquisa anterior, realizada em julho.

Antes disso, Bolsonaro teve seu governo avaliado como ruim ou péssimo por 30% dos brasileiros em pesquisa divulgada em abril, a pior avaliação após três meses de governo entre os presidentes eleitos para um primeiro mandato desde a redemocratização de 1985.

A nova pesquisa traz indícios de que a erosão na avaliação do governo Bolsonaro acelerou em estratos do eleitorado que o apoiaram durante a campanha.

Entre os eleitores mais escolarizados, com ensino superior, o índice dos que classificam a gestão do presidente como ruim ou péssima mudou de patamar pela primeira vez. Em abril, este grupo totalizava 35%. Depois, em julho, oscilou irrisoriamente para 36%. Neste levantamento, porém, chegou à marca de 43%.

Foram ouvidas 2.878 pessoas com mais de 16 anos em 175 municípios.

3 comentários

  • O impopular Bolsonaro

    Já acostumamos com presidentes impopulares. Tudo começou com Dilma, em seu segundo mandato quando ocorreu seu impeachment. Depois, veio o seu vice, o Temer muito impopular. Agora temos Bolsonaro que briga com todo mundo e fala muito, gerando brigas até entre a sua base de apoio.
    Pelas “besteiras” que Bolsonaro fala. Dilma pode ser chamada de estadista. Porem Bolsonaro é pior que Dilma!
    Bolsonaro não estava e não está preparado para ser presidente.

    • Rapizodia

      Rapaz, no programa do Villa na Rádio Band e com link neste blog, tem uma live do Presidente. É um show de horrores, o ministro Heleno sorri, mas se vê em sua face a imagem de um governo envergonhado e amarelado por seguir um sujeito tão tosco e pior, ser orientado por sua ações, não deve ser fácil não. Em tempo, vejam a hilária tradução e apresentação da tradutora para libras, parece aqueles bonecos de posto de gasolina que contorcem, parece muito também com a Damares se não ela, enfim é deprimente!

  • O Brasil está quebrado.

    O governo Bolsonaro é muito ruim mas se tivesse dinheiro. Certamente não estaria com estes índices de impopularidade. Porque? O povo não quer saber o que Bolsonaro fala mas sim, em seus programas assistenciais
    O governo assumiu, neste ano, gastando muito e arrecadando puco. Devido a crise, acabou o dinheiro e o governo teve que cortar o dinheiro das universidades, primeiro. Agora, elaborou um projeto de Orçamento, Bolsonaro propôs uma redução, em 2020, nos recursos destinados a programas sociais.
    O governo reduziu os recursos de ações voltadas à população mais vulnerável e de medidas que buscam reduzir as desigualdades no país.
    A maior tesourada foi no Minha Casa Minha Vida. A previsão para o programa habitacional caiu de R$ 4,6 bilhões, em 2019, para R$ 2,7 bilhões na projeção do próximo ano.
    O governo ainda pensa na criação da sempre nova CPMF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *