ESCONDIDO EM CASA QUE PERTENCE AO ADVOGADO DE FLÁVIO E JAIR BOLSONARO, FABRÍCIO QUEIROZ É PRESO EM ATIBAIA

E o cerco está se fechando… Além de prender o Queiroz, a polícia cumpriu mandado de busca e apreensão em um imóvel que está na relação de bens do presidente Jair Bolsonaro. A notícia é do UOL:

Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, foi preso na manhã de hoje em Atibaia, cidade do interior paulista, numa ação conjunta do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) e do MP-SP (Ministério Público de São Paulo).

Queiroz foi localizado em um imóvel do advogado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de Flavio, Frederick Wassef, e não resistiu à prisão. Além da prisão, policiais também fazem busca e apreensão no local.

Queiroz será levado para o Palácio da Polícia, no centro de São Paulo, para procedimentos legais e deve ser transferido ainda hoje para o Rio de Janeiro. A prisão é preventiva.

A operação, batizada de Anjo, cumpre ainda outras medidas autorizadas pela Justiça relacionadas ao inquérito que investiga suposto esquema de rachadinha, em que servidores da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) devolveriam parte de seus salários ao então deputado Flávio Bolsonaro, que exerceu mandato de 2003 a 2019.

Flávio, que sempre negou irregularidades, tentou barrar a investigação, mas foi derrotado, e as apurações foram retomadas por decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Em abril, em outra derrotada para o senador, o ministro Felix Fischer, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), negou um pedido para que as investigações fossem suspensas.

Para os investigadores, o senador é chefe de uma organização criminosa que atuou em seu gabinete na Alerj entre 2007 e 2018, e parte dos recursos movimentados no esquema foi lavada em uma franquia de uma loja de chocolate da qual ele é sócio.

Promotores investigam ainda se a “rachadinha” teria sido usada para financiar uma milícia que era comandada pelo ex-policial Adriano Nóbrega, morto em fevereiro, e apontado pelo MP como chefe da milícia que controla a comunidade do Rio das Pedras, em Jacarepaguá.

3 comentários

  • Eu

    Se ele merece tem que pagar, que a verdade seja buscada com transparência, aberta, sensata,e que seja para todos será? Será que todos que praticaram a rachadinha serão punidos? Uma vez tomada a decisão que jamais se afastem dela, com transparência tudo vem a tona, pois somente correr não adianta, é preciso chegar a tempo, poxa, nesses tempos de pandemia entendo o que Pítágoras disse: O homem verdadeiramente bom é aquele que, mesmo podendo, não faz o mal,'” BEM AVENTURADOS OS AFLITOS, PORQUE SERÃO CONSOLADOS.

  • Um dia, a casa cai

    Até as emas do Palácio do Alvorada sabiam que esse dia chegaria, pelos relatos de aliados do presidente. Queiroz é um nome que acompanha o noticiário desde o começo do governo, pelo explosivo elo que é entre Bolsonaro e o submundo das milícias do Rio.
    O presidente é amigo de Queiroz desde 1984 e terceirizou o antigo faz-tudo para o gabinete do filho Flávio, quando o atual senador pelo Rio era um deputado estadual.
    O resto é história: a rachadinha, os pagamentos envolvendo a família, a contratação de funcionários fantasmas, as movimentações suspeitas e o contato com milicianos.
    Bolsonaro e Flávio se alternaram entre lavar as mãos e defender Queiroz. A natureza da operação indica que eles sabiam bem mais sobre a proteção dada ao aliado.
    Queiroz estava escondido numa casa do advogado Frederick Wassef, frequentador dos palácios de Brasília. E houve batida em um escritório politico do clã, no Rio.
    A ação coroa uma tempestade perfeita, o impeachment, para o presidente, que vive uma crise entre Poderes desde o começo do ano, agravada pela desorientação no combate à pandemia do novo coronavírus, a famosa reunião de ministros e a bomba recessiva que se arma na economia do país.

  • Abraham Lincoln

    Meu Deus, como é suja a política!!! Como é farta a bandidagem nesse meio!!! Essa galera está até o pescoço envolvida com toda sorte de atividades desprezíveis. Será de esforço hercúleo a manutenção do mandato presidencial até seu término ordinário. Seria lamentável que, dos cinco presidentes eleitos pós constituinte e na nova república, três deles não chegassem ao fim do mandato por impedimento. Mas, francamente, os caminhos apontam nitidamente nesta direção. A maioria dos escolhidos pelo povo foram bandidos ou incompetentes. E como gostam os bandidos dos ares de Atibaia!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *