GOVERNO BOLSONARO: CHEFE DA SECOM RECEBE DINHEIRO DE EMISSORAS E AGÊNCIAS CONTRATADAS PELA PRÓPRIA SECOM

Bolsonaro escalou o ministro Luiz Eduardo Ramos para defender o chefe da Secom. Rápido no gatilho, o ministro foi ao Twitter onde escreveu  que  “Fábio é um homem sério, honesto e dedicado ao governo ao país. Confio no trabalho dele”. Faltou dizer que o rapaz é dedicado também à sua empresa.

De seu lado, o Bozo encerrou abruptamente uma entrevista nesta quarta-feira, como sempre faz quando alguém lhe dirige uma pergunta incômoda. “Gente, a entrevista está encerrada”, disse o Bozo, logo após ser questionado sobre a denúncia de que o secretário recebe dinheiro de emissoras de TV e de agências de publicidade contratadas pela própria Secom, ministérios e estatais do governo federal.

Deu no Brasil 247:

O chefe da Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República), Fabio Wajngarten, é sócio de uma empresa e, por meio dela, recebe dinheiro de emissoras e de agências de publicidade contratadas pelo governo de Jair Bolsonaro, denuncia reportagem da Folha.

A Secom é responsável por administrar a distribuição de verba para propagandas do governo. Em 2019, a Secretaria gastou gastou R$ 197 milhões em campanhas.

Fabio é sócio da FW Comunicação e Marketing, ele tem 95% das cotas da empresa. A FW oferece serviço de controle de concorrência e checking e também faz estudos de mídia

De acordo com a Folha, a empresa de Fabio Wajngarten “tem contratos com ao menos cinco empresas que recebem do governo, entre elas a Band e a Record”.

6 comentários

  • Sérgio

    Corrupção no governo do Bozão. Você acha??? Pergunta para os miniminions, vão negar até a morte. Esqueceram até o QUEIROZ E O LARANJAL do PSL.

  • Acusação incompleta,

    O chefe do Secom não é bobo nessa história. Ele sabe que sendo dono da empresa, por lei, deveria ter agido para encerrar todos os contratos que direta ou indiretamente a empresa dele se beneficiaria de recursos públicos. É no mínimo antiético. Se quer receber verba de recursos públicos, saia do governo. Terá que ser demitido ou mandado embora. Talvez, processado para devolver o dinheiro.
    Indicado pelo ministro, trabalha na Secom e tem empresa, com varias dezenas de clientes. A muitos anos está irregular. A Folha descobriu agora. Mas a reportagem, não tem provas pois não disse quanto ele roubou e nem que pagou.
    O maior interessado em esclarecer tudo isso é o próprio Governo (sem proteção, sem favoritismo). Chega dessa história de acobertamento ou desvio de responsabilidade. Apurar é preciso, responsabilizando-se os envolvidos.

  • SÓ JUMENTO VOTOU EM BOZONARO.

    ONESTÍÇIMO.

  • Acusação incompleta, (2)

    Bolsonaro está com rabo preso com o chefe do Secom e deverá segura-lo, no cargo. Embora, a legislação vigente proíbe integrantes da cúpula do governo de manter negócios com pessoas físicas ou jurídicas que possam ser afetadas por suas decisões.
    O PSOL protocolou o pedido de concessão de liminar que autorize a anulação da nomeação do chefe da Secom. Embora a acusação do jornal seja fraca, o PSOL deverá arrumar muita confusão para o Bolsonaro que insiste em segurar acusados no seu governo.
    Fugindo do que falava em sua campanha.

  • resumindo

    governos trabalhistas corruptos nos levaram à direita fascista e reacionária, este foi o caminho…

  • BOTELHO PINTO

    E EU ESPERANDO O WEBER KITAYAMA MARCAR CARREATA CONTRA A CORRUPÇÃO E ESCREVER ARTIGO NO JORNAL CONTRA O ESPECIATO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *