EX-DIRETOR DA PETROBRAS CITA PROPINA DE 100 MILHÕES DE DÓLARES AO GOVERNO FHC

fhc3

A notícia é do Estadão:

O ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró, um dos delatores da Operação Lava Jato, afirmou que a venda da empresa petrolífera Pérez Companc envolveu uma propina ao Governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2003) de US$ 100 milhões. As informações constam de documento apreendido no gabinete do senador Delcídio Amaral (PT/MS), ex-líder do governo no Senado.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirma que declarações ‘vagas como essa, que se referem genericamente a um período no qual eu era presidente e a um ex-presidente da Petrobrás já falecido (Francisco Gros), sem especificar pessoas envolvidas, servem apenas para confundir e não trazem elementos que permitam verificação’.

O papel apreendido é parte do resumo das informações que Cerveró prestou à Procuradoria-Geral da República antes de fechar seu acordo de delação premiada. O documento foi apreendido no dia 25 de novembro, quando Delcídio foi preso sob acusação de tramar contra a Operação Lava Jato. O senador, que continua detido em Brasília, temia a delação de Cerveró.

Neste documento, o ex-diretor não explica para quem teria ido a suposta propina ou quem teria feito o pagamento. Cerveró citou o nome ‘Oscar Vicente’, que seria ligado ao ex-presidente argentino Carlos Menem (1989-1999).

25 comentários

  • Zé das Éguas

    Zé das Éguas diz: isso não é verdade é coisa da mídias contra golpista.

  • Zé das Éguas

    Vocês acreditam nisso? eu não. Adoro o PSDB e o FHC o único governo sem corrupção no Brasil.

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10206914479518321&set=a.10205987804712030.1073741826.1167845696&type=3

  • Zé das Éguas

    Putz, você é tão imbecil que tem que se passar por mim??? Acho que você é pilantra igual FHC, Aécio, Lulla, Dilma… Idiota útil… E viva a direita!!!

  • PT lambujou no poder

    Por enquanto, essa denuncia parece uma piada pois o petista Cervero’ da’ informaçoes que constam em documentos de outro petista senador preso, de 14 anos atras.
    Esperamos que este Cervero’ dê nomes aos bois para dizer quem deu R$ 100 mi para o governo FHC e quem recebeu.
    Sera
    Tem que provar

  • Zé das Éguas Verdadeiro

    Eu como fascista de direita, golpista e burguês não gostei da noticia, ela veio através da mídia, contra o golpe.
    Nos não somos corruptos. só não queremos nos transforma em uma Cuba ou Venezuela Bolivariana. Falo mal de FHC, mas o mesmo é e sempre será meu ídolo, junto com Aécio.

  • Primeira Vez

    TEXTO EXCELENTE DE ÉLCIO CALDAS AOS COXINHAS:—

    O que está em jogo no Brasil.
    O Brasil mudou patamar, melhorando em todos os aspectos, mas, infelizmente, para algumas pessoas, mesmo que as ruas fossem forradas com ouro, não estaria bom e sempre encontrariam um motivo ou outro para serem do contra.”
    “Evitemos de discutir com os coxinhas golpistas. O melhor a fazer é ignorar essas pessoas negativas, rancorosas e mal-agradecidas. Esse tipo de gente, além da ignorância que lhes é natural, agem como verdadeiros vampiros, sugando todas as nossas energias e alegrias.”

    A DIREITA EXIGE DO PT O QUE NÃO FEZ EM 500 ANOS
    A direita brasileira sempre mandou e desmandou no Brasil, explorando o povo e os recursos naturais do país sem nenhuma preocupação ou responsabilidade. Apesar do território imenso, o Brasil sempre foi dominado por uma elite econômica das mais avarentas e mesquinhas do mundo. Seus mandatários foram sempre pessoas com boa educação formal, distintos bacharéis, doutores, generais, todos muito sisudos e com muita empáfia. Mas o Brasil continuava sendo uma fazendona mal administrada, um feudo das elites, o paraíso do jeitinho e da malandragem.
    Até que, já em situação deplorável, o Brasil, passou (parcialmente, é bom que se diga), para as mãos da esquerda. Em 2003, assumiu Lula, operário humilde, sem os títulos e a educação refinada dos anteriores. A direita imediatamente fez os prognósticos e as previsões mais sombrias. Disseram que ele não tinha a educação necessária para ser presidente, que não falava inglês, que não conseguiria governar, que seu governo não duraria seis meses, que as indústrias brasileiras iriam para fora do país, que os militares o derrubariam, que iria mudar a cor da bandeira, isso e aquilo. Mas o tempo foi passando e as previsões e expectativas da direita não se realizavam, muito ao contrário, a cada dia mais aumentava sua popularidade. Então, a direita infame e sua mídia mais infame ainda, mudaram de tática. Passaram a exigir de Lula e de Dilma, de imediato, o que não tinham feito em 500 anos. Passaram a exigir saúde padrão-FIFA, educação de primeiro mundo, o fim imediato da corrupção e da violência, etc., como se fosse possível transformar, em um passe de mágica, 500 anos de desmazelo e pouco-caso. Simultaneamente, passaram, também, a boicotar todas as iniciativas dos governos petistas para resolver as graves e históricas mazelas do país. Colocaram em prática massivas campanhas publicitárias e orquestradas manifestações, dizendo que o PT não prestava, que era uma quadrilha de criminosos, que eram comunistas bolivarianos, isso e aquilo.
    Mas a abjeta direita não consegue, por mais que tente, e para seu desgosto e desespero, esconder que o Brasil, sob o governo do PT, ganhou credibilidade e respeitabilidade internacional e, no plano interno, começou a resolver as seculares mazelas sociais e a destravar as amarras antes intransponíveis para o nosso desenvolvimento. Sob o PT o Brasil investiu, como nunca antes, em mobilidade urbana, infraestrutura rodoviária, ferroviária, portuária, aeroviária, energia, etc. Desenvolveu ações e programas para resolver os imensos problemas sociais do povo brasileiro, como a miséria absoluta, a fome, o saneamento, a moradia, educação, saúde, emprego, etc.
    Nesses poucos mais de dez anos de PT o Brasil tem atravessado, quase incólume, inúmeros períodos de turbulências e crises, que antes, fatalmente, nos levavam para a mais completa insolvência e dependência externa.
    O Brasil está longe de resolver todos os seus inúmeros, graves e variados problemas e sanar suas colossais carências e dívidas sociais, e o PT está longe de ser um partido perfeito, porém, quando comparado aos seus congêneres, principalmente os de direita, revela muito mais capacidade, seriedade, boa-vontade e sensibilidade para enfrentar os desafios que a realidade a cada momento apresenta. Seria um trágico erro retornar aos tradicionais governos de direita, os quais sempre governaram apenas para a parcela mais rica da população e com uma insensibilidade social inaceitável.
    Por isso, não me cansarei de repetir, vamos todos, estimadas companheiras e caros companheiros, juntos, com alegria e serenidade, continuar nossa luta para que o mal não mais sobrevenha sobre essa nossa bela e generosa terra, solo pátrio e mãe gentil.

  • TAVA NA CARA, ISSO AINDA É POUCO. VAI VER DEPOIS QUE DONA DILMA SAIR QUANTA FALCATRUA VAI APAREÇER.

  • Professor

    TEXTO EXCELENTE PARA TODOS OS COXINHAS DA DIREITA GOLPISTA, O MESMO É CÓPIA DO JORNAL GGN, MAS JÁ ESTA CIRCULANDO NO Facebook, O Globo, Jornal Nacional, Jornal da Band, BCN, Carta Capital, Valor Econômico e Jornal dos Brasis etc…., os fascistas da direita vão gostar, pois os golpistas, começaram a cair na Rede da Lava Jato, vamos agora aguardar a posição do Juiz Corrupto Moro, do PGR, da PF, do STF e do MPF:—

    Governo FHC recebeu US$ 100 milhões de propina da Petrobras, diz Cerveró
    O vazamento só ocorre após busca em gabinete do senador petista Delcídio Amaral, onde documentos citando o ex-presidente tucano foram apreendidos. Cerveró ainda cita o envolvimento do ex-presidente argentino Carlos Menem.
    O ex-diretor da área Internacional da Petrobras e um dos primeiros delatores da Operação Lava Jato, Nestor Cerveró, disse que uma das negociações envolveu uma propina de US$ 100 milhões ao governo tucano de Fernando Henrique Cardoso (1995-2003), ou 650 milhões em reais atualizados. As informações são parte de um resumo do depoimento que Cerveró prestou ao MPF antes de fechar seu acordo de delação premiada. Só vieram à tona com o mandado de busca e apreensão no gabinete do senador Delcídio Amaral (PT-MS), no dia 25 de novembro – entre os documentos, estava esse resumo.
    O acordo de delação premiada de Cerveró com os procuradores foi acertado no dia 18 de novembro, a nível de última instância, nas investigações que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF) para os detentores de foro privilegiado, e não com a equipe do juiz de primeira instância do Paraná, Sergio Moro.
    O vazamento de que a venda da petrolífera Pérez Companc envolveu propina ao governo FHC de US$ 100 milhões, ocorreu somente após a apreensão de investigadores no gabinete do senador petista Delcídio Amaral, ex-líder do governo no Senado. Á época, suspeitava-se que o parlamentar estava tentando impedir o acordo de Cerveró, obstruindo investigações e com o oferecimento de dinheiro para a família do ex-diretor da estatal. Delcídio continua detido em Brasília.
    O documento ainda inclui o envolvimento de Oscar Vicente, principal operador do ex-presidente argentino Carlos Menem (1989-1999), que teria se beneficiado com US$ 6 milhões.
    “A venda da Pérez Companc envolveu uma propina ao Governo FHC de US$ 100 milhões, conforme informações dos diretores da Pérez Companc e de Oscar Vicente, principal operador de Menem e, durante os primeiros anos de nossa gestão, permaneceu como diretor da Petrobrás na Argentina”, disse Cerveró.
    “Cada diretor da Perez Compancq recebeu 1 milhão de dólares como prêmio pela venda da empresa e Oscar Vicente 6 milhões. Nos juntamos a Perez Compancq com a Petrobras Argentina e criamos a PESA (Petrobras Energia S/A) na Argentina”, contou o ex-diretor já condenado na Lava Jato.
    De fato, a estatal sob o comando do presidente Francisco Gros comprou 58,62% das ações da Pérez Companc e 47,1% da Fundação Pérez Companc, em outubro de 2002, representando um total de US$ 1,027 bilhão de remessa para a então maior empresa petrolífera independente da América Latina.
    Em fevereiro do último ano, Fernando Henrique Cardoso disse que a corrupção da Petrobras começou com o PT. “Trata-se de um processo sistemático que envolve os governos da presidente Dilma (que ademais foi presidente do Conselho de Administração da empresa e ministra de Minas e Energia) e do ex-presidente Lula. Foram eles ou seus representantes na Petrobras que nomearam os diretores da empresa ora acusados de, em conluio com empreiteiras e, no caso do PT, com o tesoureiro do partido, de desviar recursos em benefício próprio ou para cofres partidários”, havia afirmado.
    Agora, FHC o Chifrudo e maior privatizador do Brasil defendeu que declarações “vagas como essa, que se referem genericamente a um período no qual eu era presidente e a um ex-presidente da Petrobrás já falecido (Francisco Gros), sem especificar pessoas envolvidas, servem apenas para confundir e não trazem elementos que permitam verificação”. Que desculpa bonita e originária, para um corrupto, agora não falta mais ninguém, pois já foram Aécio, Aloysio Nunes,Cunha, Renan, Collor,Delcidio etc….

  • Um amigo desse, nunca aparece

    Alegria de petista dura pouco pois o delator petista tambem envolveu Lula, Dilma, Renan e Collor embora todos desmentem, Ele vai ter que provar.
    O seu amigo Lula arrumou esse empreguinho de diretor na Petrobras por ele ter “arrumado” dinheiro para pagar uma divida do PT de R$ 12 milhoes, no banco Schain.
    Eta cabra bom, eu queria ter um amigo assim!

  • Zé das Éguas

    Um amigo desse, nunca aparece duvido que o Lula esta envolvido nesta corrupção . E olha que saiu só na Folha, Uol e no Estadão., quero ver provar.

  • Vixi

    Vai ser muito interessante ver a Dilma, o Lullarápio, o Aécio e o FHC morando juntos na Papuda… Terão bastante tempo para pensar, refletir e quem sabe, montar um novo partido… Sugestão de sigla: PEPP – Partido dos Ex Presidiários da Papuda… Viva a Direita!!!

  • TAMO FU

    AGORA A CULPA DO PT ACABAR COM O BRASIL É DO FHC KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK TOMA NO C………. SEUS PETISTAS

  • Zé das Éguas

    E agora me deem licença que vou na página do PT no facebook fazer campanha pro Bolsonaro 2018…

  • Um amigo desse, nunca aparece

    ZE’ DAS EGUAS
    Fique tranquilo que enquanto o PT estiver no poder, o Lula nao estara’ envolvido nesta corrupçao
    Mas ele ja’ foi depor 4 vezes, na policia federal mesmo que o ministro da justiça e’ do PT. Imagine se nao fosse………………………………
    A chapa esta’ esquentando

  • Nois

    Isso os Coxinhas Golpistas não assistem na Globo e também ,não sai na Folha e no Estadão, mas eu vou mostrar, como a crise brasileira é grande, através dos dados do IBEGE:

    Safra de 2015 é recorde e a de 2016 crescerá 0,5%, diz IBGE
    Agência Brasil 12/01/201611h53

    A safra brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas fechou 2015 com uma produção recorde de 209,5 milhões de toneladas, superando em 7,7% a de 2014. Já para 2016, o terceiro prognóstico – divulgado nesta terça-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) -, indica uma produção de 210,7 milhões de toneladas, superando em 0,5% o número de 2015. Segundo o IBGE, a série histórica da pesquisa começou em 1975.
    A décima segunda estimativa de 2015 do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do país (algodão herbáceo, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale) fechou 2015 com uma produção 14,9 milhões de toneladas maior que as 194,6 milhões de toneladas de 2014. O resultado, no entanto, é 0,4%, o equivalente a 746.519 toneladas, menor que a avaliação de novembro.
    Os dados divulgados pelo IBGE indicam que a estimativa da área a ser colhida é de 57,7 milhões de hectares, com alta de 1,8% frente à área colhida em 2014 (56,7 milhões de hectares) e redução de 14.711 hectares em relação às previsões do mês anterior. Juntos, os três principais produtos deste grupo (arroz, milho e soja) representaram 93,1% da estimativa da produção e responderam por 86,3% da área a ser colhida.
    Em relação a 2014, houve acréscimos de 6,1% na área da soja e de 0,8% na de milho e redução de 8,4% na área de arroz. Na produção, houve acréscimos de 1,1% no arroz, 11,9% na soja e de 7,3% no milho.

    Cereais
    A região Centro-Oeste foi a que concentrou o maior volume de produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, com 89,9 milhões de toneladas, seguida da região Sul, com 76 milhões de toneladas, Sudeste (19,3 milhões de toneladas), Nordeste (16,6 milhões de toneladas), e Norte (7,7 milhões de toneladas).
    Na safra de 2015, houve altas de 22,1% na região Norte, de 5,4% na região Nordeste, 5% na região Sudeste, 7% na região Sul e 8,3% na região Centro-Oeste. Na avaliação de 2015, Mato Grosso liderou como maior estado produtor de grãos, com 24,9%, seguido pelo Paraná (18%) e Rio Grande do Sul (15,2%). Somados, representaram 58,1% do total nacional.
    As informações indicam, ainda, que, entre os 26 produtos pesquisados, oito tiveram alta na estimativa de produção em relação a 2014, com destaque para arroz em casca (1,1%), aveia em grão (4,8%), batata inglesa 3ª safra (1,6%), cana-de- açúcar (2,4%), milho em grão 2ª safra (15,0%), soja em grão (11,9%) e triticale em grão (75,6%).
    Cana-de-açúcar
    Após um ano de 2014 ruim, quando a produção de cana-de-açúcar do país retraiu 4% na relação com 2013 – em função dos preços externos e de um ano muito seco e quente nas principais regiões produtoras -, em 2015 a estimativa da produção cresceu 2,4% na comparação com 2014, devendo alcançar 755 milhões de toneladas.
    A área plantada recuou 3,2% e a ser colhida 1,5%, mas o rendimento médio aumentou 3,9%, fruto de mais investimentos e de um ano mais chuvoso. Os destaques da recuperação da produção de cana-de-açúcar, em termos de volume de produção em 2015, em relação a 2014, foram o Estado de São Paulo com incremento de 14,6 milhões de toneladas na comparação com o ano anterior; Mato Grosso do Sul, com aumento de 7,2 milhões de toneladas e Paraná – 3,3 milhões de toneladas.
    Já a cebola, um dos produtos que mais contribuíram para a alta da inflação do grupo alimentos e do IPCA de 2015 (10,67%), fechou em queda de 11,2% na produção. “O ano se iniciou com a queda da produção no sul do País e com a quebra de safra de cebola na Argentina, principal exportador de cebola para o Brasil. Com isso, pela primeira vez, as importações da Europa foram maiores que as da Argentina. Os altos custos dessa importação foram repassados aos consumidores, fazendo os preços dispararem e elevando o Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA)”, ressaltou o IBGE.
    Ausência de chuvas
    A baixa oferta foi agravada, no primeiro semestre, “pela queda de 19% da produção na Bahia, onde a falta de chuva reduziu o rendimento em 16,4%. Já Goiás e Minas Gerais foram os principais beneficiados com a elevação do preço da cebola.”
    Com exceção ao Centro-Oeste, todas as outras regiões brasileiras tiveram redução da área plantada durante a primeira safra, na qual os principais produtores foram o Paraná (332,2 mil toneladas), Bahia (239,5 mil toneladas) e Minas Gerais (162,0 mil toneladas). Paraná e Minas reduziram as suas produções em 18,3% e 20,0%, respectivamente. Já na Bahia, a produção aumentou em 152,6%.
    A redução de área plantada foi observada em todas as regiões, com exceção ao Centro-Oeste. Os principais estados produtores de feijão desta temporada seguem a mesma ordem da primeira safra: Paraná (30,1% da produção), Bahia (15,0%) e Minas Gerais (12,1%). Todos estes estados tiveram queda na produção em relação a 2014.
    Milho e soja
    Milho, arroz e soja respondem por 93,1% da produção total do país e por 86,3% da área a ser colhida, terão comportamento distinto em 2016, com o primeiro voltando a apresentar queda e o segundo fechando com novo recorde.
    Segundo o IBGE, a produção de soja de 2016 deverá superar a do ano passado em 5,9%, devendo atingir 102,7 milhões de toneladas. A alta na produção deve resultar da valorização da soja no mercado interno.
    Mato Grosso se mantém líder nacional na produção da leguminosa. Com expectativa de área de 9,2 milhões de hectares e de rendimento médio em 3.106 kg/ha, estima-se que a produção mato-grossense seja de 28,5 milhões de toneladas, 2,5% maior que a de 2015. O Paraná trouxe estimativa de produção de 18,3 milhões de toneladas, maior 6,7% quando comparado a 2015.
    Já o milho 1ª Safra (em grão), segundo o atual prognóstico, virá com mais um decréscimo na produção em 2016. Esta queda de produção é consequência da valorização da soja, concorrente direto por área. São esperadas para esta primeira safra 28,1 milhões de toneladas, 4,6% menor que o obtido em 2015 e 2,4% menor que a estimativa do prognóstico anterior. A área plantada sofreu contração de 7,4% quando comparado com 2015.
    Segundo o IBGE, os levantamentos de cereais, leguminosas e oleaginosas foram realizados em colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento – Conab, órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, continuando um processo de harmonização das estimativas oficiais de safra das principais lavouras, iniciado em outubro de 2007.

  • Calma gente…
    Tem muita coisa para acontecer!
    Cadê o Jacques Wagner??? Cadê o Edinho Silva???
    Esses vão ter muito o que explicar.

  • Tonho do Araguaia

    Aos Trouxinhas CorruPTos de plantão:

    Delator entrega registro de hotel para comprovar reunião com Palocci

    Estadão Conteúdo De São Paulo 12/01/2016 17h29

    O operador de propinas Fernando Antonio Falcão Soares, o Fernando Baiano, entregou à Polícia Federal cópia dos registros de entrada e saída do hotel em que se hospedou em Brasília, em junho de 2010, ocasião que teria participado de reunião entre o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. No encontro, ele afirma que foi acertado o pagamento de R$ 2 milhões para a campanha da presidente Dilma Rousseff.

    O documento foi anexado na quinta-feira (7) pela defesa de Fernando Baiano, junto com o comprovante das passagens de ida e volta para Brasília, em novembro de 2010. O delator sustenta que, do Hotel Meliá, foi de carona em um carro da Petrobras com Paulo Roberto Costa até uma casa usada pelo comitê da campanha, onde Palocci – que era coordenador da campanha presidencial do PT – e um ex-assessor, Charles Capella de Abreu, teriam pedido apoio financeiro.

    O pagamento de R$ 2 milhões à campanha presidencial do PT em 2010 foi inicialmente apontado aos investigadores da PF em agosto de 2014 por Paulo Roberto Costa, o primeiro delator da Lava Jato.

    O ex-diretor relatou ter recebido um pedido via Alberto Youssef, que teria falado no nome de Palocci. O doleiro negou ter sido ele o autor do pedido e revelou posteriormente que outro operador de propinas traria à tona tal demanda. Ele confirmou que entregou naquele ano R$ 2 milhões, em São Paulo, a pedido de Costa, sem saber quem era o beneficiário.

    Na versão de Fernando Baiano, o ex-diretor da Petrobras o teria procurado em 2010 preocupado com sua permanência no cargo em uma eventual vitória de Dilma. O lobista afirma ter se reunido com o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que ele tentasse garantir a permanência de Costa na Diretoria de Abastecimento da estatal caso a candidata petista fosse eleita.

    “Bumlai respondeu que sim (poderia ajudar) e que faria o que fosse possível”, afirma Baiano. “Bumlai disse que a pessoa mais indicada para fazer a aproximação de Paulo Roberto Costa com o PT era Antonio Palocci, uma vez que era naquele momento o coordenador da campanha de Dilma Rousseff e provavelmente seria o ministro da Casa Civil.”

    “Em seguida combinou com Paulo Roberto Costa, e, depois de tudo acertado, no dia agendado, o depoente e Costa se encontraram em Brasília”, contou Baiano. “Se hospedou em Brasília, com quase certeza, no Hotel Meliá, no Setor Hoteleiro Sul. De lá, seguiram em um Corolla preto da Petrobras, até o QG da campanha presidencial.

    Fernando Baiano conta que posteriormente acompanhou Costa no encontro com Palocci, em Brasília. O ex-ministro teria falado que “haveria interesse por parte do PT” na continuidade dele na Diretoria de Abastecimento.

    “Em seguida se passou a falar da campanha presidencial; que então Antonio Palocci falou que seria muito importante se Paulo Roberto Costa em sua relação com as empresas que eram prestadoras de serviços na Petrobras conseguisse ajudar com doações para a campanha de Dilma Rousseff.”

    Fernando Baiano afirma que o ex-diretor disse que poderia ajudar, mas não falou sobre valores nem como seria essa ajuda.

    “No final da conversa, Antonio Palocci disse que havia uma pessoa que trabalhava com ele, possivelmente um assessor dele, que o estava ajudando nesta parte de arrecadação”, explicou Fernando Baiano. “Pelo que se recorda, o nome dessa pessoa era Charles.”

    Paulo Roberto Costa foi colocado frente a frente com Fernando Baiano em setembro de 2015, e negou que tivesse participado de reunião com ele e Palocci para tratar do assunto. O ex-diretor sustenta ter ouvido de Youssef o pedido de R$ 2 milhões para a campanha do PT a pedido do ex-ministro. Costa disse que autorizou o pagamento.

    Youssef – peça central da Lava Jato – detalhou à PF em outubro o pagamento que fez em dinheiro vivo no Hotel Blue Tree, na Avenida Faria Lima, em São Paulo, a um emissário que ele não sabe dizer quem era. A suspeita dos investigadores recai sobre Charles Capella de Abreu.

    “Tal pessoa tinha a cor de pela branca, estatura média alta, sendo um pouco mais alto que ele, que tem 1 metro e 71 centímetros, compleição física normal, mas se tratando de pessoa obesa ou de barriga saliente”, descreveu o doleiro.

    O suspeito recebeu Youssef em um quarto do hotel, conta o doleiro, que disse não se lembrar exatamente o mês, nem o dia, possivelmente “no período de junho a outubro de 2010”. “Os R$ 2 milhões determinados por Paulo Roberto Costa a tal pessoa foram entregues em uma ou duas malas pequenas, daquelas que se leva como bagagem de mão em voos comerciais”, afirmou Youssef ao delegado Luciano Flores de Lima, da equipe da Lava Jato.

    “Esclarece que pode ter sido uma mala pequena, com alça telescópica, e uma maleta, como costumava fazer para transportar essa quantidade de R$ 2 milhões em notas de R$ 100,00, como foi no presente caso”, anotou a PF. O doleiro disse que costumava usar esse tipo de bagagem para “não chamar a atenção, pois encaixava a maleta na alça prolongada da mala, puxando-as enquanto caminhava”.

    A PF mostrou uma foto Charles Capella de Abreu para Youssef para saber se poderia ser ele o emissário que recebeu o dinheiro da propina da Petrobras. “Reconhece como sendo possível que a foto seja de tal pessoa referida acima, para a qual entregou os R$ 2 milhões em notas cuja maioria (cerca de 85%) eram em cédulas de R$ 100,00 por ordem de Paulo Roberto Costa”, registra o depoimento. Em termos de probabilidade, Youssef disse acreditar que tenha “70% a 80% de certeza” se tratar da mesma pessoa.

    Defesa
    O criminalista José Roberto Batochio, que defende Palocci, nega qualquer irregularidade. “Palocci jamais se reuniu com esse Fernando Baiano, não o conhece, nunca o viu na vida, em lugar algum.” O defensor tenta anular as delações. “É preciso que a Justiça cancele os benefícios aos mentirosos e deve fazê-lo de ofício, sem ter que esperar ser provocada. A Justiça tem compromisso com a verdade e não com escambos, com trocas que escapam da moralidade.”

    A defesa de Charles Abreu nega qualquer irregularidade.

    O PT tem negado irregularidades nas doações. “Todas as doações recebidas pelo partido foram feitas estritamente dentro das normas legais e posteriormente declaradas à Justiça.” (kkkkkkkkkkkk)

  • Jalesense

    Brito desmascara a “acusação” de Cerveró contra Lula

    E reproduz o incrível “interrogatório” sem perguntas ao delator
    Imprimir
    publicado 12/01/2016
    doações pt psdb.jpg
    No twitter de Turquim

    O C Af reproduz texto de Fernando Brito, no Tijolaço:

    O incrível interrogatório sem perguntas de Cerveró
    Cerveró – Então eu fui indicado para a diretoria da BR Distribuidora por reconhecimento do Presidente pela ajuda que prestei para resolver aquele problema do empréstimo da Schahin –

    Procurador – Sim, o como é que o senhor soube do reconhecimento do presidente Lula a isso?

    Cerveró – …. (silêncio)

    Procurador – Ele disse isso ao senhor, pessoalmente ou por telefone?

    Cerveró – Não, senhor…

    Procurador – E como é que o senhor soube disso?

    Cerveró – …. (silêncio)

    Teria sido assim o interrogatório do senhor Nestor Cerveró que lhe rendeu redução da pena?

    Deve ter sido, porque a “ligação” de Lula à sua nomeação e a razão dela ter sido a “gratidão” presidencial pela operação ocuta exatas duas linhas e meia no depoimento premiado de Cerveró, que, há coisa de uma hora, foi liberado pelo “vazador” para ser publicado. Sim, porque duvido que um repórter experiente como o do Estadão fosse “deixar para depois” de ser furado pela Folha que havia uma menção a Lula, justo na primeira página do documento.

    Mas vamos ao que diz o papelucho, cuja guarda estava a cargo dos procuradores Fábio Mangrinelli Coimbra e Rodrigo Telles de Souza.

    QUE, como reconhecimento da ajuda do declarante nessa situação (a quitação do empréstimo), o Presidente da República LUÍS INÁCIO LULA DA SILVA decidiu. indicar o declarante. para uma diretoria da BR DISTRIBUIDORA, a Diretoria Financeira e de .Serviços.

    Só. Nada mais, oficialmente, foi dito ou lhe foi perguntado, porque não está no depoimento, nem que seja para dizer “que, indagado, não soube explicar que…etc…”

    Inacreditável. Aliás, na página seis, Cerveró diz que Delcídio ” também era considerado responsável pela indicação do. declarante para a diretoria da BR DISTRIBUIDORA”. Era considerado ou era? Foi Delcídio que falou a Cerveró da suposta gratidão de Lula?

    A única operação concreta a que Nestor Cerveró se refere é um suposto empréstimo do Banco do Brasil ao usineiro João Lyra, em 2010, por influência de Fernando Collor e que teria irritado Renan Calheiros. Há, porém, um “probleminha”: informa oficialmente o Banco do Brasil que o empréstimo foi recusado e não saiu…

    Qualquer delegado novato de DP no pé do morro aqui no Rio interroga melhor. Até porque sabe que um depoimento destes, sem materialidade e sem concatenação é lixo no tribunal.

    Mas, no tribunal em questão, parece “não vir ao caso” e o depoimento é totalmente adequado ao que se busca, de fato: acusar Lula assim na base do “ouvi dizer”.

    Não precisa nem dizer de quem ouviu dizer.

    PS. Detalhe intrigante: Detalhe, a delação não é o mesma que estava nas mãos de André Esteves e Delcídio do Amaral por uma simples razão: ambos foram presos no dia 25 de novembro e o depoimento foi prestado dia 7 de dezembro. É uma nova versão, certamente revista e talvez ampliada. Assim se conduz uma montagem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *