ESTADÃO DESMENTE FAKE NEWS DISSEMINADA POR BOLSOMINIONS E REPERCUTIDA POR FLÁVIO BOLSONARO

A campanha já acabou, mas os bolsominions continuam espalhando mentiras nas redes sociais.

O senador eleito Flávio Bolsonaro – também conhecido como Zero Um – insinuou, em entrevista “chapa-branca” na RedeTV, que está sendo perseguido por setores petistas do Ministério Público do Rio de Janeiro. A versão do ex-chefe do Queiroz está sendo desmentida pelo Estadão.

Enquanto isso, o deputado federal e ministro informal das Más Relações Exteriores, Eduardo Bolsonaro, que está acompanhando o “papi” em Davos, criticou uma medida – por sinal, tardia – do Whatsapp, que restringe o reenvio de mensagens a no máximo cinco destinatários, com o objetivo de combater a disseminação de notícias falsas.

Mas, vamos à notícia – verdadeira – do Estadão:

Imagens de integrantes do Ministério Público usando camisetas com os dizeres “MP contra o golpe” têm circulado nas redes sociais com mensagens que sugerem que os promotores envolvidos nas investigações do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e de seu ex-assessor Fabrício Queiroz estariam politicamente motivados. No entanto, as fotos são de protestos em Belo Horizonte, Minas Gerais, e não têm relação com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), responsável pelo caso.

Os registros são de manifestações contra o impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff, em março de 2016. Em nota enviada ao Estadão Verifica, o MPRJ confirmou que as imagens mostram promotores do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Ao fazer uma busca por imagens com as palavras-chave “MP contra o golpe” é possível encontrar outras evidências que corroboram este fato: uma publicação do site Jornal GGN e um tweet de um perfil verificado de Belo Horizonte.

O próprio Flávio Bolsonaro repercutiu, em entrevista à Rede TV neste domingo, 20, as imagens com contexto falso. “Está circulando imagem de supostos promotores com camisas dizendo ‘sou do MP e sou contra o golpe’. É uma clara evidência de simpatia com o PT”, disse. “Na verdade, estão vendendo uma narrativa de que meu ex-assessor (Fabrício Queiroz) que pegava tudo (salário de assessores) e depositava na minha conta”, completou.

O procurador geral do MPERJ, Eduardo Gussem, afirmou nesta segunda-feira, 21, que o filho do presidente Jair Bolsonaro e outros 26 deputados estaduais fluminenses citados em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) são investigados na esfera civil por suspeita de improbidade administrativa.

7 comentários

  • Enfermeiro cubano

    OLHA A DIREITA FASCISTA O QUE PREGA:—————

    PALAVRAS DE DILMA ROUSSEFf******
    ·

    FAKE NEWS AOS ITALIANOS
    Bolsonaro passa notícia falsa à emissora de TV da Itália.

    O presidente Jair Bolsonaro divulgou uma fake news que seus apoiadores vêm disseminando há bastante tempo. Tornou-se transparente, assim, a origem dessas acusações, uma vez que agora foram feitas diretamente pelo próprio presidente para um público internacional.
    Em entrevista concedida a um programa de auditório da RAI, emissora italiana de TV, o presidente proferiu acusação falsa e ignomiosa, atribuindo a mim participação na VPR, organização de oposição à ditadura militar. Construiu a sua fala de modo a passar a ideia de que eu teria participado de ações violentas, em especial de uma que causou a morte de um soldado.
    A verdade é que nunca fui integrante deste grupo, jamais participei de qualquer ação armada e não propus ou contribui para a morte de quem quer que seja.
    Pertenci, na verdade, a outra organização política de oposição à ditadura, a VAR-Palmares.
    O curioso é que os detalhes da minha atuação contra a ditadura militar no Brasil foram investigados e julgados pelos órgãos integrantes do aparato judicial-repressivo do regime militar, dos quais o então militar Bolsonaro foi próximo. Fui presa por três anos, fui torturada, e jamais me interrogaram ou julgaram por tais acusações, que agora, de forma irresponsável e injuriosa, me faz o presidente.
    Meu nome também não é citado entre os militantes acusados de participarem da ação de São Paulo, no livro que trata do assunto, editado pelos próprios militares, após o fim da ditadura.
    A ação específica a que Bolsonaro e seus apoiadores se referem ocorreu em São Paulo, em 26 de junho de 1968, período em que eu residia em Belo Horizonte e frequentava a Faculdade de Economia da Universidade Federal de Minas Gerais. Não tinha o dom da ubiquidade, e ainda não tenho.
    O presidente está apenas repetindo uma notícia falsa e insidiosa espalhada por seus apoiadores durante a campanha eleitoral, por meio de um vídeo comprovadamente forjado.
    É a terceira vez que, por má-fé, essa mesma fake news é usada contra mim. A primeira foi em 2010, quando assumi a Presidência da República. A mentira foi divulgada por blogs fascistas. A segunda vez ocorreu na campanha eleitoral do ano passado, quando enormes somas de dinheiro foram gastas para espalhar notícias falsas contra os principais candidatos do PT, nas redes sociais. Agora, já na Presidência da República, Jair Bolsonaro repete aos telespectadores italianos informações falsas usadas para enganar o eleitor brasileiro.
    É profundamente lamentável que um chefe de Estado venha a proceder dessa forma.

    DILMA ROUSSEFF

  • Enfermeiro cubano

    A DIREITA ORDINÁRIA FAZENDO O BRASIL A PASSAR VERGONHA:

    *****VEXAME. 1° PRESIDENTE.DO BRASIL A ENTRAR PELA PORTA DOS FUNDOS DE UM HOTEL, COM MEDO DA IMPRENSA INTERNACIONAL. NA SUÍÇA.

  • Enfermeiro cubano

    E A DIREITA LADRONA E CORRUPTA CONTINUA COM SUAS MENTIRAS:

    *****Escritura de imóvel vendido por Flávio Bolsonaro mostra data divergente aos depósitos.
    O GLOBO teve acesso aos valores negociados pelo parlamentar; pagamentos começaram em 24 de março.
    RIO – A escritura de uma cobertura na Rua Pereira da Silva, em Laranjeiras, no valor de R$ 2,4 milhões mostra as condições do contrato de permuta entre o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) e o ex-atleta Fábio Guerra na negociação.No documento, ficou estabelecido que, além da troca de dois imóveis, Guerra deveria pagar R$ 600 mil. Os primeiros R$ 550 mil foram um sinal que começou a ser pago no dia 24 de março de 2017. Além disso, foram pagos R$ 50 mil no ato da escritura que foi finalizada no 10º ofício de notas em 23 de agosto de 2017. No documento, não ficou descrito nenhum pagamento em dinheiro vivo.

  • Enfermeiro cubano

    A DIREITA CORRUPTA E FASCISTA FAZENDO DAS SUAS MARACUTAIAS ATRAVÉS DO EX-JUIZ MORO:::

    *****A CUMPLICIDADE SILENCIOSA DE MORO
    Moro com Bolsonaro em comitiva rumo a Davos, na Suíça, causou um rebuliço nas redes sociais, jornalistas e internautas criticando o fato do ex-juiz e atual Ministro da Justiça do governo, não se pronunciar sobre o caso Queiroz/Flávio Bolsonaro.
    Com as novas revelações das movimentações de 7 milhões movimentados na conta de Queiroz, o pagamento de 1 milhão em título por Flávio Bolsonaro , a crise se acentuou, fazendo também a popularidade do presidente e seu clã cair no Twitter e aumentar as menções negativas, a cobrança dos internautas de pronunciamentos do ex-juiz da Lava Jato também ganhou as redes.

  • Vai cair. Já posso ouvir o barulho do tombo. E vai levar Bobi Pai junto. Tudo ladrão.

  • Anonimo

    Estadão DESMENTE*** (DEMENTE) FAKE NEWS

    Tá certo isso produção ?

  • A historia se repete!

    Que ridículo?Os bolsonaristas se comportam exatamente como petistas, atacando as investigações e acreditando automaticamente em qualquer conversa mole de seus ídolos.
    Políticos devem ser analisados sempre com desconfiança. Morrer de paixão por eles é coisa para bobalhão. Ridículo! Ficar lembrando o “golpe” de Dilma. Uma mentira petista.
    Se Flavio e os 26 deputados do RJ roubavam salários dos funcionários tem que ir para a cadeia. Não importa que seja e muito menos o partido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *