JUIZ DETERMINA BLOQUEIO DE BENS DO EX-GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN

Sobrou pro Santo da Odebrecht. A notícia é do Conjur:

O juiz Alberto Alonso Muñoz, da 13ª Vara da Fazenda de São Paulo, determinou o bloqueio de bens do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB). A decisão alcança mais seis ex-executivos da construtora Odebrecht.

A decisão desta segunda-feira (15/4), atende a peido feito pelo Ministério Público de São Paulo em ação civil pública.

O processo trata de investigação de improbidade administrativa por repasses de ex-executivos da Odebrecht para a campanha de Alckmin em 2014, ano em que ele foi reeleito governador. A base para acusação são três delações de ex-executivos. O montante seria de R$ 7,8 milhões, e não teria sido declarado à Justiça Eleitoral.  

Muñoz também bloqueou os bens de outros seis empregados da construtora. No total, foram bloqueados 39,7 milhões. A defesa de Alckmin afirmou, nos autos, que todas as doações recebidas na campanha eleitoral de 2014 “teriam sido contabilizadas e as contas aprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo”. 

1 comentário

  • Rei posto, rei morto!

    Depois que Paulo Preto foi preso e ainda não entregou ninguém. É realmente estranho que a justiça de SP tenha saído de seu marasmo habitual quando o processo envolve tucanos. Afinal, os tucanos saíram do governo estadual.
    Lembrar das licitações cartelizadas, no metrô/SP que durante décadas abasteceram campanhas do PSDB e causaram rombo no erário de tal proporção que esse valor é mantido sob sigilo.
    Aguarda-se a prescrição dos processos para se demonstrar que quando há conluio entre poderes.
    O crime compensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *