GOVERNO BOLSONARO SUSPENDEU MULTA DE R$ 27 MILHÕES A CONSÓRCIO INTEGRADO PELA EX-MULHER DE WASSEF

O governo Bolsonaro já pagou mais de R$ 40 milhões à empresa da ex-mulher de Wassef e ainda suspendeu uma multa de R$ 27 milhões. Como diria aquele narrador esportivo: “Que beleza!”. Deu no Brasil 247:

O governo federal suspendeu uma multa de R$ 27,1 milhões aplicada a um consórcio empresarial que tinha entre seus participantes a Globalweb Outsourcing, que tem como fundadora e presidente do conselho de administração a empresária Cristina Boner Leo, ex-mulher do advogado Frederick Wassef, que trabalha para a família de Jair Bolsonaro.

Segundo reportagem do jornal O Globo, o consórcio foi contratado em 2014, mas não entregou os serviços listados pela Dataprev. A multa foi suspensa em março do ano passado. 

O consórcio MG2I foi contratado para elaborar um sistema de tecnologia para a Dataprev até 2015 e o prazo foi em um primeiro momento até 2016. Os serviços, porém, não haviam sido entregues até abril de 2018.

A Dataprev, então, decidiu rescindir o contrato, “assim como suspender o direito de licitar e de contratar de todas as empresas participantes deste consórcio”, e aplicar uma multa no valor total de R$ 21,7 milhões. 

A multa, porém, acabou sendo suspensa por uma decisão do governo Jair Bolsonaro e o contrato foi prorrogado até outubro deste exercício, diz a reportagem. A Dataprev informou que o caso está em análise e nega que tenha havido interferência política. 

2 comentários

  • Mais um homem bomba. Bolso está com o saco cheio

    Certamente o advogado não emprestou a sua casa a Queiroz por que queria. O Bolsonaro pediu e como Wassef ganhou muito dinheiro com o bolso. Atendeu.
    Desde que o Queiroz foi preso em uma casa que pertence ao Wassef, o Bolsonaro e seu entorno têm “pisado em ovos” para não melindrar o agora ex-defensor do seu filho. Wassef é tratado como um “homem-bomba”, que exige toda a cautela.
    Embora Bolsonaro está com o “rabo preso” com o advogado. Bolsonaro já está de “de saco cheio” de Wassef, que vive dando entrevistas à imprensa e causando mais estragos do que ajudando na administração da crise do escândalo de Queiroz.

  • Saiu fugido mas pode voltar. E preso!

    Este pais é dos bandidos que tem “costa quente”. Alem de Queiroz e Wassef. Temos o Weintraub que pintou, bordou e saiu fugido com a ajuda do Bolso. Agora quer desfrutar um gordo salário no Banco Mundial? De jeito nenhum.
    Associação do Banco Mundial disse que Weintraub fere código de ética e pediu que nomeação seja reavaliada. Tomara mesmo que a tal nomeação do bolso, para o Banco Mundial seja reavaliada e recusada. E o Weintraub volte para acertar as contas com a Justiça no Brasil.
    A tentativa de Bolsonaro de colocar o ex-ministro numa situação confortável e evitar uma reedição da saída do Moro, parece que tem enfrentado sérias resistências nacionais e internacionais !! É como colocar uma fruta podre em um cesto de frutas boas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *