EUCLIDES DA CUNHA: SEMEGHINI PREVÊ INÍCIO DAS OBRAS AINDA EM FEVEREIRO

Secretário de Gestão Pública critica movimento pela duplicação

O desencontro de informações é total. Enquanto o Forum da Cidadania e a Associação Comercial de Jales organizam reunião para iniciar movimento pela duplicação da Euclides da Cunha, vejam o que saiu no Diário da Região de ontem:

O secretário estadual de Gestão Pública, Júlio Semeghini (PSDB) reagiu contra a iniciativa do ex-prefeito de Valentim Gentil, Liberato Caldeira, de organizar o fechamento da rodovia no dia 15 de fevereiro. “Ele (Liberato) não pode apenas ficar aparecendo”, afirmou Semeghini.

O ex-parlamentar afirmou que o início das obras depende de licenças ambientais que deverão ser concedidas ainda neste mês. “A previsão é que o início da duplicação seja fevereiro. Vou trabalhar para isso”, disse Semeghini.

Explicação do blogueiro: há uns dois ou três dias, Caldeira andou falando em convocar os prefeitos ligados à falecida Amop e à AMA-Associação dos Municípios da Araraquarense, para um movimento que incluía o fechamento da Euclides da Cunha, no trevo com a Péricles Benini. O Semeghini tem razão. Agora que as coisas estão prestes a acontecer, tem muita gente querendo aparecer.

DESAPROPRIAÇÕES VÃO CUSTAR R$ 26 MILHÕES

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) deve gastar cerca de R$ 26 milhões com a desapropriação de áreas particulares para o início da obra de duplicação de 191,4 quilômetros da rodovia Euclides da Cunha – SP-320 – entre Mirassol  e  Rubinéia. A obra vai custar ao governo do Estado R$ 687,9 milhões.

Na última quarta-feira ocorreu reunião que contou com a participação de técnicos do DER envolvidos no projeto. Eles debateram estratégias para reduzir o impacto ambiental nas propriedades que serão cortadas pela duplicação. A procuradoria jurídica do departamento já elabora minuta do texto de decreto de desapropriação das áreas.

Se for preciso, o órgão estadual vai recorrer à Justiça para garantir o início da obra ainda neste mês. Uma das medidas adotadas foi a redução de 100 quilômetros por hora para 80 em trechos da rodovia. A empresa Constroeste, que ganhou dois dos oito lotes da obra, já iniciou a montagem do seu canteiro de obras.

6 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *