DOS DEZ VEREADORES DE JALES, SOMENTE SETE IRÃO DISPUTAR A REELEIÇÃO

O jornalista Luiz Ramirez, do Jornal de Jales, ouviu todos os dez vereadores da nossa Câmara Municipal, sobre as intenções deles com relação às eleições deste ano. Os vereadores Chico do Cartório, Tiago Abra e Tiquinho disseram que não deverão tentar a reeleição. Eis o que eles disseram ao JJ:

Adalberto Francisco de Oliveira Filho (Chico do Cartório) -MDB  – Está em seu primeiro mandato e não deverá ser candidato à reeleição, por questões familiares e profissionais.

Bismark Kuwakino – PSDB  Vai tentar a reeleição pela primeira vez. Continua no PSDB. Acha difícil ganhar porque o partido deverá ter mais candidatos de peso, mas isso, segundo ele, é bom para fortalecer a agremiação. 

Claudecir José dos Santos (Tupete) – DEM   Pretende disputar a reeleição, também pela primeira vez, mas não tem certeza se continuará no DEM. Tudo vai depender dos entendimentos até o prazo de definição do partido pelos futuros candidatos.

Fábio Kazuto Matsumura – PSB    Também em primeiro mandato, pretende disputar pela segunda vez, mas não mais pelo PSB que deixou de ter representatividade em Jales, com a migração de integrantes para outros partidos. Deve mudar para o DEM.

João Zanetoni – PSB  Quer disputar a reeleição, também para um segundo mandato, mas não pelo PSB. Disse que já recebeu várias propostas, mas ainda vai decidir. Disse que está aberto para sair de vice, se for convidado.

Luiz Henrique Viotto (Macetão) – PP    Está disposto a disputar qualquer cargo em oposição à atual administração municipal. Pode ser como vereador, como vice-prefeito e até mesmo como prefeito, dependendo da composição que se formar.

Nivaldo Batista de Oliveira (Tiquinho) – PSB  Não vai mais disputar, pois precisa cuidar melhor da sua empresa. Acha que já fez sua parte como vereador por dois mandatos quando ocupou a presidência da Câmara por três vezes e foi prefeito por 15 dias.

Tiago Abra – PP  Não vai mais disputar como vereador. Acredita que já deu sua contribuição durante dois mandatos. Quanto a aceitar possíveis convites para compor como candidato a vice-prefeito, disse que ainda vai pensar. No momento está mais preocupado com seus negócios.

Vagner Selis (Pintinho) – Republicanos – Quer ser candidato à reeleição pelo mesmo partido. Em seu primeiro mandato foi presidente da Câmara em 2017 e 2018 e acredita que poderá se reeleger, pois na eleição passada foi o que obteve melhor resultado, com 1198 votos.

Vanderley dos Santos (Deley) – PPS  –  Quer ser candidato à reeleição, mas desta vez pelo DEM, pelo mesmo motivo de Kazuto: o seu partido está sendo esvaziado em Jales, como afirmou.

8 comentários

  • Sombra

    Luiz Henrique Viotto (Macetão) – PP – Está disposto a disputar qualquer cargo em oposição à atual administração municipal. Pode ser como vereador, como vice-prefeito e até mesmo como prefeito, dependendo da composição que se formar.

    SE O MACETÃO SE RECANDIDATAR A QUALQUER CARGO, SERÁ QUE ELE TEM CORAGEM DE PEDIR VOTOS NO BOSQUE, PQ. DAS FLORES E DISTRITOS?

  • Eu

    Se depender do meu voto para se eleger vão todos pra roça.

  • DOS SETE, NENHUM SERÁ REELEITO.

    NENHUM SERÁ REELEITO À NADA, NEM PARA GUARDA DE QUARTEIRÃO.

  • SÓ JUMENTO VOTOU EM BOZONARO.,

    PODEM ” NÃO ” CONTAR COM MEU VOTO.;

  • Porteiro de Motel

    A baixíssima popularidade dos verdaores que apoiam incondicionalmente a administração Frá indica que o prefeito vai pelo menso caminho. Acho bom ele continuar a trabalhar para o Rodrigo porque vai ser lá o proximo cabide político que ele vai se pendurar. Ou então vai apreender a pedir emprego de verdade, coisa que ele nunca fez.

  • vivendo

    Saracuza de Urania para prefeito Jales

  • Vereadores e seus sonhos

    Eu não tenho “bola de cristal” para saber se os atuais vereadores vão continuar. Para se reelegerem, eles dependem dos votos de uma população que não sabem votar, lamentavelmente.
    O apoio incondicional ao prefeito não foi culpa só deles que obedecem a orientação do seus partidos. Certamente, o erro começou lá trás.
    Foi na eleição, quando os partidos se reuniram para apoiar um só candidato. Não deram a oportunidade do eleitor escolher outro candidato. Lamentável!
    Não sabemos o que foi acordado com os partidos, para optarem fazer um plebiscito. Não vi os partidos se manifestarem nos erros que foram cometidos. Como aumentar em 23% o IPTU, revisar a planta genérica, implantar a zona azul e engavetar a sindicância que apontou o prefeito como omisso na fiscalização da Tesouraria. Vimos os partidos, os jornais e este blog quietinhos.
    Agora, alguns vereadores sonham que o partido arrume um emprego de vice-prefeito e até mesmo como prefeito. Outros, querem cair fora do PSB que acabou.

  • Eu heim

    Os dois únicos que não são semianalfabetos não querem permanecer na política. Grave sinal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *