31 comentários

  • SÓ JUMENTO VOTOU EM BOZONARO.

    VIXE, E AGORA, COMO COMPLETAR A FRASE PREFERIDA DELES?

  • Enfermeiro cubano

    RODRIGO MAIA ROMPE E NÃO NEGOCIA MAIS COM LÍDER DO GOVERNO NA CÂMARA

    “Vitor Hugo está excluído da minha relação porque ele compartilhou no grupo de deputados que negociar é entrar na Câmara com um saco de dinheiro”, justificou o presidente da Casa
    As reviravoltas sobre o relacionamento do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com os representantes do governo de Jair Bolsonaro tiveram mais um desdobramento. Após uma tensa reunião do Colégio de Líderes da Câmara, nesta terça-feira (21), Maia anunciou que não negocia mais com o líder do governo, Major Vitor Hugo (PSL-GO), que, inclusive, estava no encontro.
    “Vitor Hugo está excluído da minha relação porque ele compartilhou no grupo de deputados que negociar é entrar na Câmara com um saco de dinheiro”, justificou Maia.
    O líder do governo tentou argumentar, dizendo que se empenhou no sentido de criar uma relação com o presidente da Câmara.
    “Tentei de todas as maneiras e o Maia fugiu. Fugiu de ter uma relação. Ele só me atende depois de fazer tudo que tem que fazer. Ele não pode determinar quem entra ou não na residência oficial da Presidência da Câmara. A residência oficial é da Câmara e não dele, isso não é democrático”, disse o deputado do PSL.

    • Sr. Crise - Crise das Braba

      Segundo algumas pesquisas Bolsonsaro, já chega próximo a 50% ruim e péssimo se já não ultrapassou depois das manifestações da Educação. calma que logo logo tem o Sistema S.

      Regular 35%….e ótimo ou bom apenas 15%….

      A midia não põe mas Bolsonaro já chega também próximo de 80% dos que não aprovam seu governo ou sua maneira de governar…

  • eu

    LIDERANÇAS DE OPOSIÇÃO PREPARAM AMPLO MOVIMENTO CONTRA BOLSONARO O MILICIANO.

    Nesta segunda-feira (20), cerca de 40 lideranças políticas e sociais reuniram-se, em São Paulo, para debater a situação do país e buscar formas de construir uma ampla unidade em um movimento de oposição ao atual presidente da República, Jair Bolsonaro.
    Entre os presentes, estavam o advogado Pedro Serrano, que cedeu seu apartamento para o encontro, os ex-candidatos a presidente Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (Psol); o deputado federal e presidente do PCdoB-SP, Orlando Silva; os ex-ministros Aloízio Mercadante (PT) e José Gregori (PSDB), o deputado federal e presidente do PV, José Luis Penna; o ex-senador e vereador Eduado Suplicy, o ex-deputado José Aníbal e o vereador tucano Daniel Anneberg, ambos do PSDB; José Gustavo, porta voz da Rede; o ex-candidato ao governo de São Paulo pelo PDT, Marcelo Cândido; o vereador de Campinas, Gustavo Petta (PCdoB); a presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Marianna Dias, além de outras lideranças do PDT, Cidadania, PSOL e PCdoB e dirigentes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e do movimento negro.
    “A ideia é ver se a gente quebra o gelo e atua com uma plataforma comum”, disse o advogado Pedro Serrano, que cedeu seu apartamento para o encontro. Já o advogado Marco Aurélio Carvalho defendeu a busca por uma “pauta comum”. “O que nos une é maior do que aquilo que nos divide”, disse ele.
    “Uma mistura dessas só vi nas Diretas-Já”, disse Gregori, ao encontrar Suplicy no elevador. Os convidados que chegavam ao evento recebiam um broche onde se lia “Direitos Já”.
    O deputado Orlando Silva (PCdoB), considerou o encontro importante e sua realização cheia de significado. “Representantes de diversas correntes políticas, que fizeram intensas disputas políticas, se reuniram em torno da defesa da democracia. Foi um degelo”, destacou o parlamentar comunista. E enfatizou: “Espero que inspire o combate ao sectarismo que tem sido uma marca da atual conjuntura política”.
    “O encontro foi um marco importante no esforço de construção de uma ampla frente democrática contra os retrocessos representados pelo governo Bolsonaro, pra além das forças de esquerda, nós conseguimos reunir forças que sempre estiveram juntas em defesa da democracia, que se uniram pela ultima vez nas diretas já, e que agora voltam a se unir pra defender a constituição de 88, os direitos civis, sociais, políticos e a democracia no nosso país. É um esforço permanente de unir setores democráticos e progressistas em defesa do Brasil e da democracia” Relatou Petta, que fará parte do núcleo que organizará as próximas atividades.
    Uma unidade histórica, pautada pela luta em defesa da democracia brasileira e pela compreensão de que nesse momento, o que os une é maior do que aquilo que lhes divide. O movimento se chamará “Direitos Já – Fórum pela Democracia” e terá um manifesto que será lançado no TUCA, da PUC-SP, ainda sem data prevista. A ideia é replicar esse esforço por todo o país e buscar adesão nas demais regiões, como os governadores do Nordeste.

  • Notícias que os PETISTAS não divulgam

    NOTÍCIAS QUE OS PETISTAS NÃO DIVULGAM.
    Assessora de ANDRÉ CECILIANO ( PETISTA) movimentou R$ 26,5 milhões.
    Segundo o Coaf, quatro funcionários do presidente da Alerj movimentaram
    em contas bancárias R$ 49,31 milhões.
    Quem é ELISÂNGELA BARBIERI ?. É assessora Especial de Técnica Parlamentar lotada no gabinete do presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), ANDRÉ CECILIANO (PETISTA), que disputa novamente o posto de comandante da Casa.
    Segundo o Coaf, quatro funcionários de CECILIANO movimentaram em contas bancárias R$ 49,31 milhões, o maior valor na Alerj.
    Consideradas suspeitas, as ações estão sendo investigadas. Pois bem, ELISÂNGELA fez transações em uma conta do Banco Itaú, em Paracambi, de R$ 26.510.942,00, entre 2011 e 2017. Como e por que uma assessora, com salário líquido de R$ 5.124,62, movimentou tanto dinheiro ?.
    SEM EXPLICAÇÃO
    CECILIANO não deixou Elisângela se explicar sobre a fortuna, informou que sua assessora só falaria ao Ministério Público.
    “O Coaf descreve que foram (movimentações) entre CNPJs, uma vez que ela tem participação societária numa empresa”, disse ele.
    CONSTRUÇÃO
    O relatório sobre Elisângela é extenso. Diz que ela é possível sócia da Recop Recursos Operacionais, ramo de materiais de construção. Mas não especifica se o dinheiro refere-se a empresa. Diz só que a Recop hoje esta “BAIXADA”, ou seja, fora de atividade.
    INCOMPARÁVEL
    O Coaf informa que Elisângela fez 138 saques, em dinheiro vivo, de R$ 980 mil. Mais: em 2016, ano eleitoral, fez transações de R$ 2 milhões. “A movimentação financeira em conta não foi considerada compatível”, escreveu o órgão.
    DEPÓSITO
    Outros R$ 483,5 mil “correspondem a depósitos em espécie, realizados nos caixas eletrônicos e terminais de caixa das agências na cidade do Rio de Janeiro”, diz o Coaf.
    IGREJAS e PET
    Foram rastreados R$ 169,9 mil da assessora em transferências recebidas de pessoas e empresas ligadas a organizações religiosas e comércio de medicamentos veterinários.
    SERVIDORES
    Nas movimentações consideradas atípicas pelo Coaf, consta que a assessora de CECILIANO fez transações envolvendo servidores e ex-comissionados de órgãos públicos, inclusive a Alerj.
    PARACAMBI
    Elisângela Barbieri conhece ANDRÉ CECILIANO há anos. O deputado de Paracambi, município da Baixada Fluminense onde a assessora mora com a família.
    O CASAL AMIGO
    Elisângela e o marido, Carlos Alberto Dolavale, sempre apoiaram as campanhas do parlamentar. Dolavale, aliás, aparece entre os assessores do gabinete que fizeram transações atípicas, afirma o Coaf.
    LEMBRANDO
    São investigados assessores de mais 19 deputados. O relatório faz parte da Operação Furna da Onça.
    FONTE:
    “O Dia” (ficou bem assim Cardoso?).
    Então PETEZADA, o post acima, informação colhida junto ao Jornal O Dia, são verdadeiras ?????.

    • SÓ JUMENTO VOTOU EM BOZONARO.

      UAI, ESTA COM A POLICIA? FERRO NELES. CADEIA , MAS , COM PROVAS, PROVAS,

    • Rapizodia

      Não sou petista não, mas votei no Hadad no segundo turno tentando de alguma forma evitar o caos que vemos. Com respeito respondo sua pergunta: é praticamente certeza que o sujeito do PT do relato está metido nestes roubos aos cofres públicos, assim como o Flávio Bolsonaro neste momento e o Presidente outrora. É uma prática nefasta neste país, o sujeito nunca trabalhou, viveu de ‘acertos’ e aguardou o seu momento de participar e participa quando pode. Vive uma vida toda assim e até se aposenta, inclui filhos, esposas, enteados e etc. Temos milhares desses espalhados pelo Brasil, inclusive em Jales, não é difícil identificar. Não devemos é ficar tentando justificar um pelo outro, todos têm que responder pelos seus atos e se culpado, que devolva e mofe na cadeia, pois entendo que este é um dos piores crimes, senão o maior. Porém o Flávio é filho de Presidente, como o outro, ludibriou e ajudou a ludibriar com seus asseclas, um estado e toda uma nação no agravante do Flávio. Somente agora, com a ajuda da famigerada mídia é que temos toda a informação e podemos julgar com independência em nosso próprio tribunal, nossa consciência. Espero não tê-lo ultrajado, se sim, peço desculpa. Porque da última vez que comentei sobre outro comentário, o sujeito me esculachou.

      • Fake news!

        Rapizodia
        Você poderia explicar quais são os crimes julgados e condenados do Bolsonaro? Quais são os roubos que estão sendo investigados? Pelo que você escreveu ele não tem nenhum.
        Tem alguma coisa provada contra o filho dele?

        • Rapizodia

          Como disse, os sujeitos estão sob investigação do COAF e ministério público, com indícios fortíssimos de lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e por desvio de verbas públicas em rachadinhas e completinhas (está última é de minha autoria), pois não precisa ser gênio prá entender que se houve os rachas também houve completas, mas acho que você já tinha lido sobre isso, está em todos os jornais, tanto amigos como inimigos. É tão notório, que os investigados já agem como indiciados. Falo do Presidente da Alerj e também do senador em questão. Quanto ao Presidente, que eu saiba, este realmente não está sendo investigado, mas todos sabemos que o sistema de rachadinhas e completinhas era e é uma unanimidade no meio parlamentar, tanto é que o Queiróz, aquele que você deve ter visto na entrevista praticamente chamando todos os brasileiros de palhaços, trabalhou para o Presidente e foi direcionado para o gabinete do Flávio por seu pai e deu no que deu. Não quero de jeito nenhum abusar da sua inteligência, mas você acha que desvio de finalidade de verba pública para fins particulares é o quê!? No linguajar popular e prá mim é roubo! Foi o que disse.

          • Fake news! (2)

            Rapizodia
            Como bom petista que é, não conseguiu provar nada contra o presidente. Seu filho não faz parte do governo, Não confunda as coisas!

  • eu

    ACADÊMICOS DE UNIVERSIDADES EM TODO O MUNDO ASSINAM MANIFESTO CONTRA CORTES DE VERBAS PARA CIÊNCIAS HUMANAS NO BRASIL.

    Estudiosos de instituições como Harvard, Princeton, Sorbonne se posicionam contra eventual redução de verbas para Ciências Humanas no Brasi
    Mais de mil acadêmicos de universidades de todo o mundo assinaram nesta segunda-feira um manifesto contra a eventual redução de recursos para as faculdades de Filosofia e Sociologia. O texto foi uma resposta de pesquisadores e intelectuais à defesa de cortes na área das Ciências Humanas feita pelo presidente Jair Bolsonaro na última semana.
    Há na lista intelectuais de Harvard, Princeton, Yale, Oxford, Cambridge, Berkeley, e de instituições brasileiras como a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade de Brasília (UnB), entre outras.
    O manifesto, publicado nesta segunda no francês “Le Monde”, foi organizado pela Gender International, uma rede de pesquisadores de estudos de gênero e sexualidade que, como se descreve, “mobiliza-se contra a cruzada da chamada ideologia de gênero”.
    Entre os membros da organização, estão a filósofa e escritora americana Judith Butler, doutora em Yale e professora da Universidade Berkeley (California), os sociólogos Éric Fassin, professor de Ciências Políticas da Universidade Paris 8, e David Paternotte, da Universidade de Bruxelas.
    ‘Ciências Humanas não são um luxo’
    No texto, os 1.100 signatários citam diretamente o presidente do Brasil, lembrando a declaração de Bolsonaro no Twitter segundo a qual o Ministério da Educação estuda descentralizar investimento em faculdades de filosofia e sociologia (humanas). O objetivo é focar em áreas que gerem retorno imediato ao contribuinte, como: veterinária, engenharia e medicina”.
    O manifesto defende que “nas nossas sociedades democráticas, os políticos não devem decidir o que é a boa ou a má ciência. A avaliação do conhecimento e de sua utilidade não pode ser conduzida de modo a conformar- se com as ideologias de quem está no poder”.
    O abaixo-assinado afirma ainda que “as ciências sociais e as humanidades não são um luxo”. O texto segue: “Pensar sobre o mundo e compreender nossas sociedades não deve ser privilégio dos mais ricos. Como acadêmicos dos mais diversos campos, estamos plenamente convencidos de que nossas sociedades, incluindo o Brasil, precisam de mais, e não menos educação”.
    É o segundo manifesto com este teor da Gender International. A rede já havia se manifestado ante outro caso que considerou um ataque contra as Ciências Humanas — na Hungria, em meados do ano passado, quando o presidente Viktor Orbán proibiu estudos de gêneros nas universidades do país.
    Num outro manifesto, antecipado nesta segunda-feira pela coluna Ancelmo Gois, no GLOBO, também foi criado como uma resposta às mesmas declarações de Bolsonaro. Com 15 mil assinaturas, o documento foi capitaneado por sociólogos da Universidade Harvard e já é endossado por intelectuais da área de todo o mundo. A leitura da íntegra do manifesto (em inglês) pode ser feita aqui.
    “Nós nos opomos à tentativa do presidente Bolsonaro de desinvestir na sociologia, ou qualquer outro programa nas Ciências Humanas ou Sociais”, diz o texto. “Como sociólogos históricos e contemporâneos, entendemos que a mercantilização do ensino superior convenceu muitos políticos — no Brasil, nos Estados Unidos e no mundo — de que uma educação universitária é valiosa apenas na medida em que é imediatamente lucrativa. Nós rejeitamos essa premissa”, acrescenta o abaixo-assinado.
    O documento dos sociólogos ressalta ainda que “o objetivo do ensino superior não é produzir ‘retornos imediatos’ a partir de investimentos”, mas sim “produzir uma sociedade que se beneficie do esforço coletivo para criar o conhecimento humano”.

  • Enfermeiro cubano

    EM DESESPERO, BOLSONARO RECEBE GLOBO

    Acuado e isolado, Bolsonaro corre para pedir ajuda à Rede Globo; o vice-presidente Institucional do grupo, Paulo Tonet, tem encontro marcado com Bolsonaro às 16h desta terça; a Globo apoiou o golpe contra Dilma e a eleição de Bolsonaro, mas rompeu com o governo nas últimas semanas; articulação semelhante levou à queda de Gustavo Bebianno da Secretaria-Geral da Presidência em fevereiro; “Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro”, disse Bolsonaro a Bebbiano à época
    Acuado e isolado, Jair Bolsonaro agora corre para pedir ajuda à Rede Globo. O vice-presidente Institucional do Grupo Globo, Paulo Tonet, tem um encontro marcado com Bolsonaro às 16h desta terça-feira (21), acompanhado do ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Onyx Lorenzoni. A Globo apoiou o golpe contra Dilma Rousseff e a eleição de Bolsonaro, mas rompeu com o governo nas últimas semanas. Uma articulação semelhante levou à queda de Gustavo Bebianno da Secretaria-Geral da Presidência da República em 18 de fevereiro.
    Em áudio vazado à época, Bolsonaro censurava Bebianno pela iniciativa.
    “Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos se aproximando da Globo. Então não dá para ter esse tipo de relacionamento. Agora… Inimigo passivo, sim. Agora… Trazer o inimigo para dentro de casa é outra história. Pô, cê tem que ter essa visão, pelo amor de Deus, cara. Fica complicado a gente ter um relacionamento legal dessa forma porque cê tá trazendo o maior cara que me ferrou – antes, durante, agora e após a campanha – para dentro de casa. Me desculpa. Como presidente da República: cancela, não quero esse cara aí dentro, ponto final”, disse.
    Bolsonaro se sentiu traído por Bebianno, a reunião acabou cancelada e o ministro caiu (confira aqui).
    O presidente não goza de boas relações com a emissora da família Marinho. Em seu primeiro trimestre de governo, Bolsonaro privilegiou o SBT e a Record, com aumento de receita publicitária dos órgãos federais. O faturamento da emissora de Edir Macedo chegou a 10,3 milhões em 2019. O SBT ficou R$ 7,3 milhões e a Globo, com R$ 7,07 milhõesl algo inédito nas relações do grupo com o governo federal.

  • Enfermeiro cubano

    QUEIROZ E MARIELLE DUAS INVESTIGAÇÕES QUE ENCURRALAM A FAMÍLIA BOLSONARO

    A devassa legal nas contas do primogênito do clã rastreia assessores e ex-assessores, alguns deles ligados ao mundo da milícia investigada pelo assassinato de vereadora
    Pouco mais de cinco meses após o nome do motorista Fabrício Queiroz vir à tona em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras citado por movimentações atípicas, o primogênito do clã Bolsonaro, o senador Flávio, que até o final do ano passado o empregava em seu gabinete na Assembleia do Rio, começou a sofrer uma profunda devassa em suas contas bancárias. O Ministério Público do Estado pediu a quebra do sigilo bancário do parlamentar por um período de dez anos (entre janeiro de 2007 e dezembro de 2018), alegando haver indícios de lavagem de dinheiro e da operação de uma organização criminosa em seu gabinete —no total, 95 pessoas terão suas contas reviradas, sendo que ao menos nove delas também atuaram em algum momento com funcionários do atual presidente, segundo informações do jornal O Globo, e duas delas são ligadas ao miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, buscado pela polícia sob acusação de ser o chefe do grupo.
    A expectativa dos investigadores é de que, pressionados pela devassa fiscal, alguns alvos da investigação decidam colaborar com seus depoimentos, como ocorreu na Operação Lava Jato, abrindo um flanco ainda maior de possibilidades de denúncias contra a família Bolsonaro. Após um hiato, agora a cada dia um novo capítulo se revela. Na quarta-feira, a Veja publicou reportagem em que afirmava que entre 2010 e 2017, quando ainda era deputado estadual, Flávio investiu 9,425 milhões de reais na compra de 19 imóveis, entre salas e apartamentos, e lucrou 3,089 milhões nessas transações imobiliárias —indícios, segundo o MP, de lavagem de dinheiro. Na quinta-feira, nova reportagem de O Globo destacou que policiais militares nomeados para o gabinete de Flávio, quando ele era deputado estadual, repassavam até dois terços de seus salários para Queiroz, em troca de “férias permanentes”: ou seja, recebiam para não trabalhar.
    A quebra do sigilo do filho do presidente tem alto potencial para respingar no palácio do Planalto —já fragilizado pelos protestos de estudantes e professores e com uma base no Congresso que se mostra fraca para aprovar seu principal projeto, a reforma da Previdência, tido como boia de salvação para a cambaleante economia. E torna-se algo especialmente grave para um capitão reformado do Exército que se elegeu com um forte discurso contra a corrupção e tem o juiz da Lava Jato como principal troféu de seu Governo. Ter o nome de Flávio envolvido em algum esquema da chamada “velha política”, tanto criticada pelo clã, pode dificultar ainda mais a aprovação de projetos e a governabilidade e diminuir seu apoio nas ruas, que já é o menor nos primeiros cem dias dentre todos os presidentes brasileiros eleitos.
    Bolsonaro afirma que as investigações contra seu filho são uma perseguição contra ele. “Estão fazendo esculacho em cima do meu filho. Querem me atingir? Venham pra cima de mim”, disse o presidente em Dallas, no Texas, para onde viajou para receber uma homenagem. “Não vão me pegar!”, ressaltou. Flávio também usou o canal de comunicação preferido de sua família, o seu Twitter pessoal, para se defender. Disse que os valores publicados pela Veja são “absolutamente falsos”. “Sempre declarei todo meu patrimônio à receita Federal e tudo é compatível com a minha renda.
    Morte de Marielle
    Uma análise mais conservadora aponta para a possibilidade de que se comprove a participação de Flávio em um esquema de “rachadinha”, prática proibida, mas comum nos legislativos do país, na qual funcionários devolvem parte de seus salários para os parlamentares. Esta possibilidade já havia sido ventilada desde dezembro passado e foi confirmada por Queiroz ao depor por escrito ao Ministério Público. Em fevereiro ele informou que pegava parte do dinheiro dos demais servidores do gabinete e “com a remuneração de apenas um assessor parlamentar conseguia designar alguns outros para exercer a mesma função, expandindo a atuação do deputado”. Flávio sempre negou que a prática ocorresse em seu gabinete, e essa contradição entre os dois ainda não foi esclarecida —tendo em vista que o senador faltou a um depoimento e não remarcou mais a data.
    Mas, para além da “rachadinha”, as investigações tem potencial para colocar o clã Bolsonaro em uma situação mais complicada. Os laços da família Bolsonaro com milicianos e seus parentes (e a simpatia do clã pelos grupos paramilitares comandados por policiais e ex-policiais) podem desaguar em em desdobramentos delicados, especialmente porque no gabinete de Flávio estavam lotadas Danielle Nóbrega e Raimunda Magalhães, respectivamente irmã e mãe o miliciano do apontado como chefe do Escritório do Crime. Trata-se de uma organização miliciana ligada ao assassinato da vereadora Marielle Franco, de acordo com o que já foi divulgado da apuração que tem ainda uma ponta federal: a Polícia Federal investiga se alguém nas polícias do Rio trabalhou para sabotar os trabalhos de elucidação do crime. Ambas tiveram o sigilo bancário quebrado, e o Coaf já tinha apontado repasses delas para Queiroz, amigo de Nóbrega

  • Rapizodia

    Pois é! Fácil apontar a arminha para os outros né!? Mas quando o fio da navalha encosta na jugular, pedesse que sejam complacentes. É este o caso! Para os filhos, amigos e lambe botas a condecendência, condecorações, inércia e apoio, aos inimigos a guilhotina da lei. Quase uma caricatura do Idi Amim Dada, líder ugandense, que saia as ruas da capital do país com seus seguidores, apontava para um supermercado e voltava para o acompanhante: você gosta!? Este respondia que sim, pois não podia contrariar, e o decreto vinha. É seu!

  • Bolsonaro e a quadrilha do Centrão

    Falando em bandidos, Bolsonaro está brigando com o centrão formado pelos partidos do :
    PAULINHO DA FORÇA (SD-SP)é um bandido sindicalista (DA FORÇA SINDICAL), processado na Lava Jato
    AGUINALDO RIBEIRO (PP-PB) faz parte da quadrilha do presidente da casa, RODRIGO MAIA (DEM-RJ) e foi ex-ministro do GOVERNO DILMA
    WELLINGTON ROBERTO (PR-PB) bandido é considerado a voz de outro bandido, do chefe do PR, VALDEMAR COSTA NETO, envolvido e preso na Lava Jato
    MARCOS PEREIRA (PRB-SP) bispo evangélico da IGREJA UNIVERSAL. Mafioso!
    ELMAR NASCIMENTO (DEM-BA) é proximo do dono da camara MAIA e de ACM NETO
    ARTHUR LIRA (PP-AL)LÍDER DO PP, quis tira o COAF de Moro,com medo de ser preso.
    Eles querem tiram o COAF de Moro alem disso queriam mais 2 ministerios para eles tomarem conta e roubarem. Sob pressão de aliados do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais. Temendo ser o alvo preferencial de atos pró-governo, no dia 26, grupo colocaram em votação a MP que reduz número de pastas.
    Eles, também, desistiram de cobrar volta dos ministerios das Cidades e Integração Nacional

  • Hemorróidas da Jalinha

    Filho de Bolsonaro entrevista viúva de torturador

    247 – Num gesto escandaloso e doentio, o filho do presidente da República, deputado federal Eduardo Bolsonaro, publicou nesta terça-feira 21 em suas redes sociais uma entrevista que fez com a viúva do torturador Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, conhecido por enfiar ratos na vagina de mulheres e espancar mães na frente de seus filhos, entre outras atrocidades durante o regime militar.

    “Sensacional conversa com a Sra. Joseíta Ustra, viúva do Cel. Carlos Alberto Brilhante Ustra. Mais adiante postaremos esse longo bate papo sobre a história dela e do Coronel”, postou no Twitter o filho de Jair Bolsonaro, numa clara exaltação ao torturador.

    “Isso é doentio. Sociopatia. Caso de internação. Enquanto outros países relembram as vítimas de suas ditaduras, no Brasil o filho do presidente homenageia um torturador covarde e abjeto que enfiava ratos na vagina de mulheres e espancava mães na frente de seus filhos”, reagiu o diretor André Fran.

    “O que ela acha sobre o marido ter sido um torturador? Como mulher ela achava legal o marido colocar ratos na vagina das mulheres? Ou será q o tesão dela era esse?”, reagiu Roberta Luchsinger.

    Sensacional conversa com a Sra. Joseíta Ustra, viúva do Cel. Carlos Alberto Brilhante Ustra. Mais adiante postaremos esse longo bate papo sobre a história dela e do Coronel.

    Veja entrevista completa: pic.twitter.com/Pn7mLfixxd

    Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/394119/Filho-de-Bolsonaro-entrevista-vi%C3%BAva-de-torturador.htm

  • Rapizodia

    No atual momento, prefiro o COAF no ministério da economia. Não confio no Paulo Guedes, mas confio menos ainda no Sérgio Moro. Isso porque sempre achei que este conselho realmente deveria estar ligado a justiça, mas no presente não dá!

    • Trauma de Moro

      Rapizodia
      Todos os partidos e politicos corruptos preferem o COAF no ministerio da justiça. Precisa explicar porque? O problema é que os petistas tem medo de Moro. Pergunte ao Lula, o porque? kkkkk

      • RAPIZODIA

        Você está certo, não só os petistas devem ter medo do Moro. Todos que de alguma forma forem alvo de suas investidas. Ele foi parcial, atuou baseado em denúncias e não em provas materiais. Veja! Existe a suposição do crime e até denúncia, há que se investigar e buscar provas que impliquem e não possam ser refutadas. Eu digo que você é dono da caixa d’agua, aquele monumento no final do viaduto, e o juiz entende que sim e pronto! Que eu saiba prá ser dono você precisa ter a propriedade. Eu entendo que tinham todos os indícios de que ali poderia haver movimento de recurso de corrupção, mas não havia como provar entende!? Por isso sou contra a decisão do Moro. Diferente do caso Temer, havia o sujeito com a mala de dinheiro, foi filmado, é contundente, não há como negar. Ainda temos o caso do Flávio e seu secretário, o Queiróz, existe a materialidade do crime, cabe explicação, mas existe! Se a justiça agir dessa maneira, somente baseada em delação e suposição, não somente o Lula estará em situação de perigo, todos os brasileiros. A delação e suposição são importantes para a investigação, mas não para decretar.

  • Enfermeiro cubano

    Notícias que os PETISTAS ( PSL )–não divulgam.

    Preste atenção nesta entrevista com o Promotor:–SE APROFUNDAR, CAI MUITA GENTE, DIZ PROMOTOR QUE INVESTIGA LARANJAS DO PSL
    Fernando Abreu afirma que prática é generalizada em todo o Brasil.
    O promotor eleitoral Fernando Abreu, do Ministério Público de Minas Gerais, responsável pela investigação de supostas candidaturas laranjas ligadas ao ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, do PSL, afirma que a prática é “generalizada” em todo o país: “(Se aprofundar) Cai muita gente”. “É nacional. E não é do PSL, não é do Avante, não é do MDB. É de todos os partidos”, emenda.
    Abreu diz que conhece outras apurações sobre essas irregularidades em Minas Gerais, e aposta que casos parecidos surgirão em outros estados.
    ***Em que estágio está a investigação?
    Vamos ouvir todas as pessoas que participaram de contratações e da campanha eleitoral. Temos que começar a desenhar o cenário ouvindo quem já foi mencionado. São 20 pessoas. Sete em Belo Horizonte, uma em Brasília e o restante em cinco cidades do interior de Minas Gerais. Fora de Belo Horizonte, eu já mando as cartas precatórias com as perguntas e eles só vão ouvir os depoimentos para mim.
    O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, que presidiu o PSL em Minas Gerais, será ouvido?
    Neste primeiro estágio, não. Só pessoas em níveis de campanha no estado. Até para ver se vai chegar a alguma coisa. Pode ser que não chegue a absolutamente nada. Está tudo muito no início. A representação chegou há uma semana. Acho que está distante ainda do ministro Marcelo Álvaro. Do Gustavo Bebianno, mais ainda. Tem que ter algo que ligue ao Marcelo Álvaro.
    ***Qual a previsão para a conclusão das oitivas?
    Já foram agendadas oitivas aqui em Belo Horizonte na sexta-feira agora, eu acredito que até semana que vem já estão encerradas. Agora, tem as precatórias do interior. Depende da agenda do pessoal lá. Eu pedi urgência, liguei, conversei com um por um, solicitando uma atenção especial, até em razão da publicidade que foi dada ao caso, para ver se acelera logo, porque é péssimo ficar com isso no gabinete. Só que depende da agenda deles. Não depende mais de mim. Seguramente o pessoal cumpre em 10, 15 dias.
    ***Seus pedidos por telefone foram bem recebidos?
    Com certeza.
    ***As 20 pessoas são todas do PSL?
    Não necessariamente estão ligadas ao partido. Tem empresas que prestaram serviços. Gráficas, por exemplo. É preciso saber a natureza do serviço prestado, quem efetuou o pagamento, esses detalhes básicos de contratação.
    ***Se houver gráficas que prestaram serviços irregulares a vários partidos, mais investigações podem surgir?
    Perfeitamente. O objeto passa a ser um pouco diferente, mas com certeza. Se aparecer alguma ilegalidade, ainda que não relacionada com esse fato nas investigações, outros procedimentos serão abertos. Assim como eu tenho ciência que existem, no âmbito da Procuradoria Regional, outras apurações envolvendo supostos candidatos laranjas de outros partidos. Isso não é um procedimento do partido A ou B, isso é um procedimento que está generalizado em praticamente todos os partidos. Quem quiser fazer uma apuração completa nisso aí vai ver a quantidade de candidatas mulheres que se candidataram e tiveram quantidade ínfima de votos e que nem campanha fizeram. Aí o interesse é o seguinte: tudo bem, estão usando isso para fraudar a cota dos 30% de candidatas mulheres. Agora, a questão é: essas pessoas receberam verba pública? Receberam recursos do fundo eleitoral, do fundo do partido? Isso é dinheiro público. A partir do momento em que essas pessoas receberam e não praticaram nenhum ato de campanha, a gente precisa saber para onde foi esse dinheiro, porque tem uma ilegalidade aí. É dinheiro público.
    ***O senhor considera a prática generalizada em nível nacional?
    É nacional. E não é do PSL, não é do Avante, não é do MDB. É de todos os partidos. É pela cota, já que tem que ter 30% de candidatas mulheres. Basta ver a proporção do número de candidatas e o número de eleitas. Já vai identificar nitidamente que tem uma distorção aí. Muitas dessas mulheres se candidatam e sequer praticam atos de campanha. É um procedimento generalizado. Quem quiser fazer uma apuração completa de como está, é tudo público, está lá nas prestações de contas do TSE. A pessoa recebeu tantos mil reais para fazer campanha e teve 100 votos, 200 votos, tem alguma coisa de errado. Para quem ela pagou isso? Às vezes gastou com gráfica, mas foi material para ela ou pagou para outro candidato, para burlar o teto de gastos que ele havia declarado? Este é que é o ponto principal. A fraude está justamente aí.
    ***A legislação que impõe aos partidos cota de 30% de candidatas mulheres é falha?
    A letra da lei nesse ponto acaba dando brecha para isso. A legislação tem que mudar para que isso seja endurecido e se cobrem realmente atos de campanha. Recebeu recurso público, tem de gastar na campanha. Não existe essa de receber recurso público para fazer campanha e apoiar outro candidato, isso não existe. É uma fraude tanto do candidato quanto do próprio partido. A pessoa não toma decisão sozinha de transferir o seu recurso para a campanha para um outro candidato. Isso naturalmente vem das cúpulas dos partidos, dos diretórios estaduais, normalmente. É um procedimento generalizado. Não é só esse caso do PSL. Outros vão aparecer. Se descer e aprofundar nesse tipo de trabalho, vocês vão achar muita coisa. Como se diz: cai muita gente.
    ***Como essa lei poderia ser aperfeiçoada?
    Talvez criar uma equivalência. Se 30% dos candidatos são mulheres, 30% desses recursos obrigatoriamente também deveriam ser destinados a elas. Porque hoje está simplesmente no papel. 30% têm de ser mulheres, mas não necessariamente 30% dos recursos vão para elas. É preciso um controle maior especialmente em cima de gráficas, que são onde está a grande maioria das fraudes. Às vezes a gente não consegue demonstrar se o material foi produzido ou não. A gráfica emite uma nota fiscal lá de R$ 10 mil por tantos panfletos, e quem garante que esses panfletos realmente foram entregues? Quem controla isso? Ninguém. Então é muito fácil inclusive desviar o dinheiro. A pessoa emite a nota, paga lá o ICMS dela, e no final das contas ela lavou o dinheiro. E algumas gráficas, por exemplo algumas dessas aqui que a gente está fazendo essa apuração, foram fechadas agora em janeiro. Muito estranho, não é? Depois de receber recurso público do partido, talvez o semestre em que a gráfica mais fatura, passados dois meses da eleição, ela vai e encerra as atividades, fecha as portas? Coisa boa não é.
    ***Há um padrão para irregularidades com gráficas nas eleições?
    Com certeza. A gente parte do pressuposto de que a gráfica é de um empresário de boa fé. A gente hoje na Justiça Eleitoral parte do pressuposto de que a contratação foi feita, e o serviço foi prestado. Agora, a gente não tem como ter o controle real se esse material foi realmente produzido. Então dá margem para muito desvio de recursos públicos. Contratação de parentes em eleições é outro problema. É recurso público, e a pessoa contrata o irmão para ser cabo eleitoral, paga R$ 10 mil. A pessoa às vezes não tem qualificação nenhuma e nem pratica ato de campanha. Então legislação tem de ser endurecida nesse ponto, para que a gente tenha um processo mais limpo.
    ***Cleuzenir Barbosa, ex-candidata do PSL em Minas Gerais que acusa o ministro do Turismo de saber de esquema para lavar dinheiro no partido, será ouvida novamente?
    Ela já foi ouvida uma vez, eu até expedi nova carta precatória para inquiri-la de novo. Eu sei que não vai ser cumprida porque está em Portugal, segundo as informações. Mas nada impede a gente de pedir uma cooperação internacional para solicitar esclarecimentos a ela. Eu preciso ouvir as outras candidatas. Por enquanto a gente só tem o depoimento dela. Eu preciso saber se com as outras aconteceu a mesma coisa. Pode ser um desacerto comercial, alguma coisinha ali direta dela. Porque ela deu início a isso tudo. Quem me garante que não foi ela que teve algum problema ali, alguma coisa, se sentiu traída pelo partido pelo motivo A ou B, e resolveu falar um monte de coisa? A gente não sabe. Tem várias coisas que podem ter acontecido.

  • Enfermeiro cubano

    Notícias que os PETISTAS não divulgam” o Babaca “,. nem querendo agora puxar o saco da Globo a coisa esta dando certo. Que tal depois falarmos dos Laranjais, das Rachadinhas, do cx. 2 do Onys, do Conge, da Marionete do Moro, dos Milicianos comandados por Flávio Bolsonaro, da Morte da Marielle etc…

    Ele não serve’, dispara jornalista da Globo após reunião de executivos da emissora no Palácio do Planalto
    Declarações foram dadas após o encontro de executivos da emissora com representantes do Governo Federal.
    O encontro entre o executivo Paulo Tonet, da Globo, e representantes do governo federal, ontem (21), em Brasília, ainda não selou uma aliança entre a empresa de comunicação e o governo Jair Bolsonaro (PSL). Em artigo publicado nesta quarta-feira (22), a jornalista Miriam Leitão, uma das principais vozes do Globo, citou que ‘Bolsonaro não serve, não sabe governar, não entende o que se passa ao seu redor e é um grande problema para o Brasil’.
    As declarações caíram como bomba no Palácio do Planalto. Tido como “inimigo passivo” pelo presidente, a jornalista não poupou o verbo e atacou Bolsonaro, colocando ‘uma pá de terra’ em uma possível construção de relação entre a emissora e o Governo.
    “Durante os anos em que foi parlamentar, Jair Bolsonaro não presidiu comissão, não relatou qualquer projeto, nunca liderou grupo algum. Ele não se interessava pelas matérias que passavam por lá, concentrando-se em questões do seu nicho. Sua preocupação era apenas a defesa dos interesses da corporação dos militares e policiais. Afora isso, ofendia colegas que considerasse de esquerda e dava declarações espetaculosas para ocupar espaço no noticiário. Com esse currículo ele chegou à Presidência. Hoje, não entende nem os projetos que envia ao Congresso, como se vê diariamente nas declarações que faz”, disse a jornalista em seu artigo.
    “Diariamente, Bolsonaro diz algo que contraria o espírito dos projetos que seu governo defende ou contradiz o que disse. De manhã, afirma que a ‘classe política’ é o grande problema do país, de tarde, a adula. Navega por qualquer tema com a mesma superficialidade que demonstrava no exercício dos seus mandatos de deputado. Nenhuma surpresa nisso. Por que mesmo ele seria presidente diferente do parlamentar que foi?”, questiona ainda a jornalista.
    Miriam explica o caos atual. “O fato é simples: o presidente Bolsonaro não sabe governar. É essa a razão da sua performance tão errática nestes quase cinco meses. Sua relação tumultuada com o Congresso não deriva de uma tentativa de mudar a prática da política, mas da sua falta de aptidão para qualquer tipo de diálogo. Não sabe ouvir, não entende os projetos, não tem interesse em estudá-los”, afirma.

  • Enfermeiro cubano

    Notícias que os PETISTAS ( PSL ) não divulgam:::::

    https://abrilexame.files.wordpress.com/2019/05/governo.jpg?quality=70&strip=info&resize=680,453

    Os ministros do governo Bolsonaro que mentiram no currículo.
    Mestrados e doutorados imaginários, omissões convenientes e autoplágio estão entre as inconsistências reveladas em membros da equipe ministerial de Bolsonaro o Miliciano.
    ***No Brasil, mentir no currículo é algo praticado por cerca de 7 em cada 10 profissionais, de acordo com um levantamento da empresa DNA Outplacement.
    Políticos e figuras públicas, que não deveriam se surpreender de ter suas vidas vasculhadas, também não hesitam em florear suas experiências pregressas.
    Nesta quarta-feira (20), o jornal O Globo revelou que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, mentiu ao informar em seu Lattes (sistema que reúne informações de pesquisadores de todo o país) que parte de seu curso de doutorado na Universidade Federal Fluminense (UFF) foi realizado na universidade americana de Harvard.
    A assessoria informou que essa era uma mera “intenção” do hoje governador, que nem chegou a se inscrever no processo do chamado “doutorado sanduíche”.
    A prática atravessa campos políticos. Um exemplo clássico é o da ex-presidente Dilma Rousseff, que colocava no currículo os títulos de mestre e doutora em economia pela Unicamp.
    Na verdade, ela havia concluído os créditos mas não tinha nenhum dos diplomas por não ter defendido tese. A revelação veio à tona pela Revista Piauí, em 2009.
    É comum que em começos de governo, os novos membros sejam confrontados sobre a veracidade das informações dos seus currículos. Em 2019, foi a vez dos ministros de Bolsonaro.
    ***Damares Alves
    Em janeiro, uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostrou que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, não era “mestre em educação” e “em direito constitucional e direito da família”, como afirmava em seus discursos.
    Na ocasião, ela afirmou à reportagem que seu título tem a ver com o ensino bíblico. “Diferentemente do mestre secular, que precisa ir a uma universidade para fazer mestrado, nas igrejas cristãs é chamado mestre todo aquele que é dedicado ao ensino bíblico”.
    ***Ricardo Salles
    Em fevereiro, foi a vez do site Intercept Brasil revelar que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, não é mestre em direito público pela Universidade Yale, título atribuído a ele há anos em seus artigos.
    O veículo entrou em contato com a instituição, que negou a existência de registro de frequência do ministro. Após a reportagem, Salles disse em seu Twitter que “a informação de 2012 foi veiculada erroneamente por um equívoco da assessoria”.
    ***Ana Silveira
    Ministro, em 2012 houve uma reportagem sua no Jornal Folha de São Paulo. Na sua biografia, consta um mestrado em Yale. Esta bio é a fonte de toda a confusão. Quem forneceu a informação a Folha?
    ***Ricardo Salles MMA
    A informação de 2012 foi veiculada erroneamente, por um equívoco da assessoria. De qualquer modo, desde então, vem sendo sempre corrigida, exatamente como bem relatou o Roda Viva em sua nota.
    ***Ricardo Vélez Rodriguez
    Antes de ser demitido do Ministério da Educação, o professor Ricardo Vélez Rodriguez errou 22 vezes em seu currículo Lattes, como apontou o site Nexo.
    As inconsistências são repetidas inúmeras vezes, como “esquecer” de acrescentar coautores de seus textos, como por exemplo ter citado como de sua autoria única o livro “Formação e Perspectivas da Social-democracia”.
    O título, no entanto, foi organizado pelo diplomata Carlos Henrique Cardim, docente do Instituto Rio Branco. O ministro decidiu na ocasião não se pronunciar sobre as revelações.
    ***Abraham Weintraub
    De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o atual ministro da Educação também traz inconsistências em seu currículo.
    Em relação a sua produção, foram encontrados dois artigos idênticos publicados em periódicos diferentes que exigem ineditismo do material – prática conhecida no meio acadêmico como autoplágio.

    SEU IMBECIL TU ÉS UM MENTIROSO IGUAL OS MINISTROS DO BOLSOMERDA.

  • Enfermeiro cubano

    A IDEIA DE UM FILOSOFO BRASILEIRO SOBRE BOLSONARO O MILICIANO.

    Bolsonaro é burro e governa como se estivesse em um churrasco, diz Pondé.
    Filósofo de direita critica o governo de Jair Bolsonaro e acredita que o presidente precisa mudar o tom — se não, um novo impeachment pode acontecer.
    .
    “A política é a capacidade de conviver com o que você não concorda”, afirma Pondé.
    Ao contrário dos filósofos e intelectuais que o presidente Jair Bolsonaro tanto critica, Luiz Felipe Pondé sempre se colocou à direita no espectro ideológico. Defensor de bandeiras liberais, tanto na economia quanto nos costumes, o filósofo e escritor brasileiro era comumente criticado por seus pares por defender um Estado menor e a economia de mercado.
    Para ele, o liberalismo “dentro de todas as políticas econômicas, é a que parece menos ruim”. O filósofo, no entanto, não está nem um pouco satisfeito com o governo de direita de Bolsonaro, que vem se afastando cada vez mais do perfil liberal que prometera durante as eleições. E parte da culpa dessa instabilidade, para o filósofo, é do seu companheiro de profissão, Olavo de Carvalho.
    Não por acaso, Pondé acredita que Bolsonaro tem potencial de ser uma liderança nacional populista, aos mesmos moldes do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, e do vice-primeiro ministro italiano Mateo Salvini. Quer dizer, existe um obstáculo: para o filósofo, Bolsonaro é burro.
    “Ele é burro. Pode escrever isso. Ele é burro, segue um intelectual paranoico e se deixa influenciar pelos filhos que não entendem nada de sociedade e de convívio democrático”, diz Pondé.
    O melhor caminho para se tomar, segundo ele, é uma conversa mais madura entre todo o espectro político, deixando a radicalização de lado. “A política é a capacidade de conviver com o que você não concorda. Não é conviver com o que você concorda”, afirma ele, que recebeu a reportagem de EXAME em seu escritório, em São Paulo.
    Se Bolsonaro não entender isso, de acordo com Pondé, um impeachment pode se tornar um caminho possível.

  • Enfermeiro cubano

    BOLSONARO E MAL RECEBIDO NO NORDESTE.

    https://www.wscom.com.br/wp-content/themes/wscom/assets/images/transparente550x380.png

    Bolsonaro tem homenagem cancelada em Pernambuco e deve ser recebido com protesto
    Foto: Agência Brasil
    O presidente Jair Bolsonaro, que viaja para Pernambuco nesta sexta-feira (23) em sua primeira visita oficial ao Nordeste desde que assumiu o governo, deverá enfrentar manifestações em larga escala. Além de ter sido a única região em que perdeu o pleito presidencial, oito dos nove governadores são de partido de oposição e, conforme pesquisa do Datafolha, 39% dos nordestinos avaliam a gestão Bolsonaro como ruim ou péssima.

    A primeira manifestação contrária à visita presidencial, contudo, aconteceu antes mesmo de seu embarque, com o cancelamento do título de Cidadão Petrolinense pela Câmara de Vereadores de Petrolina, município do Sertão pernambucano, na sessão desta quinta-feira.

    Bolsonaro viajará para o Recife para participar de uma reunião com os governadores da região, além de Minas Gerais e do Espírito Santo. Na ocasião, ele deverá anunciar um adicional de R$ 2,1 bilhões para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, destinado a obras de infraestrutura. Da capital Pernambuco, ele deverá ir à Petrolina, distante cerca de 740 quilômetros da capital, para entregar imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida.
    No Recife, estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) também estão programando uma manifestação defronte ao Instituto Ricardo Brennand, onde o presidente cumpre agenda, onde um caixão deverá queimado.
    Também estão previstas manifestações nos municípios de Salgueiro e Serrita, onde o governo Bolsonaro pretende liberar áreas para a atividade de garimpo. Na última segunda-feira (20), a hashtag “Nordeste cancela Bolsonaro” ocupou o primeiro lugar entre os assuntos mais comentados no Twitter em nível mundial.

  • Enfermeiro cubano

    NOTÍCIAS QUE OS PETISTAS NÃO ACEITAM SEU BABACA DIVULGAM:

    Bolsonaro acaba com bolsas de mestrado e doutorado em todas as áreas científicas.
    .No mesmo dia em que liberou armas para crianças e adolescentes junto com os pais, o governo de Jair Bolsonaro desferiu nesta quarta-feira, um novo golpe contra as universidades e a ciência brasileira. O governo suspendeu de maneira generalizada bolsas de mestrado e doutorado oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
    Segundo informações da Folha de S. Paulo, as bolsas pertenciam a alunos que apresentaram seus trabalhos recentemente e seriam destinadas a estudantes aprovados em processos seletivos concluídos ou em andamento.
    Segundo relatos de coordenadores de programas, financiamentos que estavam temporariamente sem uso foram retirados do sistema do órgão de fomento ligado ao Ministério da Educação.
    Aluno de universidade pública é mais barato do que aluno de universidade privada
    O ataque à pós-graduação atinge não apenas a área de Ciências Humanas. No Instituto de Biociências da USP, 38 bolsas foram cortadas —17 de mestrado, 19 de doutorado e duas de pós-doutorado. Elas custeariam estudos nas áreas de botânica, ecologia, fisiologia, genética e zoologia.
    O pró-reitor de Pós-Graduação da USP, Carlos Gilberto Carlotti Junior, enviou comunicado a seus colegas de universidade compartilhando a sua preocupação com a medida da Capes. “No dia de hoje, as bolsas que constavam como disponíveis para novas implementações foram zeradas nos sistemas”, escreveu.
    Olha como governa à educação seu presidente Imbecil ( os dois -ele e você ).

  • PT, SEMPRE SERÁ UMA DOENÇA

    Governo do PT se resume em 4.880 dias de escândalos e corrupção que somam mais de R$ 47 bilhões.
    Desde janeiro de 2003 , gestão petista conviveu e APOIOU casos de corrupção no Brasil.
    Governo petista deixa um legado de corrupção e desvios.
    ENFERMEIRA CUBANA:
    Já que você é um alienado, prá não dizer que você é um idiota e imbecil, já que você é um aposentado e desocupado, que não produz nada ao país, leia esta reportagem completa no site R7.
    Bay…. Bay.

  • Rapizodia

    Ao Sr. Fake News! Por que me rotula como petista!? Eu o rotulei nos meus comentários!? Você está defendendo o seu ponto de vista se agarrando a uma linha fina e tênue. O que relatei em meus comentários é de domínio público e estão difundidos por mídias respeitadas, não se prenda a retórica da perseguição política pura e simples. Não quiz fazer busca e postar links das sujeiras aqui, pois não caberia. Fazendo relação com seu raciocínio e petista que sou, conforme seu relato, me diga? Por que Lula está preso? Apresente as provas materiais, pode ser um único link. Veja! Se formos por este raciocínio, todos estariam presos e condenados, mas para isso temos que provar com provas materiais, de outro jeito fica difícil ser imparcial. Por isso Flávio e família ainda discutem e o MP e a PF estão levantando provas para não cometer os mesmos erros.

    • Fake news! (3)

      Rapizodia
      O senhor como bom petista e fanático do Lula, acha que a prisão de Lula não tem provas e por isso quer “prender” Bolsonaro. kkkkk Não conseguiu provar nada contra Bolso e agora quer que eu apresente provas contra o Lula? kkkk
      Após confundir os filhos do Bolso agora mistura Lula com o presidente.

  • Hemorróidas da Jalinha

    Ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Queiroz pagou cirurgia no Einstein com dinheiro vivo
    Ex-motorista do senador desembolsou R$ 64 mil por procedimento médico;

    RIO – O ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) Fabrício Queiroz pagou em espécie R$ 64,58 mil por uma cirurgia ao hospital israelita Albert Einstein , em São Paulo. Queiroz foi internado na unidade em janeiro, quando retirou um câncer no cólon. O pagamento foi feito em 14 de fevereiro. Desde que o assessor de Flávio recebeu alta do hospital, nunca se soube o valor das despesas pagas pelo procedimento médico.

  • Enfermeiro cubano

    PT, SEMPRE SERÁ UMA DOENÇA*-*-*-*-* começando a resposta do fim para o início:—
    ***Alienado, Idiota e Imbecil é a senhora sua mãe e o senhor seu pai além da sua esposa e filhas se tiver.
    ***Não sou enfermeira, pergunte para sua mãe e esposa o que sou e as mesmas vão lhe dizer que sou o ENFERMEIRO CUBANO DA MORTADELA GIGANTE.
    ***PRINCIPAIS REALIZAÇÕES DO GOVERNO MILICIANO DE BOLSONARO: em mais ou menos 150 dias sem : Rachadinha, sem Laranjais, sem Coaf nas mãos de Moro, sem cx. 2 de Onys, sem os motoristas do Flávio Bolsonaro Miliciano, sem a distribuições de dinheiro para os assessores, sem Queiroz pagando cirurgia no Einsten com dinheiro de Bolsonaro, com sete assessores de Flávio Bolsonaro fazendo depósitos para ex-motorista, com seu amigo, comFabricio Queiroz, que teve ‘movimentação atípica’ de R$ 1,2 milhão detectada pelo Coaf, recebeu dinheiro de servidores que atuaram no gabinete do deputado e do presidente, isso seu FDP desde Janeiro de 2019 até hoje.
    AGORAS SEU BOIOLA ALGUMAS REALIZAÇ~]OES DO PT, SÓ ALGUMAS:::::
    ***Reduziu a inflação de 12,5% (2002) para 4,3% (2009) ao ano; a taxa média anual de inflação no governo Lula (6% ao ano) é menos da metade da que tivemos no governo FHC (12,5% ao ano);
    ***Aumentou o salário mínimo para o seu maior patamar em 40 anos, com um aumento real de 74% entre 2003/2010;
    ***Reduziu a relação dívida/PIB de 51,3% (2002) para 36% do PIB(2008); 
    ***Acumulou um superávit comercial de US$ 252 Bilhões (2003/2010);
    ***Pagou toda a dívida com o FMI e com o Clube de Paris e o Brasil se tornou credor do FMI, algo inédito na história do país, para quem emprestou US$ 10 Bilhões; Hoje, a dívida externa líquida é negativa em US$ 65 bilhões; 
    ***o déficit público nominal de 4% do PIB (2002) para 1,9% do PIB (2008); 
    ***Ampliou a capacidade de investimento do Estado; Os investimentos do governo federal e das estatais para 2009 estão previstos em R$ 90 Bilhões; Em 2010 eles estão programados para chegar a R$ 119 bilhões;
    ***Aumentou as reservas internacionais líquidas de US$ 16 Bilhões (2002) para US$ 285 Bilhões (Novembro de 2010); 
    ***A concentração de renda e as desigualdades sociais diminuíram sensivelmente; o índice de Gini atingiu o menor patamar da História;
    ***Gerou 15 milhões de empregos formais entre 2003/2010; 
    ***Reduziu o percentual da população brasileira que vive abaixo da linha de pobreza de 28% (2002) para 19% (2006), segundo o IPEA;
    ***O BNDES emprestou R$ 137 Bilhões em 2009 para o setor produtivo, contra cerca de R$ 22 Bilhões em 2002;
    ***Criou programas sociais inclusivos, como o Bolsa-Família, ProUni, Brasil Sorridente, Farmácia Popular, Luz Para Todos, entre outros, que beneficiaram aos pobres e miseráveis e contribuíram para melhorar a distribuição de renda;
    ***Criou o Reuni, que iniciou um novo processo de expansão das universidades públicas, aumentando consideravelmente o número de universidades, de campus e de vagas nas mesmas;
    ***Os lucros do setor produtivo cresceram quase 200% no primeiro mandato em relação ao governo FHC;
    ***Reduziu a taxa de desemprego de 10,5% (Dezembro de 2002) para 6,8% (Dezembro de 2008);
    ***Reduziu os gastos públicos com pagamento de juros da dívida pública para 5,9% do PIB (em 2008), representando uma queda de cerca de 36% quando comparado com o segundo mandato de FHC.
    DEU PARA ENTENDER SUA BICHA!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *