DONO DE ACADEMIA FOI LARANJA DE AÉCIO EM PROPINA DA ODEBRECHT, DIZ DELATOR

sub-buzz-29857-1490097140-1

Não se pode condenar ninguém por conta de uma suposta delação que ainda precisa ser provada com documentos. Mas é curioso notar que Aécio sempre dava muito crédito às delações, quando elas eram contra petistas. Agora, ele já não acredita mais em delações. A notícia é do site BuzzFeed:

Alexandre Accioly, dono da badalada academia Bodytech, foi apontado na delação da Odebrecht de ser uma espécie de laranja do senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), ao fornecer uma conta fora do país para o tucano receber propina.

O caso está ligado a um um dos mais rumorosos episódios da delação da Odebrecht: a construção da bilionária usina Santo Antônio, em Rondônia. A obra é uma síntese do tamanho do esquema, que abasteceu, só nesse empreendimento, políticos do PMDB, PSDB e PT, de acordo com a empreiteira.

O projeto é de 2007, quando Aécio era governador de Minas Gerais e colocou a estatal Cemig como sócia do negócio. Pelo menos dois delatores da Odebrecht falaram da obra.

São eles Cláudio Melo, que falou sobre os políticos do PMDB e Henrique Valadares, que citou Áecio. A Folha de S.Paulo informou que Valadares acertou R$ 30 milhões com Aécio e Época disse ainda que foi usada uma conta em Cingapura – um dos principais centros financeiros internacionais.

O BuzzFeed Brasil apurou que o nome de Accioly foi citado no episódio. Segundo o relato da Odebrecht oferecido à Procuradoria-Geral da República, Aécio Neves usou uma conta ligada ao empresário para receber dinheiro fora do país.

Aécio e Accioly são amigos muito próximos. O empresário foi padrinho de casamento e dos filhos gêmeos do tucano. Aécio é padrinho da filha de Accioly.

Esta não é a primeira citação ao tucano, que disputou e perdeu a Presidência em 2014.

Delatores das empreiteiras Odebrecht e também da OAS já afirmaram aos investigadores que houve pagamento de propina a Aécio durante a obra da Cidade Administrativa – principal vitrine do governo dele em Minas Gerais (2003-2010). Ele nega.

Um dos principais executivos da Odebrecht na interlocução dos políticos, Benedicto Júnior disse ter destinado R$ 9 milhões, via caixa dois, para aliados de Aécio Neves a pedido do tucano. Aécio diz que pediu as contribuições dentro da lei.

O senador e o empresário Accioly foram procurados pelo BuzzFeed Brasil na quarta (22). Os dois negaram categoricamente o conteúdo das citações a seus nomes envolvendo a propina da hidrelétrica de Santo Antônio e questionaram, ainda, a legitimidade da delação da Odebrecht, que, segundo eles, mente ao falar de propina e contas fora do país.

4 comentários

  • De novo, Aécio. Não!

    Certamente dizer que Aécio pegou dinheiro da Odebrecht não é mais novidade e muito menos, a felicidade dos petralhas. Já que mais da metade dos politicos de Brasilia tambem pegou.
    Os petistas são craques em tomar dinheiro dos empresarios e idolatram Lula que é o chefe da quadrilha de extorsão empresarial. Portanto não podem falar nada.
    Todos os dias chovem noticias que tal politico pegou dinheiro e não acontece nada sendo que a população virou torcida de futebol pois os petistas juram que Lula e Dilma são honestos (e brigam por eles) e os coxinhas juram que Temer, Aécio, Serra são honestos.
    Lula, ainda, diz que é candidato a presidente e os petistas do bolsa familia juram que vota nele.
    Brasil é um país de corruptos, com a benção do povo

  • O sincero

    Tesoureiro de Dilma pediu caixa 2 para comprar partidos, diz ex-diretor da Odebrecht ao TSE

  • O sincero

    Marcelo Odebrecht diz ao TSE que Dilma sabia de doações por caixa 2

  • ELE

    VERDADEIRO—–Lista de políticos delatados pela Odebrecht é divulgada:-
    O presidente Michel Temer teria pedido R$ 10 milhões à empreiteira em 2014

    ** Os codinomes de Renan e Jucá estão presentes da planilha de propinas da Odebrecht.
    A lista com os nomes e codinomes dos políticos envolvidos na delação premiada da empreiteira Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato, foi divulgada nesta segunda-feira pelos sites Jota Info e BuzzFeed. O presidente da República, Michel Temer, teria pedido R$ 10 milhões em propina à empresa em 2014, de acordo com delação do executivo Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da empreiteira.

    Confira os nomes que constam na planilha da Odebrecht, divulgados pelos sites:

    Michel Temer
    Eduardo Cunha – “Caranguejo” (a empreiteira teria aprovado pagamentos de R$ 7 milhões ao ex-deputado)
    Romero Jucá – “Caju”
    Renan Calheiros – “Justiça”
    Rodrigo Maia – “Botafogo”
    Eunício Oliveira – “Índio”
    Geddel Vieira Lima – “Babel”
    Lúcio Vieira Lima (irmão de Geddel) – “Bitelo”
    Eliseu Padilha – “Primo”
    Moreira Franco – “Angorá”
    Jacques Wagner – “Polo”
    Delcídio do Amaral – “Ferrari”
    Anderson Dornelles – “Las Vegas”
    Gim Argello – “Campari”
    Ciro Nogueira – “Cerrado”, “Pequi” e “Helicóptero”
    Agripino Maia – “Pino” e “Gripado”
    Inaldo Leitão – “Todo Feio”
    Duarte Nogueira – “Corredor”
    Marco Maia – “Gremista”
    Antonio Brito – “Misericórdia”
    Paes Landim – “Decrépito”
    Heráclito Fortes – “Boca Mole
    Arthur Virgílio – “Kimono”
    José Carlos Aleluia – “Missa”
    Lídice da Mata – “Feia”
    Francisco Dornelles – “Velhinho”
    Arthur Maia – “Tuca”
    Adolfo Viana – “Jovem”
    Daniel Almeida – “Comuna”
    Paulo Magalhães Júnior – “Goleiro”
    Hugo Napoleão – “Diplomata”
    Jutahy Magalhães – “Moleza”
    Carlinhos Almeida
    João Almeida
    Kátia Abreu (PMDB)
    Rui Costa (governador da Bahia)
    Paulo Skaf (presidente da Fiesp)
    *Romário (PSB-RJ) – teria solicitado contribuição para campanha, mas a empreiteira não a realizou
    *Bruno Araújo (PSDB-PE) – apenas citado em tratamento institucional, não havendo referência a pagamentos.
    Alkimin ( PSDB )
    Aécio ( PSDB ). Cheiro.
    Aloysio Nunes ( PSDB ). Pitibul.
    Kassab
    Quase sua totalidade também pelo Caixa 2, por isso Gilmar Mendes quer acabar como crime o Caixa 2 com o apoio do PSDB e PMDB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *