FRASES

“Comentarista político é aquele sujeito que diz hoje o que vai acontecer amanhã; e quando é amanhã, ele explica com riqueza de detalhes porque não aconteceu o que havia previsto ontem”.

(Do jornalista e pensador Millôr Fernandes)

“Acontece que todo mundo já sabe que vai ser aprovada a liminar, sim! Vai ser confirmada a decisão de Marco Aurélio!”

(do urubólogo Alexandre Garcia, na véspera da votação da liminar de Marco Aurélio, prevendo que o STF iria confirmar a decisão monocrática que ejetava Renan Calheiros da presidência do Senado)

“É uma injustiça contra o Supremo ter exigido que o Supremo (sic!!) tirasse a presidência do Senado de Renan Calheiros(…). O Supremo apenas aplicou a Constituição”.

(Do mesmo urubólogo explicando, hoje – ou quase uma semana depois -, porque o STF não confirmou a liminar de Marco Aurélio).

Diga-se em favor do urubólogo que, no comentário de hoje, ele admitiu que, nos tempos de FHC, a Procuradoria Geral da República tinha um engavetador geral no comando, o que, segundo ele, encorajou os políticos a fazer coisas ilegais, pois sabiam que não seriam punidos.

Agora, falta o Alexandre Garcia dizer aos seus milhares de ouvintes que, durante os oito anos de FHC, a Polícia Federal realizou apenas 48 operações. Com Lula e Dilma, realizou mais de 2.300 operações (só hoje, a imprensa divulgou duas operações – uma em São Bernardo e outra no Rio de Janeiro).

Falta o urubólogo dizer, também, que uma das primeiras medidas do FHC, em janeiro de 1995, com apenas 18 dias de governo, foi extinguir a “Comissão para Investigar a Corrupção”, criada em 1993 pelo antecessor Itamar Franco. E que foi FHC quem acabou com a necessidade de realizar licitação nos contratos da Petrobras.

11 comentários

  • Zédopovo

    Cardosinho, o Alexandre Garcia é uma das vozes marcantes da mentira e da manipulação que a Rede Globo usa para ludibriar o povo brasileiro e desgraçar o Brasil. É cínico, dissimulado e velhaco. Os coxinhas recebem dele, diariamente, porções dobradas de desinformação, embuste e ódio.

  • Lula! Odebrecht de novo?

    Essa noticia, certamente Cardozinho não publicaria pois Lula já foi alvo de quatro denúncias da PGR e responde a 3 ações penais, sendo 2 no DF, uma na Lava Jato em Curitiba. Paralelamente, também é investigado pela Polícia Federal.
    Na noite de segunda-feira, Lula foi indiciado sob a suspeita de crime de corrupção passiva na Lava Jato. Segundo a polícia, ele teria recebido propina da empreiteira Odebrecht por intermédio do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci.
    De acordo, com a investigação, o dinheiro foi para comprar um terreno, que seria usado para a construção de uma sede do Instituto Lula, e um apartamento em frente ao que mora em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.
    O apartamento foi comprado por um primo do pecuarista Bumlai, amigo de Lula, já condenado na Lava Jato, e depois alugado ao petista, por um contrato no nome da mulher de Lula
    A polícia ressalva, contudo, que nunca houve qualquer pagamento por parte do ex-presidente, que utiliza o imóvel pelo menos desde 2003.
    Investigadores afirmam que a operação foi realizada para ocultar o verdadeiro dono do apartamento, que seria Lula.
    Isso é culpa da midia golpista, de Moro (esqueci! ele não é o juiz!), do ódio dos facista, de Temer, sei lá mais quem.

    • “Lula parece massa de pão: quanto mais bate, mais cresce! Nunca vi isso! O Lula é como o Corinthians: o povo gosta mesmo apanhando!” (José Simão na Folha de S.Paulo sobre a liderança do petista nas pesquisas de intenção de voto mesmo sob ataque constante de seus adversários)

  • Lula, Odebrecht de novo!

    CARDOZINHO
    As pesquisas da Data Folha mostram que Lula tem indice de rejeição de aproximadamente 45% igual a Temer.
    Para quem tinha aproximadamente 80% de indice de aprovação de seu governo?quando saiu.
    A ficha limpa (ou suja?) chegou a Lula

    • As pesquisas do Datafolha mostram que Lula subiu cerca de 8 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, apesar do massacre que vem sofrendo diariamente. A ponto de um ídolo coxinha – o Reinaldo Azevedo, da Veja – dizer que a “direita burra”, com seus ataques contra Lula e sua família está colaborando para que ele suba nas pesquisas. O Tio Rei só esqueceu de esclarecer se a Veja faz parte dessa “direita burra”. Quanto à rejeição, se o Lula tiver 10 minutos no horário eleitoral, ela cairá pela metade. Vocês coxinhas só tem uma chance: prender o Lula ou sujar a ficha dele. É o que alguns aliados da “direita burra” estão tentando há meses.

  • Lula, Odebrecht de novo!

    CARDOZINHO
    Essas “palavras feitas” que os politicos, bloqueiros, jornalistas e alguns (no blog) falam como direita burra, golpe, esquerda burra, golpistas, midia golpista, coxinhas, petralhas, facista, etc tudo isso é besteira para justificar a roubalheira dos politicos.
    Como não defendo ladrão, acho que todos devem ser presos e não quero que meu país tenha um presidente cheio de acusações e processos como o Lula, Temer, Aécio, Serra, e outros
    Por isso, a Marina deverá ganhar a eleição para presidente.
    Eu detesto a Marina, eu acho fraca!

  • ODEBRECHT–NOTICIA CONTIDAS NA FOLHA DE SÃO PAULO:-O COXINHA QUE ACREDITA NA MÍDIA GOLPISTA E SÓ SABE FALAR DE LULA E DILMA. SERÁ QUE É INVEJA OU ÓDIO?
    Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo que leva seu sobrenome, confirmou à força-tarefa da Lava Jato a versão do ex-executivo da empreiteira Cláudio Melo Filho sobre pagamento de R$ 10 milhões ao PMDB feito a pedido do presidente Michel Temer. Marcelo respaldou o episódio do jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, com a presença de Temer, então vice-presidente, e do hoje ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, no qual, segundo os delatores, foi acertado o pagamento para o peemedebista. Marcelo, que fechou acordo de delação premiada, depôs por pouco mais de três horas na segunda (12) em Curitiba. De acordo com procuradores, as oitivas seguiram terça (13) e devem durar ao menos três dias.
    O delator Cláudio Melo Filho já apresentou, inclusive, provas da propina encaminhada a Temer, incluindo um email de Marcelo Odebrecht (MO) para comprovar que os R$ 10 milhões pedidos por Michel Temer à empreiteira no Jaburu foram propina. Na mensagem, Marcelo diz ter feito o pagamento a MT (Michel Temer) depois de “muito choro” e afirmou que este seria o último pagamento ao time dele. Os recursos foram divididos com Eliseu Padilha, chefe da Casa Civil, José Yunes, amigo e parceiro de Temer, e também Eduardo Cunha, que, nas perguntas que tentou enviar a Temer, mas que foram barradas por Sergio Moro, o questionou sobre essa doação.
    “Marcelo não deu detalhes sobre a operacionalização do dinheiro que, de acordo com Melo Filho, foi feita por Padilha. Segundo o ex-executivo, o hoje ministro do governo pediu que parte dos recursos fosse entregue no escritório de José Yunes, assessor e amigo de Temer, em São Paulo.
    Após a conclusão dos depoimentos, o ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), decide por homologar ou não os acordos.”

  • AOS COXINHAS LOUCO DE RAIVA QUE ESPUMA PELA BOCA DE RAIVA DEVERIA APREENDER QUE NEM TUDO TODAS AS PALAVRAS FEITAS POR POLÍTICOS SÃO EM VÃO, POIS FELIZMENTE AINDA TEMOS UNS DOIS OU TRÊS HONESTOS-MAS VAMOS A PESQUISA FEITA PELO IBOPE E PELO DATAFOLHA ESTA SEMANA:

    O ex-presidente Lula (PT) lidera isoladamente as pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial de 2018. Após dividir a liderança com a ex-senadora Marina Silva (Rede) nos últimos levantamentos, o petista oscilou positivamente e abriu vantagem sobre a potencial adversária, que caiu na preferência dos brasileiros. Os nomes do PSDB consultados também tiveram oscilação negativa ou mantiveram os índices anteriores, o que favoreceu o petista no quadro geral da pesquisa. Além do ex-presidente, o único a ganhar espaço numa eventual disputa presidencial foi Michel Temer, que tinha entre 1% e 2% em abril e agora aparece com índices que variam de 4% a 6%.
    No cenário em que Aécio Neves aparece como postulante à Presidência pelo PSDB, Lula tem, atualmente, 22% das intenções de voto, à frente de Marina (17%) e Aécio (14%), que dividem a segunda colocação. Em seguida aparecem Jair Bolsonaro (PSC), com 7%, Ciro Gomes (PDT), com 5%, Michel Temer (PMDB), com 5%, Luciana Genro (PSol), com 2%, Ronaldo Caiado (DEM), com 1%, e Eduardo Jorge (PV), também com 1%. Votariam em branco ou nulo 18%, e 7% não opinaram.
    Em pesquisa realizada em SETEMBRO deste ano com os mesmos nomes, Lula tinha 21% e estava empatado com Marina, que aparecia com 19%. No mesmo patamar que a ex-senadora, Aécio tinha 17%, e em seguida vinham Bolsonaro, com os mesmos 8%, Ciro Gomes, que tinha 7%, Luciana Genro, com os mesmo 2%, Michel Temer, que tinha 2%, e Ronaldo Caiado e Eduardo Jorge, que mantiveram o 1% anterior. Havia ainda 17% que votariam em branco ou nulo e 5% que não opinaram.
    Será que esta pesquisa é verdadeira?

  • LULA DE NOVO NA FRENTE E OS COXINHAS ROENDO AS UNHAS.

    Esta é uma pesquisa da Vox Populi, mas garanto que tem alguns da direita que devem achar que a mesma é comprada, mas não faz mal, vamos mostra-lá:

    Pesquisa Vox Populi divulgada no segundo semestre de outubro, traz o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em primeiro lugar nas intenções de voto para a Presidência da República em 2018, se as eleições fossem hoje. Nas respostas estimuladas, Lula aparece com 34% das preferências quando os principais adversários são Marina Silva (Rede, 11%) e Aécio Neves, (PSDB, 15%). Com Geraldo Alckmin (PSDB, 12%) no lugar de Aécio, Lula vai a 35% e Marina, a 13%.
    Na pesquisa em que o entrevistado responde espontaneamente qual seria seu candidato preferido, sem que seja indicado nenhum, o nome de Lula é citado por 28% das pessoas. Aécio é o segundo nome mais mencionado, com 6%, atrás de brancos e nulos (12%). A dois anos do pleito presidencial, 35% dos consultados não souberam responder.
    A pesquisa foi realizada a pedido da FIESP entre os últimos dias 15 e 23, com 2 mil entrevistas, em 116 municípios de todas as unidades da federação, menos Roraima.
    Políticos e governos
    Quando a pergunta é sobre quem foi o melhor presidente do Brasil, 42% dos entrevistados respondem Lula e 19% não sabem ou não responderam. Outros 12% acham que nenhum foi bom, 9% citaram outros, José Sarney e Dilma Rousseff aparecem com 2% e Itamar Franco com 1%.
    A sondagem do Vox Populi avaliou também o sentimento da opinião pública em relação a personalidades da política. Disseram gostar de Lula 43%, enquanto outros 36% responderam que não gostam do ex-presidente – 21% indicaram não gostar nem desgostar e apenas 1% não respondeu.
    Vamos esperar para ver.

  • Tucano

    AS INFORMAÇÕES SÃO DA FOLHA DE SÃO PAULO:
    Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo que leva seu sobrenome, confirmou à força-tarefa da Lava Jato a versão do ex-executivo da empreiteira Cláudio Melo Filho sobre pagamento de R$ 10 milhões ao PMDB feito a pedido do presidente Michel Temer. Marcelo respaldou o episódio do jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, com a presença de Temer, então vice-presidente, e do hoje ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, no qual, segundo os delatores, foi acertado o pagamento para o peemedebista. Marcelo, que fechou acordo de delação premiada, depôs por pouco mais de três horas na segunda (12) em Curitiba. De acordo com procuradores, as oitivas seguiram terça (13) e devem durar ao menos três dias
    O delator Cláudio Melo Filho já apresentou, inclusive, provas da propina encaminhada a Temer, incluindo um email de Marcelo Odebrecht (MO) para comprovar que os R$ 10 milhões pedidos por Michel Temer à empreiteira no Jaburu foram propina. Na mensagem, Marcelo diz ter feito o pagamento a MT (Michel Temer) depois de “muito choro” e afirmou que este seria o último pagamento ao time dele. Os recursos foram divididos com Eliseu Padilha, chefe da Casa Civil, José Yunes, amigo e parceiro de Temer, e também Eduardo Cunha, que, nas perguntas que tentou enviar a Temer, mas que foram barradas por Sergio Moro, o questionou sobre essa doação.
    “Marcelo não deu detalhes sobre a operacionalização do dinheiro que, de acordo com Melo Filho, foi feita por Padilha. Segundo o ex-executivo, o hoje ministro do governo pediu que parte dos recursos fosse entregue no escritório de José Yunes, assessor e amigo de Temer, em São Paulo.
    Após a conclusão dos depoimentos, o ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), decide por homologar ou não os acordos.”
    Pode acontecer também que o Ilustríssimo Juiz Gilmar Mendes do STF, resolva anular as delações Premiadas, da Odebrecht pois as mesma foram vazadas antes de chegar nas mãos de Teori.
    Com os Golpista tudo pode acontecer. Como por exemplo a CPI da Merenda em São Paulo, prova que os políticos do Governo são isentos na Corrupção da Merenda. . kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • CAI MAIS UM DO GOVERNO TEMER A DELAÇÃO DA ODEBRECHT COMEÇOU A SURTIR EFEITO VANTAJOSO:

    Assessor de Temer citado em delação de ex-vice da Odebrecht pede demissão. noticia que saiu no O Globo e G1:
    Cláudio Melo Filho disse que empreiteira entregou R$ 4 milhões no escritório de advocacia de José Yunes em São Paulo; ele era um dos assessores mais próximos do presidente da República.
    O assessor especial da Presidência José Yunes, que pediu demissão após ter sido mencionado por delator da Operação Lava Jato.
    Após ser mencionado em acordo de delação premiada de ex-dirigente da Odebrecht, o assessor especial da Presidência José Yunes entregou nesta quarta-feira (14) uma carta pedindo demissão do cargo, informou a Secretaria de Imprensa do Palácio do Planalto.
    Advogado, Yunes trabalhava diretamente com o presidente Michel Temer, de quem se diz amigo há mais de 50 anos.
    Nos termos de confidencialidade – espécie de pré-delação que antecede a assinatura do acordo de colaboração premiada com a Procuradoria Geral da República (PGR) –, o ex-vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Odebrecht Cláudio Melo Filho afirmou que a empreiteira entregou R$ 4 milhões no escritório de José Yunes, em São Paulo.
    Assessor especial da presidência é a 1ª baixa do governo, após delação da Odebrecht.
    Ainda de acordo com o delator, o dinheiro era destinado ao atual chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.
    Melo contou aos procuradores da República que o repasse era parte de R$ 10 milhões solicitados por Temer ao então presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, em um jantar no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência.
    Na carta entregue ao presidente da República, Yunes pediu afastamento do cargo de assessor especial para, segundo ele, preservar sua “dignidade”
    Em trecho da mensagem, ele ressaltou a Temer que, nos últimos dias, viu seu nome “jogado no lamaçal de uma abjeta delação”.
    “Repilo com força de minha indignação essa ignominiosa versão”, afirmou Yunes na carta.
    Agora todo mundo é inocente. Tenho pena dos mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *