LULINHA PROCESSA JORNAL ‘O GLOBO’ E COLUNISTA LAURO JARDIM POR INFORMAÇÃO FALSA

images_cms-image-000463026

A notícia é do Brasil 247:

A defesa do filho do ex-presidente Lula, Fábio Luís Lula da Silva, protocolou na sexta-feira (23) na Justiça do Rio de Janeiro uma ação cível de reparação por danos morais e de imagem decorrentes de notícias falsas publicadas pelo jornal O Globo e pelo jornalista Lauro Jardim.

“Fábio jamais recebeu, direta ou indiretamente, qualquer dinheiro ou favor do réu Fernando Soares, que tampouco fez referência a seu nome em delação no âmbito da Operação Lava Jato. Nosso cliente não é investigado na Operação, como atestou o Ministro Teori Zavascki em decisão proferida na data de ontem”, afirmou o advogado Cristiano Zanin Martins.

A divulgação do inteiro teor do depoimento pela mídia comprovou que o jornalista mentiu, ao associar o nome de Fábio à delação, e persistiu no erro, mesmo tendo sido alertado para corrigi-lo”, completou o advogado.

Em sua estreia no jornal O Globo, no último dia 11, Lauro Jardim noticiou que Fernando Baiano teria citado o filho de Lula, o que nunca aconteceu.

11 comentários

  • Queria ser filho do Lula. Meu pai pai

    Antes de seu pai ser presidente da republica, o biologo Lulinha era monitor de um zoologico, em SP, com salario de R$ 600/mes e após o Lula virar presidente, o empresario Lulinha virou socio de uma empresa de games (Gamecorp) que foi vendida a Telemar (atual OI) por R$ 15 bi.
    Por esta “venda”, quando seu filho ficou milionario, o presidente Lula mudou as leis do governo para que Oi — cujo dono era seu amigo– comprasse a BR Telecom.
    Hoje, o Lulinha esta’ sendo investigado como a 8a. fortuna do país e esta’ envolvido com emprestimos do BNDES para o Friboi e com propinas milionarias da Lava Jato
    Deixou de ser convocado na CPI do BNDES, para explicar a sua relaçao doJBS e agora, sempre processa revistas e jornais que publicam as denuncias de delatores que logicamente tem que provar o que dizem.

  • NOIS

    FOLHA E SUA OBSESSIVA CAÇA AO LULA GIGANTE***

    O Caderno Poder da Folha deste sábado, 17/10/2015, é mais uma prova cabal de que permanece aberta a temporada de caça ao Lula. Exatamente quando aparecem provas cabais do envolvimento de Eduardo Cunha, nos mais variados tipos de corrupção, o diversionismo dos golpistas chega ao paroxismo. Não é só doentio, é criminoso, coisa de psicopatas.
    Como sabem que Eduardo Cunha está levando de roldão não só o discurso do moralismo seletivo contra a corrupção mas também seus principais aliados nesta louva cavalgada, Aécio Neves, Carlos Sampaio e Paulinho da Força Sindical, o Instituto Millennium coordena seus associados para que apostem todas as fichas numa cortina de fumaça buscando desgastar Lula.
    A obsessão, de tão doentia, chega a ser comovente. Só um mini idiota de pai e mãe para não perceber o papel sujo da Folha.
    Com direito à foto do filho do Lula, os cinco assuntos eleitos pela Folha estão diretamente alinhados à contínua caçada ao Presidente mais popular da História do Brasil. Tanto ódio tem uma explicação tão simples quanto verdadeira: a frustração em não poder colocarem no Palácio do Planalto um cheirador inveterado. Por que será que os grupos mafio midiáticos fazem tanta força para ter traficante no Palácio do Planalto? Para porem no ar toda frota de helicópteros? Por aí se explica porque um helicóptero com 450 kg de cocaína não merece nenhuma atenção.
    Trata-se de apenas mais uma tentativa de dar gás ao golpe paraguaio. Por diversionismo, a Folha atualiza a Lei Rubens Ricúpero promulgada via Escândalo da Parabólica. Para esconder a corrupção que graça entre seus aliados, aposta todas as fichas na obsessiva tentativa de incriminar Lula.
    Nenhuma linha sobre a frota de carros de luxo de Eduardo Cunha, nenhuma linha sobre as reuniões entre Gilmar Mendes, Carlos Sampaio, Aécio Neves, FHC e Augusto Nardes.
    A Folha sabe tudo sobre os filhos e as noras do Lula, mas não sabe nada das filhas e noras de FHC, as filhas e noras do Geraldo Alckmin ou os filhos dos Sirotsky. Apesar de ter publicado as aventuras da Luciana Cardoso, pouco fala da Lu Alckmin e nada da filha do Serra, dona do Mercado Livre. Aliás, a Folha nunca deu um linha sequer sobre o estuprador de Florianópolis. Desde a primeira campanha de Lula, contra Collor de Mello, a Folha sabe tudo dos filhos do Lula, mas continua devendo uma boa reportagem a respeito de como a Rede Globo, via Miriam Dutra, capturou o governo FHC. Nem mesmo tendo os filhos de D. Ruth comprovado, mediante exame de DNA, que o filho que FHC assumiu com a amante não era dele, a Folha continua fazendo de conta que ser traído até pela amante é algo natural no meio em que ela circula.
    O que a Folha faz, em bom português, é aliar-se aos golpistas, o que não é novidade. A Folha já esteve envolvida em outros golpes, a ponto de emprestar peruas para transportar corpos dilacerados depois da tortura e do estupro, para o Cemitério de Perus. Para a Folha, uma ditadura com prisão sem mandado, tortura, estupro, esquartejamento e morte é apenas… dita branda!
    Quando a gente espera que a Folha se some aos brasileiros honestos que pedem corrupto na cadeia, lá vem a Folha comprovando, mais uma vez, a máxima do Barão de Itararé: “de onde menos se espera, de lá mesmo é que não sai nada”.
    Sirva-se Coxinhas Golpistas.

  • NOIS

    Acerca da reportagem “Investigação sobre negócios de filho de Lula é arquivada”, publicada hoje, 9 de novembro de 2012, no jornal Folha de S. Paulo, a Procuradoria da República no DF (PR/DF) tem a esclarecer o seguinte:

    Desdobramento cível de investigação sobre negócios de Lulinha foi arquivada, isso é de 2012, mas ninguém muito menos a Folha esclareceu, só a Procuradoria da Republica, isto tudo para mostrar como já era naquela época a Inveja, o Ódio e o Medo de Lula para 2018.
    Embora a reportagem afirme que o objetivo do inquérito civil público (ICP) era “apurar suspeita de tráfico de influência em 2005”, o objeto da investigação era averiguar “suposta irregularidade na participação societária da Telemar Internet Ltda na empresa Gamecorp S/A, em virtude de eventual influência do BNDES, acionista da holding Telemar Participações S/A”, conforme expresso na portaria de instauração nº 313/2008, sob titularidade do 2º Ofício da Ordem Econômica e Consumidor da PR/DF, que não tem qualquer atribuição criminal.
    Ressalta-se que não era objeto do ICP investigar tráfico de influência ou qualquer outro crime. Tratava-se de investigação de caráter cível, para analisar possível irregularidade na participação de uma concessionária de serviço público (Telemar) em empresa montada pelo filho do então presidente da República e seus possíveis reflexos na regulação do serviço telefônico fixo comutado, mormente diante da posterior fusão entre a Telemar e a Brasil Telecom. Assim, o foco da investigação conduzida pela PR/DF era verificar se o investimento realizado pela Telemar na empresa Gamecorp poderia ter violado alguma norma referente ao serviço de telefonia fixa e trazido algum prejuízo aos respectivos consumidores, sobretudo diante da suspeita de que a fusão entre a Telemar e a Brasil Telecom somente teria sido aprovada em razão do investimento na Gamecorp.
    No curso da investigação, foi apurado que o BNDES não concedeu qualquer empréstimo nem efetuou aporte de capital para que a Telemar investisse na Gamecorp e tampouco participou daquela decisão empresarial. É importante notar que, como a Telemar e a Gamecorp são instituições privadas, são livres para investir e participar em outras empresas. A promoção de arquivamento elaborada pelo procurador da República Marcus Goulart, em novembro de 2010 (citada na matéria da Folha), deixa claro que “não foi possível obter qualquer prova que demonstre efetivamente que o investimento da Telemar na Gamecorp exerceu influência na posterior alteração da norma que veio a permitir a compra da Brasil Telecom” e que “tampouco se obteve prova de que o investimento se deu em razão da presença do filho do presidente da República no quadro societário da Gamecorp”.
    a) instauração dos ICPs nº 1.16.000.001086/2008-38 (com foco na atuação da Anatel) e nº 1.34.001.003921/2008-46 (acompanhando investigação da Comissão de Valores Imobiliários – CVM);
    b) expedição de duas recomendações à Anatel, questionando diversas omissões e contradições da agência;
    c) realização de reuniões entre superintendentes da Anatel e o Grupo de Trabalho de Telefonia, da 3ª Câmara de Coordenação e Revisão da Procuradoria Geral da República (PGR), nas quais foi explicitamente questionado o indevido apressamento na análise da anuência prévia da fusão entre Brasil Telecom e Oi em função de prazo contratual privado;
    d) tendo em vista o descumprimento das recomendações, o MPF ajuizou a ação nº 2008.34.00.040371-1, visando impedir a deliberação da anuência prévia antes da edição do Plano Geral de Metas de Competição, pedido posteriormente convertido em pedido de anulação da anuência prévia, infelizmente ainda sem sentença da Justiça;
    e) diante da demora na decisão judicial, o MPF acompanhou o cumprimento das condicionantes impostas à fusão pela Anatel.

    Desdobramento criminal

    A investigação sobre possível tráfico de influência foi realizada no âmbito do Inquérito Policial 1094/2011-1, instaurado pela Polícia Federal em São Paulo, sem qualquer influência ou atuação da PR/DF. Referido inquérito foi arquivado em maio de 2012 pela Justiça Federal em São Paulo, por não haver provas que apontassem concretamente o recebimento ou promessa de vantagens a pretexto de influenciar a atuação de funcionário público.
    Esclarecemos, ainda, que a colheita de depoimentos sugerida pela reportagem não teria qualquer utilidade probatória no inquérito, eis que inexistem testemunhas sobre a tal suspeita de tráfico de influência. Sem medidas de interceptação de comunicações telefônicas e de dados em tempo real, é quase impossível investigar esse tipo de ilegalidade, até porque não se espera que os investigados se dirijam à Polícia ou ao Ministério Público para confessar os fatos nem que registrem essas tratativas em documentos.
    Quando não há provas para embasar acusações nem meios legais e reais de obtê-las, é dever do MPF proceder ao arquivamento dos autos, para não favorecer nem perseguir essa ou aquela agremiação política.

    Assessoria de Comunicação
    Procuradoria da República no Distrito Federal

    E LULA vem ai em 2018.

  • BLZ

    Votei em Lula, Dilma , Suplicy, Mercadante , e me sinto sempre muito bem representado, posso afirmar que irmaos e pessoas proximas alguns ate que nao votou tiveram uma melhoria de vida consideravel , enao ser denuncias na maioria vazias que mudarao nosso conceito.

  • PRIMEIRA VEZ

    AOS COXINHAS GOLPISTAS&&&&&&&&&&&

    Em entrevista, Bumlai nega favorecimento a nora de Lula
    “Não paguei conta de nora de Lula, apartamento, nada a ver. Não tenho nada a ver com isso. Não tenho”, disse Bumlai, em entrevista divulgada neste domingo
    Em entrevista, Bumlai nega favorecimento a nora de Lula

    O pecuarista José Carlos Bumlai negou, em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo” divulgada neste domingo (25), qualquer favorecimento aos familiares do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    “Não paguei conta de nora de Lula, apartamento, nada a ver. Não tenho nada a ver com isso. Não tenho”, disse.
    O fazendeiro criticou o que chamou de “maximização” da amizade com o ex-presidente.
    “Eu abro os noticiários e tem foto do Lula pescando na minha fazenda peixe que é até do mar. Eu não tenho fazenda à beira-mar, entendeu? Já viu isso? Essa foto, Lula no barco pescando um peixe preto bonito, não sei que peixe que é, na fazenda do Bumlai não tem desse peixe. Fazem essa maximização da amizade. É meu amigo? E meu amigo, a família é minha amiga, mas não justifica isso”, reclamou.
    De acordo com Bumlai, durante os oito anos de governo Lula, ele esteve duas vezes no gabinete do petista, no Palácio do Alvorada, em Brasília.
    “Durante os oito anos que o presidente Lula esteve no Palácio do Planalto eu fui duas vezes no gabinete dele. Fui acompanhado do ministro Márcio Thomaz Bastos (morto em novembro de 2014), que era ministro da Justiça, do presidente do Incra, não lembro mais o nome, do governador do meu Estado (Zeca do PT), um deputado”, contou.
    Sobre a acusação feita pelo lobista Fernando Baiano, preso na Operação Lava Jato, de que teria pago ‘dívidas do PT’, Bumlai também nega.
    “Eu não sou homem de mentir. O que eu tenho para falar é a verdade. Eu não tenho nenhuma participação nesse episódio todo. A última é o absurdo do Banco Schahin, que eu ia intermediar o pagamento de uma conta do PT de R$ 60 milhões. Meu Deus, eu não sou filiado ao PT, esse Rui Falcão (presidente nacional do PT) até posso ter sido apresentado a ele, muito prazer, não tenho nenhuma ligação com ele, não faço política e, de repente, vou fazer uma negociação para pagar R$ 60 milhões de dívida do PT?”, questionou.
    “Eu lá sei de dívida do PT? Não sei, eles dizem que não têm a dívida. Não conheço esse assunto de dívida de R$ 60 milhões. Ah, mas o fulano falou que entregou uma conta. Nunca recebi conta de ninguém para botar dinheiro na conta deles (do PT), nunca, nunca”, completou o fazendeiro.
    MAIS UMA MENTIRA DESCARADA E DESMENTIDA.

  • MANÉ É MANÉ....

    TADINHO!!!!
    OLHEM O ROSTINHO INOCENTE….
    KKKKKKKKK

  • EU nao queria ser o filho do Lula

    A policia federal nao respeita mais o Lula pois “visitou” a empresa do filho do Lula para cumprir um mandato de busca e apreensao.
    Depois de sua familia estar nas paginas policiais, Lula viu a sua popularidade cair pois de acordo com o IBOPE, 55% nao votam nele, de jeito nenhum.
    NOIS e PRIMEIRA VEZ defendam o Lula
    Digam que o ibope faz parte da midia golpista
    Lula 2018

  • PRIMEIRA VEZ

    EU NÃO QUERIA SE FILHO DO LULA, o problema seu não é querer ser ou não ser filho do Lula, pois, como és um Burro, você é filho de uma Mula ( sua Genitora ) e de um Burro Velho ( seu Genitor ). Já lhe pedi seu estrume não toque no meu pseudônimo, pois não tenho tempo para responder a um Burrinho Desqualificado e Analfabeto, quanto ao NOIS, isso vai ser problema dele.
    Isso que acabaste de escrever, deve ter lido na UOL, na Folha ou no Estadão, mas mesmo assim seu desajustado vou lhe responder pela ultima vez .
    Realmente a busca e apreensão , foi autorizada e foi feita, como manda a lei brasileira, como poderia ser feita no Curral de sua Família, se assim tivesse sido autorizada, mas vamos ver qual o resultado dessa busca, pois se tivesse sido no Curral de sua Casa só acharia merda na cabeça de seus parentes de primeiro e segundo grau.
    Agora seu Debiloide leia a resposta ou defesa, como queira da resposta do Advogado do filho do Lula
    Advogado de filho de Lula diz que busca da PF é ‘despropositada’
    O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o empresário Luís Cláudio Lula da Silva, criticou a operação de busca da Polícia Federal na firma do filho de ex-presidente Lula.
    A busca foi realizada nos escritórios que sediam a LFT Marketing Esportivo e Touchdown Promoção de Eventos Esportivos, que organiza um torneio de futebol americano.
    A operação é desdobramento da investigação da Operação Zelotes, que apura um esquema de um esquema de pagamento de propina a integrantes do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), vinculado ao Ministério da Fazenda.
    Zanin Martins pediu à Justiça e à Polícia Federal acesso a todo o material usado para justificar a medida. Ele disse que a falta de acesso aos autos “impede que a defesa possa exercer o contraditório e tomar outras medidas cabíveis”.
    “A busca e apreensão dirigida à Touchdown Promoção de Eventos Esportivos Ltda., revela-se despropositada na medida em que essa empresa não tem qualquer relação com o objeto da investigação da chamada operação Zelotes”, disse o advigado em nota. Segundo ele, a Touchdown exerce “atividade lícita” e fora do âmbito da operação.
    Já a LFT Marketing Esportivo é suspeita de ter recebido repasses da empresa Marcondes & Mautoni, empresa de lobistas que atuaram na aprovação da MP-471, medida provisória que prorrogou a isenção de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para a indústria automobilística. A Marcondes & Mautoni pagou R$ 2,4 milhões à empresa do filho de Lula.
    Para o advogado de Luís Cláudio, a suspeita não faz sentido. “A simples observação da data da constituição da empresa é o que basta para afastá-la de qualquer envolvimento com as suspeitas levantadas. A citada MP foi editada em 2009 e a LFT constituída em 2011 –2 anos depois. A prestação de serviços da LFT para a Marcondes & Maltoni ocorreu entre 2014 e 2015– mais de 5 anos depois da referida MP e está restrita à atuação no âmbito de marketing esportivo”.
    O advogado afirma que os repasses feitos pela Marcondes & Mautoni à LFT deveram-se à prestação de serviços cuja realização pode ser comprovada.
    “Dessa prestação resultaram 4 projetos e relatórios que estão de acordo com o objeto da contratação e foram devidamente entregues à contratante. O valor recebido está contabilizado e todos os impostos recolhidos e à disposição das autoridades”, disse Zanin Martins.
    “A Touchdown e a LFT jamais tiveram qualquer relação, direta ou indireta, com o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais”, reiterou.
    Quanto as pesquisas elas foram realizadas, sim , pelo Ibope através do Estadão, mas como és um QI de Ameba , acho que não entendeu os resultados reais dela. Por isso vamos lá:

    Lula sua popularidade caiu de 33% para 55%
    Aécio em 1 ano caiu de 42 % para 47 %
    Marina em 1 ano caiu de 31 % para 50 %
    Serra em 2 ano caiu de 47 % para 54 %

    Mas apesar da rejeição o índice que votaria em :–

    Lula seria 23 %.
    Aécio seria 15 %.
    Marina seria 11 %
    Serra seria 8 %.
    Alkimin seria 7,5 %.
    Ciro seria 4 %

    Então seu Burro , apesar das rejeições o Lula seria eleito presidente em 2018, é só você e sua família de quadrupedes analisar a pesquisa corretamente, até o final sua lesma. O Ibope esta certíssimo, errado esta o Escroto que a leu e não soube entender direito.

  • PRIMEIRA VEZ

    EU NÃO QUERIA SER O FILHO DO LULA. como pode se és o filho de uma Mula e de um Burros Velho:
    Burrinho leia bem a pesquisa:—

    Pesquisa Ibope, divulgada nesta segunda-feira pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, revela que a rejeição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aumentou. Segundo o levantamento, o percentual daqueles que dizem que não votariam de jeito nenhum em Lula aumentou de 33% (maio de 2014) para 55%. O índice dos que votariam no ex-presidente em 2018 é de 23%. Em maio do ano passado, o percentual de possíveis eleitores era de 33%.
    O levantamento, realizado entre os dias 17 e 21 de outubro, pesquisou o potencial de voto de alguns dos principais políticos que podem vir a disputar a presidência da República em 2018.
    O Ibope também testou os nomes dos tucanos Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra, além de Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT). A rejeição a Lula foi a maior entre todos os nomes testados. Mas os outros nomes também apresentam aumento na rejeição. De acordo com o Ibope, cresceu o percentual dos que não votariam de jeito nenhum em Aécio (de 42% para 47% em um ano), em Marina (de 31% para 50% em um ano) e em Serra (de 47% para 54% em dois anos). Não há comparativo para a rejeição a Alckmin e a Ciro Gomes, ambos com rejeição de 52%.
    Apesar da rejeição, o índice dos que votariam em Lula é maior do que a dos adversários: 23%. Aécio Neves aparece com 15%, seguido por Marina, com 11%. Serra tem 8%, Alckmin tem 7% e Ciro, 4%.
    Lula é o mais conhecido entre os políticos, já que apenas 2% o desconhecem. Ciro é o mais desconhecido, por 24% dos eleitores. E 19% não conhecem Alckmin. O percentual sobre Aécio chega a 9% e para Marina, 10%. No caso de Serra, 11% o desconhecem.
    ENTENDEU OU QUER QUE EU DESENHE, se não entendeu pede para a Mula ou para o Burro Velho lhe explicar, seu quase Jumento.

  • PRIMEIRA VEZ

    EU NÃO QUERIA SER O FILHO DO LULA, mais uma vez como um Burro filho de uma Mula e de Um Burro velho, poderia ser filho de um grande estadista Brasileiro.
    Seu estrume lei este texto, achei só para sua burrice:-

    Filho de Lula sofre armação igual à sofrida pelo irmão do ex-presidente em 2007
    Em 4 de junho de 2007, a Polícia Federal levou a cabo uma operação espalhafatosa operação de busca e apreensão na casa de Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão mais velho do então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Ele fora indiciado por tráfico de influência no Executivo e exploração de prestígio do irmão no Judiciário.
    A ação fez parte da Operação Xeque-Mate, que prendeu, naquele dia, 77 pessoas acusadas de pertencer à máfia dos caça-níqueis e a um esquema de corrupção de policiais militares e civis.
    15 dias depois, em 19 de junho de 2007, o Ministério Público desindiciou – por assim dizer – o irmão do ex-residente por falta de elementos que o ligassem ao caso.
    À época, o jornalista Elio Gaspari já havia publicado em suas colunas nos jornais Folha de S. Paulo e O Globo que o “linchamento” que a mídia estava promovendo contra o irmão de Lula não se sustentava em fatos, apenas em indícios frágeis e tinha como objetivo, na verdade, prejudicar o presidente Lula.
    Vale lembrar que o ministro da Justiça, à época, era Tarso Genro, ex-governador do Rio Grande do Sul. Assim como José Eduardo Cardozo, hoje, Genro e todos os outros ministros da Justiça dos governos Lula e Dilma jamais atrapalharam ou tentaram impedir qualquer investigação mesmo que atingissem importantes figuras do PT.
    Três anos e pouco depois, mais precisamente no ano eleitoral de 2010, a Folha de São Paulo publica matéria que comprova que Vavá foi vítima de uma farsa que visava atingir o irmão.
    Nesta segunda-feira (26), o Brasil assistiu a armação igual à que tentou atingir Lula através de seu irmão oito anos atrás. A Polícia Federal deflagrou mais uma fase da Operação Zelotes e fez operação de busca e apreensão na empresa LFT Marketing Esportivo, que pertence a Luís Claudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula.
    No início do mês, o jornal O Estado de São Paulo publicou matéria que afirmara que uma das empresas de Luiz Cláudio, a LFT Marketing Esportivo, recebera pagamentos de Mauro Marcondes, um dos lobistas investigados por negociar a edição e aprovação da MP 471 durante o governo Lula.
    A norma prorrogou incentivos fiscais para o setor automotivo.
    Luiz Cláudio, que também é dono da empresa Touchdown, confirmara o recebimento de R$ 2,4 milhões. O filho de Lula, porém, sustentou que os valores se referem a projetos desenvolvidos para uma empresa de Mauro Marcondes, a Marcondes e Mautoni Empreendimentos, em sua “área de atuação”, o esporte.
    Mas não é só. Luiz Cláudio tentou explicar ao Estadão que a acusação contra ele não se sustentava por várias razões que detalhou, mas o jornal se recusou a divulgá-las.
    Diante da estranhíssima postura do jornal de não querer divulgar essas informações, Luiz Cláudio está processando “cível e criminalmente” ‘O Estado de S. Paulo’. “Essa matéria é mais uma tentativa irresponsável de criminalização do PT, de Lula e de pessoas ligadas ao ex-presidente”, criticou o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS).
    No texto, o jornal declarou que a Marcondes & Mautoni Empreendimentos teria pago à LFT Marketing Esportivo, de Luis Cláudio, para que Lula publicasse a medida provisória 471, de 2009, que oferecia benefícios fiscais às montadoras.
    Os valores citados, no entanto, fazem parte de um projeto contratado e executado entre 2014 e 2015, cinco anos depois da aprovação da MP. “O valor recebido pela LFT Marketing Esportivo foi contabilizado e declarado legalmente”, declara a nota divulgada à imprensa por Luis Cláudio.
    “A linha temporal destrói o argumento central ao tornar impossível a relação causal dos fatos”, destaca a nota. “É uma matéria que não se sustenta. Os fatos foram ignorados na elaboração da matéria e o simples conhecimento deles seria suficiente para desmontar o factoide criado”, disse Pimenta.
    O deputado lembrou que a MP prorrogou incentivos que foram criados a partir de uma articulação em 1999, pelo então senador Antônio Carlos Magalhães, para incentivar a instalação de fábricas automobilísticas nas Regiões Norte e Nordeste.
    “Em 2009, a proposta foi aprovada por unanimidade, defendida no Congresso por Tasso Jereissati (PSDB-CE), José Agripino (DEM-RN) e tendo como relator José Carlos Aleluia (DEM-BA)”, apontou.
    A medida, de acordo com Paulo Pimenta, foi aprovada sem emendas. “A iniciativa do líder do PSDB (Aloysio Nunes) é reveladora de que tudo isso parte de uma estratégia mentirosa que cria a ideia de uma suposta irregularidade”, avaliou o deputado.
    “Não há nenhuma lógica, nenhum sentido nas acusações do jornal. A MP era de interesse do País, beneficiava estados governados pelo PSDB, como Goiás e relatada por partidos de oposição”, rebateu Pimenta.
    Luis Cláudio, filho de Lula, é proprietário da empresa LFT Marketing Esportivo, que presta serviços apenas para o setor privado. Os valores recebidos por trabalhos prestados para a Marcondes & Mautoni foram declarados em imposto de renda
    “Essas informações foram disponibilizadas para a imprensa, que ignorou para justificar uma relação espúria que nunca existiu”, disse Pimenta. Segundo o parlamentar, a matéria é um “factoide criminoso produzido com fundo partidário como parte de uma estratégia para o momento político que estamos vivendo”.
    Contudo, assim como ocorreu com o irmão de Lula, a busca em seu escritório não dará em nada. Chega a ser ridículo acharem que encontrarão alguma evidência de negociata de uma medida tomada por Lula em 2009 no âmbito da crise econômica mundial que eclodira no fim do ano anterior.
    Lula prorrogou incentivos fiscais às montadoras assim como para muitos outros setores da economia, em 2009, na tentativa de impedir que o país entrasse em recessão. Seu filho Luiz Cláudio fundou a empresa LFT marketing esportivo em 2011 e o contrato com a empresa de Mauro Marcondes foi fechado em 2014.
    A tese maluca é a de que Lula emitiu uma medida provisória em 2009 para beneficiar o filho e a propina que o beneficiaria foi paga nada mais, nada menos do que CINCO ANOS DEPOIS. Alguém já viu isso, propina paga cinco anos após o ato de corrupção?
    Pior de tudo é a conduta do Estadão ao se recusar a informar esse fato aos seus leitores. É isso mesmo, caro leitor: o jornal não quer que seu público saiba que a suposta “propina” ao filho de Lula só foi paga cinco anos após o suposto ato do pai para beneficiar montadoras de automóveis.
    Essa artilharia contra Lula, não para. Todo santo dia há uma acusação diferente. Nada é provado, mas o noticiário ajuda a “fundamentar” os grupos antipetistas que, sob financiamento obscuro de milhões de dólares, mobilizam pessoas a não fazerem mais nada na vida além de atacar o PT com manifestações, bonecos gigantes e caríssimos etc.
    Voltamos a dizer: esse tipo de informação que você está lendo deveria ser divulgada em escala internacional para que o mundo saiba da conspiração fascista que está tentando sepultar a democracia brasileira e inaugurar um regime autoritário no país, com perseguições políticas e até violência física, com ataques a bomba e espancamentos nas ruas.
    Isso se chama o trabalho da mídia golpista, tentando de qualquer maneira manchar a figura do futuro Presidente Lula em 2018, atingindo seus parentes pois com ele nada acontece, isso tem nome INVEJA, MEDO e ÓDIO, entendeu seu animal Irracional.

  • DESANIMADO

    Ataques ao Filho de Lula foi somente para blindar a Filha de Cunha
    18 de outubro de 2015
    Danielle Cunha, Filha de Cunha, e Fábio Luis, Filho de Lula
    A mídia e a oposição vem mostrando como são maléficos e prestam um desserviço aos brasileiros.
    Primeiro a oposição apoia o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
    líderes da oposição chegaram ao ridículo de publicarem uma nota pedindo o afastamento de Cunha, num sábado, e na segunda-feira foram pedir desculpas à ele. Um dos líderes chegou a afirmar que a nota assinada pelo PSDB, DEM, SD e outros, não passou de “uma bobagem”, de “um erro” e declarou “estou com Cunha para o que der e vier“, disse Paulinho da Força.
    Agora, nesta semana estourou que a jovem publicitária Danielle Cunha, filha de Eduardo Cunha, é investigada na Lava Jato. Ela é beneficiária de uma das contas secretas do pai no exterior, por onde teriam passado milhões em propina.
    Você viu alguma capa de revista ou jornal destacando isso? Eu não!
    Os jornais e revistas publicaram que o “Fernando Baiano pagou contas de Filho de Lula” (Veja Aqui). Depois mudaram a versão e divulgaram que Baiano teria “repassado R$ 2 milhões para nora de Lula” (que foi desmentido pela Folha de S. Paulo – Veja Aqui).
    E se fosse verdade? A nora de Lula não é de maior e responsável por seus atos? Mas depois a mídia disse que foi “outra pessoa” que teria pedido à Baiano em nome da “nora de Lula”. Quem garante que essa “outra pessoa” que teria pedido dinheiro estava falando a verdade e realmente pedindo para a nora de Lula?
    Ou seja, é um “disse-me-disse” sem nenhum sentido. Mas o por quê de tudo isso?
    Nada melhor para esconder o nome da “Filha de Cunha” colocando o nome do “Filho de Lula” na mídia.
    Você não achou estranho? Na semana que estoura o nome da Filha de Cunha nas investigações a mídia só falou no nome do Filho do Lula.
    Vou ficar esperando uma capa de revista falando de Eduardo Cunha, da Esposa e da Filha. Será que publicam?

Deixe uma resposta para DESANIMADO Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *