GOVERNO TEMER É ROBIN HOOD ÀS AVESSAS: TIRA DOS POBRES PARA DAR AOS RICOS

kassab-1024x593

Por onde será que andam as panelas? O governo Michel Temer está promovendo uma liquidação da Petrobras, vendendo tudo que pode a preço de banana, sem licitação e sem transparência (como até o TCU notou) e não se ouve o som de uma única panela.

Ainda bem que tem gente como o cantor e compositor Leoni. Ele criticou a proposta do governo de Michel Temer que pretende salvar as operadoras de telefonia, principalmente a Oi, dando a elas um presente de, segundo o TCU, R$ 105 bilhões. Vejam o que o Leoni publicou em sua página no Facebook:

Sabe aquele país *quebrado* por causa de desvios de R$ 20 bilhões na Petrobras?

Sabe aquele país *quebrado* com um rombo de R$ 73 bilhões na Previdência e que, por isso, quer te fazer trabalhar até morrer?

Sabe aquele país *quebrado* que congelou os gastos em Saúde e Educação por 20 anos, em prol do “equilíbrio das contas”?

Então… vai *DAR* R$ 105 *bilhões* do nosso dinheiro às empresas de telecomunicações.

Ficam claras as prioridades desse governo.

Para que os prezados leitores possam entender melhor o protesto do Leoni, reproduzo, abaixo, trechos de notícia publicada pelo André Forastieri, no R7:

temer-o-diaEstá acontecendo nesse exato momento o maior golpe no bolso do brasileiro desde – bem, talvez desde sempre. Segundo o Tribunal de Contas da União, pode chegar a R$ 105 bilhões. Isso faz o prejuízo da Petrobras pelas mãos das empreiteiras e políticos envolvidos na Lava-Jato, de R$ 20 bilhões, parecer fichinha.

Para você ter uma idéia, dá para pagar quatro anos de Bolsa Família. Ou dá para cobrir os R$ 72,5 bilhões do rombo da Previdência da União em 2016 (e ainda sobra uma graninha boa, mais de trinta bi). Segundo outras fontes, talvez seja menos – só uns quarenta bilhões. Muito, muito dinheiro de qualquer jeito. Vamos dar um apelido fácil de lembrar? Que tal chamar de “Operação Oi”?

Essa trama começa em junho. Quando a Oi entrou com o maior pedido de recuperação judicial do país, no valor de R$ 65 bilhões. Poucos dias depois saíram as primeiras reportagens sobre uma possível “mudança regulatória” nas regras do setor das telecomunicaçoes, que o governo estudava para “estimular a economia”. Foi uma das primeiras iniciativas na área econômica de Michel Temer, então ainda presidente interino. O responsável era o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

A operação é tão escabrosa que a população não sabe nem exatamente o quanto é o tamanho da tunga. Reportagem de Felipe Frazão na Veja, esse final de semana, cita um valor de R$ 20 bilhões, e mais R$ 20 bilhões em perdão de multas das Teles. Mas o TCU fala de R$ 105 bilhões, depois de fazer uma auditoria.

Apesar dos valores gigantescos, o Projeto de Lei da Câmara foi aprovado sem alarde na Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional, semana passada. Já ia seguindo para Michel Temer sancionar. Um grupo de senadores tentou barrar, liderado por Vanessa Graziotin. Queriam que a nova lei vá ao plenário para ser discutida e votada. A secretaria-geral da mesa do Senado acaba de jogar fora a iniciativa deles. O patrono dessa nova lei no Senado, aliás, é Renan Calheiros, que surpresa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *