ESTUDANTES DE SÃO PAULO PROTESTAM CONTRA REESTRUTURAÇÃO DA REDE ESTADUAL DE ENSINO

images_cms-image-000462995

A notícia é da Agência Brasil:

Estudantes de São Paulo fizeram um novo protesto, nesta sexta-feira, contra a proposta de reestruturação da rede estadual de ensino, na capital paulista.

Pelo projeto da Secretaria estadual da Educação, a partir do ano que vem as escolas vão passar a ter apenas um dos três ciclos de ensino básico:  primeiro ao quinto ano do ensino fundamental, sexto ao nono ano do ensino fundamental ou ensino médio.

A manifestação foi liderada pela Umes — União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo. A diretora executiva da instituição, Natalia Prete, afirma que a medida — caso seja implantada — vai afetar estudantes que poderão ficar longe de suas casas e locais de trabalho.

Ainda segundo Natalia Prete, há informações de que cerca de 150 escolas serão fechadas e 40 mil funcionários e professores demitidos. Estudante do primeiro ano do ensino médio, Mariane Sousa se mostrou preocupada com a reestruturação.

Por meio de nota, a Secretaria da Educação informou que o estudo sobre a reforma está sendo finalizado e que nem todas as escolas passarão pelo processo de reorganização. Afirmou ainda que o compromisso não é com o fechamento de escolas, mas com a melhoria na qualidade do ensino.

4 comentários

  • NOIS

    AOS PAULISTANOS QUE ELEGEREM ESSA ESCÓRIA DO ALKIMIN NO PRIMEIRO TURNO—-ALGUMAS DE SUAS REALIZAÇÕES:******

    *no início do governo de 2014 elevou seu salário, dos secretários e dos deputados estaduais.
    *não deu aumento de salários aos funcionários públicos estaduais.
    *em agosto Alkimin renovou com a VEJA um contrato destinado as escolas estaduais, no valor de 670 mil reais, para serem usados talvez no Banheiro.
    *fez acordo em 2006 com o PCC, para cessar os ataques no Estado de São Paulo.
    *pegou emprestado do governo federal 3,5 Bilhões para o abastecimento e diminuir a falta de água, o dinheiro sumiu e a água também.
    *aumentou a tarifa da água em 25,8 %.
    *apesar disso os paulistanos estão bebendo água de esgoto.
    *tirou dinheiro do Leite das crianças do Estado de São Paulo e transferiu tudo para a caixa dos frigoríficos.
    *concedeu aos devedores do Estado vantagens fiscais para frigoríficos e Empresas de Grande Porte.
    *continuo a corrupção no Trensalão, no Metrô e na Sabesp e a roubalheira foi abafada.
    *considerado não sei por quem nem por que melhor gestor Hídrico do país e ao mesmo tempo decretou sigilo na Sabesp por 15 anos.
    *fez nos últimos 3 anos no Estado de São Paulo 14 Penitenciarias e nenhuma Escola.
    *vai fechar 250 escolas e milhares de alunos sem aulas e quase 20 mil professores sem trabalho.
    * mantem na Educação salas de aula com mais de 45 alunos, onde só cabem 35.
    *continua a Progressão Continuada ( aluno é obrigado a passar de ano, mesmo sem saber e sem nota ).
    *falta de materiais didáticos nas Escolas e nas Secretárias.
    *fechou mais de 22 Santa Casa de Misericórdia no Estado.
    *ICMS mais caro do Brasil ( ICMS é imposto decretado pelos Estados ).
    *IPVA os mais caros do Brasil.
    *pedágios os mais caros do Brasil e nas mãos do filho do Mário Covas.
    *segurança pública falida.
    Esse é o verdadeiro facínora, corrupto, ladrão, escoria, crápula e outros adjetivos mais. Mas no fundo aos paulistanos BEM FEITO POIS VOCÊS ELEGERAM ESSE BURGUÊS, FASCISTA, CAPITALISTA E AGORA TEM QUE AGUENTAR ATÉ 2018 E NA ELEIÇÃO PASSADA QUALQUER UM DE QUALQUER PARTIDO ERA MELHOR QUE ESSA VÍBORA.

  • odeio psdb

    se o lula voltar voto nele de novo, fora psdb, PT o unico partido que colocou a policia nas ruas para investigar
    e povo ainda critica e esquece de investiar maior quadrilha chamada psdb que esta assaltando o dinheiro publico com a cosntrução do metro

  • PRIMEIRA VEZ

    AOS COXINHAS FASCISTA ASSASSINOS %%%%%%%%%%%%%%%%%

    Alckmin e a organização criminosa dentro da PM
    Em relatório encaminhado à Justiça Militar e assinado pelo capitão Rodrigo Elias da Silva referente a chacina de Carapicuíba. Apenas diz o que todos sabiam mas ninguém tinha a coragem sequer de dizer.
    O capitão Rodrigo Elias da Silva afirma que “os crimes foram praticados por organização criminosa” que, segundo as investigações, que decidiram matar supostos responsáveis por roubar a bolsa da mulher do soldado Douglas Gomes Medeiros, que foi preso dias depois da chacina por ter sido reconhecido como um dos atiradores.
    O capitão da Corregedoria concluiu que “há um grupo organizado com clara intenção de praticar crimes em Carapicuíba” que montaram toda uma estrutura para a realização de assassinatos na região.
    O secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, em recente entrevista, negou a existência de grupos de extermínio ou de organizações criminosas na Polícia Militar. “Existem pessoas que matam”, afirmou. Em nota, a secretaria informou que “os termos utilizados pela Corregedoria da PM apenas repetem a tipicidade penal” e Moraes mantém as declarações dadas anteriormente. O caso está em segredo de Justiça.
    Infelizmente o capitão Rodrigo Elias da Silva esqueceu de mencionar que não é apenas na cidade de Carapicuíba que existe uma organização homicida e sim em diversas cidades e regiões de São Paulo.
    O que muitos não sabem também é que há indícios sérios um misto de conivência e permissividade com a criminalidade e grupos de extermínio em São Paulo.
    Em 2009 quando entrevistado pela pela produção do programa Dateline, do canal SBS da Austrália Geraldo Alckmin se mostrou irritado e fugiu quando questionado sobre a existência de grupos de extermínio em São Paulo. Vídeo que você pode assistir clicando aqui.
    Em 2012 o Canal Rede Bandeirantes publicou uma reportagem onde em denuncia anônima uma testemunha alegou uma fina relação entre o governo do estado e a organização criminosa PCC. Link da reportagem.
    O atual secretário de segurança publica Alexandre Moraes foi advogado em 123 ações da transcooper uma das cinco associações e empresas citadas em investigação que apura suposta formação de quadrilha e lavagem de dinheiro do Primeiro Comando da Capital. Link aqui

    Também em 2012 Geraldo Alckmin tentou absolver a PM e seus grupos de extermínio com a infame frase:

    Quem não reagiu está vivo..

    Então veja a estreita relação entre o governo paulista, extermínios e a criminalidade. E como estamos acompanhando a situação tende a piorar…

    Execuções
    Em menos de três meses, vinte policiais militares foram presos por suspeita de envolvimento em duas chacinas e duas execuções. Nos quatro casos, 26 pessoas foram assassinadas.
    Agentes da PM são os principais suspeitos de participar da maior chacina da história de São Paulo, que deixou 19 mortos e 5 feridos, em Osasco e em Barueri, na região metropolitana do Estado. O crime aconteceu no dia 13 de agosto. 6 policiais e 1 guarda-civil estão presos. Outros dois PMs que eram investigados acabaram presos em flagrante por porte de arma e munição irregulares, durante uma operação realizada no último dia 8.
    Em 7 de setembro, dois jovens suspeitos de roubar uma moto foram perseguidos e mortos por PMs do 16º e 23º Batalhão, no Butantã, na Zona Oeste da capital paulista. Fernando Henrique da Silva foi preso e jogado de cima de um telhado. Depois, foi morto com dois tiros. Já Paulo Henrique de Oliveira foi algemado e dominado na rua. Depois, foi executado. Seis PMs foram denunciados e permanecem detidos. Um vai responder em liberdade.
    Justiça Militar decretou a prisão de dois policiais militares suspeitos de matar o vigilante Alex de Morais, de 39 anos, em Sapopemba, na Zona Leste. Os policiais registraram o caso como atropelamento, mas o laudo médico apontou que ele foi baleado na nuca.

  • DESANIMADO

    AOS PAULISTAS BURGUESES, FASCISTAS E CAPITALISTAS, CONTINUEM VOTANDO NOS COXINHAS, POIS O CORRUPTO ALKIMIN ESTA ACABANDO COM AS SANTAS CASAS, DOANDO OS PEDÁGIOS MAIS CAROS DO BRASIL PARA O NETO DE COVAS,COLOCANDO SIGILO SOBRE A CORRUPÇÃO NA SABESP, NO TRENSALÃO , NO METRÔ E NA SEGURANÇA PÚBLICA, PARA QUE NINGUÉM SAIBA DA PODRIDÃO QUE EXISTE NESTES ÓRGÃOS E AGORA ESTA ACABANDO COM A EDUCAÇÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO, FECHANDO MAIS DE 150 ESCOLAS, OU SEJA NOSSOS JOVENS VÃO SE TORNAREM ANALFABETOS POLÍTICOS , PARA CONTINUAREM VOTANDO NESSA CORJA E CONTINUADO ENRIQUECENDO ESSA CLASSE DE DIREITA FASCISTA E CAPITALISTA E A CLASSE MÉDIA PARA BAIXO VIVENDO ABAIXO DO NÍVEL DA POBREZA, EM PRAZER DA CLASSE RICA QUE REPRESENTA MAIS OU MENOS 1 % DA POPULAÇÃO BRASILEIRA E OS PAULISTA SÃO NA MAIORIA CULPADOS DESSA SITUAÇÃO, ELEGENDO NO PRIMEIRO TURNO ESTE CRÁPULA PARA GOVERNADOR DO ESTADO. AGORA AGUENTEM.

    A reformulação das escolas da rede paulista por ciclos de ensino a partir do ano que vem envolverá a “entrega” de ao menos 94 unidades atualmente ocupadas por estudantes dos ensinos básico e médio de São Paulo.
    Dessas 94 escolas, distribuídas em todo o Estado, 66 serão repassadas para as redes municipais (que poderão transformá-as em creches ou pré-escolas) ou serão aproveitadas pelo próprio governo Geraldo Alckmin (PSDB) como unidades de ensino técnico, de ensino de línguas ou de educação de jovens e adultos. Outras 28 unidades ainda estão com o destino incerto –o governo negocia sua utilização com as prefeituras.
    A gestão Alckmin decidiu dividir os colégios estaduais de São Paulo por ciclos de ensino, em um plano que vai fazer com que cerca de 311 mil alunos da rede paulista mudem de escola a partir do ano que vem. A rede estadual paulista tem 5.147 escolas e atende a 3,8 milhões de alunos. Ainda não foi divulgado a lista das unidades que sofrerão mudanças.
    O governo se calca em estudos que mostram que colégios que atendem uma única etapa de ensino têm notas melhores. A Secretaria de Educação cita como exemplo levantamento interno que apontou que as notas dessas escolas estaduais possuem rendimento 22% superior ao das demais.
    “Ao longo dos anos ficará claro que essa é uma ação importante para melhorar a qualidade do ensino”, afirmou o secretário da Educação, Herman Voorwald.
    Apresentada em linhas gerais em setembro, a iniciativa provocou uma série de críticas e manifestações de estudantes, pais de alunos, sindicato e movimentos estudantis contra o fechamento de escolas. O sindicato dos professores chegou a falar no fechamento de 155 unidades. Sobre isso, o secretário disse que “meu compromisso é de garantir que os meninos estudem na melhor escola possível. A quem interessa protestar contra isso?”, indagou Voorwald.
    Quando lançou a proposta, em setembro, o governo chegou a dizer que a reorganização poderia abranger até um milhão de estudantes. O número final ficou menor porque, segundo a secretaria, em alguns casos não foi preciso fazer o remanejamento; em outros, não houve condições (não havia outra unidade próxima ou o colégio próximo era de difícil acesso).
    Reorganização escolar na rede de SP
    Com a reformulação, a Secretaria de Estado da Educação vai criar 754 escolas de ciclo único –focadas em uma única faixa etária. Segundo a pasta, o ciclo único atingirá um total de 2.197 escolas (43%) em todo o Estado a partir de 2016. Em relação as escolas com dois ciclos, a secretaria informou que haverá uma redução de 18% –passando de 3.209 para 2.635.
    Entre os critérios usados para reformular os ciclos, segundo a pasta, estão o número máximo de alunos por sala e a distância de até 1,5 km da atual escola para a nova unidade. “A reorganização da rede atende a uma mudança demográfica no Estado, que, desde 1998, teve um declínio de 2 milhões de alunos em suas unidades de ensino, e à constatação de que escolas de segmento único, modelo a ser intensificado, têm rendimento superior às demais.”
    “O momento é propício para mudanças e elas são necessárias. O rol de prédios construídos nos últimos anos atende a uma população que diminuiu consideravelmente e, por isso, é possível que agora entreguemos escolas melhores, focadas em ações pedagógicas para cada etapa do ensino”, afirma o secretário.

    Escolas de ciclo único

    No dia 13 de outubro, Voorwald, afirmou que os estudantes das escolas públicas de São Paulo também deveriam protestar quando professores da rede de ensino fizerem greves extensas. Neste ano, docentes fizeram paralisação de 89 dias, a mais longa da história da rede –e que terminou sem que a gestão tucana tenha feito proposta de reajuste salarial.
    “É muito interessante o aluno protestar. Quem sabe estejamos criando na educação o protesto para que não falte professor. Para que as greves [de professores] não sejam tão extensas, para que uma greve de 90 dias seja um absurdo numa rede de 4 milhões de estudantes”, disse à Folha, por telefone, na ocasião.Gostei. Por que? porque a maioria dos funcionários públicos votaram nessas corjas.

Deixe uma resposta para NOIS Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *