ESTUDANTES, SERVIDORES E PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS SINALIZAM GREVE PARA O DIA 15 DE MAIO

Deu no portal Brasil de Fato:

Em protesto contra o corte de 30% no orçamento de 2019 para todas as universidades e institutos federais de ensino do país realizado esta semana pelo Ministério da Educação (MEC), entidades de professores, trabalhadores e estudantes organizam uma greve geral para o próximo dia 15 de maio. 

Para além da suspensão de verba anunciada por Arnaldo Barbosa Lima Júnior, secretário de Educação da pasta, de acordo com as categorias, o governo de Jair Bolsonaro (PSL) promove uma perseguição ideológica contra disciplinas das ciências humanas que fomentam a elaboração de senso crítico dentro das escolas e universidades

Segundo Eblin Joseph Farage, secretária-geral do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), a paralisação é uma tentativa de impedir que o desmonte do Estado promovido pelo capitão reformado avance definitivamente sobre o ensino público brasileiro.

“Estamos com uma grande expectativa de que o dia 15 seja um grande dia unificado de todos os setores da educação, algo que não conseguimos há algum tempo nesse país. Essa é a única possibilidade que temos de vencer e fazer frente a esses ataques que o governo tem feito”, afirma.

Antônio Alves, coordenador da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), explica que, mesmo antes do anúncio do corte de 30% no orçamento das federais, os três setores já cumpriam um calendário de mobilizações em defesa da educação pública.

“Não é só pelos 30%. Eles têm tentado consumar uma lógica de desqualificação das universidades públicas do ponto de vista ideológico, e também as sufocando financeiramente. É um período sombrio para a educação brasileira. Um governo que afirma que as universidades não precisam ter aula de sociologia e filosofia demonstra não entender qual o papel das universidades públicas no país”, lamentou Alves.

2 comentários

  • Cadê o dinheiro dos alunos?

    Novamente o cenário da “falta de dinheiro” volta acontecer pois todas as vezes que o governo tem que economizar. Acontecem greves de alunos e professores para reclamar o corte de 30%.
    Isso não acontece nas universidades particulares e sim nas universidades do governo. Onde estão os professores que ganham bem e os alunos não pagam nada alem disso recebem comida e estadia subsidiada pelo governo. É a elite!
    As universidades do governo não sabem economizar. As reitorias se unem aos sindicatos e suas federações para protestarem, fazerem greves e assim vai!
    Vai estudar na universidade particular para você ver.
    kkkkkkk

  • Rapizodia

    Bom dia Cardosinho! Segue uma sugestão de assunto. Entrevista da deputada federal Tábata no programa da Mariana Godoy da Rede TV. É um assunto importante relacionado a educação deste País. Quem tiver pressa de ver, busque no YouTube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *