GOVERNO DE MALUCOS: BOLSONARO MANDA DEMITIR PRESIDENTE DA EMBRATUR UMA SEMANA DEPOIS DA NOMEAÇÃO

Marcelo Antônio Álvaro, o ministro, é aquele do laranjal mineiro. Suspeito de corrupção, continua no cargo. Enquanto isso, a presidência da Embratur já foi trocada três vezes em menos de cinco meses. O coroa da foto nem chegou a esquentar a cadeira. 

E reparem como o governo Bolsonaro é o governo da vingança. O fiscal que multou, em 2016, o novo indicado para a presidência da Embratur, foi demitido logo no início da Era Bozozóica. A notícia é do Congresso em Foco:

O presidente Jair Bolsonaro resolveu, na última quinta-feira (16), demitir o presidente da Embratur que estava há menos de uma semana na função. Nomeado no dia 9 de maio, o empresário Paulo Senise assumiu o comando da autarquia na última segunda-feira (13), trabalhou três dias e, no quarto, foi chamado pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e informado que seria substituído.

Segundo Senise, não houve explicações para a saída. “Disseram que foi uma decisão do presidente. Sem justificativa”, disse ao Congresso em Foco o empresário, que foi indicado ao posto por empresários do setor (o chamado trade de turismo) do Rio de Janeiro. “O ministro, numa reunião que eu tinha agendada com ele, ele teve que me comunicar uma decisão do próprio presidente de me substituir por um outro candidato”, completou.

O outro candidato é o médico veterinário Gilson Machado Neto, substituto de Senise, que será o quarto presidente da Embratur no governo Bolsonaro. Machado Neto está na equipe de Bolsonaro desde o governo de transição, no ano passado, quando trabalhou com o atual ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Dono de uma pousada no litoral de Alagoas, ele foi multado em R$ 3,5 mil em 2016 por descumprir normas de proteção do ambiente local, que é uma Área de Proteção Ambiental (APA). Responsável pela punição, o funcionário do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) – controlado pela pasta do Meio Ambiente – foi demitido do cargo em janeiro deste ano, no inicio do governo Bolsonaro.

2 comentários

  • Sérgio

    Mais malucos são àqueles que o colocaram na presidência deste país.

  • sukodilaranja

    Como seria possível prever que um congressista com 30 anos de experiência e muito trabalho árduo, com inúmeros projetos para o bem e crescimento do país em diversas áreas. Um político que nunca fez uso de privilégios, mordomias, nunca nomeou um único parente para cargo público, nunca aceitou o auxilio moradia para pagar aluguel. Respeitoso, coerente, equilibrado, honesto, com um discurso muito inteligente. Com filhos exemplares que também são coerentes, inteligentes, equilibrados, honestos… Seria tão incompetente no executivo mesmo com uma equipe formada apenas com critérios técnicos. Quem poderia prever isso? Votou no Bozo? Parabéns. Considero que a falta de opção … fez o caminho fake-desconhecido ser pior do que o pior caminho conhecido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *