4 comentários

  • Industria da fome

    O nordestinos não votaram em Bolsonaro. Votaram no PT e elegeram governadores petistas– iludidos pelo “salario da Bolsa Família” que eles ganham, até hoje. Uma grande parte do dinheiro dos impostos que pagamos vai para eles. O sul sustenta o nordeste! Sempre foi assim. Os nordestinos sempre foram os “coitadinhos” kkkkk
    Certamente, é a industria da seca. Os governadores nordestinos e petistas vivem de pires. na mão. Bolsonaro chamou a fome de grande mentira. Com certeza, refere a propaganda politica da fome que os governadores fazem.
    A fome nordestina sempre elegeu os maus políticos, os coronéis! Que prometem acabar com a fome. As familias do Collor, Sarney, ACM, e outros sobreviveram da politica da fome. Até o PT quando ampliou o programas sociais para diminuir a fome do nordestino. Falando nisso. Estou com fome

    • Rapizodia

      Rapaz, você fala as coisas sem conhecimento de causa, replica o que ouve sem filtrar! Não sou especialista, mas relato agora o que já vi: numa dessas grandes secas nos anos 90, vi um carregamento de arroz destinado aos nossos irmãos brasileiros de lá, era alimento para animais, o arroz tinha de tudo, menos arroz! Esse alimento era comprado no sul e empacotado em São Paulo para envio, era uma vergonha e possivelmente ação corrupta de um desses que você citou ajudado por paulistas e sulistas! Não sou nordestino, mas tenho profundo respeito pelo nordeste, sua alegria e da amizade que detenho de alguns, por que sei que são brasileiros trabalhadores e nós paulistas temos é muita dívida com eles, pois foram eles os massacrados na construção da pujança paulista. Ao sul, registro aqui minha indignação, por sua lendário arrogância e intolerância alimentada por uma mística verdade de que seriam a aura européia no Brasil e só isso os credencia a serem melhores do que os demais brasileiros! Até outro dia queriam se separar, agora posam de republicanos fascistas fundamentalistas!?

  • Jalesense desde menino

    INDUSTRIA DA FOME—–você não passa de um FDP filho de uma Cadela.

    ALGUMA COISA DO NOSSO NORDESTE SEU FILHO DE UMA CADELA PARIDEIRA:

    Tendo sido a primeira região efetivamente colonizada por portugueses, ainda no século XVI, que aí encontraram as populações nativas e foram acompanhados por africanos trazidos como escravos, a cultura nordestina é bastante particular e típica, apesar de extremamente variada. Sua base é luso-brasileira, com grandes influências africanas, em especial na costa de Pernambuco à Bahia e no Maranhão, e ameríndias, em especial no sertão semi-árido.
    A riqueza cultural da região nordeste é visível para além de suas manifestações folclóricas e populares. A literatura nordestina tem dado grande contribuição para o cenário literário brasileiro, destacando-se nomes como João Cabral de Melo Neto, José de Alencar, Jorge Amado, Nelson Rodrigues, Rachel de Queiroz, Gregório de Matos, Clarice Lispector, Graciliano Ramos, Ferreira Gullar e Manuel Bandeira, dentre muitos outros.
    Na literatura pode-se citar a literatura popular de cordel que remonta ao período colonial (a literatura de cordel veio com os portugueses e tem origem na Idade média europeia) e numerosas manifestações artísticas de cunho popular que se manifestam oralmente, tais como os cantadores de repentes e de embolada.
    Na música erudita, destacaram-se como compositores Alberto Nepomuceno e Paurillo Barroso, assim como o cearense Liduíno Pitombeira na atualidade, e Eleazar de Carvalho como maestro. Ritmos e melodias nordestinas também inspiraram compositores como Heitor Villa-Lobos (cuja Bachiana brasileira nº 5, por exemplo, em sua segunda parte – Dança do Martelo – alude ao sertão do Cariri).
    Na música popular, destacam-se ritmos tais como coco, xaxado, martelo agalopado, samba de roda, baião, xote, forró, Axé e frevo, dentre outros ritmos. O movimento armorial do Recife, inspirado por Ariano Suassuna, fez um trabalho erudito de valorização desta herança rítmica popular nordestina (um de seus expoentes mais conhecidos é o cantor Antônio Nóbrega).
    Na dança, destacam-se o maracatu, o frevo (também característico de Pernambuco) o bumba meu boi, o xaxado, diversas variantes do forró, o tambor de crioula (característico do Maranhão), etc. As músicas folclóricas quase sempre são acompanhadas de danças.
    O artesanato é também uma parte relevante da produção cultural do Nordeste, sendo inclusive a fonte de renda de milhares de pessoas por toda a região. Devido à variedade regional de tradições de artesanato, é difícil caracterizá-los todos, mas destacam-se as redes tecidas e, às vezes, bordadas com muitos detalhes; os produtos feitos em argila, madeira (por exemplo, da carnaúba, árvore típica do sertão) e couro, com traços bastante particulares; além das rendas, que ganharam destaque no artesanato cearense. Outro destaque são as garrafas com imagens feitas manualmente em areia colorida, um artigo produzido para venda para turistas. No Maranhão, destacam-se artesanatos feitos da fibra do buriti (palmeira), assim como artesanatos e produtos do babaçu (palmeira nativa do Maranhão).
    A culinária nordestina é variada, refletindo, quase sempre, as condições econômicas e produtivas das diversas paisagens geoeconômicas dessa região. Frutos do mar e peixes são bastante utilizados na culinária do litoral, enquanto, no sertão, predominam receitas que utilizam a carne e derivados do gado bovino, caprino e ovino. Ainda assim, há várias diferenças regionais, tanto na variedade de pratos quanto em sua forma de preparo.
    LITERATURA:—-O pernambucano Gilberto Freyre representa um marco na história do Brasil devido ao seu livro Casa-Grande & Senzala que demonstra a importância dos escravos para a formação do país e que brancos e negros são absolutamente iguais.
    Na Bahia nasceu um dos primeiros escritores de destaque no país. Trata-se de Gregório de Matos, integrante da escola barroca. No Romantismo destacaram-se na primeira geração Gonçalves Dias (MA), na segunda José de Alencar (CE) e na terceira Castro Alves (BA) e Sousândrade (MA). Na chamada Geração de 30, um resgate do romantismo, surgiram Rachel de Queiroz (CE), Graciliano Ramos (AL), José Lins do Rêgo (PB) e Jorge Amado (BA).
    O maranhense Aluísio Azevedo foi um dos principais autores do Realismo/Naturalismo. Augusto dos Anjos (PB) e Graça Aranha (MA) foram precursores do Modernismo, escola que posteriormente revelou João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira (PE), além de Jorge de Lima (AL).
    O paraibano Ariano Suassuna criou na década de 1970 o Movimento Armorial, uma iniciativa de reunir elementos da cultura nordestina em prol da formação de uma arte erudita genuinamente brasileira. Dessa iniciativa surgiram obras como Auto da Compadecida e O Santo e a Porca, ambos de Suassuna.
    No Ceará, Patativa do Assaré surpreendeu por seus versos complexos que seguiam formas metrificadas semelhantes aos versos de Camões. A literatura de cordel é bastante difundida na região, sendo o paraibano Leandro Gomes de Barros um dos maiores autores do gênero.
    *******Personalidades Nordestinas
    Paulo Freire Ruy Barbosa José de Alencar
    Clóvis Beviláqua Gilberto Freyre Joaquim Nabuco
    Marechal Deodoro da Fonseca Correia Picanço Cardeal Arcoverde
    Celso Furtado Mário Schenberg Luís da Câmara Cascudo
    Jorge Amado Josué de Castro Casimiro Montenegro Filho
    João Gilberto Zagallo Oscar Schmidt
    Na região Nordeste nasceram diversas personalidades que se destacaram e se destacam em todas as áreas do conhecimento, entre elas:
    Mário Schenberg, considerado o físico teórico mais importante do Brasil;
    Paulo Freire, um dos pensadores mais notáveis da história da pedagogia mundial;
    Aurélio Buarque de Holanda, autor do principal dicionário de português no Brasil;
    José Leite Lopes, o único físico brasileiro detentor do UNESCO Science Prize;
    Nelson Rodrigues, o maior dramaturgo brasileiro;
    Casimiro Montenegro Filho, criador do ITA e do CTA e pioneiro do CAN;
    Leopoldo Nachbin, o maior matemático brasileiro;
    Correia Picanço, fundador da primeira escola de medicina do Brasil;
    Celso Furtado, um dos economistas mais influentes da história latinoamericana;
    Josué de Castro, cientista social de grande renome internacional;
    Gilberto Freyre, um dos mais importantes sociólogos do século XX;
    Ruy Barbosa, coautor da constituição da Primeira República Brasileira;
    Fernando de Mendonça, fundador do INPE;
    Pedro Américo, um dos maiores pintores brasileiros;
    Clóvis Beviláqua, considerado o maior jurista brasileiro;
    Nise da Silveira, psiquiatra reconhecida mundialmente;
    Paulo Ribenboim, o único matemático brasileiro com verbete no The MacTutor;
    João Cabral de Melo Neto, único brasileiro galardoado com o Prêmio Neustadt;
    Jorge Amado, um dos escritores com mais livros traduzidos no mundo;
    José de Alencar, um dos maiores escritores românticos da língua portuguesa;
    Rachel de Queiroz, a primeira mulher a ingressar na ABL;
    Marechal Deodoro da Fonseca, o proclamador da República;
    Milton Santos, único brasileiro galardoado com o Prêmio Vautrin Lud;
    Ariano Suassuna, o idealizador do Movimento Armorial;
    Cardeal Arcoverde, o primeiro cardeal da América Latina;
    Luís da Câmara Cascudo, o maior folclorista do país;
    José Ermírio de Moraes, engenheiro, fundador do Grupo Votorantim;
    Norberto Odebrecht, engenheiro, fundador da Organização Odebrecht;
    Antônio de Queiroz Galvão, engenheiro, fundador do Grupo Queiroz Galvão;
    Assis Chateaubriand, fundador do MASP e da TV Tupi (pioneira na América do Sul);
    Maurício Peixoto, um dos pioneiros mundiais no estudo da estabilidade estrutural;
    Delmiro Gouveia, um dos pioneiros da industrialização no Brasil;
    Ferreira Gullar, um dos fundadores do neoconcretismo;
    Anísio Teixeira, difusor dos pressupostos do movimento da Escola Nova;
    Pirajá da Silva, responsável pela identificação do ciclo fisiopatológico da esquistossomose;
    Teixeira de Freitas, autor de um dos esboços do código civil brasileiro que influenciou profundamente os códigos civis do Paraguai, do Uruguai e principalmente da Argentina, ao qual serviu como model
    *****No Jornalismo, destaque para Francisco José, José Raimundo, Tadeu Schmidt, Ricardo Noblat, Ricardo Callado, Moacir Japiassu, Alan Severiano, Márcio Canuto, Luciana Ávila, Michelle Loreto, Rosana Jatobá, Rachel Sheherazade, Ticiana Villas Boas etc…..
    *****Políticos e Líderes, nordestinos importantes no cenário nacional como Marquês de Olinda, Marechal Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Teotônio Vilela, Epitácio Pessoa, Humberto de Alencar Castelo Branco, Gregório Bezerra, Carlos Marighella, Maria Aragão, Luiz Inácio Lula da Silva, José Sarney, Marco Maciel, Cristovam Buarque, Heloísa Helena, Jarbas Vasconcelos, Antônio Carlos Magalhães, Fernando Lyra, Roberto Freire, Luciano Bivar, Sérgio Guerra, Eduardo Campos, Eunício Oliveira, Armando Monteiro, Fernando Bezerra Coelho, Randolfe Rodrigues, Raul Jungmann, Rildo Souto Maior, Estácio Gonçalves Souto Maior, Alzira Soriano, Frei Caneca, Barão de São Borja, Zumbi dos Palmares, Antônio Conselheiro, Padre Cícero Romão Batista, dentre outros tantos; e no cenário internacional, como o General Abreu e Lima.
    SEU INDUSTRIA DA FOME FDP ESSES SÃO UNS PEQUENOS EXEMPLOS DO QUE O GRANDE NORDESTE DOA PARA O BRASIL.
    PELA SUA LATRINA VEREMOS SAIR AINDA MUITOS BICHOS QUE MATAM O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL

  • Leandro

    Qualificação técnica e ética não são requisitos para investidura no cargo de presidente da República e nenhum outro cargo político. O dia q passar a ser exigido no mínimo graduação em gestão pública, economia, administração ou direito é que esse país começará a melhorar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *