DEPOIS DE DELATAR LULA E DILMA, MARQUETEIROS FICARÃO “PRESOS” EM PALÁCIO COM VISTA PARA O MAR

images-cms-image-000545018

Para me livrar da cadeia e ficar “aprisionado” num lugar assim, eu diria até que foi o Lula quem matou o Salomão Hayala e a Odete Roitman. Um detalhe: o palácio acima era apenas a casa de veraneio do casal, já que eles ficavam longas temporadas em outros imóveis, como o apartamento de Nova York. A notícia é do Brasil 247:

Delatores do momento, os marqueteiros João Santana e Mônica Moura vão cumprir prisão domiciliar em sua mansão em Interlagos, no Litoral Norte da Bahia. A Casa é capa da edição mais recente da revista Casa e Jardim, da Editora Globo. A construção é dividida em alas e tem vista para o mar e para um lago, com píer particular. 

O casal tem dado os depoimentos mais polêmicos dos últimos dias no âmbito da Operação Lava Jato. Santana acusa Lula de “saber de tudo” e Mônica acusa Dilma de ter criado um email falso para se comunicar com ela.

Tanto Lula como Dilma os acusam de terem inventado estórias falsas, porque esta é a moeda exigida pela Lava Jato para lhes dar a liberdade.

3 comentários

  • "soltar os peixinhos para prender os peixões"

    A lei da Delação Premiada, copiada e assinada por Dilma, tem por “meta” : “soltar os peixinhos para prender os peixões”.
    Para quem não sabe, os delatores tem que provar o que dizem ou delatam porem é dificil ter provas das conversas tendo em vista que o acusado vai dizer que não sabia, desmentir e até por culpa em sua esposa (como Lula fez).
    Essa mansão do marqueteiro de Lula e Dilma construiu com dinheiro das campanhas deles e do PT que eles arrecadaram das propinas da Odebrechet, OAS, JBS, e outras. Portanto “trabalhou” e muito! kkkkkkkk
    Será que não sobrava um dinheirinho para esses do blog que tanto defendem Lula?
    Piu piu

  • “SOLTAR OS PEIXINHOS PARA PRENDER OS PEIXÕES”–a lei da delação premiada foi criada no governo Dilma, consequentemente aprovada pela mesma para acabar com a corrupção principalmente da Petrobras que começou no governo de Itamar Franco e depois o de FH, pelos anos de 1996 e, entre os peixões nos temos alguns exemplos dos que foram delatados pela Odebrecht:======
    Michel Temer PEDIU 10 MILHÕES à Odebrecht
    Eduardo Cunha – “Caranguejo” (a empreiteira teria aprovado pagamentos de R$ 7 milhões ao ex-deputado)
    Romero Jucá – “Caju”
    Renan Calheiros – “Justiça”
    Rodrigo Maia – “Botafogo”
    Eunício Oliveira – “Índio”
    Geddel Vieira Lima – “Babel”
    Lúcio Vieira Lima (irmão de Geddel) – “Bitelo”
    Eliseu Padilha – “Primo”
    Moreira Franco – “Angorá”
    Jacques Wagner – “Polo”
    Delcídio do Amaral – “Ferrari”
    Paulo Skaf (presidente da Fiesp)
    José Serra
    Alkimin
    Aécio Cocaina
    Aloysio Nunes
    Meirelles
    Agripino Maia
    Mas os delatores tanto dos peixões como dos peixinhos terão que ter provas matérias, não só ficar só no eu vi, eu falei, mas deverão mostrar documentos, cheques, transferência de dinheiro, escritura lavradas em cartório, depósito, o que até agora de Lula nada conseguiram.
    Mas o Imbecil acima não percebeu que esses delatores de Lula já pegaram 25 ou 30 anos de cadeia e agora com a promessa de citar o nome do futuro presidente, para poderem sair logo, da cadeia com tornozeleira, mas por pouco tempo resolveram colaborar. . E nessas condições até você como imbecil que és entregaria até sua própria genitora ( sem ofensa ) ..
    Se o imbecil viu e ouviu o testemunho de Lula, pode notar, que quem iniciou citando o nome de D. Marisa foi o Juiz Corrupto Moro e, consequentemente Lula teve que responder também citando o nome de sua falecida esposa e como tu não tem uma inteligência privilegiada não deu para perceber que isso foi uma tentava de deixar o futuro presidente nervoso, mas o Moro caiu do cavalo assim como você.
    Será que você já viu as mansões dos marqueteiros de Aécio, Serra, Alkimin, Dória, Maia etc… é claro que como um bom imbecil dirás que não, ou será que viu o apartamento de FHC em Paris ? Sabe de onde saiu esse dinheiro babaca dos cofre da Petrobras desde 1996.
    E não sobrou nada para mim pois diferentemente de você tenho honra, índole, caráter, moral e fui bem educado quanto a essa questão de corrupção diferentemente, de sua senhoria. kkkkkkkkkkkkkkviu com quem foste mexer seu estrume.
    Falar nisso já ouviste falar do roubo de 200 milhões da Merenda Escolar dos alunos da Secretária da Educação de SP, cuja CPI foi engaveta como tudo dos governos da direita fascista.? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk piu..piu…piu…piu…piu…piu.

  • COXINHAS E AGORA VÃO BATER PANELAS. O QUE ME DIZ PEIXÃO?

    Temer condiciona realização de pacto à aprovação da Previdência.
    O presidente Michel Temer condicionou nesta terça-feira (16) a discussão de medidas para revisar o atual pacto federativo à aprovação da reforma previdenciária, que tramita na Câmara dos Deputados e ainda não tem o apoio necessário para que entre em vigor.

    Em discurso na abertura da 20ª Marcha Nacional dos Prefeitos, o peemedebista disse que a mudança na relação entre as unidades da federação é um dos objetivos de seu mandato. “Seguramente eu posso dizer que, logo depois de vencida essa etapa inicial das reformas fundamentais, vamos caminhar para o fortalecimento da federação e da simplificação do sistema tributário”, afirmou.
    A meta de revisar o pacto federativo foi defendida pelo peemedebista há um ano, em seu primeiro discurso à frente do Palácio do Planalto, mas ainda não foi realizada. Até o momento, o socorro aos Estados em calamidade só passou pela Câmara e ainda precisa ser votado pelo Senado. A renegociação dos débitos com o BNDES depende de decreto presidencial e a reforma do ICMS está em discussão entre os governos estaduais e a equipe econômica.
    “Vocês se recordam ou têm notícia de que, no meu discurso de posse, eu registrei que, fora as reformas estruturantes, logo depois teríamos de caminhar para instaurar no Brasil uma verdadeira federação. Para que a União seja forte, é preciso que os municípios sejam fortalecidos”, disse.
    O presidente citou a reforma tributária como um meio de revisar o pacto federativo. Inicialmente, a ideia do peemedebista era que as mudanças do PIS e do Cofins tivessem sido enviadas ao Congresso Nacional até maio. Elas, no entanto, ainda estão em discussão na equipe econômica e devem ficar apenas para o segundo semestre.
    No mesmo evento, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também defendeu a reforma previdenciária como uma condição para discutir outras mudanças. “Antes da reforma da Previdência e outras que organizem o estado brasileiro, é impossível fazer discussão verdade -demagógica e populista é fácil, mas uma discussão séria- sobre pacto federativo e reforma tributária”, afirmou.
    O governo peemedebista ainda não definiu quando colocará em votação em primeiro turno as mudanças na aposentadoria. Para evitar uma derrota, ele pretende ter uma margem de segurança de pelo menos 330 votos caso ocorram traições de última hora.
    A proposta depende de dois turnos de votação na Câmara dos Deputados. Nessa próxima etapa, o governo precisa do voto de pelo menos 308 deputados -patamar que ainda não conseguiu atingir. Depois, o texto também tem de passar pela aprovação do Senado.
    No evento, Temer assinou uma medida provisória que permite o parcelamento das dívidas previdenciárias dos municípios, Estados e do Distrito Federal. O valor total dessas dívidas soma R$ 90 bilhões e a expectativa do governo é que 4.570 entes da federação possam aderir ao programa.
    O anúncio da renegociação das dívidas com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) era esperado para o encontro dos prefeitos. A ideia é que a iniciativa funcione como um aceno aos governos municipais, dos quais o Palácio do Planalto espera apoio à reforma da Previdência por meio de pressão das bancadas no Congresso Nacional.
    “O que mais me alegra no dia de hoje é que posso assinar esta medida provisória com parcelamento em 200 meses do débito previdenciário e, convenhamos, não é só parcelamento. Nós reduzimos 25% dos encargos, 25% das multas e 80% dos juros”, disse o presidente.

    SUBFINANCIAMENTO

    Na abertura do encontro, o presidente da CNM (Confederação Nacional dos Municípios), Paulo Ziulkosk, criticou o atual pacto federativo que, segundo ele, sobrecarrega os municípios brasileiros, e afirmou que o subfinanciamento de programas governamentais tem causado a “desestruturação das cidades”.
    Em discurso, ele criticou o “viés concentrador” que recai sobre os municípios, que com poucos recursos são responsáveis, por exemplo, pelo saneamento básico e pelo ensino infantil. “Por que se atribui aos municípios problemas dos governos federal e estaduais?”, questionou.
    Ziulkosk cobrou ainda de Temer que mantenha o programa Mais Médicos, do governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, caso a iniciativa seja interrompida, caberá aos governos municipais o pagamento dos salários dos médicos.
    Ele também cobrou do presidente que derrube o veto a mudança nas regras de recolhimento de ISS (Imposto Sobre Serviços), uma das maiores fontes de receita das prefeituras. A proposta estipulava que o tributo sobre operações com cartões, leasing e planos de saúde passaria a ser recolhido nos municípios em que os serviços fossem prestados.
    Como o canalha de Temer o Golpista fascista, esta comprando os Deputados Federais e Senadores, para aprovarem a Reforma na Previdência ed agora como fica os golpistas vão ou não Bater Panelas e fazer Passeatas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *