EM DOIS MESES, BOLSONARO TORRA R$ 1,1 MILHÃO COM CARTÕES CORPORATIVOS DA PRESIDÊNCIA

Os gastos com cartões corporativos da presidência da República nos dois primeiros meses do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) aumentaram 16% em relação à média dos últimos quatro anos. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (6) pelo Estadão.

Segundo a reportagem do Jornal, apesar de ter seu fim defendido durante a transição, a nova gestão não só manteve o uso dos cartões como foi responsável por uma fatura de R$ 1,1 milhão.

A reportagem destaca que a descrição da maioria dos pagamentos é considerada sigilosa pelo governo. Nem mesmo a data em que a despesa foi feita é divulgada. O argumento é que informar os gastos do presidente pode colocar em risco a sua segurança.

Ainda de acordo com a reportagem, do total gasto pela Presidência, só 1,4% –R$ 15,5 mil – está detalhado.

9 comentários

  • Enfermeiro cubano

    GOSTARIA DE SABER ONDE ESTÃO OS BOLSOMERDAS MILICIANOS FASCISTAS-POR FAVOR TODOS CORRENDO ATRAS DO PSICOPATA BOLSONARO POIS O MESMO NESTE CARNAVAL FUGIU DO MANICÔMIO. ISSO VAI SER FÀCETE.
    O HOMEM É LOUCO MESMO E ESTA FALTANDO ALGUNS PARAFUSOS EM SEU CÉREBRO E NO LUGAR SÓ TEM MERDA. AO ACHA-LO CUIDADO POIS ELE MORDE E TRANSMITE MUITA BURRICE.
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.

  • Enfermeiro cubano

    PALAVRAS DE UM GOLPISTA MOR:—

    ‘Absoluta desnecessidade enviar vídeo abjeto ao povo brasileiro’, diz autor de pedido de impeachment contra Dilma
    Para Miguel Reale Júnior, presidente pode ser enquadrado em artigo sobre falta de decoro na lei de crimes de responsabilidade.
    A publicação de um vídeo contendo atos obscenos pelo presidente Jair Bolsonaro configura quebra do decoro e pode até mesmo justificar um processo de impeachment, segundo o jurista Miguel Reale Júnior . Em 2015, ele foi um dos autores do pedido que levou a saída de Dilma Rousseff (PT) do cargo.
    A lei 1.079 de 1950, que define os crimes de responsabilidade do presidente da República, afirma que é crime contra a probidade na administração “proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo”.
    Para especialistas, post de vídeo publicado por Bolsonaro representa quebra de decoro e da liturgia da Presidência.
    Postagem obscena: oposição diz que Bolsonaro feriu a lei e pede até suspensão de conta no Twitter
    Imagem da matéria
    Post polêmico de Bolsonaro tem destaque na imprensa internacional e o próprio é tido como um louco pela imprensa Internacional..
    Após postagem polêmica, Bolsonaro questiona usuários sobre prática sexual: ‘O que é golden shower?’
    O advogado lembrou que o conceito de decoro requer a decência, compostura, respeito ético e moral e, também, a discrição de quem ocupa um cargo público. Para Reale Júnior, a possível quebra de decoro é reforçada pelo caráter desnecessário da divulgação do vídeo.
    Segundo o jurista, caso quisesse denunciar os responsáveis, o presidente poderia ter ordenado a um auxiliar para que fizesse uma comunicação à polícia.
    — O que eu destaco é a absoluta desnecessidade de enviar este vídeo abjeto ao povo brasileiro para denunciar algo que tinha sido visto, previamente, por algumas centenas de pessoas. Um auxiliar, reservadamente, poderia fazer isso junto à autoridade policial. Com a divulgação, ele deu exposição a um fato restrito, sem nenhuma necessidade: ou seja, ampliou o ato. Algo que seria visto por algumas pessoas foi visto pelo Brasil inteiro — afirmou.
    TEMOS QUE PRENDE-LO NUMA JAULA.

  • Sérgio

    Ladrãozinho mequetrefe esse Bolsoidióta. Os médicos do Aistein deveriam ter colocado a Bolsa de Colostomia em seu cérebro ao invés de colocarem no intestino, assim talvez fizesse menos asneiras.

  • sukodilaranja

    Sai Petralha. Entra Metralha. Mas há uma diferença. Os metralha remunera melhor quem tem as profissoes que usam armas, e as que tem o poder de prender, soltar e julgar. Contrataram até 1 Juiz imparcial para o time.

  • Só não foi pior do que Dilma/14

    Para quem não sabe, 1.846 servidores estão registrados para usar os cartões corporativos. Eles foram responsáveis por um gasto total de R$ 5,3 milhões até agora no ano.
    Neste caso, quando considerados todos os órgãos do governo, houve uma economia de 28% em relação à média dos últimos quatro anos.
    No caso da Secretaria de Administração, o R$ 1,1 milhão só é menor do que o gasto nos dois primeiros meses de 2014, quando a gestão Dilma Rousseff desembolsou R$ 1,4 milhão, em valores atualizados pela inflação.
    Além de eventuais despesas em favor de Bolsonaro, a secretaria é responsável por gastos de familiares do presidente e das residências oficiais. Responde ainda por pagamentos corriqueiros da Presidência.
    O governo estuda acabar com o uso do cartão.
    É uma vergonha

  • Sérgio

    Se em 2 meses já gastou isso, imagina em 4 anos. Pergunta que não quer calar: quanto será a mesada da esposinha de Libras e dos filhinhos 01, 02, 03 e outros mais???

  • pior-melhor

    Só não foi pior do que Dilma/14 meu caro cuidado porque ao puxar o saco de Bolsonaro Miliciano, pode acabar puxando ou chupando outra coisa do Coiso.

  • Pior-Melhor

    Só não foi pior que Dilma ( 2 —24 ) pode falar para ela não me condenar, pois vou voltar na ativa e isso agrada você e ela.
    Mas não adianta reclamar, pois será um de cada vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *